Cultura

Na última quinta-feira, dia 4, aconteceu a inauguração da cidade administrativa. Cerca de 29 prédios de órgãos públicos serão transferidos para a nova sede do Governo Mineiro. Alguns comerciantes que ficam nas imediações da Praça da Liberdade deram a sua opinião sobre essaa transferência.

O jornaleiro Valentin Marzano, 54, está há um ano e meio na Praça da Liberdade prevê que a mudança será positiva para a região: “A região ficará mais moderna e movimentada com os museus e teatros.” explica.

A gerente de um restaurante, Deiseling Ferreira, trabalha a seis meses nesta função e também acha que esta transferência será benéfica: “Iremos ter clientes mais comuns. O nosso lugar será mais reconhecido”, diz.

A maioria dos comerciantes preferiu não opinar sobre o assunto até que as atividades comecem a ser desenvolvidas. Alguns prédios já estão sendo transferidos e a expectativa é que todos estejam em funcionamento na nova sede até o fim do ano.

Texto: Matheus de Azevedo

Foto: Matheus de Azevedo

Cores e desenhos das paredes ao teto, estantes com quadrinhos, miniaturas, máscaras, animações na TV: assim é a Casa de Quadrinhos que está desde 1999 no cenário de Artes Visuais em Belo Horizonte. A casa é um local que oferece cursos relacionados às artes visuais. Assim ela apresenta o universo dos desenhos, com quadrinhos, mangás, charges, pinturas, esculturas e etc.

Raquel Souto, 20, recepcionista da Casa dos Quadrinhos conta que o curso mais procurado é o de desenho artístico, para quem está iniciando no mundo dos desenhos. Ainda segundo com a recepcionista a faixa etária que mais procura os cursos é de 15 a 28 anos. A casa se localiza na Avenida João Pinheiro, 277, Funcionários, e permanece aberta de segunda a sábado.

Como resultado do trabalho dos alunos a Casa publica o jornal “O Reboco” que é distribuído gratuitamente no local, tanto para alunos, quanto para quaisquer pessoas interessadas. O jornal reuni obras dos alunos feitas nos diferentes cursos. Além do jornal a casa também realiza uma premiação dos melhores trabalhos feitos pelos alunos.

Por: Natália Oliveira e Débora Gomes

Bem no meio da Rua da Bahia, em frente à Praça José Mendes Júnior, no Circuito Cultural da Praça da Liberdade, um lugar se destaca. O Restaurante Reciclo II é uma versão do Bar Reciclo I localizado na Av. Contorno 10.564, Barro Preto, espaço cultural onde acontece shows de samba, choro e música popular brasileira. Tanto o bar quanto o restaurante pertencem à Asmare (Associação dos Catadores de Papel, Papelão e Materiais Reaproveitáveis de Belo Horizonte).

O restaurante, que se encontra em reforma para uma leve repaginada no ambiente, funciona apenas durante o dia para almoço. “Antigamente era aberto durante a noite e havia shows de samba, mas agora depois da mudança, preferimos funcionar apenas de dia.” Conta Andréia Teixeira, 37 anos, que trabalha há três anos no restaurante.

A decoração é toda feita a partir de materiais reciclados e reaproveitáveis. São trabalhos ligados às oficinas oferecidas pela Asmare. O lustre feito de fundo de latinha, a cortina de pedaços de latinha, uma bicicleta antiga pendurada na parede, o balcão de madeira de demolição mostra a arte feita a partir do lixo. Um lustre se destaca feito de garrafas pet que serve também como isolador acústico para o ambiente.

Dentro do restaurante existe uma loja conhecida como “lojinha da ASMARE”, onde se pode encontrar todo tipo de presentes e lembranças feitas de materiais reciclados ou reaproveitados. Os produtos comercializados são criados e produzidos nas oficinas de capacitação em marcenaria, papel reciclado e costura, onde trabalham os moradores de rua em processo de inserção social. Ali é escoada toda produção das oficinas da Asmare. O dinheiro arrecadado, além de servir como renda dos catadores é investido na Associação em equipamentos e materiais de trabalho.

Vale à pena conhecer o espaço e um pouco da estória da Asmare. O restaurante termina a reforma esta semana e reabrirá suas portas a partir da próxima segunda feira.

Por: Daniella Lages, Iara Fonseca e Ana Sandim

Fotos: Daniella Lages

dsc_0036

dsc_0030

dsc_0020

dsc_0023

dsc_0034

dsc_0033

Internautas podem enviar fotos para compor um projeto de exposição interativa no prédio do Memorial Minas Gerais Vale, que faz parte do Circuito Cultural da Praça da Liberdade. O projeto tem o intuito de captar fotos atuais dos 853 municípios de Minas Gerais, abrangendo todas as cidades do Estado. A preferência é que as fotos tenham plano aberto da cidade e mostrem um local marcante para o município.

