cidade

A partir do último fim de semana de janeiro, um projeto que incentiva a prática da caminhada começa a percorrer as praças de Belo Horizonte.

A programação se inicia na Praça da Liberdade, cartão-postal da capital mineira, nos dia 29 e 30, e tem continuidade em mais três espaços públicos da cidade. São esperadas 10 mil pessoas em quatro fins de semana. O projeto ainda vai ser realizado na Praça Floriano Peixoto, no Parque JK e no Marco Zero, na orla da Lagoa da Pampulha.

Nas praças onde haverá o Projeto Caminhar, uma estrutura é especialmente montada para atender aos praticantes de caminhada, das 8h às 12h. Neste ano, profissionais especializados vão medir a relação peso e altura; vão dar palestras e orientações sobre hidratação.

Veja os locais e datas do projeto:

Praça da Liberdade – 29 e 30/01/11
Parque JK – 5 e 6/02/11
Praça Floriano Peixoto – 12 e 13/02/11
Marco Zero da Lagoa da Pampulha – 19 e 20/02/11

Nas datas, uma equipe médica vai atender quem quiser medir a pressão arterial e receber informações sobre cuidados com o coração e alimentação adequada. A forma correta de se alongar vai ser orientada por fisioterapeutas e educadores físicos.

Por Arthur Henrique Costa

Um dos pontos turísticos mais famosos de Belo Horizonte, a Praça da Liberdade, vem apresentando marcas dos vândalos que passam por lá e não respeitam a história e a cultura que o local possui.

Uma das placas distribuídas pela praça foi depredada há pouco tempo. Até mesmo o Coreto, que está interditado para obras, foi depredado. A Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Belo Horizonte, via atendimento online, assegurou que “os atos de vandalismo ocorreram no último fim de semana.” Guardas Municipais que fazem ronda na praça afirmaram ter visto adolescentes no Coreto no sábado, 13 de novembro, mas não conseguiram detê-los. Além de depredar o sistema de luz interno, os adolescentes entraram no Coreto, o que seria uma infração, pois há um isolamento para impedir que as pessoas entrem e corram perigo, pelo fato de o Coreto estar com risco de queda.

Outro exemplo dos aos de depredação foi o furto da placa da estátua do rosto de Dom Pedro II, homenagem em nome do povo mineiro fornecida pela Sociedade Mineira de Bellas Artes.

Esses fatos demonstram que a praça não está totalmente segura. Para evitar que certos vândalos “ataquem” a Praça da Liberdade, será reforçada a presença da Guarda Municipal. Com a proximidade das festas de fim de ano, a decoração natalina já está sendo preparada, o torna mais necessário o aumento da vigilância deste “cartão postal” de Belo Horizonte.

lampada-do-coreto-editada
Luminária quebrada no Praça da Liberdade

placas-de-aviso-editadaPlaca danificada na Praça


Por Arthur Henrique de Figueiredo Costa

0 270

Nesta quinta-feira, o Sindieletro reuniu os eletricistas da Cemig em uma passeata pelas ruas da capital. Com o lema “Uma outra Cemig é possível com a adesão de todos à greve!”, cerca de 400 funcionários e dois carros de som iniciaram a manifestação, na Av. Barbacena, em frente à sede da Cemig. A passeata prosseguiu até a porta do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), na Av. Getulio Vargas, onde aconteceu uma reunião de conciliação para o Dissídio Coletivo e aumento salarial.

De acordo com os grevistas, a manifestação busca uma negociação que garanta evolução no Plano de Cargos e Remuneração, fim da terceirização, participação nos lucros e resultados de forma linear e aumento real. Segundo Rogério Henrique Cardoso, 40, que se identificou apenas como sendo um funcionário da Cemig, a greve visa reconhecimento. “Reivindicamos um aumento salarial de 6%, mas só tivemos 0,98%”, explica.

A greve já dura 14 dias e segundo os grevistas só terminará quando tiver um acordo que atenda às reivindicações. O eletricista que se identificou apenas como Argemiro conta que foi aberto concurso público para apenas um funcionário. O que, segundo ele, é injusto. “Tem que abrir concurso para todos os funcionários”, afirma.

Em uma carta aberta enviada para o governador Antônio Augusto Anastásia, para a diretoria e para o quadro gerencial da Cemig; a Sindieletro-MG afirma que caso não se chegue a um acordo, vários consumidores comerciais e residenciais vão ficar sem luz por várias horas e, até, por dias devido à falta de mão de obra provocada pela greve.

