Authors Posts by editores contramao

editores contramao

780 POSTS 3 COMMENTS

0 819

A data foi escolhida como forma de homenagem ao jornalista Osvaldo da Silva Almeida, que nasceu dia 14 de Setembro de 1882, ele teria sido o inventor da palavra Frevo lançada em sua coluna no “Jornal Pequeno”, no dia 12 de Fevereiro, do Carnaval de 1908, em Recife .

Porém, o pesquisador Evandro Rabelo afirmou em um artigo que em 09 de Fevereiro de 1907, O Clube dos Espalhadores do Feitosa, noticiou no “Jornal Pequeno” o repertório de marchas carnavalescas com os seguintes títulos: Amorosa, O Sol, O Frevo, entre outras. Comprovando que o vocábulo já estava presente nos clubes carnavalescos.

Desde então 09 de Fevereiro, também é considerado o dia oficial do Frevo em Pernambuco, local de origem da dança.

Origem do Frevo – Uma história de amor, luta e arte.

frevo2

As últimas décadas do século XIX, e as três primeiras do século XX podem se considerar o período de estruturação do carnaval brasileiro. Nessa época, o jogo carnavalesco do entrudo foi proibido várias vezes pelos governantes do Brasil Colônia alegando que tinha espírito pertubador da ordem. Em 1857, foi decidido pelo Congresso das Sumidades Carnavalescas, que o carnaval brasileiro teria as características do carnaval europeu.

Todas as regiões do Brasil aceitaram a mudança, exceto Pernambuco, que na ocasião, iniciava um movimento contra a proibição do Governo quanto á saída dos capoeiras, chamados de desordeiros. Por conta disso Recife se transformou foco da agitação política, pregando o nacionalismo e expulsão dos portugueses, vários pernambucanos foram presos e fuzilados e quase metade do território de Pernambuco foi entregue a Bahia como castigo aos levantes contra o Império.

A medida do Governo gerou uma reação de mais confronto, os capoeiras andavam pelas ruas a procura de brigas, mas era através da dança que chamavam mais atenção. Segundo o historiador Pereira da Costa “O desfile desse pessoal era feito em moldes de verdadeiro delírio, pulando, gingando, jogando capoeira, armados de cacetes e aos gritos, desafiando adversários para a luta.”

Seriam esses capoeiras que teriam dado origem ao frevo, enquanto os passos teriam influência da quadrilha, maxixe, a polca e o dobrado, de acordo relatos dos descendentes do frevo escritos em  Marcha nº 1 do Clube Lenhadores,1903 por Juvenal Brasil.

Patrimônio

Em 2007, o frevo foi declarado como Patrimônio Imaterial do Brasil pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

No dia 05 de Dezembro de 2012, a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (Unesco) aprovou o frevo, expressão artística do carnaval do Recife, como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade. O reconhecimento ocorreu durante a 7ª Sessão do Comitê Intergovernamental para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial, na sede da Unesco, em Paris, na França.

Grupo de Dança em BH

Em Belo Horizonte o grupo Sandeiros, fundado em 1 de janeiro de 1980, é uma Companhia de danças folclóricas brasileiras considerada uma das melhores do país. O grupo disponibiliza cursos de dança gratuitos para mais de 500 pessoas por semestre. Clique aqui e saiba mais.

Texto: Gabriella Pimentel

 

0 727

Cachaça, cana, pinga, marvada, birita, aguardente, branquinha, e por aí vai, não faltam apelidos carinhosos e engraçados para nomear a famosa água que passarinho não bebe. Com mais de 5 séculos de existência, o dia 13 de Setembro foi escolhido para homenagear essa bebida que surgiu paralelamente à história do Brasil.  

De acordo com Centro Brasileiro de Referência da Cachaça, CBRC, a pinga é a terceira bebida destilada mais consumida no mundo e é o segundo produto mais lembrado quando se refere ao Brasil, perdendo apenas para o Petróleo. Grande parte desta fama, deve-se a Minas Gerais, que é a maior produtora de cachaça artesanal do Brasil.

