Authors Posts by admin

admin

1512 POSTS 11 COMMENTS

Homem caminha pela Praça da Liberdade e observa a montagem de "Triângulos", do artista Victor Monteiro.

No fluxo diário de Belo Horizonte, pouco se nota dos seus detalhes e dos locais pertencentes a ela. Através de um meio inusitado, o artista plástico Victor Monteiro, 31, é um dos representantes de movimentos da arte que visam a releitura dos espaços urbanos que são utilizados pela população, normalmente, de forma imperceptível. Ele criou um meio para desconstruir essa “utilização automática” dos espaços, por meio de sua arte. A Praça da Liberdade, normalmente utilizada como um caminho pelos moradores da região Centro-Sul de BH, seja para irem até o local de seus trabalhos ou para suas casas, outrora, como um espaço de lazer, se tornou a nova galeria aberta de Monteiro.

Com a utilização de filme plástico e fita tipo durex o artista, que é do Espírito Santo, está criando esculturas interativas entre as palmeiras imperiais que cercam o corredor central da Praça da Liberdade. Ao lado de amigos que o auxiliam na montagem, ele utiliza andaimes de aço para elevar a montagem de três triângulos, representando a bandeira do estado de Minas Gerais. A iniciativa é vinculada ao seminário Patrimônio e Arte Contemporânea, do IEPHA e do Inhotim, e tem por objetivo a preservação do patrimônio e noções contemporâneas de urbanismo, arte e ocupação.

Convidado para realizar uma ação na praça, Victor Monteiro explica sobre o Prolongamentos, nome dado à sua intervenção. “Normalmente realizo ele em construções arquitetônicas e tento fazer extensões de paredes, colunas e elementos da construção arquitetônica. É uma proposta que executo desde 2007. Agora, tentei trazer a proposta para o ambiente natural aqui da praça, utilizando as palmeiras como colunas de sustentação. Fiz uma proposta que chamei de Triângulos, trazendo uma relação formal com a bandeira de Minas”., comenta. Para ele, seu objetivo com esse tipo de intervenção e ocupação é fazer com que as pessoas possam interagir no espaço público por meio de uma maneira distinta daquele trivial. “As montagens das estruturas serão realizadas até o dia 18 e a desmontagem será na sexta feira, 19. Utilizamos o filme de plástico para cobrir e proteger as palmeiras e o durex colamos sobre o filme”.

Monteiro relata que algumas pessoas ainda estranham o trabalho que está sendo realizado, principalmente, pessoas mais velhas. Na tentativa de conversar com o público que frequenta a praça, dois jovens falaram sobre suas impressões da arte de Monteiro. João Victor Duarte e Isabel Lima Pontes, estudantes, acreditam que este tipo de projeto é importante para a cidade. “Sinceramente, não entendi inicialmente a proposta. Depois de chegar mais próximo percebi que é uma arte que pode fazer com que as pessoas percebam ainda mais a praça que está à volta delas.”, opina João Victor. Comentando sobre as dimensões do trabalho, Isabel Pontes comenta, “o mais interessante é que força a pessoa a desviar do seu caminho cotidiano. Não tem jeito da pessoa não ver essa estrutura”, finaliza. Triângulos, o trabalho de Victor Monteiro ficará exposto de hoje, 17 até sexta feira, 19, no canteiro central da Praça.  

Reportagem e fotografia: Lucas D’Ambrosio

0 375
Foto: Amanda Eduarda

Parques, mirantes, museus, teatros… Belo Horizonte é repleta de atrações turísticas. Pensando em orientar melhor turistas e até mesmo a população local que necessita de atenção especial quanto a mobilidade e acessibilidade, a Belotur desenvolveu uma cartilha virtual destacando os atrativos da capital que estão estruturalmente preparados para atender à todos.

Ao entrar no site belohorizonte.mg.gov.br , no topo da página, à direita, encontra-se já disponível a cartilha que recebe o nome de “Turismo Acessível”. Cerca de 60 pontos turísticos foram catalogados e classificados em quatro categorias: “Física ou motora”, “auditiva”, “visual” e “mobilidade reduzida”.

