Authors Posts by editores contramao

editores contramao

781 POSTS 3 COMMENTS

0 614

Os tratamentos para dependência química sofreram diversas alterações ao decorrer dos anos, a principal delas pode ser considerada a política de Redução de Danos, que caracteriza-se como uma abordagem ao fenômeno das drogas visando minimizar danos sociais e à saúde, associados ao uso de substâncias psicoativas. A abordagem de Redução de Danos hoje, atua na perspectiva transdisciplinar de saúde, cultura, educação, assistência social, trabalho e renda, visando a garantia do cuidado e dos direitos.

Impulsionado pela política de Redução de Danos, nasceram os CAPS (Centros de Atenção Psicossocial). São mais de dois mil Centros espalhados pelo país. Em Belo Horizonte, os CAPS são também denominados CERSAMs (Centros de Referência em Saúde Mental).

Para o tratamento exclusivo de usuários de álcool e drogas, existem os CAPSad: Esse tipo de CAPS possui leitos de repouso com a finalidade exclusiva de tratamento de desintoxicação. Os CAPSad devem oferecer atendimento diário a pacientes que fazem um uso prejudicial de álcool e outras drogas, permitindo o planejamento terapêutico dentro de uma perspectiva individualizada de evolução contínua. Diferentemente de políticas anteriores, que visavam a internação dos dependentes em hospitais psiquiátricos sem qualquer avaliação especializada.

É importante salientar, que para ser atendido num CAPS pode-se procurar diretamente esse serviço, ou ser encaminhado pelo Programa de Saúde da Família ou por qualquer serviço de saúde. A pessoa pode ir sozinha ou acompanhada, devendo procurar preferencialmente, o CAPS que atende a região onde mora. O serviço é gratuito.

Em entrevista com a psicóloga Luciene Vasconcellos, gerente do CERSAMad Pampulha/BH, podemos entender melhor o caminho que o dependente percorre no Centro para sua recuperação.

* O paciente chega na ala do CERSAMad e é avaliado na enfermagem. São avaliados os dados vitais e se há alteração de pressão, se há náusea, tremor, colhendo a história clínica dele na enfermagem.

* Depois ele vai para o acolhimento e passa pelo técnico de referência, serviço que funciona com plantonistas de 7h às 13h e de 13h às 19h. Existem profissionais para avaliação de cada caso.

* O paciente pode ser atendido todos os dias, somente alguns dias do mês, ou até mesmo permanecer por um determinado período como residente diurno e noturno, dependendo de cada caso.

* Ele terá direito a alimentação, banho, leito e a medicação.

* Durante o processo o paciente terá acesso a várias atividades terapêuticas, como grupo de mulheres e homens para acolhimento, oficinas de sexualidade, rodas de conversa sobre diversos temas, oficinas de culinária, entre outros.

* Para o lazer, o paciente participa de festas internas, passeios, banhos de piscina, etc.

* Em questão de projeto social, orienta-se a eles buscar cursos ofertados por ONGs, como curso de jardinagem, pizzaiolo, padeiro, etc.

* O tempo de recuperação depende de cada usuário.

A psicóloga salienta, que sempre vê a droga do ponto de vista de “Como é a minha relação com ela. A droga pode ser várias coisas. Compulsão por diversas coisas. Tem muito de como eu uso a droga e para qual finalidade. A droga e seu significante sou eu que dou. O que eu vejo nisso, e qual a sensação que eu sinto nisso. O tratamento se dá pelo consenso. ” Sendo assim, por meio de um consenso entre paciente e especialistas, a Redução de Danos busca o tratamento e a reintegração do dependente químico à sociedade, de forma mais individualizada e eficaz.

Matéria produzida pela aluna do quarto período de jornalismo, Franciele Almeida Jardim, na disciplina de TIDIR/JOR2B

0 356

O prefeito de Belo Horizonte, Marcio Lacerda, sancionou na segunda-feira, 10, a lei nº 10.982, que proíbe bares, restaurantes, lanchonetes e similares de expor em recipientes, o sal de cozinha. O estabelecimento que não cumprir a nova regra, pode pagar multa.

