Espírito esportivo prevalece no domingo da segunda rodada da Taça das Favelas

Espírito esportivo prevalece no domingo da segunda rodada da Taça das Favelas

0 159

Respeito dentro e fora do campo dá a tônica das partidas, mesmo quando acirradas

Equipe de Reportagem: Guilherme da Silva, Luíza Ferreira, Izabela Avelar e Vitor Castro.

Foto: Arthur Lima e Marcelo Duarte

Jogos disputados e muito empenho em campo marcaram o segundo final de semana da Taça das Favelas. No entanto, apesar da rivalidade no campo, o espírito esportivo prevaleceu no domingo (15) da segunda rodada. A boa relação e o clima descontraído começa quando os jogadores descem dos ônibus.

O assunto não é só futebol, passa por uma relação de amizade entre os atletas. É momento de falar do dia dia, das novidades e desafios.  “Olha, o tanto de jovem que está ali brincando e se divertindo. Era para estarem fazendo muitas coisas erradas, mas estão jogando bola. E isso é bom,” diz o jogador Santa Cruz Futebol Clube Gladson Santos, de 16 anos, que acompanhou o torneio na torcida.

A abertura dos jogos de domingo não poderia oferecer menos, com equipes competitivas, porém, respeitosas entre si. O dia iniciou com goleada do time Mariano de Abreu por 4 a 0 sobre o conjunto Taquaril. E foi dada a largada para mais uma etapa do campeonato.

Em sua primeira participação nesta edição do Taça das Favelas, a equipe do Vila Pinho teve  ótimo desempenho. No segundo jogo, carrega a vitória com dois gols sobre o Complexo Minas Caixa. Após o jogo, o técnico da equipe estreante, Thiago Junior, comemorou o resultado. Porém, não deixou de chamar a atenção dos jogadores que se exaltaram durante a partida. Em consequência da indisciplina o camisa 7 da equipe vencedora foi expulso.

No primeiro jogo da tarde de domingo, antes da partida começar, a oração do time da Vila mudou. O Pai Nosso foi trocado por uma prece de agradecimento: “obrigado Senhor, obrigado Senhor”, repetida com fervor. Os jogadores da Vila mal poderiam imaginar que venceriam por 1 a 0 sobre o Conjunto Granja de Freitas. O jogo começou calmo, com as equipes concentradas, cobranças de falta e até aplicação de cartões amarelos.

A vontade dos jogadores de fazer bonito dentro e fora de campo é inegável. A chance de ter um futuro melhor por meio do esporte é agarrada, com perdão ao trocadilho, pelos jogadores. No caldeirão de sentimentos, destacam-se alegria, animação, nervosismo e paixão. A união e o comportamento dos jogadores nessa competição são notáveis. Apesar de todas as dificuldades, eles tentam mostrar que tem sonhos e esperanças de uma vida melhor dentro do esporte.

NO COMMENTS

Deixe uma resposta