Contramão HUB

0 246

Por Ana Sandim – Ingrediente da Vez – Parceira Contramão HUB

Mas vamos com calma, não é uma batata inglesa ou asterix – é uma das batatas mais encantadoras que eu já vi na vida. Encantadora pela cor viva e pela minha curiosidade ao me deparar com ela em um sacolão e querer levar todas com várias ideia malucas na cabeça.

Passada a euforia. A batata da vez é a Vitelotte | Purple Congo. Com origem no Peru, a Vitelotte, apesar de produzida em grande escala em outras regiões foi de lá que ela nasceu. Dados históricos revelam que ela tem cerca de 200 anos e é resultado de uma mistura de variedades antigas de batatas peruanas.

Possui uma casca escura, quase preta e uma polpa violeta que de acordo com minhas buscas pela internet, a cor é conferida pela antocianinas, um corante natural. O divertido é que quando cozida, com a casca, a cor prevalece porém mais clara. A textura dela é mais farinhenta o que acaba dando baixo rendimento.

Preparei ela em duas versões uma assada (batatas rústicas) e em forma de purê (foi aí que a mágica aconteceu) deu vida ao prato. <3 Mas depois de pesquisar, vi que a melhor forma de preparar ela é cozinhando e também fritando, vou fazer os testes e mando notícias.

  • Rica em antioxidantes;
  • Boas para pressão arterial;
  • Rica em vitamina C, flavonóides, potássio e outras substâncias benéficas para o organismo.

0 81

Por Jeferson Cirilo – Start – Parceiros Contramão HUB

glass

Universal Pictures lançou a primeira sinopse oficial para Glass do diretor M. Night Shyamalan, que provoca o clímax das histórias de Corpo Fechado e Fragmentado.

 

Lançado no início deste ano para bilheteria e sucesso crítico, a conclusão para Fragmentado revelou que o filme foi ambientado no mesmo universo que o filme 2000 de Shyamalan Corpo Fechadol. Agora, a nova sinopse do Glass oferece ao público uma pista sobre como David Dunn e Kevin Wendell irão se cruzar.

 

Você pode ler a sinopse oficial abaixo:

 

“De ‘Corpo Fechado‘, Bruce Willis retorna agora como David Dunn, assim como Samuel L. Jackson como Elijah Price, chamado também pelo pseudônimo de Mr. Glass. De ‘Fragmentando‘, unem-se a eles os atores James McAvoy, reprisando seu papel como Kevin Wendell Crumb e as múltiplas personalidades que residem dentro dele, e Anya Taylor-Joy como Casey Cooke, o único cativo a sobreviver a um encontro com A Fera.

 

Seguindo a conclusão de Fragmentado, Glass mostrará Dunn perseguindo a figura sob-humana da Besta em uma série de encontros. Enquanto isso, a presença de Elijah Price (Samuel L. Jackson) ronda nas sombras como um condutor que gerencia segredos críticos para os dois homens.”

 

Glass, a continuação de Corpo Fechado e Fragmentado, chega aos cinemas em 18 de janeiro de 2019. Bruce Willis, Samuel L. Jackson, Anya Taylor-Joy James McAvoy estão confirmados no roteiro, reprisando os papeis de David Dunn, Mr. Glass, Casey e A Besta, respectivamente.

 

0 278

Por Débora Gomes – . as cores dela . – Parceira Contramão HUB

Hoje eu queria postar aqui um texto bem bonito. Pra que você, logo ao ler a primeira frase, fosse tomado por encanto e contentamento. Pra que seus dias se enchessem de poesia, seus passos caminhassem com esperança, seu coração palpitasse alegria até não caber mais dentro do peito. Pra que você tivesse esperança, acreditasse em seus sonhos e resgatasse as metas não cumpridas em 2015 para começar a nova lista de 2016. 

Um texto tão bonito que te faria levantar dessa cadeira para correr à beira mar ou caminhar na praça mais próxima de onde você está agora, sem pressa, sem preocupação. E que aí, o ar entrando pelos seus pulmões fizesse com que você se sentisse mais vivo do que antes, mais disposto do que ontem, mais feliz do que já foi. E então você teria vontade de sorrir. E sorriria! Pro porteiro, pro vizinho, pra senhora esperando o ônibus passar na volta pra casa. 

