Especiais

0
Foto Ana Paula Tinoco
Por Ana Paula Tinoco

“Nosso nome é resistência e resistimos e resistiremos sempre! ”
Pedrina de Lourdes Santos
 

Dia a dia estamos à mercê da intolerância por parte de uma parcela da sociedade. As pessoas são julgadas por suas crenças, cor, orientação sexual, identidade de gênero e sua região de nascença. Não muito raramente vemos casos onde o preconceito leva as pessoas as vias de fato, praticando crimes de ódio simplesmente por não respeitarem as diferenças e a diversidade do meio em que vivemos. Há cerca de um ano, a criança Kailane Campos, que tinha 11 anos na época, foi agredida a pedradas no Subúrbio do Rio de Janeiro no momento em que saia de um culto. Candomblecista a menina relatou que achava que iria morrer.

Segundo dados copilados pela Secretária de Direitos Humanos da Presidência da República, somente em 2015 houve um aumento de 164% no número de queixas relacionadas a intolerância religiosa contra os praticantes de religiões de matrizes africanas e, todas elas registradas em Belo Horizonte. No ano passado, 2016, o tema da redação do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM) trouxe novamente à tona a discussão sobre a discriminação que cresce contra as pessoas que seguem crenças diferentes da maioria.

No dia 20 de fevereiro teve início no Conservatório da UFMG, a 11ª edição do Festival de Verão. O encerramento do evento ocorreu hoje, 23, e a palestrante convidada para finalizá-lo foi Pedrina de Lourdes Santos. Considerada a primeira capitã de Moçambique do Estado de Minas Gerais, ela começou a dançar e tocar ao lado de seu pai quando tinha 11 anos. Hoje, aos 55, Pedrina, após assumir ao lado de seu irmão a capitania da Guarda, se tornou referência quando o assunto é a representatividade da identidade do povo brasileiro.

Sob o tema “Religião de Matriz africana”, Pedrina destacou as diferenças e semelhanças entre as religiões, assim como as raízes e a herança cultural do povo brasileiro, que passa por uma viagem pelas tradições herdadas dos povos africanos. E pede pelo reconhecimento e respeito pela cultura e pelas vidas que foram sacrificadas para que uma nação nascesse: “É triste ver as pessoas dizerem que tudo que é de negro é ruim, é do mal. Eu conheço cidadãos que consideram até hoje os negros, pessoas de segunda classe”, conta Pedrina.

Ela trouxe para a palestra um momento de conscientização, em que chama as pessoas para conhecerem a luta, a cultura, a história de um povo. E ainda, revelou o perigo da generalização do todo por uma parcela: “Você tem que conhecer a pessoa. E para isso é preciso conhecer o caráter dela. Não se pode julgar alguém pela aparência.”, categoriza Pedrina. Ao falar sobre os movimentos negros, ela chama todos para a união. Para juntos vencerem a luta do dia a dia para acabar com o preconceito: “Eu estou fazendo o movimento negro desde que eu nasci. E também estou resistindo desde que nasci”, finaliza.

 

0
Foto: Acervo Infraero

Um artista que usava os pés como pincel e com um talento inigualável. Ainda criança, Eduardo Gonçalves de Andrade virou Tostão e encantava quem o acompanhava. Deu os primeiros passos na carreira como profissional no glorioso América, e aos poucos o franzino de 1,72 começou a alçar voos mais altos.

Em épocas de chuteiras pretas, salários nada exorbitantes e puro amor à camisa, Tostão conseguiu se destacar como protagonista, em uma safra onde não tinha espaço para os coadjuvantes. No Cruzeiro foi soberano sendo o maior de todos, encantando até os mais cépticos e distantes do futebol. Já vestindo a amarelinha, conquistou e encantou o mundo ao lado de um verdadeiro esquadrão que contava com Gérson, Rivelino, Jairzinho e o inigualável Édson Arantes do Nascimento, ou simplesmente Pelé para os mais íntimos.