O grupo Cúpula da Cachaça, dedicado à pesquisa e a iniciativas pela valorização da bebida, analisou textura, cheiro e sabor de diversas cachaças até chegarem em uma lista das 50 melhores cachaças do Brasil. A bebida Vale Verde, produzida em Betim (MG), alcançou o posto de primeiro lugar. Outros 29 rótulos mineiros foram selecionados, veja a lista AQUI

A fama da cachaça mineira contribuiu para a capital do estado ser conhecida pelos bares. Em comemoração ao dia de hoje, listamos abaixo algumas cachaçarias tradicionais em BH:

Ronaldo Licores & Cachaças

Avenida Augusto de Lima, 744 Loja 141

Belo Horizonte, MG 30190-001

Telefone:  31 3274-9674

 

Clube Mineiro da Cachaça
Rua Mármore, 373

Belo Horizonte, MG 31010-220

Telefone:  31 2515-7149|31 9102-9405

 

Cachaça Germana
Rua Zelinda da Silva, 19 Novo Eldorado

MG 32341-540

Telefone:  31 3426-2902|31 3426-1519

 

Butique da Cachaça
Avenida Sebastião Fernandes, 240 Shopping Premier, loja 8

Vespasiano, MG 33200-000

Telefone:  31 3621-1269

 

Adega da Pinga
Avenida do Contorno, 8675

Belo Horizonte, MG

Telefone: 31 3337-2974

 

Adega da Cachaça

Rua Arthur Alvim, 110

Belo Horizonte, MG 31035-040

Telefone:  31 3467-3511

 

Distribuidora Salinas
Rua Marquês de Maricá, 286

Belo Horizonte, MG 30350-070

Telefone:  31 3297-3177

Texto: Bruna Dias

0 527
Foto Ana Paula Tinoco

A greve que começou na última segunda-feira, 6 de setembro, já atinge 65% das agências na capital mineira. Outras 54 cidades de Minas Gerais, também, aderiram à paralisação. De acordo com o último balanço divulgado pelo Sindicato dos Bancários de BH e Região, das 753 agências, 493 fecharam no início da paralisação.

Segundo balanço dos grevistas, após uma semana de reivindicações, são 11.531 agências e 48 centros administrativos com suas atividades paralisadas. Como informou o Banco Central, no Brasil, atualmente existem 22.676 agências bancárias instaladas. E nesta terça-feira, 13 de setembro, o movimento ganhou força com mais duas cidades, que são elas: Nova Lima e Ribeirão das Neves.

O número de trabalhadores que aderiam a greve não foi divulgado, mas de acordo com o Sindicato um novo balanço deve ser divulgado ainda na tarde desta terça-feira.

Eliana Brasil, presidente da entidade, explica que bancos públicos e privados aderiam a causa e ressalta que os clientes não serão afetados, já que sem o atendimento presencial, eles podem usar canais eletrônicos e até o momento não houve atrasos ou a não realização dos serviços.

Os bancários que recusaram a proposta de reajuste de 7% apresentada pela Fenaban na sexta-feira, dia 9 de setembro, voltarão a se reunir nesta tarde, em São Paulo. Em nota, a entidade disse que “o modelo apresentado de aumento composto por abono e reajuste sobre o salário é o mais adequado para o atual momento de transição na economia brasileira, de inflação alta para uma inflação mais baixa”.

Sobre o início da greve, clique aqui.

Texto Ana Paula Tinoco

0 468

O Mercado Central de Belo Horizonte, considerado o terceiro melhor do mundo pela revista de bordo da TAM Linhas aéreas, comemorou neste 07 de Setembro, oitenta e sete anos. Ao longo deste tempo, a variedade do comércio, transpassando entre especiarias, artesanato e boêmia, deram fama ao local que é, também, cartão postal da cidade. Por entre seus vários corredores, alguns são destinados a venda de animais, e é sobre isto que esta matéria tratará.