Queria escrever um texto que te fizesse viajar pra onde nunca foi, carregando na mala só o necessário. Ou te fizesse ter vontade de revisitar aquele lugar que está quase perdido na memória. E escrevesse uma carta para o seu melhor amigo de infância. E ligasse para os seus pais pedindo desculpas pela briga da semana passada. E fizesse as pazes com aquele amor que não terminou bem. E que você se perdoasse… por todas as mágoas que causou, principalmente a si mesmo.

Um texto tão bonito que te faria crer de novo no amor. Como você nunca acreditou antes. E então você olharia pro mundo com mais ternura, abraçaria mais apertado, acarinharia com mais afeto, plantaria mais girassóis e não teria tanto medo de ser feliz. Porque descobriria que felicidade machuca sim, mas carrega tanto contentamento por dentro, que logo teria cicatrizadas as feridas. E são essas cicatrizes que ensinariam você que cada tombo é a força maior pra se levantar mais forte.

Hoje, se conseguisse, queria escrever o texto mais bonito que seu coração já ouviu, só pra afagar sua alma e acalmar suas desilusões. No entanto, tudo o que posso fazer é desejar que você viva. Com leveza, com simplicidade, em paz. Que você tenha sonhos, mesmo que não se realizem. Que você tenha alegria, mesmo que ela se esbarre vez ou outra na tristeza. Que você, que leu esse texto grande até o finalzinho, sinta uma pontinha de amor brotando no coração. E que ela cresça, cresça, cresça tanto, até virar uma árvore de sombra fresca de descanso pros que se achegarem à você.

É o que lhe desejo… 

0 306

Por Auspicioso Acapela – Coletivo Parceiro Contramão HUB

Normalmente a vejo nos parques e praças, mas também vejo nas ruas da cidade. Seja para se divertir ou como veículo de entrega, qual bairro não tem aquele morador que faz pães e bolos caseiros, que lá pelas 17hrs da tarde já começamos a sentir aquele cheiro maravilhoso e, logo em seguida, ouve o sino da bicicleta no início da rua batendo de porta em porta. 

Virar a esquerda, a direita. Seguir reto, parar. Acelerar e frear. Retornar,

saltar, empinar. Tudo isso para conhecer o mundo e se conhecer, sentir em curtas e largas frações, todos os sentimentos de uma vez, diversas e diversas vezes. Talvez o segredo de tudo seja como guiar uma bicicleta.

Texto rimado por: Melina Cattoni

Fotografia: Guilherme Martins

Texto e foto editados: Werterley Cruz

Por Tiago Jamarino – Start – Parceira Contramão HUB

 

ADVERTÊNCIA DE SPOILER  PARA  Star Wars: Os Últimos Jedi.

Um próximo novo livro de Star Wars: Look and Find contará com dois spreads de Os Últimos Jedi. Um deles ocorre em Ach-To e explora alguns dos belos cenários, bem como os habitantes da ilha:

 

“Starkiller Base é vencida, mas Kylo Ren escapou. Graças a Rey e seus amigos, o BB-8 trouxe as coordenadas de Luke Skywalker de volta à Resistência. Em seu nome, Rey viaja para o planeta Ahch-To, na esperança de alistar a ajuda de Luke. Enquanto Rey persuade o último Jedi a se juntar à Resistência, procure essas características rochosas … “

 

O livro também fornece alguns detalhes sobre a Resistência. Em particular, Poe Dameron, BB-8 e Paige Ticoestão envolvidos:

 

“Enquanto isso, Poe está ocupado fazendo alguma persuasão própria. Ele e o BB-8 estão passando pela última frota de assalto da Primeira Ordem para abrir caminho para o esquadrão do bombardeiro da Resistência, liderado pelo piloto da Ace, Paige. O BB-8 manterá as coordenadas diretas. Você procura esses navios da Primeira Ordem … “

 

Escrito e dirigido por Rian Johnson, o elenco de Star Wars: Os Últimos Jedi inclui Mark Hamill como Luke Skywalker, Carrie Fisher como General Leia Organa, Daisy Ridley como Rey, John Boyega como Finn, Adam Driver como Kylo Ren, Oscar Isaac como Poe Dameron, Lupita Nyong’o como Maz Kanata, Kelly Marie Tran como Rose Tico, Laura Dern como vice-almirante Amilyn Holdo, Gwendoline Christie como capitã Phasma, Andy Serkis como líder supremo Snoke, Domhnall Gleeson como general Armitage Hux, Benicio Del Toro como “DJ”, Joonas Suotamo como Chewbacca, Anthony Daniels como C-3PO e Jimmy Veecomo R2-D2.