Foto: João Marcelo Siqueira
Texto: João Marcelo Siqueira
Laís Sena

Ao longo da Rua da Bahia há uma série de árvores cujos galhos estão emaranhados aos fios de alta tensão e transformadores dos postes deixando a rede elétrica vulnerável. Comerciantes e moradores da região temem, por circunstância das chuvas, que as árvores caiam provocando transtornos. “Um galho pode cair ou quebrar, quando estiver chovendo, e resultar em um curto-circuito”, afirma a moradora Poliana da Silva.

“Isso aconteceu no ano passado, uma árvore caiu na Av. Augusto de Lima e toda região ficou mais de duas horas sem luz, tive até que fechar o estacionamento, as escolas dispensaram os alunos”, relembra o manobrista Hailton Silva Santos, 32, que trabalha na Rua da Bahia, há dez anos. Ainda de acordo com Santos, durante todo esse tempo trabalhando no local, testemunhou poucas vezes a prefeitura realizando podas nas árvores. “É muito descaso da prefeitura. Por que eles não plantam árvores menores? Sou a favor da natureza, mas a poluição sufoca a natureza, as árvores crescem apertadas no meio da rede que, em caso de chuva, pode ficar danificada”, afirma.

A Prefeitura de Belo horizonte (PBH) informou que poda, recolhimento de galhos, corte ou plantio são serviços que devem ser solicitados, pela população, presencialmente ou pelo telefone 156.

A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) responsável pela manutenção das redes elétricas informou que criou, em parceria com a PBH, o Programa Especial de Manejo Integrado de Árvores e Redes (Premiar) com o objetivo de encontrar soluções que compatibilizem meio ambiente e rede elétrica. “Para realizar os serviços de manejo de arborização, a Cemig conta com arboristas especializados em sistemas elétricos. Essa equipe é formada por profissionais de nível superior com formação em engenharia florestal ou agronomia sendo responsável por garantir o melhor convívio entre as redes de distribuição de energia elétrica e a arborização urbana”, explica comunicadora da gerência de comunicação e relacionamento com a comunidade, Raquel Jorge.

Em relação aos planos futuros para que essa relação da natureza e redes elétricas deixe de ser um problema, Raquel Jorge informou que o Premiar atua na troca de redes de distribuição, de acordo com a indicação dos arboristas, ou seja, a troca de redes nuas por redes protegidas ou isoladas. “Essa é uma das ações do programa quando é constatado que existe grande concentração de árvores em bom estado e que, com a troca da rede, será possível compatibilizar o convívio harmônico com as árvores”, explica. Dessa forma o problema seria sanado evitando acidentes como curto-circuito e queima de eletrodomésticos, interrupção no fornecimento de energia e riscos para pessoas.

A substituição das redes aéreas pelas subterrâneas também seria uma solução, embora mais cara e complexa para o problema, mas, de acordo com Raquel Jorge, os estudos feitos para esse tipo de substituição avaliam critérios técnicos, econômicos, legais e ambientais e sua aplicação está associada principalmente a garantia da prestação dos serviços e na revitalização das áreas centrais dos grandes centros urbanos, condomínios residenciais e cidades históricas.

21

Em frente à Igreja de Lourdes

3

14

Galhos misturam-se aos fios na Rua da Bahia

Por Danielle Pinheiro

O Greenpeace montou uma tenda na tarde do dia 21 de Outubro, na Avenida Cristovão Colombo, Praça da Savassi. A campanha “Vote por um Brasil + Verde e Limpo” tem o intuito de recolher assinaturas da população para que aja um comprometimento com temas ambientais importantes para o Brasil dos candidatos à presidência da República, Serra e Dilma.


Ainda no primeiro turno das eleições 2010, os candidatos à presidência foram interrogados a respeito de leis e estratégias ambientais apresentadas pelo Greenpeace, através de documentos, mas poucas foram as repostas. “Estamos aproveitando a disputa eleitoral para atrair as pessoas que votaram na candidata Marina Silva, que provavelmente vão definir quem será o futuro presidente do Brasil, para pressionar os candidatos a se empenharem com questões ambientais”, revela a coordenadora de campanhas de clima do Greenpeace, Nicole Oliveira.