Em Julho deste ano, foi aprovada pelo governador Fernando Pimentel a lei estadual 22.231/16 que prevê multa a quem maltrata os animais. De acordo com a lei, é considerado mal trato: privar de movimentos, deixar em local sem higiene, abandonar, aterrorizar ou molestar. Há ainda, o projeto de lei municipal 1711/15 (falta sanção do prefeito), que proíbe a entrada de animais em mercados e afins. Contudo, a comercialização de animais do Mercado Central continua.

A advogada e membra da ONG Cão Viver, Val Consolação, explica que existem outras leis de maus tratos infringidas pelo Mercado, como a lei 9.605/98 artigo 32, que trata dos maus tratos à animais domésticos, além da resolução do CFMV que proíbe animais em gaiolas, “Se o poder público resolvesse de fato fiscalizar o mercado, veria as atrocidades lá cometidas, que já são de conhecimento de toda sociedade. O Mercado Central comete crimes atrás de crimes e nunca é punido”, conclui Consolação.

A estudante, Marcelle Gouveia, conta que foi ao local apenas uma vez, ainda criança, com os pais. A experiência lhe bastou ao traumatizar-se com o corredor dos animais. “O cheiro é horrível, e os animais ficam jogados, sem serem cuidados. Depois disso eu nunca mais quis voltar lá, só de passar na porta eu lembro dos bichinhos”, conta. O empresário, Tick França, 30, observa, “As condições que os animais ficam lá são absurdas, eu os vi amontoados nas gaiolas, sem nenhuma condição de higiene. Muitas vezes são deixados sem água, e infestados de pulgas e carrapatos”.

Diante das denúncias, Val Consolação pontua: “Pessoas como eu, ligadas à causa animal há tantos anos sentem uma dor e uma tristeza imensa por existir aquele local, é uma vergonha sem tamanho! A proteção animal de Belo Horizonte tenta há anos acabar com esse comércio desumano sem sucesso. Forças escusas protegem aquele antro assassino”.

A  falta de higiene do local, somado as jaulas pequenas, além de afetar o comportamento, compromete a saúde dos animais, “Vemos animais letárgicos, sonolentos. Isso, a primeiro contato pode passar despercebido para alguns, mas quando se leva o animal em questão para casa, muitos proprietários acabam descobrindo doenças que não esperavam!”, explica a bióloga Nayara Lio, e acrescenta: “Quando alguns animais se apresentam impróprios para a venda, não é difícil imaginar que alguns vendedores devem se desfazer deles das piores maneiras possíveis”.

 

Outra questão inerente a comercialização de animais no Mercado Central, são as possíveis doenças que podem ser transmitidas para os humanos, visto que lá também são vendidos produtos alimentícios. “Manter estes animais perto de onde há comercialização de produtos alimentícios é péssimo! Muitos desses animais,silvestres principalmente, tem doenças que passam para humanos, além  dos carrapatos, que são veículo de várias doenças. É totalmente anti higiênico, não sei como a vigilância sanitária permite isto.” Comenta a estudante de biologia, Luíza Costa.

Texto: Bruna Dias

0 681
IMG_0300
Estação de reparo às bicicletas – Foto: Amanda Eduarda

Primeira estação de reparos à bicicletas é instalada em Belo Horizonte. O dispositivo, que está localizado na praça João Pessoa, conhecida por encontro de ciclistas, contém uma bomba de ar, que pode ser manuseada com os pés, chave universal, chave inglesa, saca corrente, sendo elas, ferramentas básicas para a manutenção de bicicletas. A estação foi instalada na semana passada, quarta-feira, 31, e está em fase de teste, mas a ideia é instalar nove dessas até o final do ano. 

