Authors Posts by admin

admin

1512 POSTS 10 COMMENTS

Imagem internet/ Divulgação

Sendo um dos grandes nomes no mundo do entretenimento da atualidade, Shonda Rhimes é responsável por quebrar paradigmas e ajudar outras mulheres a fazer história no Showbiz. Afinal, foi o papel escrito por ela que deu a grande Viola Davis o Emmy de melhor atriz em uma série dramática. E assim, Davis se tornou a primeira mulher negra a vencer nessa categoria da premiação.

Dona da produtora “ShondaLand”, Rhimes possuí, hoje, uma programação especial intitulada “Thank God It’s Thursday” (Graças a Deus hoje é quinta em português) para suas séries no canal ABC, entre elas: “How to get away with murder”, “Scandal”, “Grey’s Anatomy” e “The Catch”. Fazendo, também, parte dessa terra de criação de RhimesPrivate Practice”, o spin-off de “Grey’s Anatomy”, que após a sexta temporada foi finalizada.

Grey’s Anatomy é sem dúvida um sucesso. O drama médico acompanha os autos e baixos de um grupo de médicos residentes, que quando não estão fazendo história na medicina provam que a vida não é fácil para ninguém. A série que é a de maior duração na carreira de Rhimes foi renovada para uma 13ª temporada.

Mas, deixando um pouco de lado o drama da vida desses personagens. Você já parou para analisar os títulos de cada episódio? Não? Então vamos lá: Se você olhar título por título, no inglês, você perceberá que eles têm mais em comum do que apenas fazer parte da mesma série. Eles obedecem a um padrão, ou seja, todos eles são títulos de música.

Alguns exemplos:

  • 1ª temporada: “A Hard Day’s Night” (The Beatles) – episódio 1;
  • 2ª temporada: “Losing My Religion” (R.E.M.) – episódio 27;
  • 3ª temporada: “Time After Time” (Cyndi Lauper) – episódio 20;
  • 4ª temporada: “Piece of My Heart” (Janis Joplin) – episódio 13;
  • 5ª temporada: “Stand By Me” (Ben E. King) – episódio 18;
  • 6ª temporada: “I Like You So Much Better When You’re Naked” (Ida Maria) – episódio 12;
  • 7ª temporada: “I Will Survive” (Gloria Gaynor) – episódio 21;
  • 8ª temporada: “Poker Face” (Lady Gaga) – episódio 6;
  • 9ª temporada: “Remember The Time” (Michael Jackson) – episódio 2;
  • 10ª temporada: “Get Up, Stand Up” (Bob Marley) – episódio 12;
  • 11ª temporada: “With or Without You” (U2) – episódio 17;
  • 12ª temporada: “Unbreak My Heart” (Tony Braxton) – episódio 11.

Em cada temporada você pode encontrar ainda títulos de músicas de bandas e artistas como: Led Zeppelin, Pink Floyd, Sheryl Crow, Nirvana, The Rolling Stones, entre outros.

Reportagem: Ana Paula Tinoco
Imagens: Internet/ Divulgação

0 1170
Foto: Divulgação/ Escola Aberta

O cadastramento para a pré – escola das unidades municipais para crianças entre 4 e 5 anos de idade se iniciou ontem, 1º de agosto. As inscrições são para vagas do ano letivo de 2017 e será realizado somente pela internet. O serviço que estará disponível até o dia 16 de setembro atenderá crianças nascidas entre 1º de julho de 2011 e 31 de Março de 2013 e que residem em Belo Horizonte.

Aqueles que se interessarem deverão fazer suas inscrições pelo site da Prefeitura de Belo Horizonte, Protal PBH, e preencher o formulário com as informações da criança a ser matriculada, além das informações pessoais dos responsáveis que estiverem solicitando a matrícula*. Segundo a assessoria da prefeitura não existe um número definido de vagas e essas serão definidas a partir da demanda de solicitações, sendo que, a partir dos 04 anos de idade a escola pública tem a obrigatoriedade de atendimento a todos os inscritos.

Para realizar o cadastro o responsável deve ser maior e os documentos usados deverão ser apresentados no momento de efetuação da matrícula. Os interessados que não possuírem o serviço de internet podem realizar o pedido em gerencias regionais de educação, em dias uteis, ou em laboratórios de informática presentes em escolas que participam do programa Escola Aberta.