Gênio dentro e fora de campo, recentemente Tostão completou 70 anos. Seja como armador, ponta-de-lança ou centroavante, era um jogador completo na acepção da palavra e mostrava uma elegância inigualável com a bola no pé. Com sua aposentadoria precoce, aos 26 anos, devido a um deslocamento de retina, o futebol brasileiro perdeu um grande craque dentro das quatro linhas, porém ganhou um excelente cronista esportivo. Algo que era natural, devido ao vasto intelecto e conhecimento esportivo adquirido durante uma década de carreira.

Após esse relato, alguns podem me perguntar: você o viu jogar? Realmente não tive essa felicidade, porém o amor pelo futebol e a paixão pela história e pelo talento demonstrado por esse gênio dentro das quatro linhas, me impulsionaram a escrever esse texto. Enfim, feliz de quem o viu.

Por Mateus Liberato

Foto Ana Paula Tinoco

27 de janeiro

  • Unidos da Estrela da Morte – Ensaios Abertos

    Data: de 27.01.2017 até 18.02.2017

    Local: Praça da Liberdade e Granfinos

    O Bloco Nerd formado por fãs de Star Wars é a melhor alternativa para quem não curte um carnaval convencional. Organizado pelo fã clube Conselho Jedi Minas, toca marchinhas próprias, paródias, músicas de videogame, tudo na medida certa para a comunidade geek!
    Venha conferir nossos ensaios:
    Dia 27/01 | 19h | Praça da Liberdade

    Dias 3 e 10/02 | 19h | Praça da Liberdade

    Dia 18/02 | 21h | Granfinos

    E-mail: conselhojedimg@gmail.com

  • Eleição da Corte Momesca do Carnaval de BH

    Data: 27.01.2017 – 19:30

    Local: O Distrital

    Os 22 concorrentes, 11 homens e 11 mulheres, vão desfilar ao som da bateria da Escola de Samba Canto da Alvorada, campeã do Carnaval de BH 2016. Ao final do evento, BH vai conhecer os diplomatas das festividades carnavalescas da cidade: Rei, Rainha e Princesa.
    As candidatas à rainha serão julgadas pela beleza do rosto e harmonia das formas físicas. O Rei Momo do Carnaval será avaliado pela qualidade do samba e alegria. Quesitos como domínio do samba, espírito carnavalesco, simpatia e expressão corporal também contarão pontos para os candidatos (as).

    Entrada Franca

  • Baile da Cidade

    Data: 27.01.2017 – 22:00

    Local: City Hall

    Atrações:
    DJ Mia Siqueira
    DJ Cris
    MC Brisola
    Dilsinho
    MC Lan

    http://www.facebook.com/cityhallbh/

    Telefone: 31 2514-0007

  • Baile Tropical – Orquestra Já te Digo

    Data: 27.01.2017 – 23:00

    Local: A Autêntica

    O Baile Tropical é uma festa itinerante que roda por vários lugares do Brasil e do mundo apresentando o que há de mais interessante nas novas tendências tropicais e afro latinas.
    Nesta edição, o evento em clima de prévia de Carnaval, traz para A Autêntica uma programação Momesca com a Orquestra JÁ TE DIGO! E discotecagem quente, carnavalesca e tropical de Patricktør4 e Rafael, e ainda Paloma a DJ e DJ Zumbre.