Crédito: belohorizonte.mg.gov.br
Crédito: belohorizonte.mg.gov.br

Ao clicar em um dos quadrantes, a página direciona para uma lista de atrativos variados, com todas as informações necessárias, acessíveis a cada uma das condições, incluindo visitas mediadas sensoriais (tátil e sonora). “A ideia é qualificar a vinda deste turista que necessita de atenção especial, oferecendo informações confiáveis e amplas sobre os serviços de acessibilidade que a cidade oferece com relação à rede de atrativos turísticos”, exalta o diretor de Promoção Turística da Belotur, Gustavo Mendicino.

O presidente da Comissão de Acessibilidade da Fundação Municipal de Cultura, Cássio Campos, viu com bons olhos a iniciativa. “Nós estamos falando de vários grupos sociais, de várias etnias, que precisam ter suas diferenças respeitadas. Desse modo, estamos dando um ponto de partida para ampliar o acesso à vida cultural da cidade, eliminando as barreiras. Esse inventário abre as portas do patrimônio cultural da cidade e provoca a reflexão sobre a importância de se conscientizar sobre o tema”.

Foto: Amanda Eduarda
Foto: Amanda Eduarda

O Centro Cultural Banco do Brasil, CCBB ( foto acima), localizado na Praça da Liberdade, região central da capital, está apto a receber visitantes das quatro categorias listadas na cartilha. O espaço possui:

Rampa de acesso ao prédio para pessoas com deficiência física.
Indicação sonora e em braile nos elevadores.
Banheiro acessível em todos os andares.
Guichê de caixa eletrônico acessível a pessoas em cadeiras de rodas.
Disponibilidade de elevadores adaptados ligando os pavimentos.
Sinalização tátil em corrimão e totens.
Duas vagas de estacionamento público destinadas a pessoas com deficiência na Avenida Brasil e na Rua Gonçalves Dias.
Escadas com corrimão e indicações em braile.
Teatros com box para cadeirantes.

Estas e outras informações como telefone, horário de funcionamento e programação estão disponíveis na cartilha.

Texto: Bruna Dias

 

0 1329
Foto Ana Paula Tinoco

O Dia dos Pais foi comemorado pela primeira vez em 1953, no Brasil. A data, 16 de agosto, escolhida pelo publicitário Sylvio Bhering, na época diretor do jornal O Globo, tinha como ideia central uma homenagem simples e local. A escolha de Bhering se deu por se tratar do dia do nascimento de São Joaquim, Pai de Maria, mãe de Jesus Cristo. E pelo fato de que na época a população brasileira era predominantemente católica. Com o passar do tempo, a data passou a ser comemorada no segundo domingo de agosto, esse ano, 2016, dia 14 será o dia em comemoraremos com aqueles a quem tanto amamos: nossos pais.

Matéria e foto:  Ana Paula Tinoco

Lucas D'Ambrosio
  • 70º Exposição de Miniaturas – Miniatura Esporte Clube

Data: 13.08.2016

Local: Xico da Carne – Cidade Nova

Encontro de colecionadores que acontece mensalmente, com a participação de vários colecionadores com miniaturas de diversos temas e escalas. Além da exposição também tem um “mercadinho” de trocas e vendas já famoso entre os colecionadores e o público em geral. A partir das 13:30h até as 18:00h, aberto ao público.

E-mail: miniaturaesporteclube@yahoo.com.br

  • Ainda te pego

Data: de 13.08.2016 até 14.08.2016

Local: Teatro Santo Agostinho

No espetáculo, a atriz Nilmara Gomes interpreta a personagem Maria Lúcia, uma mulher solitária que está prestes a conhecer pessoalmente Fernando, seu namorado virtual. O momento que antecede este encontro é contornado por momentos de ansiedade, loucura e romantismo, além de “algumas” doses de calmantes, que rende muito humor ao público.