Uma realização Bh em Ciclo, com parceria do banco Itau, a estação é para auxiliar ciclistas que passam ao local e precisam de algum reparo imediato. “Essas estações são mais um passo na direção de valorizar e incentivar quem se desloca pela cidade de bicicleta. Elas vão ajudar muitos ciclistas que às vezes passam por emergências mecânicas”, explica Edward Campos, integrante do BH em Ciclo.

IMG_0378
Ciclofaixa Av. João Pinheiro – Foto: Amanda Eduarda

Bh, que até 2015, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), registrava 1,2 milhões de veículos particulares, sem contar com os caminhões, ônibus e outros tipos de veículos, possuí uma carência enorme em faixas para ciclista, de acordo com o site da Mountain Bike, apenas a Av João Pinheiro tem ciclofaixa, e os trechos que possuem ciclovias, não são ligados, onde as pessoas acabam tendo que se deslocar em meios aos carros.

 

Mesmo com toda a dificuldade, segundo o Mobilize, o número de ciclista pela a cidade cresceu 480% em seis anos e uma das influências foi a instalação das estações de bicicletas espalhados pela capital mineira, a Bike Bh, que também tem o apoio do banco Itau. 

IMG_0347
Trânsito local – Foto: Amanda Eduarda


Dia 22 de setembro, é comemorado o “Dia Mundial Sem Carro”, uma ideia que começou na Europa, vem tomando mais visualizações a cada ano que passa. O dia é para a conscientização dos danos que um veículo causa no meio ambiente e até mesmo para saúde, pois o estresse que o trânsito causa, pode se tornar gravíssimo com o passar dos anos. Então fique atento a data e vá a pé, bike e/ou ônibus e sempre que tiver uma oportunidade, deixe o carro na garagem.

Texto: Amanda Eduarda

 

Divulgação Uol
  • A hora do Brasil

Data: de 09.09.2016 até 01.10.2016

Local: Teatro da Biblioteca Pública Estadual

500 anos de história reunidos em uma hora de espetáculo. Uma comédia sobre a história do Brasil, seis personagens típicos do nosso cotidiano recontam com muito humor a trajetória da nossa gente. Nessa epopeia cômica o protagonista é o povo. Inspirado nas tradições da comédia popular, o espetáculo mostra de forma inédita a formação do brasileiro.

Informações Adicionais:

6ª e sábado às 21h, dom. às 19h.

https://www.vaaoteatromg.com.br/

Telefone: 31 3272-7487

  • As loucas da cobertura

Data: de 09.09.2016 até 11.09.2016

Local: Teatro Nossa Senhora das Dores

Comédia que conta a história hilária de três amigas. Ivone após sua cobertura ficar pronta resolve a fazer um chá para receber suas melhores amigas, Dolores e Maísa aproveitando para apresentar seu amigo Zé está na cidade a passeio. Tudo acontece em meio à confusão de uma passeata popular, quando do nada aparece o Danilo filho adotivo da sindica reclamando algo que perdeu. Esse encontro vai acabar rendendo ótimas gargalhadas.

Informações Adicionais:

6ª e sábado às 21h, dom. às 19h.

