Page 308

Desde o dia 22 de junho o museu de minas está aberto ao público, com diversas exposições relacionadas às minas e minerais existentes no estado mineiro.

De acordo com a coordenadora educativa Luísa Macedo,23, as exposições no museu tem o intuito de contar a história do estado através das grandes minas que já existiram, com seus aspectos econômicos e culturais sendo contada de forma didática e interativa através de expositores educativos.

Além da principal atração, o museu oferece esclarecimentos sobre a consistência de minerais como zinco, ferro entre outros. O museu foi inaugurado no final de junho deste ano e já recebeu cerca de 8000 visitantes.

As exposições são de terça a domingo, de 12h às 18h. Entrada franca.

Texto e foto: Henrique Muzzi

Um dos bustos da Praça da Liberdade, homenageia um importante político do estado de Minas Gerais. Mas, você sabe quem foi o Senador Júlio Bueno Brandão, cujo busto está localizado em frente ao prédio do IPSENG?

Nascido a 11 de julho de 1858, em Ouro Fino, Bueno era filho de comerciante, fez o curso primário em sua cidade Natal, onde começou a trabalhar cedo, no comércio junto a seu pai, como balconista. Autodidata, estudou sozinho e prestou exame de qualificação e começou a advogar na comarca de Ouro Fino. Sem ter, sequer, feito faculdade, com apenas o curso primário, foi juiz de Direito de Camanducaia e Juiz municipal de Ouro Fino. Também exerceu cargo de delegado.

Entrou para política como vereador em Ouro Fino. Foi nomeado pelo presidente do Estado de Minas Gerais, Bias Forte, em 1891, presidente do Conselho de Intendência de Ouro Fino. Em 1892 foi eleito presidente da Câmara Municipal da cidade.

A importância para o Estado e a cidade

Como chefe do executivo municipal teve a oportunidade de recuperar a economia do município, em crise desde o esgotamento das minas auríferas; reorganizou a administração local; fundou associação jornalística e literária além do jornal Gazeta de Ouro Fino; criou escola primária municipal; fundou a Escola Prática de Agricultura; construiu estradas municipais; cuidou da urbanização da cidade; ampliou a rede de abastecimento de água e melhorou o serviço de telefonia.
Elegeu-se senador do estado em 1897 e neste cargo, empenhou-se na reforma da lei eleitoral, buscando democratizar o sistema. Em 1930 foi o único senador a votar contra o estado de sítio em Minas Gerais.

A Praça da Liberdade ainda conta com os bustos de Azevedo Junior, Bernardo Guimarães, Crispim Jacoques Bias Fortes e Dom Pedro II.


imagem-015

Por Daniella Lages

Emprego temporário nas Eleições

As propagandas eleitorais movimentam os cruzamentos e semáforos da região centro-sul da capital. Com a aproximação das eleições, os políticos investem e apostam nas campanhas por meio de publicidade nas ruas. Foi o caso do deputado federal Rodrigo de Castro que contratou mais de 20 jovens para realizar panfletagem e “bandeirada” (balançar bandeiras do candidato) em pontos estratégicos da capital.

O estudante Lucas Vieira, 17, conta que descobriu o emprego temporário por uma amiga. “O deputado é morador do bairro Nova Cintra, onde mora grande parte do pessoal que está aqui. Então ele chamou a gente para trabalhar com ele.”, conta Vieira. O trabalho começou a cerca de 20 dias e perdurará por mais 2 meses, sendo uma jornada de 6 horas por dia que rende em média R$ 400,00 por mês. “Nós não somos fixos em nenhum lugar. Hoje estamos aqui na Savassi, mas semana que vem podemos estar em outro bairro”, conta o estudante.

dsc_0132

O outro lado da história – Poluição visual e sonora

Com as novas tecnologias os candidatos as eleições 2010 ainda aderem à moda antiga, distribuem materiais publicitários, como fly’s e adesivos pelas ruas da capital.

Em vias como a Avenida João Pinheiro, no bairro de Lourdes, encontram-se faixas, placas, cartazes e bandeiras com a imagem e nome dos respectivos candidatos. Além, da grande quantidade de fly’s jogados pelo chão, o que desfigura a imagem da cidade. Seguindo o percurso da avenida deparamos com o rosto de candidatos do PTdoB e do PT em pelo menos 8 placas.