A medida foi tomada a partir do projeto de lei nº 1.195/2014, do vereador, Tarcísio Caixeta (PCdoB), que diz que o excesso de sódio, pode causar hipertensão arterial.  “Qualquer ação que vise diminuir ou inibir o consumo excessivo de cloreto de sódio (sal) nos alimentos é de vital importância à saúde da população, e o objetivo deste projeto é através de uma maneira simples diminuir este consumo nos restaurantes e similares não deixando à mostra os recipientes que contenham sal, e dessa forma dificultar o consumo desnecessário do sal.”, explica Caixeta.

Os estabelecimentos podem disponibilizar o sal em sachês, desde que ele permaneça nos balcões e só entregue aos clientes quando solicitado. A multa para quem não cumprir a nova regra não foi divulgada, pois, depende da regulamentação, que deve ser feita em até 60 dias.

Segundo o presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de Minas Gerais (ABRASEL/MG), Ricardo Rodrigues, a medida além de gerar desconforto do cliente para pedir os sachês, vai gerar custo para os estabelecimentos, pois, os garçons ou atendentes vão ter que ficar andando e/ou parando outros atendimentos para atender à essas solicitações. “Sal não é droga. O cliente pode solicitar o sachê mesmo sabendo que aquilo pode fazer mal ao seu corpo. Acredito que devem investir em campanhas educativas e não em regras proibitivas.”, defende.

De acordo com a Pesquisa Nacional de Saúde (PNS), realizada em 2014, cerca de 22% da população sofre com hipertensão. Segundo a Sociedade Brasileira de Hipertensão (SBH), a hipertensão arterial ou “pressão alta” é uma doença crônica que eleva a pressão sanguínea. “A pressão se eleva por vários motivos, mas principalmente porque os vasos nos quais o sangue circula se contraem. O coração e os vasos podem ser comparados a uma torneira aberta ligada a vários esguichos. Se fecharmos a ponta dos esguichos a pressão lá dentro aumenta. O mesmo ocorre quando o coração bombeia o sangue. Se os vasos são estreitados a pressão sobe.”, explicam.

O decreto está disponível no site do Diário Oficial do Município (DOM) e foi publicado na terça-feira, 11.

Por: Amanda Eduarda

0 546
Foto Divulgação

 

  • Sérgio Mallandro

Data: de 14.10.2016 até 17.10.2016

Local: Teatro Sesiminas

Um dos artistas mais conhecidos do Brasil desde os anos 80 se reinventou criando um stand up comedy de maior sucesso do Brasil, lotando imensos teatros. Nele, Mallandro conta histórias de sua carreira e de sua vida de um jeito hilário. Nas histórias cita seu padrasto general, Xuxa, Marlene Mattos, Wagner Monte, Maradona, Jorge Benjor, Silvio Santos. Também conta como é viver e morar junto com sua ex-mulher Mary Mallandro. Sérgio promete que sou show não é só “glu glu, yeah yeah” e que tem histórias hilárias e uma boa participação do público e, ainda, que no final abre a Porta dos Desesperados.

Informações Adicionais:

6ª 21h, sábado 21h30 e dom. 18h.

https://www.teatrosesiminas.com.br

Telefone: 31 3241-7181

  • 37ª Feira Nacional de Orquídeas

Data: de 14.10.2016 até 16.10.2016

Local: Minascentro – Centro Mineiro de Promoções Israel Pinheiro

Entrada pela Rua dos Guajajaras, 1022.

Exposição de Orquídeas, cultivadas por amantes e colecionadores de orquídeas de todas as regiões do Brasil, representantes da América Latina e também da Alemanha, Portugal, Espanha e Japão. Palestras e oficinas com informações e dicas para quem quiser aprender mais sobre essas delicadas e encantadoras plantas e ainda vendas de plantas e produtos para cultivo.