Informações Adicionais:

Sábado às 21h, dom. às 19h.

http://www.teatrosantoagostinhobh.com.br/home

Telefone: 31 2125-6810

  • Cine Sesc – Precisamos conversar (+) sobre o Brasil

Data: de 13.08.2016 até 03.09.2016

Local: Sesc Venda Nova

Este ciclo de filmes nacionais nos oferece a possibilidade de conversar mais sobre nossa história do ponto de vista de uma cinematografia contemporânea, que tem algo importante a dizer sobre nosso passado, presente e o que almejamos para o futuro.

Informações Adicionais:

Sessões os sábados às 15h.

http://www.sescmg.com.br/

Telefone: 31 3270-8100

Entrada Franca

  • Mercado Minas Áfricas Aki – Exposição temática

Data: de 13.08.2016 até 31.08.2016

Local: Centro Cultural Liberalino Alves de Oliveira (CCLAO )

Aqui o público terá chance de conhecer a história, o rol de produções atuais e as novas tendências da moda e da arte afro-brasileiras. Artistas expositores: Bruna França (MG): trajes, João Sales (BH): fotos, Wander Marcilio (MG): biojoias em cerâmica. Curadora de Vanicléia Santos (UFMG). O Mercado contará também com cerca de vinte marcas de produção em moda afro-brasileira.

Informações Adicionais:

2ª a 6ª das 8h às 17h.

http://www.bhfazcultura.pbh.gov.br/

Telefone: 31 3277-6077

Entrada Franca

  • Dia dos Pais

Data: 13.08.2016 – 10:30

Local: Mercado Central

Em homenagem ao Dia dos Pais, o Mercado Central irá oferecer um curso de preparação de churrasco e harmonização de cervejas com Chef Penninha.

http://mercadocentral.com.br/

Telefone: 31 3274-9434

Entrada Franca

  • Gaby Winehouse – Tributo a Amy

Data: 13.08.2016 – 19:00

Local: Teatro Marília

O Teatro Marília receberá um show em tributo a Amy Winehouse, com Gaby Winehouse.
Criada em 2015, a banda interpreta as músicas da cantora inglesa Amy Winehouse na voz de Gaby Winehouse (personagem criado por Gabriel Freitas: idealizador do projeto)

http://www.sympla.com.br/

Telefone: 31 3277-4697

  • Gigantes pela Própria Natureza

Data: 14.08.2016

Local: Praça Floriano Peixoto

O espetáculo recria artisticamente o sincretismo das encanteiras, cerimônias semelhantes à pajelança nas quais seres espirituais denominados moços encarnam em médiuns, os ditos aparelhos.
Trata-se de uma orquestra de rua sobre pernas de paus, formada por artistas e integrantes da Companhia. No repertório, música popular, danças dramáticas e teatro musicado. Inspirado nas músicas tradicionais indígenas, africanas e europeias, referência a obra do modernista Mário de Andrade, transbordando para realidade urbana e fazendo um paralelo entre a tradição e contemporaneidade. O roteiro propõe explorar coisas, pessoas, plantas, bichos e invenções
tomando Albert Einstein e Mário de Andrade por faróis.

Informações Adicionais:

Às 11h e às 16h.

http://www.facebook.com/events/159801517759437/

Entrada Franca

  • Manhãs Musicais

Data: 14.08.2016 – 11:00

Local: Fundação de Educação Artística

Especialista em Ernesto Nazareth (1863-1934), Maria Teresa Madeira dedica-se à obra do compositor desde a década de 1980. Em 2013, foi agraciada com o Prêmio da Música Brasileira da FUNARTE para gravar toda a sua obra para piano. São 215 obras divididas em 12 CD’s, registrando composições famosas como Odeon, brejeiro, apanhei-te cavaquinho, Batuque, e obras raras e inéditas como Encantador, Capricho, Polca para mão esquerda, entre outras. O concerto tem como finalidade apresentar esse trabalho feito com grande dedicação e homenagear o compositor que fez tanto à musica Brasileira.