Segundo Oliveira, dia 21, durante a agenda dos candidatos à presidência, ambos foram questionados sobre o mesmo tema, mas Dilma e Serra não quiseram se comprometer.


Quem passava pela Savassi direcionava o olhar direto para a tenda. A estudante Isabela Sena, 19, afirma ser favorável à campanha. “Fazer parte de uma campanha que chama as pessoas a refletirem é maravilhoso, precisamos de um presidente que tenha consciência ambiental”, diz Isabela.


dsc_11901


dsc_1194


As tendas para recolher assinatura estão montadas nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte. Também há internet, por meio do site do Greenpeace, com a meta de 20 mil assinaturas até domingo.


dsc_1199


dsc_1207


dsc_12061


dsc_12091


dsc_1217


dsc_1225


dsc_1230


Site Greenpeace:

www.greenpeace.org.br


Por: Iara Fonseca

Para alegria das crianças e alívio dos pais que não viajarão nesse feriado, época em que se comemora o dia da criança, começa a rolar em toda a cidade uma série de eventos para diversão não só dos pequeninos, mas também para aqueles já crescidinhos que, no entanto, não abrem mão de comemorar o dia em grande estilo.

Na região da Savassi, estão programadas muitas comemorações. Algumas lojas tiveram seus horários de funcionamento alterados, para atender à demanda dos pais que aproveitarão o final de semana para comprar os presentes tão sonhados pelos filhos.

Segue indicação de vários eventos na região neste período.


Dia 08/10 Forró beneficente para arrecadar doações de brinquedos para o Dia da Criança. Os brinquedos arrecadados serão encaminhados para instituições de caridade e creches. As pessoas que fizerem doações terão desconto de 50% do valor da entrada do forró. A partir da 22:00h. Mais informações no site: http://www.forrodaserra.com.br/site


Dia 09/10 Apresentação da peça de teatro “Crianças invisíveis” no anfiteatro do shopping Pátio Savassi, a partir das 4 da tarde. A peça reproduz uma cena entre seis crianças que se encontram e conversam sobre suas aventuras.


Depois do teatro, um time de estudantes de moda pintará as unhas das meninas, darão dicas de moda e ensinarão as crianças a desfilar. Um desfile com as tendências da moda primavera-verão também será realizado em uma passarela montada no piso L1 do Pátio, também às 16h.

Dia 10/10 Mais uma rodada da peça “Crianças invisíveis”, no mesmo horário.

Dia 12/10 É dia de comemorar. Então o restaurante Outback Steakhouse vai oferecer, além de pratos especiais para crianças, uma série de atividades interativas com equipes de recreação e atividades como bola-mania, pintura de rosto e tatuagens. Horários: Do meio-dia às seis da tarde.


Dia 14/10 Oficina de origami na Biblioteca Pública Luiz Bessa, com Elza Damasceno, a partir de 14:00h.


Dia 15/10 Oficina “Modelando histórias”, na Biblioteca Pública Luiz Bessa, com massinha para modelar personagens de histórias, com Ludmila Novaes, a partir de 10:00h.


Dia 16/10 Hora do conto e da leitura na Biblioteca Pública Luiz Bessa, histórias sobre o universo das bruxas e das fadas, com a equipe de contadores de histórias da divisão infanto-juvenil da Biblioteca pública (BIJU), a partir de 10:00h. Todas as oficinas oferecidas pela Biblioteca são gratuitas, mas é necessário fazer inscrição prévia.


Dia 16 e 17/10 Apresentação da peça de teatro “A fantástica floresta” no anfiteatro do shopping Pátio Savassi, a partir das 16:00h . A peça conta a história de um garoto que vai até um mundo mágico em busca do seu avô.


Todos os eventos do Pátio Savassi têm entrada gratuita. Mais informações no link: http://patiosavassi.com/entretenimento/?dia-das-criancas


Endereços e contatos:

Biblioteca Pública Luiz de Bis: Praça da Liberdade, 21. Tel.: 3269-1223, e-mail: infantil.sub@cultura.mg.gov.br

Pátio Savassi: Avenida do Contorno, 6061. Tel. 3263-8500


Academia “Sete Oito”: Rua Tomé de Souza n° 935 – 1° Andar – Savassi. Tel.: 3262-3224.


Por Danielle Pinheiro

Foto Divulgação