    http://www.facebook.com/pg/aautenticabh/

    Telefone: 31 3654-9251

  • I Workshop para Passista em BH

    Data: de 28.01.2017 – 09:00 até 28.01.2017 – 16:00

    Local: Sebrae Minas

    O carnaval de BH cresce a cada ano atraindo milhares de foliões que desfilam nos blocos ou nas escolas de samba. Pensando na qualificação e fortalecimento das passistas e aspirantes a passista, o Blog Carna BH com apoio do SEBRAE/MG promove o 1º Workshop para passistas com a musa da Mangueira Carolynna Assis (RJ).
    O encontro visa oportunizar troca de experiências, novos conhecimentos, além de fortalecer a atividade de passista e potencializar esse mercado. Técnicas de samba, postura, desenvoltura e evolução são algumas das etapas do workshop, além de palestra com o tema: Marketing Pessoal – O Poder da Imagem Profissional, e roda de conversa com o tema: Passista – Responsabilidade e Compromisso.

    http://www.facebook.com/events/714265252066496/

    Telefone: 31 99315-2496

    E-mail: carnabhmg@gmail.com

  • Aki Cê Dança

    Data: de 28.01.2017 – 14:00 até 28.01.2017 – 17:00

    Local: Feira Coberta do Padre Eustáquio

    O vocal andou ensaiando bastante enquanto a bateria estava de férias. Então vamos alinhar tudo e fazer bonito!!!

    http://www.facebook.com/akicedanca/

    Telefone: 31 3335-0012

    Bloco Xibiu | Ensaio

    Data: 28.01.2017 – 14:00

    Local: Praça do Coreto – Rua dos Jornalistas – Alípio de Melo

    Venha conferir nosso ensaio de pré-carnaval.

    E-mail: geraldojunior.mkt@gmail.com

    Entrada Franca

  • Bloco Balai Lama – Ensaios

    Data: de 28.01.2017 – 15:00 até 28.01.2017 – 18:00

    Local: Praça Coronel José Persilva

    Vamos começar a espalhar a alegria de se participar do Bloco sensação de BH!

    http://www.facebook.com/events/1565781190104975/

  • Ensaio Oficial Bloco Gilboísmo

    Data: 28.01.2017 – 15:00

    Local: Gilboa

    Esse sábado ensaio oficial do bloco Gilboísmo, com o batuque da bateria PIPOCA MODERNA, aquele mesmo bloco que você curtiu junto de milhares de pessoas na frente do Jângal no domingo de carnaval do ano passado!
    Além do ensaio, banda Uai Pode mandando muito som pra fazer desse sabadão lendário!

    http://www.facebook.com/gilboaBH/

    Telefone: 31 3646-2433

  • Bloco da Proibida

    Data: 28.01.2017 – 17:00

    Local: Os Desespetados Prado

    Bandas:
    Juliano e Percussão
    Os Baianeiros
    Saideira

    Telefone: 31 3564-4069

  • Bailinho do Distrital – Baianas Ozadas

    Data: 28.01.2017 – 19:00

    Local: O Distrital

    O Carnaval já chegou e você ainda não está sabendo?
    Não fica de fora e aproveita esse Bailinho que vai acontecer lindamente neste sábado no Distrital.
    Vai ter Baianas Ozadas!

    http://facebook.com/ODistrital/

    Telefone: 31 99767-1616 (WhatsApp)

  • O samba bate outra vez

    Data: 28.01.2017 – 22:00

    Local: Music Hall

    Casuarina: Os craques da nova geração do samba carioca, que ajudaram a reocupação cultural da zona boêmia da Lapa, trazem a BH um show especialíssimo: o “CentenáRIO Samba” – um passeio por sambas históricos, costurados pelos sucessos autorais do grupo e por canções do disco “7”.
    Zé da Guiomar: Os mineiros do Zé da Guiomar, não deixam barato, e apresentam grandes clássicos do com novos arranjos feitos com a mesma maestria que os tornaram referência em todo o estado.

    http://www.sympla.com.br/

    Telefone: 31 99957-5294

  • Carnavaliza na FUN!