Informações Adicionais:

Espaço AMO Gourmet Minas Gerais.

https://www.facebook.com/amorquidofilos?fref=ts

Entrada Franca

Promoção: Associação Mineira de Orquidófilos (AMO)

Realização: Associação Mineira de Orquidófilos (AMO)

  • Especial mês das crianças: Piquenique Literário

Data: 14.10.2016 – 14:00

Local: Centro Cultural Salgado Filho (CCSF)

Toalhas, cestas e livros de literatura ficcional e histórias em quadrinhos numa tarde agradável de leitura ao ar livre. Traga seu lanche para compartilharmos cultura e leitura.

https://www.bhfazcultura.pbh.gov.br/

Telefone: 31 3277-9625/3277-9624

Entrada Franca

  • Caçando Pokelivros

Local: Centro Cultural Venda Nova (CCVN)

Conversa sobre o jogo Pokémon Go, acompanhado da exposição de livros literários, dos quais serão identificados personagens que assumirão a condição de Pokémon, travando batalhas que deverão ser descritas por meio de contextualização, desenhos ou representação de quadrinhos.
Público: Infantil (entre 08 e 12 anos)

https://www.bhfazcultura.pbh.gov.br

Entrada Franca

  • Música Itinerante – Márcio Nagô

Data: 14.10.2016 – 21:00

Local: Cine Theatro Brasil Vallourec

O Música Itinerante recebe o cantor e compositor mineiro, Márcio Nagô. O repertório reúne além das canções gravadas nos álbuns “A Raiz do meu Samba’’ e “A Caminho do Mar’’, o lançamento da nova música “Doces Melodias”. No palco, Nagô estará acompanhado dos músicos Robert Vinicius (cavaco), Henrique Martins (violão), Júlio de Paula e Talles Bibiano (percussão). E conta com as participações especiais de Dona Jandira e Pirulito da Vila.

https://cinetheatrobrasil.com.br/

Telefone: 31 3201-5211

  • Festival No Ar Coquetel Molotov

Data: 15.10.2016

Local: CentoeQuatro

Primeira edição do festival No Ar Coquetel Molotov na capital mineira.
Palco Cine:
Pequeno Céu (BH)
Sofia Freire (PE)
Serge Erege (PI)
Mahmed (RN)
Constantina (MG)

Palco Quente:
Congo Congo (MG)
Jam da Silva (PE)
Deerhoof (EUA)
Ava Rocha (RJ)
Boogarins (GO) com part. de Vitor Brauer (MG)

Café:
Guto Lover (MG)
Catarina Dee Jah (PE)
Barulhista (MG)

Informações Adicionais:

Antes do dia de shows e atividades no CentoeQuatro, o No Ar promove prévias, oficinas e debates em outros locais em Belo Horizonte.

https://coquetelmolotov.com.br

Telefone: 31 3222-6457

  • O Topo da Montanha

Data: de 15.10.2016 até 16.10.2016

Local: Grande Teatro – Palácio das Artes

No texto original, a escritora americana Katori Hall reinventa o último dia de vida de Martin Luther King, desconstruindo histórico 4 de abril de 1968, quando o mundo se despedia do pastor protestante e ativista político que se tornou ícone por sua luta pelo amor ao próximo e pelo repúdio à segregação racial norte-americana.
O espetáculo traz ainda uma alusão ao último discurso de Luther King “I’ve been to the Mountaintop”, realizado em Memphis, na igreja de Mason, um dia antes de seu assassinato. Em um jogo misterioso de confrontos, segredos e um clima de suspense, a trama se desenrola trazendo as emoções do público à flor da pele.

Informações Adicionais:

Sábado às 20h, dom. às 19h.

https://fcs.mg.gov.br/

Telefone: 31 3236-7400

  • Transversal – Circuito de Imagens no Espaço Urbano

Data: de 15.10.2016 até 27.11.2016

Local: Parque Municipal Américo Renné Giannetti

A exposição é organizada pelo FIF – Festival Internacional de Fotografia de Belo Horizonte. Ao todo, 40 imagens estarão espalhadas pelo parque em totens de 2,5 metros de altura. Com curadoria e realização dos artistas visuais Bruno Vilela e Guilherme Cunha, idealizadores do FIF-BH, e coordenação executiva do fotógrafo Rodrigo Mendes, a exposição busca dar continuidade às reflexões críticas sobre a produção imagética e suas influências no mundo, fomentadas pelo festival bienal em 2013 e 2015.