http://www.fundacaoeducacaoartistica.org.br/

Telefone: 31 3226-6866

Lucas D'Ambrosio

O estado de Minas Gerais é uma das referências nacionais quando o assunto é música popular brasileira. Também conhecida como MPB, o gênero, considerado um reflexo daquilo que existe de original da cultura musical nacional, feita e pensada por aqui, é aquele que consegue alcançar diferentes gerações entre os seus adeptos. Belo Horizonte, capital do estado e berço de movimentos musicais como o Clube da Esquina, ainda mantém de forma pulsante, os tons desse gênero lançando, por exemplo, nomes como os de Clara Nunes, João Bosco, Milton Nascimento, Paulinho Pedra Azul e Marcus Viana, assim como outros mais recentes, como Paula Fernandes, Aline Calixto e Flávio Renegado.

O projeto Quatro Cantos Coral na Praça, idealizado pelo BDMG Cultural, foi criado para divulgar o canto coral de Minas Gerais e promoverá o encontro de coros infanto-juvenis mineiros na noite desta quarta-feira, 10, a partir das 19h30. O palco será a Basílica de Nossa Senhora de Lourdes, localizada na região centro-sul da capital mineira. O encontro irá reafirmar a importância da música popular como forma de expressão cultural, além de demonstrar sua importância na formação de crianças e adolescentes. No total, serão quatro grupos de coros: Jovem Sesc, Gotas da Canção, São Geraldo e Raio de Luz. De acordo com Leila Lúcia Gregório, coordenadora do Coral BDMG o projeto surgiu “para que existisse um espaço para apresentação dos coros e uma agenda cultural que servisse tanto para divulgar, como interação cultural da cidade de Belo Horizonte”. Sobre a edição desta quarta-feira, Leila Gregório explica que será uma edição excepcional, trazendo coros exclusivamente infantis e infanto juvenis. “No entanto, as apresentações do evento Quatro Cantos contam com corais de todas as faixas etárias”, ressalta.

João Paulo Cunha, presidente do BDMG Cultural destaca a importância do incentivo à música como plano de apoio ao aprendizado de crianças e adolescentes, “O incentivo à cultura é reconhecido com um dos caminhos mais produtivos para a inclusão de crianças e adolescentes. A música, por suas características, é uma das artes que mais se aproxima dos valores sociais que desejamos levar aos jovens. Por meio da música os jovens se socializam, desenvolvem projetos coletivos, entram em contato com a cultura e têm ainda oportunidade de profissionalização”, finaliza.

Coral Raio de Luz

O coral Raio de Luz, foi criado no ano de 1998 e está vinculado ao projeto social Obras Educativas Padre Giussani. Nele, participam quarenta crianças que vão dos 9 aos 13 anos de idade. No repertório, além de músicas e cantos tradicionais da Igreja Católica, as crianças interpretam clássicos da MPB. Vanderlúcia Balsamão, 48, é supervisora da socialização e explica que a ideia do projeto do coral surgiu com o intuito de oferecer às crianças “Coisas belas que pudessem alargar os seus horizontes”. Balsamão acredita que a música, bem como a arte em todas formas de expressão, é um direito universal. “Infelizmente, a acessibilidade a cultura é precária em nosso país, principalmente para a população de baixa renda. Nesse sentido, percebemos a importância de criar canais de cultura que possibilitem às crianças escolher o que lhes encanta e edifica como seres humanos”. ressalta a supervisora que falou sobre a importância de incluir projetos culturais no processo de formação das crianças e adolescentes que participam do projeto.

Todo semestre, seleções são realizadas pelo coral para incluir novos participantes e cantores. Um teste é realizado para avaliar a saúde vocal dos concorrentes, além da experiência musical de cada um dos interessados. Nas apresentações, todo o repertório é organizado e elaborado pelo maestro Daniel Rezende Lopes e pelo músico Marco Aurélio, responsáveis pela condução do coral, que mesclam as músicas entre aquelas que “querem ser ouvidas” com as que estão presentes na realidade individual de cada uma das crianças.