O resultado estará disponível no site da PBH e será enviado aos responsáveis um comunicado contendo o resultado da distribuição das vagas, que é feito pela jurisdição que é indicada automaticamente no ato da inscrição, e no endereço utilizado no momento do cadastro a partir do dia 21 de novembro desse ano.

*Lista de documentos a serem apresentados:

  • Nome completo da criança;
  • Data de nascimento da criança (dia/mês e ano);
  • Endereço completo, com o CEP;
  • Nome completo e CPF de um dos responsáveis pelo cadastro da criança.

Fonte: Site Prefeitura de Belo Horizonte / Assessoria de Imprensa

Reportagem: Ana Paula Tinoco

0 1008
Foto: Yuran Khan

FIQ: 2º Encontro Ladys Comics

fiq

DATA : 29/07/2016 a 31/07/2016

Sex | Sab | Dom | 09h00 às 20h00

ENDEREÇO: R. Aarão Réis , Central

O Centro de Referência da Juventude (R. Aarão Réis – Centro) recebe, entre os dias 29 e 31 de julho, o FIQ: 2º Encontro Ladys Comics, de 9h às 20h.

Com várias atrações, como oficinas, painéis e intervenções o final de semana será bem animado com algumas propostas feitas pelo FIQ-BH.

Programação:

Dia 29 de julho

9h30 – 12h30 – Oficinas (Roteiro, com Ana Recalde, Editoração, com Aline Cruz, Projeto QUATI – Educação e HQ, com Natânia Nogueira, Projeto QUATI – Criação de personagens, com Rebeca Prado (público infantil)) – Duração: 4 horas

10h – Abertura do evento

13h30 – Quadrinhos na sala de aula (Aline Lemos, Rebeca Prado, Virgínia Fróes e Carolina Cunha)

16h – Minha primeira publicação em revistas (Aline Cruz – Farpa, Samanta Coan – Risca! e Jordana Andrade -Capitolina)

18h30 – As precursoras (Crau da Ilha e Ciça Pinto)

20h – Encerramento do dia

Dia 30 de julho

9h30 – Painel: Troca de experiências – Meu primeiro quadrinho: O processo de criação, execução e venda. Erros e acertos

Abertura: Day Lima

10h30 – Como entrar no mercado de quadrinhos (Cris Peter – RS e Carol Christo – BH)

13h30 – Ficção Científica – o primeiro roteiro (Germana Viana – SP, Mariana Cagnin – SP e Edna Lopes – RJ)

14h – Edição Especial “Leia Mulheres BH” – Clube de Leitura na Gibiteca Gobbo

15h30 – Meu primeiro negócio: sobre vendas e feiras (Tais Koshino – Feira Dente, Raquel Gontijo – A Bolha, Ana Costa – Gibiteria e Helen Murta – Faísca)

18h30 – Deu branco – O processo criativo (Lu Cafaggi – BH, Bi Anca – BH, Giovana Medeiros – RS e Fernanda Nia – RJ)

20h – Encerramento do dia

Programação permanente

29 a 31 de julho das 9h às 20h

– Feira (Mesas de vendas e lançamentos de quadrinhos e outro produtos)

– Exposição: Chicks on Comics

Vale a pena conferir

Entrada franca

Cultura Popular e Tradicional

0000

DATA: 30/07/2016 a 31/07/2016

Sab | Dom | 17:00 às 19:00

ENDEREÇO: R. Estrela do Sul, 89 – Santa Tereza

PREÇO: Gratuito

TELEFONE: (31) 3277-4699

O MIS Cine Santa Tereza (R. Estrela do Sul, 89 – Santa Tereza), nos dias 30 e 31 de julho, exibem documentários sobre a arte e cultura popular e tradicional de BH.

Ao todo serão sete curtas contando histórias tradicionais da cultura mineira. No sábado, o público contemplará os filmes “A Loira e a Papuda”, “Família Muniz”, “Funk da nossa gente” e “Bênção”, às 17h e “Inventório”, “Guarda de Congo Feminina Nossa Senhora do Rosário” e “Brejo Grande – Festas Juninas”, às 19h.