Informações Adicionais:

O projeto Transversal – Circuito de Imagens no Espaço Urbano tem por objetivo ampliar a experiência da imagem poética inserida no corpo da cidade, atravessando suas complexidades e modelos de visualidade, passando a fazer parte do cotidiano de sua população. A iniciativa é um desdobramento do FIF – Festival Internacional de Fotografia, evento bienal que busca promover o diálogo entre a produção fotográfica de diferentes países, bem como o encontro entre fotografia e outros meios de expressão criativa.

https://transversal.fif.art.br

Entrada Franca

  • Cidade Lúdica – Roda de Conversa: A Criança e o Direito à Cidade

Data: 15.10.2016 – 10:30

Local: Sesc Palladium

Cidade Lúdica: A Criança e o Direito à Cidade encerra a programação com uma roda de conversas que discute o sentimento (ou a falta de) pertencimento das crianças em relação à cidade. Como tornar nossas cidades mais acolhedoras para estas crianças? Como minimizar o medo da rua? Como tornar a cidade mais segura e acessível a elas? No encontro, estarão presentes os integrantes do Cidade Lúdica, a psicóloga do esporte Luara Lobo, e o blog Na pracinha.

https://www.sescmg.com.br/

Telefone: 31 3270-8100

Entrada Franca

  • Pampulha Beer

Data: 15.10.2016 – 12:00

Local: Shopping Del Rey

Toda expertise do projeto Experimente e um grande leque de opções de cervejarias e restaurantes serão transportados para o Shopping Del Rey. O evento conta também com programação musical e grande variedade de cervejas artesanais.

https://www.facebook.com/Projeto.Experimente

Entrada Franca

  • Cinema Inclusivo – Com Os Olhos de Uma Criança

Data: 15.10.2016 – 13:30

Local: Teatro Francisco Nunes

O Teatro Francisco Nunes recebe neste sábado, dia 15, a partir das 13h30, a primeira edição do projeto de cinema inclusivo “Com os Olhos de uma Criança”. O evento irá promover uma tarde de lazer para crianças com necessidades especiais e suas famílias.
Entre as atrações, estão a exibição de filmes em condições especiais. As crianças terão luzes apropriadas, som mais baixo, liberdade de ir e vir e caminhar pelo espaço. Também serão feitas diversas atividades recreativas e terapêuticas, entre elas, passeios pelo Parque Municipal, musicoterapia e circuito sensorial. O evento contará com diversos voluntários de psicologia e pedagogia para auxiliar nas atividades com as crianças.

Informações Adicionais:

As inscrições são gratuitas e podem ser feitas pelo site www.sympla.com.br ou pelo aplicativo whatsapp no número (31) 99113-2568.

https://www.bhfazcultura.pbh.gov.br

Telefone: 31 3277-6325

Entrada Franca

Promoção: Suricatto, Santa Casa Faz Milagre, Fundação Municipal de Cultura

Realização: Suricatto, Santa Casa Faz Milagre, Fundação Municipal de Cultura

  • Rock no Raul

Data: 15.10.2016 – 20:00

Local: Teatro Raul Belém Machado

A Associação Multimusical – AMMUL em parceria com o Teatro Raul Belém Machado apresenta o projeto intitulado Rock no Raul, trata-se de uma iniciativa de apoiar bandas de rock autoral, consolidando a vocação musical do entorno do Teatro Raul Belém Machado. O projeto pretende criar interação entre a cultura musical desenvolvida pelos artistas com trabalhos autorais de rock.

https://www.bhfazcultura.pbh.gov.br/

Telefone: 31 3277-6437

  • Laura Catarina – Homenagem a Vander Lee

Data: 15.10.2016 – 21:00

Local: Cine Theatro Brasil Vallourec

Em homenagem à: Vander Lee com seus versos simples e melodias claras falava de amor, futebol, descrevia o dia a dia de forma magistral. Nascido em Belo Horizonte, Vander Lee, partiu prematuramente aos 50 anos de idade, mas sua obra musical poética se perenizou nas canções que os brasileiros cantam como “Esperando Aviões”, “Onde Deus Possa me Ouvir “, além de sambas bem humorados como “Galo e Cruzeiro “e “Passional”.

https://cinetheatrobrasil.com.br/

Telefone: 31 3201-5211

  • Baile das Diversas

Data: 15.10.2016 – 22:00

Local: Granfinos

A festa LGBT contará com o show de MC Carol, famosa no Brasil por defender a causa feminista e a luta contra o racismo.
O BlackTie Djs apresenta seus Dj’s trajando terno elegante e sofisticado com repertório variado preparado exclusivamente para o público do Evento. Com um Setlist irreverente e animado, promete fechar a festa com chave de Ouro.