    Data: 28.01.2017 – 22:00

    Local: Major Lock

    Palco Folia:
    STEREOTONE (SAMBA ROCK)
    FUN CREW (Músicas carnavalescas)

    Palco Kombi do Amor:
    V.Andrade(deepzinho sensual)
    SABNN(Tropical House/Tribal)
    BUBBLE GUN(HIP-HOP/TRAP)
    KADI(FUNK MAROTO)

    http://www.facebook.com/majorlock/

    Telefone: 31 3284-5607

  • Ensaio do Bloco Vexame

    Data: 28.01.2017

    Local: Praça da Seresta – Santa Amélia

    Venha participar do tradicional ensaio aberto do Bloco Vexame!!!! Traga seu instrumento e venha se divertir!

    http://www.facebook.com/blocovexame

    Telefone: 31 99934-0746

  • Bloco Batuque Coletivo | Ensaio

    Data: 28.01.2017

    Local: Praça Diogo de Vasconcelos – Praça da Savassi

    Bloco de Carnaval com a missão de Carnavalizar o mundo!

    Venha conferir nosso ensaio!

    http://www.facebook.com/BatuqueColetivoPage/

    Telefone: 31 99105-1765

    Entrada Franca

  • Bloco Afro Magia Negra | Ensaios

    Data: de 29.01.2017 – 14:00 até 19.02.2017 – 14:00

    Local: Bar Estação Santê e Comunidade Quilombola dos Arturos

    O Bloco Afro Magia Negra surge para reverenciar os valores da cultura afro, dando ênfase à imensa contribuição do povo negro na formação e construção do Brasil.

    Venha conferir nossos ensaios!

    Dia 29/01 – Ensaio Oficina – Bar Estação Santê, Rua Quimberlita, 205 – Santa Tereza (concentração às 14h)

    Dia 05/02 – Ensaio Magia Negra e convidados – Bar Estação Santê, Rua Quimberlita, 205 – Santa Tereza (concentração às 14h)

    Dia 18/02 – Carnaval Afro – Comunidade Quilombola dos Arturos – Rua da Capelinha, 47 – Jardim Vera Cruz  (concentração às 14h)

    Dia 19/02 – Ensaio Oficina – Bar Estação Santê, Rua Quimberlita, 205 – Santa Tereza (concentração às 14h)

    http://www.facebook.com/pg/BLOCOAFROMAGIANEGRA/

    Entrada Franca

  • Domingueira Tropical – com Havayanas Usadas

    Data: 29.01.2017 – 16:00

    Local: A Autêntica

    O repertório traz clássicos do axé dos anos 80 e 90, com músicas que vão de Araketu a Daniela Mercury, Banda Mel a Timbalada, de Caetano Veloso a Netinho e a presença de blocos afro como Olodum e Ilê Aiyê. O bloco tem criação e direção de Peu Cardoso, Débora Mendes, Cris Gil, Maurílio Badá, Heleno Augusto, Rodrigo Boi e Daniel Melão.

    http://www.facebook.com/aautenticabh

    Telefone: 31 3654-9251

    Fonte: Agenda Cultural BH

0
Foto retirada do site do Senac

A velha acordou em seu quarto sem janelas. Há três meses ela dormia com seus dois cachorros na esquina da Inconfidentes com Alagoas, foi pra Savassi depois do estupro. Lá ela podia dormir cedo, ter um pouco de paz, e até conseguia uns rolinhos primavera do restaurante japonês do outro lado da rua, às vezes.

Quando não chove ela monta seus papelões na calçada fora da marquise, do lado de uma pequena árvore, onde amarra seus companheiros. 1,00m x 1,60m é o espaço de privacidade que ela tem, pra se guardar junto de seus poucos pertences. E sabe-se lá até quando vão durar, um dia, mais uma vez, a polícia leva o que lhe resta.

De tanto sentir muito a velha não sente mais nada. O que lhe resta senão a espera agoniante do fim? Um dia, e mais um, e mais outro, as noites são tão longas quanto estes. Sua existência é tão sólida quanto o vento. Nem o desespero pulsante de seu ser a torna menos invisível, sem passado, muito menos futuro, não faz diferença. Sobrevive pela obrigação do medo da morte, mas o que será pior que a realidade que se vive minha velha?

