Cultura

Inaugurado neste domingo, 21 de março, o Circuito Cultural Praça da Liberdade cativou grande parte da população mineira. Os prédios históricos agora restaurados contam com novas instalações, exposições interativas e variadas atrações abertas ao público. Durante toda a tarde a praça contava com a apresentação de malabares, roda de samba e capoeira, break, grafite, tango, teatro, grafite, estátuas vivas entre outras.

inauguracao-circuito-cultural-pca-liberdade-210310-2491O Governador do Estado, Aécio Neves, esteve na praça para prestigiar o evento tirando fotos com o público ali presente. Acompanhado por uma multidão partiu para a inauguração do Espaço TIM UFMG do Conhecimento onde encontrou seu vice, Antônio Augusto Anastasia, o Prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda, O vice-presidente da TIM, Rogério Takanayagi e o Reitor da Universidade Federal de Minas Gerais, Clélio Campolina Diniz.

O Espaço TIM UFMG do Conhecimento, foi o único aberto para visitação no dia. A exposição inauguracao-circuito-cultural-pca-liberdade-210310-345que reúne passado, presente e futuro está espalhado pelos cinco andares que retrata “A origem da vida e a trajetória do homem”. Dispõe também com planetário e observatório astronômico que chamou a atenção de todas as idades.

Antes do show via-se dos mais diversos grupos reunidos, uma rica variação de tribos urbanas espalhados por todo o circuito para prestigiar os artistas. Pessoas vieram em grandes grupos, famílias e alguns trouxeram até os cachorros. O momento mais esperado era o Show.

post-2Lô Borges deu inicio as apresentações no palco principal que reuniu milhares de fãs. Milton Nascimento encantou a todos e dividiu o palco com Fernanda Takai, Rogério Flausino, Wagner Tiso, Marina Machado e Telo Borges. As 20 horas encerrou-se as apresentações, mas os arredores continuaram com a animação incial.

 

Todos os acervos culturais estarão abertos a partir desta terça, 23 de março.

Mais fotos na Galeria

Por: Camila Sol

0 300

“Carneirinho, carneirão-neirão-neirão, olhai pro céu, olhai pro chão, pro chão”. Quem não se lembra das cantigas infantis que embalaram tantos sonhos e sonos? Jovens, adultos e idosos se encontraram hoje no teatro da biblioteca pública Luiz de Bessa para relembrar os tempos de criança.

No projeto da editora LÊ, o escritor e contador de histórias Adelson Murta, 39, ou Adelsin, como é conhecido, levou ao palco brincadeiras, histórias e canções, procurando resgatar o simples e a sensibilidade do público. “O que para as pessoas é tão complicado (um pedaço de jornal, um pedaço de cordão, um rolo de papel higiênico), pra gente vira brinquedo.” , diz a acessora pedagógica da Editora Ler Sandra Bittencourt, 44.

A palestra que aconteceu em dois turnos (manhã e tarde) lançou a coleção “Cuidar”, composta por três volumes escritos por Adelsin, que alerta a importância com o meio ambiente, as crianças e com nós mesmos. “Tudo começa da gente. Os adultos precisam resgatar a criança que tem por dentro. E encontrá-la para cuidar do outro”, ressalta a acessora. O projeto prevê ainda uma oficina de construção de brinquedos aberta ao público.

Por: Débora Gomes

O IEPHA/MG (Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Arte em Minas Gerais) está restaurando 10 imagens de nove municípios do estado. As imagens ficarão  no local até agosto. Estagiários do curso de restauração e conservação da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais) estão trabalhando nas peças. A exposição será aberta ao público, que já pode agendar visitas desde a última segunda – feira.

As peças são do século 18, 19 e início do 20 e estão no ateliê no primeirao andar da Secretária de Obras Públicas, onde funciona o IEPHA. Os estagiários trabalham na recuperação delas, pois estavam danificadas por cupins, perda da pintura e etc.

O IEPHA/MG é o órgão responsável por pesquisar, proteger e promover os patrimônios cultural, histórico, de natureza material ou imaterial, natural e científico, de interesse de preservação no Estado de Minas Gerais. O IEPHA/ MG está localizado na Praça da Liberdade esquina com a Rua Gonçalves Dias. O Instituto faz vistoria em patrimônios públicos e avalia a necessidade de restauração.

Por: Natália Oliveira

Na última quinta-feira, dia 4, aconteceu a inauguração da cidade administrativa. Cerca de 29 prédios de órgãos públicos serão transferidos para a nova sede do Governo Mineiro. Alguns comerciantes que ficam nas imediações da Praça da Liberdade deram a sua opinião sobre essaa transferência.

O jornaleiro Valentin Marzano, 54, está há um ano e meio na Praça da Liberdade prevê que a mudança será positiva para a região: “A região ficará mais moderna e movimentada com os museus e teatros.” explica.

A gerente de um restaurante, Deiseling Ferreira, trabalha a seis meses nesta função e também acha que esta transferência será benéfica: “Iremos ter clientes mais comuns. O nosso lugar será mais reconhecido”, diz.

A maioria dos comerciantes preferiu não opinar sobre o assunto até que as atividades comecem a ser desenvolvidas. Alguns prédios já estão sendo transferidos e a expectativa é que todos estejam em funcionamento na nova sede até o fim do ano.

Texto: Matheus de Azevedo

Foto: Matheus de Azevedo

Cores e desenhos das paredes ao teto, estantes com quadrinhos, miniaturas, máscaras, animações na TV: assim é a Casa de Quadrinhos que está desde 1999 no cenário de Artes Visuais em Belo Horizonte. A casa é um local que oferece cursos relacionados às artes visuais. Assim ela apresenta o universo dos desenhos, com quadrinhos, mangás, charges, pinturas, esculturas e etc.

Raquel Souto, 20, recepcionista da Casa dos Quadrinhos conta que o curso mais procurado é o de desenho artístico, para quem está iniciando no mundo dos desenhos. Ainda segundo com a recepcionista a faixa etária que mais procura os cursos é de 15 a 28 anos. A casa se localiza na Avenida João Pinheiro, 277, Funcionários, e permanece aberta de segunda a sábado.

Como resultado do trabalho dos alunos a Casa publica o jornal “O Reboco” que é distribuído gratuitamente no local, tanto para alunos, quanto para quaisquer pessoas interessadas. O jornal reuni obras dos alunos feitas nos diferentes cursos. Além do jornal a casa também realiza uma premiação dos melhores trabalhos feitos pelos alunos.

Por: Natália Oliveira e Débora Gomes