https://www.facebook.com/granfinosbh/

Telefone: 31 3241-1482/3241-6127

  • Os Kids Mais Amados do Brasil

Data: 16.10.2016

Local: Cine Theatro Brasil Vallourec

Eles conquistaram o país cada qual com seu carisma, talento e estouraram o fofurometro elevando a audiência da Rede Globo a níveis extraordinários nos domingos de Janeiro.
As crianças que representaram Minas Gerais, na primeira e bem sucedida edição do reality musical da Rede Globo, agora estão reunidos em um projeto que está conquistando e encantando pessoas das mais diferentes idades, arrastando plateias e lotando teatros por toda Minas Gerais.
Pepê Santos, Igor Silveira, Tavinho Leoni, Madu Alvarenga, Abgail Barcelos, Leslie e Laurie e Matheus Quirino, são sem dúvida… OS KIDS MAIS AMADOS DO BRASIL.
Com estilos musicais diferentes, indo do sertanejo ao Samba e passando pelo pop nacional e internacional, estas crianças e adolescentes encantam o público, com as músicas cantadas no The Voice Kids e outros sucessos que farão você se emocionar.

Informações Adicionais:

Às 16h e às 18h.

https://cinetheatrobrasil.com.br/

Telefone: 31 3201-5211

  • “Vivendo a vida com significado” – Elizabeth Padilha

Data: 16.10.2016

Local: Sede da Brahma Kumaris – Rua Industrial José Costa, 587 – BH/MG

Elizabeth Padilha fará uma palestra com o tema: “Seja tudo o que você pode ser. Vivendo a vida com significado”.

Elizabeth foi atriz em São Francisco, na Califórnia, por 12 anos. Atuou em diversas produções, tendo interpretado a Branca de Neve no espetáculo Beach Blanket Babylon. Há 30 anos, é professora da Brahma Kumaris e coordena o centro de retiros Anubuthi, em São Francisco.
A Brahma Kumaris é uma rede de mais de 8,5 mil escolas de meditação estabelecidas em 110 países. A forma de meditação é o Raja Yoga, que busca manter um equilíbrio saudável entre o mundo exterior e o mundo interior.

https://www.facebook.com/brahmakumarisminasgerais/

Telefone: 31 3371-9802

  • Encontro de Políticas Públicas para a Dança

Data: 16.10.2016 – 09:00

Local: Sesc Palladium

Movasse e Parceiros em Cena é uma mostra de Artes Cênicas realizada pelo Coletivo Movasse que, em sua terceira edição, promoverá o 2º Encontro de Políticas Públicas para a Dança, cujo tema a ser discutido será Formação em Dança.

https://www.sescmg.com.br/

Telefone: 31 3270-8100

Entrada Franca

  • Lázaro Ramos e o ‘Caderno de Rimas de João’

Data: 16.10.2016 – 11:00

Local: Sesc Palladium

Lázaro Ramos é o convidado do projeto Palco Biblioteca, trazendo para discussão seu mais recente trabalho, inspirado em seu filho, o livro “Caderno de Rimas de João”, que reúne uma série de verbetes traduzidos de forma rimada, e, apresenta o personagem “João” como um reflexo de todas as crianças que estão em fase de alfabetização.
O menino João encanta todos os leitores com suas rimas espontâneas e várias temáticas. Segundo palavras do autor: “Esse livro é um pouco da minha vontade de explicar para o meu filho sobre as coisas do mundo, mas de maneira lúdica. Sem deixar de falar de nenhum assunto, mas em uma linguagem que ele compreenda”.

https://www.sescmg.com.br/

Telefone: 31 3270-8100

Entrada Franca

  • A menina que entra em livros

Data: 16.10.2016 – 16:00

Local: Teatro Bradesco

Com texto de Lívia Gaudêncio e direção de Juliano Barone, a peça “A menina que entra em livros” conta a história da pequena Júlia, filha única que descobre que vai ganhar um irmãozinho. Por causa disso, a menina terá que dividir seu quarto com ele. Até que o novo cômodo seja reformado, Júlia passa a dormir na biblioteca e descobre um mundo novo e sem fim de aventuras e magia que a literatura proporciona.