A cidade traga o resto de sua energia, de minuto por minuto, de passo por passo, sem dó. A velha vaga por entre os concretos de outras vidas, de outros mundos, sente a sujeira que já faz parte de sua pele, ela é feita de pó, sangue para sangrar, carne pra rasgar, e solidão. Já parou de pensar faz tempo, e lembra mais ainda. De memórias ela se esgotou. A sua história se refaz a cada dia, o ontem não existe mais, família, amores, lugares, sonhos, nada disso importa. A vida a abandonou por que ela abandonou a si mesma. Agora a morte lhe chama e a velha, cansada, tem medo de se acalentar.

 

Por Gael Benitez

 

0
Foto retirada do Blog David

Provoque a dúvida, deixe a culpa, escute a rua.

Olhe o mundo.

Saia andando, corra até um abraço.

Não demore, modere o passo.

Arrisque mais, dentro do compasso.

Conheça o mistério, abra caminho, vá para o espaço.

Confie no novo, se errar faça de novo.

Seja bobo quando precisar ser esperto.

Finja esperteza quando achar que não estar certo.

Viva discreto. Grite para o mundo,

tenha coragem e alguns medos ocultos.

Arrume um teto. Corte as raízes.

Olhe o precipício. Colecione cicatrizes.

Aprenda com a dor, sinta o calor.

Caia no mundo. Enfrente o amor.

Sobreviva a vida, com um frio na barriga.

Fique atento. Use o vento ao seu favor,

não perca tempo.

Ganhe vida, zere o jogo. Comemore ao abrir os olhos, respire para ter certeza.

Conte até dez antes de fazer qualquer bobeira.

Explore o erro seja sábio.

Aprenda a observar. Fale pouco, separe tempo para escutar.

Decore atitudes boas, pratique perseverança.

Abra os olhos. Seja a esperança.

Observe além da linha do horizonte.

Aproveite este instante.

Não seja um enfeite, não precisa ser perfeito.

Faça acontecer.

Enlouqueça por um momento, grite aos quatro ventos.

Saia sem direção mantenha a velocidade.

Diga a verdade.

Saia do sério. Mantenha seus critérios.

Arrume pretexto.

Bagunce mais a cama. Faça carinho.

De valor a quem te ama.

Espere o sinal verde. Sinta a brisa no ar.

Rabisque sua parede.

Seja verdadeiro. Complete a metade.

Veja os sinais ao redor.

Escute musicam boas. Aproveite seus pais.

Não olhe para trás com rancor. Seja capaz de fazer mais.

Cuide de alguém, mas não se esqueça de você.

Não sabe, então aprenda a fazer.

Quebre o vidro acione o alarme.

Provoque um debate.

Sinta o coração que aos poucos bate.

Distancie-se, da rotina, aproxime-se do prazer.

Pratique o ato de ler.

Procure algo ser. Esqueça o ter.

Não pare.

Movimente-se.

Tenha atitude. Se alguém precisar o ajude.

Enjoou, mude. Gostou cultive. Pensou execute.

Provoque a calma. Alimente a alma.

Por Tiago Rodrigues

0
Reprodução Site Guiame, Maria Mendes

Memória: Substantivo feminino que nada mais é que: faculdade de conservar e lembrar estados de consciência passados e tudo quanto se ache associado aos mesmos.

As lembranças são nossas companheiras, não é muito difícil se pegar pensando em algo que aconteceu e rindo sozinho. Às vezes a lembrança é tão marcante que você sente a necessidade de dividi-las com amigos e familiares. E em tempos de rede sociais ficou muito fácil partilhar e compartilhar esses momentos.