Já no domingo, às 17h, “Inventório”, “Guarda de Congo Feminina Nossa Senhora do Rosário” e “Brejo Grande – Festas Juninas” e às 19h “A Loira e a Papuda”, “Família Muniz”, “Funk da nossa gente” e “Bênção”.

A exibição será gratuita e os ingressos serão disponibilizados 30 minutos antes do evento.

Festa Peruana

185052_shutterstock_241471708

O sábado sera marcado pela 2ª edição da Festa Peruana. A festa esta marcada para começar as 11h no quarteirão da Rua Tomé de Souza, entre as ruas Rio Grande do Norte e Getúlio Vargas, no bairro Savassi.

A comemoração e pela Independência do Peru! Terá comida tipica, cerveja Wäls, danças e artesanato.

DATA: 30/07/2016

ENDEREÇO: Quarteirão Rua Tomé de Souza, entre as ruas Rio Grande do Norte e Getúlio Vargas

PREÇO: Gratuito

Imagem: Yuran Khan

Com a valorização dos alimentos locais, orgânicos e naturais a ideia de uma horta em casa vem se tornando a saída para aqueles que os procuram. E para os muitos que não possuem espaços viáves para a construção desses canteiros há espalhadas pela cidade hortas urbanas, onde os moradores podem compartilhar e adquirir alimentos frescos prontos para serem servidos à mesa.

De olho nessa inicitiva que está tomando conta da grande Belo Horizonte, conversamos com o engenheiro agrônomo Fernando Godoy Ferrari, o idealizador e responsável pelo projeto/empresa Casas, hortas e jardins.

A empresa é composta por agrônomos, técnicos especializados e colaboradores e tem como objetivo a promoção da Agricultura Urbana, seguida do paisagismo e com base na Agroecologia e Agricultura Orgânica em diferentes espaços da cidade.

  • O que é o projeto/empresa Casa, hortas e jardins?

 Atuamos em diferentes espaços, como residências, condomínios, escolas, chácaras, centros de terapias e restaurantes. Prestamos os seguintes serviços: elaboração e execução de projetos agronômicos (hortas, jardins e pomares); manutenção (poda, controle natural, adubação orgânica, …); cursos e oficinas; educação ambiental e agronômica em escolas.

  • Sobre as hortas que foram emplementadas pela cidade, há supervisão?

Sim, realizamos visitas de manutenção e formação na maioria das hortas que implementamos. Entendemos que a educação é a base de nosso trabalho. Na execução de projetos, procuramos aliar a implantação/manutenção das hortas e jardins com a capacitação dos clientes nos fundamentos técnicos básicos de horticultura e jardinagem (plantio das estações, podas, controle de doenças, colheitas, consórcio e rotação de culturas, preparo do solo orgânico, irrigação, …). Nas escolas, além da implementação da horta/jardim, organizamos uma série de aulas/oficinas, para estudantes de todas as idades, na temática da Agricultura Urbana. Também promovemos cursos e oficinas abertos para a comunidade em diversos temas que envolvem o universo das plantas e da terra (horta urbana, plantas medicinais, minhocários domésticos, berçário de mudas, hortas verticais, agricultura biodinâmica, …).

  • Sobre a colaboração: qualquer pessoa pode utilizar a horta e ajudar a aumenta e mantê-la?

Em hortas coletivas como as implementadas nas escolas, qualquer pessoa envolvida no coletivo pode utilizar a horta para plantar, colher, participar das oficinas de capacitação, ser parte do processo. Nas hortas particulares fica a critério de cada família ou cliente escolher quem usufruirá da horta.

  • Se os moradores de algum bairro se interessarem pelo projeto como é feita a adesão?

Contatando nossa empresa. Precisam marcar uma reunião e/ou visita de consultoria ao espaço urbano sugerido para os plantios. Para cada situação construímos um contrato diferente de trabalho, conforme a realidade local. Podemos coordenar mutirões técnicos de plantio, realizar oficinas de capacitação, fornecer insumos, entre outras ações.