https://teatrobradescobh.com.br/

Telefone: 31 3516-1360

  • Noturnos Musicais – Tadeu Duarte

Data: 16.10.2016 – 19:00

Local: Fundação de Educação Artística

A série Noturnos Musicais (FEA) apresenta o pianista Tadeu Duarte em recital solo. No programa, obras de John Cage, Mozart, Villa-Lobos, Wagner e Liszt.

https://www.fundacaoeducacaoartistica.org.br

Telefone: 31 3226-6866

 

0 1702

As fitas cassetes que começaram a ser produzidas na década de 1960 pela empresa Philips, se popularizaram na década de 80, principalmente com a evolução dos aparelhos eletrônicos e o surgimento de novas mídias, como o CD (Compact Disc), e o crescimento de novos reprodutores para essas mídias, como o Walkman, o Disc Play e os famosos som “três em 1”). Hoje em dia, temos que nos adaptar a tecnologia e as novas formas de ouvir músicas, como por exemplo, os aplicativos de streaming, Spotify, Deezer, Rdio, SoundCloud, que oferecem versões free aos seus usuários.

As pessoas que vivenciaram a década de 1980 relatam que ela foi uma década de evolução tecnológica, com coisas que até então não eram tão acessíveis, como por exemplo, os aparelhos de som e o vídeo cassete. Para a artesã Gilseia Resende, de 51 anos, a década de 1980, foi um marco na vida de todos os que viveram nela: “quando eu era criança em meados da década de 1960, e principio de 1970, só conseguíamos ouvir músicas em radiolas com o som valvulado, ou então nas vitrolas, mas, não tinham muito recurso”, explica.

Ainda de acordo com Gilseia, já no começo da década, era possível notar o aparecimento de diversos aparelhos de som, com uma qualidade sonora muito melhor do que aquilo que ela vivenciava quando ela era criança, “durante esse período, começamos a ter acesso ao famoso som ‘três em um’, que já vinha acoplado toca fitas, rádio e o toca discos de vinil.”, recorda Resende.

A artesã explica que no final da de 1980, a pirataria aumentou consideravelmente: “No final da década de 1980, a pirataria cresceu muito, as pessoas já não tinham mais o hábito de comprar tantos LP´s igual se comprava antes, e as fitas eram o método mais fácil e rápido de ter acesso à música, pois começaram a surgir aparelhos de som, que tinham suporte para duas fitas cassetes, e, com isso, ocorria à cópia das fitas. Em 1988, o CD (Compact Disc), começava a se popularizar, e as vendas de LPs caíram mais ainda”, esclarece Resende.

Para ela, esse fato se deve ao preço das fitas que eram bastante caras: “Antigamente, comprávamos a fita cassete do cantor ou da banda de nossa preferência, porém, nem sempre ocorria assim, comprávamos uma fita cassete virgem, que se vendiam na grande maioria dos armazéns, e, através dessa fita, nós tínhamos o hábito de colocar um gravador de voz perto da caixa de som e repassar o áudio original; Isso fazia com que grande parte das pessoas que não tinham dinheiro para pagar o valor das fitas originais, que eram muito caras, tivessem acesso a musica de uma forma alternativa”.

Mas para uma geração seguinte, adquirir um walkman e fitas k7 ficaria mais fácil, muito devido pela ascensão do CD no fim dos anos 90. Segundo o técnico em mineração Guilherme Gomes, 29, “somente no fim dos anos 90 foi que meu pai me deu um cassete player que também era rádio, mais porque o preço já estava bem em conta na época devido a já venda do Discman”, disse Gomes.

Foto: Reprodução
Foto: Reprodução

 

Com esta chegada massiva do CD e do Discman, o preço das fitas cassete caíram fazendo com que esta nova geração se cativasse por ela, “lembro que quando eu e meus amigos íamos comprar as fitas o preço tava lá no “chão”, o que facilitou e muito gostar de música”, finaliza Gomes.