Projeto Quatro Cantos Coral na Praça – BDMG Cultural

Dia: 10 de Agosto

Hora: 19h30

Local: Basílica de Lourdes – Rua da Bahia, 1596 – Lourdes/BH

 

Reportagem e Fotografia: Lucas D’Ambrosio

0 774
Crédito: Washington Alves/MPIX/CPB

Delegação com número recorde de atletas possui 16 competidores representando o estado.

A 15ª edição da Paraolimpíada, a realizar-se entre os dias 7 e 18 de Setembro no Rio de Janeiro, será marcada por um fato inédito: a delegação brasileira possuirá atletas nas 22 modalidades ofertadas. Dos 278 paratletas tupiniquins, sendo 181 homens e 97 mulheres, 16 representam Minas Gerais.

A modalidade com maior número de paratletas mineiros é o atletismo, representando pela Betinense três vezes medalhista olímpica, Terezinha Guilhermina, a belo horizontina Izabela Silva Campos, da Associação dos Amigos do Instituto São Rafael. As uberabenses Poliana Fátima de Jesus e Raíssa Rocha Machado, ambas da Associação dos Deficientes Físicos de Uberada (Adefu). Também integram a equipe, Mauro Evaristo de Souza, da Associação dos Paraplégicos de Uberlândia (Aparu), e Rodrigo Parreira da Silva, do Clube Desportivo para Deficientes de Uberlândia (CDDU).

No Judô, a Belo Horizonta Deanne Silva de Almeida integra a seleção brasileira na categoria pesado. Na natação a cidade de Uberlândia é quem representa o estado através dos paratletas: Ruan Felipe Lima de Souza (Praia Clube) e Ruiter Antônio Gonçalves Silva (CDDU). A modalidade rugbi em cadeira de roda contará com o paratleta Davi Rodrigues Coimbra de Abreu, do Minas Quad Rugby.

Os paratletas Daniel Alves Rodrigues e Daniel Medeiros Gomes, ambos da Butija Tênis, em BH, integram a delegação na modalidade tênis em cadeira de rodas. Antônio Marcos do Carmo, da capital, e José Maria Gonçalves de Abreu, de Contagem, completam o time de vela adaptada. O medalhista de ouro no Parapan de Toronto, em 2015, José Carlos das Chagas de Oliveira (Adefu), foi convocado para a bocha.

Além deles, nove profissionais nascidos em Minas Gerais integram as comissões técnicas das seleções brasileiras nas competições 

Delegação Brasileira

Na 14ª edição dos jogos, em Londres 2012, a delegação brasileira teve seu melhor desempenho: conquistou 21 medalhas de ouro, 14 de prata e 8 de bronze, totalizando 43 medalhas e garantindo a sétima posição. No Rio 2016, muitos atletas medalhistas tornam a competir, entre eles os nadadores Daniel Dias e André Brasil, os velocistas Alan Fonteles e Teresinha Guilhermina.

Créditos: Comitê Paralímpico Internacional
Créditos: Comitê Paralímpico Internacional
Créditos: Comitê Paralímpico Internacional
Créditos: Comitê Paralímpico Internacional

“Materializar a delegação dos Jogos Paralímpicos Rio 2016 é um momento muito importante para o Comitê Paralímpico Brasileiro. Será a maior e melhor delegação Paralímpica brasileira de todos os tempos. Estamos muito orgulhosos, pois também será a primeira vez que estaremos em 100% das modalidades que compõem o programa Paralímpico, também por sermos o país-sede. Estamos ansiosos para entrar na Vila dos Atletas com esta delegação”, disse o presidente do CPB e vice-presidente do Comitê Paralímpico Internacional (IPC, em inglês), Andrew Parsons.

Texto: Bruna Dias