Hoje no Dia da Lembrança conversamos com algumas pessoas e perguntamos:

 Qual é aquela lembrança que te faz feliz? Rir, chorar de emoção ou chorar de rir, frio na barriga ou saudade? Afinal, nada melhor do que uma boa memória para recordar.

  • Victor Melo Pereira, estudante, 19 anos

Victor Melo

A melhor memória que eu tenho da minha vida é da infância, igual todo mundo. Na roça de Lagoa Dourada com meu primo, quando a gente construiu uma jangada para descer no rio.  Construímos com madeira que achamos caída pela estrada por que éramos muito novinhos e não conseguíamos cortar uma tora de árvore.  Amarramos com cipó que meu tio cortou e na metade do rio ela afundou, molhamos muito e enchi de lama e sanguessuga, mas foi ótimo. Super engenharia gambiarra! ”.

  • Bruna Ribas Morato, Publicitária

11430152_787334358030818_3562951898843442884_n

A maior lembrança que tenho é, o meu avô Roberto que se foi há 14 anos. Ele era meu companheiro, cuidava de mim, me levava e buscava na escolinha, passeava comigo todos os dias! Tanto que até hoje aqui no meu bairro, me param e perguntam se eu sou neta de Roberto, que lembra muito dele me levando para passear quando eu era bem pequena. Ele me ensinou a comer jiló hahah me ensinou a viver as pequenas e simples coisas da vida. A brincar, mas também a ajudar ele em alguma situação; a respeitar todo tipo de pessoa, começando a dar bom dia para o gari que estava limpando a rua; ao porteiro; a quem quer que passasse pelo nosso caminho do passeio de manhã. Esse senhor foi e sempre será meu exemplo de vida! Um homem trabalhador, que como todos ser humano errou, e passou por trancos e barrancos, mas que cuidou e educou seus 4 filhos, sempre esteve presente na vida de suas netas, e me ensinou o que é o amor e o verdadeiro sentido da vida! Eu o amo para sempre e choro até hoje pelo seu adeus! Vovô Roberto, assim como eu o chamava, eu te amo daqui a eternidade, você estará para sempre no meu coração como a mais linda lembrança que eu tive a oportunidade de vive -lá!

  • Maria Júlia Alvarenga Lay, 19 anos, Estudante

14199192_1051354788305002_7505054700460353373_n

Quando eu fiquei sabendo que ia morar em Belo Horizonte de novo com MINHA MÃE e estudar no COLÉGIO SANTO ANTÔNIO. Simplesmente o sonho de qualquer garota belo Horizontina de 15 anos de idade.

  • Wendell Diego Silva Sousa, 23 anos, estudante

12509458_935167163242290_6657711881097244936_n

Tenho memória boa não, nasci pobre. Pobre não tem muito momento bom não, só conta para pagar.

  • Marcos Vinícius Tinoco Teixeira, 26 anos, estudante

11081119_851970318203418_6471959780547840082_n

O segundo gol do fenômeno em 2002, no final da Copa do Mundo.

  • Edson Silva, 30 anos, vendedor independente da empresa Azenka Cosmésticos

15338684_1247453215322178_3799220004299480123_n

Uma vez quando eu estava voltando de uma festa quem tem na outra cidade que eu morava, uma exposição agropecuária junto com um amigo meu depois de beber muito, eu encontrei ele na saída da festa. Estávamos voltando para casa juntos e lembro que chovia muito… estávamos conversando com coisas aleatórias, quando eu vi alguma coisa no meio de um matagal. Aí falei: “espera aí que eu já volto”, pulei no mato e voltei para a rua com uma bicicleta, ele falou: “essa bicicleta deve ser de alguém”, então, eu falei: “ Pedro, se escondeu aqui é porque pulou o muro sem pagar a entrada. Agora ele vai paga com a bicicleta”.  Falei para ele montar no cano e voltamos para casa bêbados, de bicicleta e rindo muito. Debaixo de chuva ainda.

Por Ana Paula Tinoco