Das fitas cassetes para o streaming

Após o inicio do século, e da modernização, que veio ocorrendo após os anos 2000, os hábitos de ouvir música estão mudando, e muitos jovens dispensam o rádio tradicional e aderem ao serviço de streaming, e ouvem quando estão em trânsito e em diversos dispositivos, aproveitando ao máximo as plataformas móveis e conectadas. Eles ouvem ao longo do dia, não apenas quando se deslocam de manhã. Além disso, ouvem em momentos que compõem seu dia a dia: da academia ao deslocamento para compromissos, festas e estudo, entre outros.

O aplicativo de música streaming Spotify realizou uma pesquisa, juntamente com a empresa TNS Global, empresa líder em pesquisa, para medir o alcance e a qualidade da versão gratuita do Spotify (mantida por anúncios) ao redor do mundo. A pesquisa já foi realizada em mais de 15 países, entre eles da Europa e da América do Sul.

 A pesquisa ouviu mais de 2.000 ouvintes de música, com idades entre 15 e 65 anos, e que compõem a população online no Brasil e teve como objetivo entender um pouco mais não só sobre o usuário Spotify, mas também sobre as principais diferenças entre ele e o ouvinte de rádio. Através desta pesquisa, o aplicativo percebeu que está em uma posição única para alcançar segmentos de público que são difíceis de serem alcançados por meio das rádios comerciais.

O estudo, que foi divulgado em abril de 2016, e foi realizado na cidade de São Paulo, aponta que o Spotify possui a liderança do mercado de streaming e poderia ser considerada a quinta maior emissora de rádio de São Paulo, em termos de alcance semanal. De acordo com Celia Goldstein Sales “O principal objetivo do Spotify, ao nos unirmos à TNS na realização deste estudo foi trazer para o mercado uma comparação inédita entre canais tradicionais de rádio e serviços de música digital. Essa comparação tem como intuito ajudar os compradores de rádio a entenderem como o Spotify pode contribuir com seus planos de rádio”, explica a diretora do Spotify Brasil.

Durante a realização desse estudo, foi feita uma comparação entre os usuários de diversos aplicativos de música em streaming, e os dados são alarmantes, dos 2077 entrevistados nessa pesquisa, 22,8% afirmaram ouvir o Spotify Free, 14,2% utilizam o Deezer Free, SoundCloud 13,5% dos entrevistados, Rdio 13,4%, e Last FM 9,2%, o que nos leva a acreditar que a musica por streaming tem crescido bastante em todo o mundo.

 

Matéria produzida pelos alunos do quarto período de jornalismo, Raphael Duarte e Gustavo Horta, na disciplina de Tidir/JOR2B

Uma  das dúvidas mais recorrentes para quem está se iniciando no universo da fotografia e da produção audiovisual é: qual câmera devo comprar? Essa é uma questão que, além de envolver aspectos relativos à viabilidade financeira pessoais, deve ser desconstruída.

É comum para os fotógrafos de longa data ouvir as pessoas dizendo que o bom equipamento é “quem” faz as boas fotografias. Em resumo, por meio de um conjunto de lentes, a luz é levada até uma câmara escura. Por meio de dispositivos manejados pelo fotógrafo (ISO, Diafragma e Obturador), a luz será gravada, seja em um sensor digital ou em um filme fotográfico. A câmera, nada mais é do que a ferramenta utilizada pelo fotógrafo para registrar determinado momento, não a câmera.

O entusiasmo e a cultura de consumo que são instaurados em nossa sociedade nos faz acreditar que quanto mais caro o equipamento, melhor será a fotografia que poderá ser realizada por ele. Isso é um engano. O fator preço das marcas que estão presentes no mercado envolve uma série de questões históricas, mercadológicas, de controle de qualidade e de especulações que irão ditar seus respectivos valores.

Gustavo Miranda é jornalista, fotógrafo independente e fotojornalista freelancer, integrante do coletivo Sô Fotocoletivo, em Belo Horizonte. Para ele, o que importa na hora de comprar um novo equipamento é o propósito destinado a ele. “A qualidade de uma fotografia é determinada pela leitura da luz e da iluminação da cena. Tanto o equipamento, quanto o olhar do fotógrafo, influenciam na qualidade da fotografia. Porém, vale enfatizar que o olhar do fotógrafo é a matéria-prima para a qualidade fotográfica. De nada adianta um bom equipamento, se ele não tiver cultura fotográfica”, enfatiza.