 

Star Wars: Os Últimos Jedi está programado para ser lançado nos cinemas em 15 de dezembro de 2017.

 

Fonte : SWNN

0 147

Por Giovanna Silveira – Metrica Livre – Parceira Contramão HUB

Ela ficaria lá por horas, se deixassem. Sentada na cadeira de canto da cozinha, contando aos netos ou para quem passasse por ali as infindáveis histórias de quando ainda morava no interior, e vivia como a ovelha mais desgarrada que se pode imaginar de um rebanho. E com saliva de orgulho renascido, ela então narra a memória mais vívida que ainda centelhava a cabeça. E começava:

 – Eu já contei pra vocês da vez em que eu fugi do colégio e nunca mais voltei?

– Já Vó, foi aquela vez qu..

– Pois então, foi assim: Eu tava lá na aula de matemática do 3° ano do colegial, naquela época se passasse pro 4° ano já poderia fazer um magistério sabiam? Érr, então, uma certa vez minha professora viu que estava conversando demais e trocando bilhetes com minhas colegas, e foi aí que ela fez a ameaça e gritou pra sala toda ouvir: “LUZIA!! Amanhã quero você aqui na frente da turma, recitando a tabuada toda! Não quero saber de chororô. Se não vier vai reprovar!” – Eu fiquei vermelha até o último fio de cabelo… E no meio da aula comecei a maquinar como eu ia fazer pra me livrar de recitar a tabuada na frente de todos os meus colegas. Até que eu pensei… ah! Seria tão ruim assim reprovar? Pff, nem liguei. Só sei que pensei no dia seguinte em vestir meu uniforme, e ao invés de seguir o percurso pra escola, segui pro canavial de papai. Já que eu teria que passar umas horas fora, que fosse trabalhando, não é? E assim eu fiz… uma, duas, três semanas trabalhando no campo. E eu gostava bem viu! Até trouxe minha irmã, que já não estava mais gostando das aulas, e ela se juntou ao meu esquema de trabalho voluntário na fazenda de papai.

E tudo estava indo bem, até o dia que a casa caiu pra nós duas –

Sempre quando chegava a esse clímax da história, ela sorria de uma forma indescritível;

– Meu pai foi para a beira da estrada esperar que a gente voltasse da escola, com o grupo de meninas que sempre nos acompanhavam… até que ele notou que nós não estávamos lá, e chamou a atenção delas: “Cadê Luzia? Efigênia? Não voltou com vocês não?” – E a partir daí só sei que elas contaram a verdade nua e crua, nós fugimos da escola por causa da matemática.

Eu morria de medo de papai, ele fazia o porte bravo e ditador, que só de olhar você já sabia que estava em apuro… então ele veio, bufando de volta para a casa contar para minha mãe a novidade e convocar meus irmãos a procurar as irmãs noviças pela cidade. Foi aí, que como já era hora, voltamos pra casa de uniformes e mochilas como se nada tivesse acontecido e nos deparamos com a cena, o circo pegando fogo e já não tinha mais jeito, contamos tudo.

– É engraçado lembrar, que depois de tanto esbravejar, quando papai soube que eu e Efigênia matamos aula para trabalhar no canavial, ele abriu um sorriso maior que o rosto…

A essa altura ela gargalhava!

– Papai era terrível, Deus o perdoe…

 Sua feição muda para uma nostalgia quase palpável

– Eu fugi da matemática, fugi da vergonha. Não me arrependo não, pelo menos nunca esqueci a tabuada!

Era impossível não ouvir. Era impossível não emprestar os ouvidos a cada detalhe minucioso e manjado da história de fuga mais engraçada e astuta já tida em tempos. E tão somente ela sabia como contar suas histórias… reforçar um detalhe, esconder outro, só para fazer parecer um interesse súbito dos ouvintes a cada vez que contava. Feliz de quem, assim como eu, ouviu os contos vivos de Luzia.

————————————————————————————————————————-

Em memória da luz mais bonita que já brilhou sobre mim, Luzia.