O prédio do Memorial ainda não foi inaugurado, mas as fotos dos internautas já estão sendo recolhidas. A campanha foi lançada pelos “Diários Associados”, que disponibilizaram o seu portal colaborativo, o Dzaí, para que internautas interessados no projeto possam enviar suas fotos. Para se cadastrar e participar do projeto deve-se acessar o site http://www.uai.com.br/memorialminas/

O Memorial Minas Gerais Vale é um dos seis prédios do Circuito Cultural da Praça da Liberdade ele funcionará no antigo prédio da Secretaria de Estado da Fazenda. O Memorial é fruto de uma parceria entre o Governo do Estado de Minas Gerais, a Secretaria de Estado da Cultura e a Vale.

O objetivo do Memorial é enfocar a história geral do Estado, reunindo sua riqueza cultural desde o século XVIII até os dias atuais, incluindo uma perspectiva futurista. A riqueza cultural do estado será mostrada com recursos virtuais.

Por: Natália Oliveira
Foto: Débora Gomez

1 402

“Em Destaque” é o nome da exposição permanente de incentivo a leitura na Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa. Neste mês os livros em exposição abordam as Grandes Guerras. Maria Helena foi quem criou o projeto e Alessandra Gino, coordenadora, explica que são escolhidos livros que chamam a atenção dos leitores e que isto tem gerado muitos resultados. “Sempre são escolhidas datas específicas para cada tema, mas estamos abertos a sugestões”, conta Alessandra.

A responsável pelo setor de empréstimo, Aparecida Duarte, informa que é possível ficar com dois livros durante 14 dias. É necessário levar Identidade, comprovante de endereço e uma contribuição de R$3,00 (Três reais) para adquirir a carteirinha válida por dois anos. A biblioteca fica aberta ao público de segunda a sexta, das 8 às 20 horas e sábado de 8 às 13 horas.

 

Texto e foto: Camila Sol

1 403

Sexta-feira, véspera de feriado, um dos pontos turísticos mais visitados da capital se encontra parcialmente vazio, apenas com alguns apressados. Nos arredores da Praça da Liberdade, podemos notar uma aglomeração de viajantes, com mochilas e colchonetes nas costas e com destino certo, as cidades históricas. Pelas folias de rua Ouro Preto, Mariana, Diamantina, São João Del Rey, são as mais procuradas pelos belo-horizontinos. Além dos que optaram pelas praias do Rio de Janeiro e do Espírito Santo.

Encontramos no ponto de ônibus da Avenida João Pinheiro, Márcia Pereira, 27, que busca a tranqüilidade junto aos amigos em um sítio na cidade de São João Del Rei. Já a estudante Ana Clara Sampaio, 19, aproveita a oportunidade do feriado para passar alguns dias na casa dos avós, em Capelinha (MG). “Gosto de ir à cidade, por ser tranqüila. E ainda mato saudades das guloseimas que minha avó prepara”, justifica.

Passando pela Praça da Liberdade com muita pressa, o estudante israelense Daniel Beck,23, que está na Capital há apenas 4 meses, corria ao lado da namorada e dos amigos para não perder a lotação. O destino do grupo é a Marquês de Sapucaí. Assim como Beck, Luciene Gusmão, 33, viajava para Cabo Frio, região dos lagos no Estado do Rio. Com planos de curtir as micaretas e o carnaval de rua.

Aos foliões que ficaram na Capital, tem a opção de curtir os blocos carnavalescos que a cada ano cresce na cidade. Para quem gosta das velhas marchinhas como “Olha a Cabeleira do ZeZé”, não pode perder a Seresta Carnavalesca na Barragem Santa Lúcia, nesta sexta-feira às 20h.

E na terça-feira de carnaval a Praça da Liberdade, vai receber Chico Lobo e convidados que irão abrir o Carnaviola, a partir das 15h.

Agora, para os mais alternativos, a festa terá outro ritmo com o Grito Rock , que o bar dançante Obra vai proporcionar. Mais de dez bancas irão se apresentar. E os que buscam por tranqüilidade como Rafaela Fantini, 19,a pedida é o Festival de Verão da UFMG, que proporcionará oficinas, shows e cinema durante toda a semana.

Confira a agenda dos eventos:

Deputamadre

Brinca Belô 2010


Bar dancante Obra


Festival de Verão da UFMG


Velvet Club

dsc02789

Por Ana Paula P. Sandim e Iara Fonseca
Fotos:Iara Fonseca