De fato, os equipamentos mais caros possuem tecnologias e qualidade de imagem final superiores aos equipamentos com preços inferiores. Porém, isso não determina a qualidade técnica do fotógrafo: é ele quem irá fazer a fotografia, independente do equipamento que estiver usando, seja uma Pinhole de 5 reais ou uma Leica de 30 mil.

Mas afinal, qual câmera devo comprar? A resposta é, depende. A sua escolha deverá se pautar sobre a finalidade da sua fotografia. Você é uma pessoa que gosta de viajar, visitar novos lugares e quer compartilhar suas fotos com amigos? Compre um bom smartphone! Existem modelos no mercado que irão surpreender no quesito Câmera Fotográfica, além de possuir as funções básicas de um telefone celular.

Se você é uma pessoa que gosta de fotografar os amigos, os momentos diversos da vida e do seu cotidiano mas, não abre mão de praticidade, leveza e mobilidade pesquise sobre os modelos Bridge ou Superzoom, o custo benefício deles é o melhor do mercado. Agora, se você é alguém que além de adepto, é um desbravador dos segredos da fotografia, quer conhecer, experimentar e descobrir novas possibilidades (inclusive de qualidade de imagem) pesquise sobre as DSLR, modelo mais utilizado entre os profissionais.

Antes de tomar a decisão sobre qual equipamento pode ser o ideal para garantir uma primeira compra, é importante conhecer as diferentes opções que existem no mercado, bem como, suas vantagens e desvantagens; sejam elas em termos financeiros ou tecnológicos. Procure lojas, experimente as câmeras em suas mãos. Cada uma possui uma forma diferente, sinta aquela que pode deixá-lo mais confortável. Leia, pesquise, converse com fotógrafos. O mais importante, antes de realizar essa compra, é ter a plena consciência dos seus propósitos pessoais, ou profissionais, que destinará à fotografia além das condições financeiras.

Para facilitar, conheça um pouco mais sobre diferentes equipamentos fotográficos que estão presentes no mercado:

Arte 01 Arte 02

Reportagem: Lucas D’Ambrosio

0 808

A canção escrita pelo letrista Renato Russo, Clarisse, foi lançada no álbum Uma Outra Estação no século passado e, no entanto, nunca esteve mais atual. A letra, que é um protesto contra o silêncio da depressão, retrata, verso após verso, as dificuldades enfrentadas por quem luta contra a doença. Renato Russo, através de Clarisse, a personagem, fala de tristeza enraizada, falta de esperança e a morte dos sonhos, além de algumas consequências decorrentes da doença: solidão, automutilação, isolamento e o uso de medicamentos. Hoje, a depressão é conhecida como o mal do século, deixando a música da banda Legião Urbana mais viva do que nunca.

Sem ter com quem conversar, devido ao tabu que ronda o assunto, muitas pessoas desistem de lutar e optam pela morte voluntária, esta que é majoritariamente associada à depressão, e responsável por mais mortes do que as causadas pela Aids. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a cada 40 minutos alguém coloca fim à própria vida no mundo. O Brasil ocupa o 8° lugar no ranking em números, com cerca de 25 mortes voluntárias por dia.

Visando a desmistificação do tema, pacientes diagnosticados com a doença falaram sobre assuntos que vão desde a dificuldade para assumir que precisavam de ajuda até o tratamento. De acordo com a Psicóloga Raquel Assrauy, entrevistada pela equipe, a melhor forma de ajudar os pacientes e prevenir suicídios é dando-lhes oportunidade de falar como se sentem sobre o assunto.

Veja, na reportagem a seguir, os relatos de Cássia Silva*, 46, Ítalo Souza*, 23, Melissa Ferreira*, 19 anos, que lutam contra a depressão, e a entrevista com a psicóloga Raquel Assrauy, formada em psicologia pela Puc, pelo Instituto de Psicanálise e com especialização em saúde mental pelo Centro de Estudos Galba Velloso.

*Os nomes foram alterados, a pedido dos entrevistados, a fim de manter o sigilo.

depression

 

Matéria produzida pela aluna do quarto período de jornalismo,  Laryssa Xavier, na disciplina de TIDIR/JOR2BN