A Chuva continua: aumenta o número de ocorrências em BH

A Chuva continua: aumenta o número de ocorrências em BH

0 621

A Defesa Civil de Minas Gerais emitiu no inicio da tarde desta segunda-feira,18, um  comunicado de chuvas isoladas na grande BH. Desde a última sexta,15, o tempo encontra-se nublado e com constantes precipitações, podendo atingir volumes superiores a 100 milímetros no decorrer da semana. Cerca de 290 ocorrências foram registradas na cidade. Diante dos riscos ocasionados pelas chuvas, evitar áreas de risco (Veja AQUI) e outros tipos de prevenções devem ser tomadas.

12552797_869562079809620_4909705808285749646_n
Mapa com as ocorrências por Regionais no período de 16 à 18/01, até meio-dia.

 

Mapa com as ocorrências por Regionais no período de 16 à 18/01, até meio-dia.

 

Toda a equipe da Defesa Civil, inclusive os agentes que estavam de folga, estão trabalhando para atender a demanda. Engenheiros foram enviados para cobrir barrancos com lona a fim de evitar o infiltramento de água no solo. Equipes do Corpo de Bombeiros estão atendendo as ocorrências.

 

Desastres Naturais

 

A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil do estado divulgou um alerta para deslizamento de terra nos municípios de Belo Horizonte, Betim, Brumadinho, Contagem, Caeté, Caratinga, Coronel Fabriciano, Ibirité, Ipatinga, Itabira, João Monlevade, Nova Lima, Ribeirão das Neves, Sabará, Santa Luzia, Timóteo e Vespasiano. Enxurradas e Inundações podem ocorrer em Belo Vale, Betim, Coronel Fabriciano e Santa Luzia.

 

No Centro, uma árvore caiu no cruzamento da Rua Timbiras com a Avenida Bias Fortes, sem feridos.Também foram registradas, até o momento, quatro ocorrências de queda de árvores na capital.

 

Aedes Aegypti: O Perigo Aumentou

 

O verão é marcado por altas temperaturas e constantes chuvas, tais fatores tornam esta estação a mais propícia a proliferação do Aedes Aegypti – mosquito responsável pela transmissão da Dengue, febre Chikungunya e Zika Vírus. Todo cuidado é pouco para eliminar os criadouros do inseto e, assim, evitar as doenças.

 

Pesquisas mostram que 80% dos focos do mosquito estão nos domicílios, portanto, a mobilização e conscientização da população é fator primordial no combate do Aedes Aegypti. Veja a seguir, algumas recomendações da defesa civil:

– Cuidado especial no armazenamento e destinação do lixo, mantendo-o em recipiente fechado e disponibilizando-o para recolhimento pela Limpeza Urbana;

– Jamais descarte o lixo ou qualquer outro material que possa acumular água no quintal de casa, no quintal de vizinhos, na rua ou em lotes vagos. Latas, caixas de leite e similares, é recomendável retirar o fundo para descartar;

– Mantenha a caixa d’água sempre limpa e totalmente tampada;

– Mantenha as calhas livres de entupimentos para evitar represamento de água nas mesmas;

– Mantenha piscinas devidamente tratadas e tampadas.

Principais sintomas:

DENGUE
Febre alta (geralmente dura de 2 a 7 dias), dor de cabeça, dores no corpo e articulações, prostração, fraqueza, dor atrás dos olhos, erupção e coceira na pele. Nos casos graves, o doente também pode ter sangramentos (nariz, gengivas), dor abdominal, vômitos persistentes, sonolência, irritabilidade, hipotensão e tontura. Em casos extremos, a dengue pode matar – até 18 de abril foram registrados 229 óbitos.

CHIKUNGUNYA

Dor nas articulações de pés e mãos, que é mais intensa do que nos quadros de dengue. Além disso, também são sintomas: febre repentina acima de 39 graus, dor de cabeça, dor nos músculos e manchas vermelhas na pele. Cerca de 30% dos casos não chegam a desenvolver sintomas. Segundo o Ministério da Saúde, as mortes são raras.

ZICA VIRUS

Paciente apresentam quadro alérgico e os sintomas são parecidos com os das doenças “primas”: febre, dores e manchas no corpo. Quem é infectado pelo zika também pode apresentar diarreia e sinais de conjuntivite.

Tratamento

Na maioria dos casos, estas doenças são tratadas com repouso e ingestão de líquidos.
Por: Bruna Dias

NO COMMENTS

Leave a Reply