Reportagem Ana Paula Tinoco/ Fotos: Ana Sandim

Imagem divulgação: Netflix

No dia 15 de julho, a Netflix disponibilizou o mais novo fenômeno da cultura pop: Stranger Things. A série virou febre e ganhou fanfics, espaço em salas de bate-papo, memes, facebook e outras mídias. Assinada pelos irmãos Matt e Ross Duffer, com uma segunda temporada confirmada, o pano de fundo dessa história são os anos de 1980.

Essa ambientação traz ótimas homenagens a grandes obras dessa década que foi importante para a concretização da cultura pop tal como conhecemos hoje. Durante o desenrolar da trama é possível ver e se deliciar com sequências baseadas em Goonies, Conta Comigo, E.T. – O Extra Terrestre, Contatos Imediatos de Terceiro Grau, entre outros.

Os gêmeos Duffer fizeram com que adultos voltassem ao passado num saudosismo gritante dos tempos áureos da Sessão da Tarde e aos adolescentes e crianças trouxeram uma viagem ao passado de novidades mergulhadas no suspense/terror leve e digno de palmas em apenas oito episódios.

As críticas com relação ao enredo da série foram em sua maioria boas, principalmente quando se fala dessa homenagem prestada há filmes que são a base da cultura pop dos dias de hoje.

Stranger Things é bem definida e exala homenagens, mas não depende apenas disso. Em sua trama central, cria por si só uma história eficiente, pra lá de assustadora e intrigante, ao mesmo tempo contendo muito coração. “, Pablo Bazarello – CinePop

Irmãos Duffer - foto reprodução internet/divulgação
Irmãos Duffer – foto reprodução: internet/divulgação

Mas você sabe como os irmãos Duffer apresentaram a ideia da série para os produtores e incentivaram criativamente os roteiristas?

Eles montaram um trailer com trechos de 25 filmes, entre eles: Halloween, A Hora do Pesadelo, Super 8, Scanners, Poltergeist, A hora do Pesadelo, Alien, Gremilins, O Enigma do Outro Mundo, entre outros grandes sucessos desse universo pop da aventura, terror e suspense. Assim como a clara referência que já começa na fonte usada para a logo da série às obras literárias de Stephen King.

https://www.youtube.com/watch?v=XWxyRG_tckY

Reportagem Ana Paula Tinoco

0 1482

O Movimento de Trabalhadores Sem Terras (MST) realiza o 1º Festival Nacional de Arte e Cultura da Reforma Agrária, na capital mineira. O ato político cultural que começou ontem, 20, ocorre na praça da Estação, trazendo atrações musicais e na Serraria Souza Pinto, com mais de 160 toneladas de produtos artesanais. O festival vai até sábado, 24, e é gratuito.

O festival terá shows, feira gastronômica e literária, mostra de cinema da terra e seminários. Entre essas atrações terá o II Festival de Musica “Da luta brotam vozes de Liberdade” e a I Mostra de Poesia com o tema “Versando a Luta”. O evento tem convidados que celebram o encontro da cidade e do campo, como, Aline Calixto, Xangai e Pereira da Viola. No total serão 60 músicas e 40 poesias interpretadas nos cinco dias, sendo que 20 canções irão compor a gravação de um CD e um DVD e 20 poesias farão parte de um livro. Até o final das inscrições, em 30 de junho, foram registrados 105 canções e 195 poemas.  

27824088494_aea049d6c1_b
Foto: MST/Divulgação 1º Festival Nacional de Arte e Cultura da Reforma Agrária

Segundo Maria Raimunda César, da Frente de Educação, Cultura e Formação do MST, o evento trás a luta e a resistência de trabalhadores de todo o país.  “O festival representa o legado Sem Terra na construção da consciência humana e da libertação da classe trabalhadora, onde a produção de alimentos das áreas de assentamentos de todo o país se mistura com música, poesia, arte, pintura e artesanato. Ele também é um processo de luta e resistência que expressa nas palavras rebeldes de homens e mulheres as mazelas sociais, o atraso da política agrícola, a disputa do modelo de agricultura e o anseio por uma nova sociedade”, explica.

A praça da Estação fica localizada na Av dos Andradas, Centro e a Serraria Souza Pinto fica situada na Av. Assis Chateaubriand, 890, também no Centro de Belo Horizonte.

Texto: Amanda Eduarda