Além da poluição visual das vias publicas ainda existem os candidatos que aderiram à poluição sonora, hora e meia passa carros de som com canções como “é 1311, é… garra e atitude é Gabriel Guimarães (…) vem você também (…) deputado federal…”

O Tribunal Regional Eleitoral de Minas (TER) é responsável pela campanha “Sujeira não é Legal”. Essa campanha tem como o intuito evitar as irregularidades dos candidatos com as propagandas. E este ano estão mais rígidos, para punir quem desrespeitar as regras.

No site da campanha os candidatos podem encontrar as orientações de como fazer sua propaganda limpa.

Por Ana Paula Sandim, Débora Gomes, João Marcelo Siqueira
Fotos Débora Gomes

O último dia do evento, Cultura e Pensamento: Juventude e Ativismo, contou com nomeados comunicadores na mesa de debate. O tema foi “Territórios Solidários na Cultura”, o debate busca a aproximação de agentes e instituições para este diálogo intercultural, tão importante no mundo atual.

O mediador, Ibrahima Gaye, é cônsul honorário do Senegal em Belo Horizonte, produtor cultural e fundador do Centro casa África em Belo Horizonte. Junto com Helder Quiroga, coordenador geral do evento, Luiz Morlote, Presidente da Associação Hermano Saiz de Cuba e Rafael Cantero, coordenador cultural e desenvolvimento da ONG Batá (Espanha) abriram o debate falando da importância da construção de redes solidárias de compartilhamento de experiências, conhecimentos e ações.

A mesa de debate, contou também com representantes de instituições de arte, comunicação e educação. As conversas se dividiam entre o português e espanhol e o público podia interagir com os convidados através de tradutores. Hoje a sede do evento foi o auditório do Centro universitário UNA, no campus da Rua Aimorés. A tarde haverá mais mesa de debate e a noite, durante a festa de encerramento do evento, haverá show com o cantor Chico César. A entrada será gratuita.

imagem-008imagem-004

Por Daniella Lages

0 327

Quem passa pela região da Savassi todos os dias, foi surpreendido nesta manhã por uma escada vermelha no cruzamento das avenidas Getúlio Vargas e Cristovão Colombo.

dsc_0126

Comerciantes da região disseram que, na tarde de quarta- feira, uma estrutura de ferro foi montada no meio do cruzamento, e hoje pela manhã, tomou forma originando uma escada larga, na cor vermelha, com seis degraus.“Eles estão agindo durante a madrugada”, disse Vanderley Elias, 58, proprietário da banca de revistas “Newstand” localizada na praça Diogo Vasconcelos, aludindo à possível ação de seres extra terrestres.

Você sabe o que é uma escada vermelha na Savassi?


Na verdade, não é uma escada: é uma arquibancada, montada para receber espetáculos do 10° Festival Internacional de Teatro (FIT). A idéia foi uma iniciativa do cenógrafo Paulo Pederneiras, diretor artístico do Grupo Corpo. A intenção é despertar a atenção do público, tanto para as apresentações do FIT quanto para as paisagens urbanas de Belo Horizonte. “Parar para observar a cidade causa certa estranheza, porque as pessoas nunca têm tempo para fazer isso. Com essa obra, as pessoas poderão olhar a mesma coisa de outra maneira, de outro ponto de vista”, diz Pederneiras.

Para mais informações sobre o FIT e as intervenções na cidade, acesse o site: http://www.fitbh.com.br

Por Débora Gomes e João Marcelo Siqueira

Fotos: Débora Gomes

Com o objetivo de divulgar a música e o canto coral, dando oportunidades aos grupos com a divulgação de suas atividades, o BDMG Cultural traz à Praça da Liberdade a apresentação dos corais Cantores da Ramacrisna, Eu canto – TV Globo Minas, Luís de Camões e BDMG.

A promoção é importante para o incentivo de grupos infantis e de formação recente, apoiando aqueles que vêm desenvolvendo trabalhos interessantes de canto polifônico.

Os corais se apresentam hoje, a partir de 19h30, pelo projeto Quatro Cantos – Coral na Praça.

Local: Coreto da Praça da Liberdade
Praça da Liberdade, s/nº – Funcionários
Promoção: BDMG Cultural
Tel. 31- 3219-8382 – Fax. 31- 3219-8519
E-mail: coral@bdmg.mg.gov.br
Site: www.bdmgcultural.mg.gov.br/coralbdmg

Por Débora Gomes