https://www.vaaoteatromg.com.br/

Telefone: 31 3272-7487

  • 3 Anos do Museu Casa Kubitschek

Data: de 09.09.2016 até 11.09.2016

Local: Casa Kubitschek

A Casa mais charmosa da Pampulha está fazendo 3 anos.
Venham comemorar.
Este fim de semana o Museu Casa Kubitschek faz 3 anos e, para comemorar esta data, uma programação muito especial.
Dia 09/09 a partir das 17h – Show com Duo Mano a Mano
O duo formado pelo pianista Marcelo Magalhães Pinto e o saxofonista Bernardo Fabris apresenta composições próprias, clássicos da MPB, Jazz , releituras e música erudita em geral, sempre enfatizando a interação dos músicos através da improvisação.
Dia 10/09 a partir das 14h – Contação de Histórias e espetáculo de dança
14h – “Feirinha de Histórias”: cantarolando a origem das frutas brasileiras” propõe apresentações dinâmicas e interativas: contos da tradição oral, fabulosos e contos de origem sobre as frutas do Brasil são narrados por Jhê Delacroix com trilha sonora executada ao vivo por Eduardo Pinheiro. Por fim o público é convidado a saborear o cenário do espetáculo (frutas) num piquenique coletivo.
16h – Movimentos Regional e Urbano
Composição cênica construída especialmente para um local pré-definido, observando-se nele suas possibilidades estruturais e de interação artística. Distintos locais da cidade são contemplados para receber uma intervenção de dança das artistas Cibele Maia e Luciana Lanza, em que uma interferência espontânea se estabelece, utilizando o que o local – e a presença do público – oferecem como fio condutor da proposta cênica.
Dia 11/09 a partir das 15h30 – Apresentação do Festival Internacional de Corais
Ars Nova-Coral da UFMG
Camerata Lux
Coral Adorai
Coral Cantares
Coral Cantores de Jesus
Coral da Terceira Idade Lia Viana
Coral do Ministério Público de Minas Gerais
Coral St. Jude
VOZICAL – Vozes do Instituto Cultural Ad Libitum

https://www.bhfazcultura.pbh.gov.br/

Telefone: 31 3277-1586

Entrada Franca

  • Narciso deu um grito

Data: 09.09.2016 – 12:00

Local: Teatro da Assembleia

Prestes a lançar seu aguardado primeiro disco, Marcelo Veronez apresenta um espetáculo visual de grande teatralidade, com repertório composto por músicas inéditas e releituras.
Narciso deu um grito reúne composições de Milena Torres, Di Souza, LG Lopes, Gonzaguinha e Marku Ribas, entre outros grandes nomes da Música Popular Brasileira (MPB).

https://www.almg.gov.br/

Telefone: 31 2108-7826

  • Show QuinTao

Data: 09.09.2016 – 20:30

Local: Teatro da Assembleia

O show incita o público a se levantar da cadeira, dançar e cantar, como se estivessem em um aconchegante quintal. O espetáculo apresenta músicas do CD “QuinTao” com canções híbridas, misturando elementos da música latina, MPB, regional e pop. Direção de Ricardo Ulpiano. Com Ricardo Ulpiano, Léo dias, Larissa Horta, Thiago e Thiago Peixoto.

https://www.almg.gov.br/

Telefone: 31 2108-7826

Circense: Circo, Riso e Poesia

Data: 10.09.2016 – 09:30

Local: Parque Ecológico do Bairro Caiçara

O espetáculo Circense: Circo, Riso e Poesia” foi concebido para fazer o elo entre o circo tradicional e contemporâneo, o que representa a celebração da história da família Monteiro e a renovação da arte circense que vai manter viva a fascinação que brilhou os olhos das crianças e adultos do passado e assim, preservar o encanto para atrair muitas e muitas gerações.

https://www.facebook.com/oespetaculonaopodeparar2016/timeline

Telefone: 31 98648-4231 (WhatsApp)

  • Encontro de Colecionadores de Miniaturas de Carros

Data: 10.09.2016 – 14:00

Local: Xico da Carne – Cidade Nova

Além dos carrinhos personalizados, o público poderá conferir cerca de 2500 miniaturas de diversas marcas, modelos e épocas. Haverá desde os tradicionais Ferrari e Lamborghini, passando pelos carros de Fórmula 1, Fuscas, Cadilacs e Mercury, entre outros. Pequenos caminhões, carros de bombeiro, tratores, motocicletas e até cenários também estarão expostos.

https://www.xicodacarne.com.br/

Telefone: 31 3484-0038

Entrada Franca

  • Novos Baianos

Data: 10.09.2016

Local: BH Hall

A última vez que os Novos Baianos se apresentaram com a presença do quinteto da formação original – Moraes Moreira, Baby do Brasil, Pepeu Gomes, Paulinho Boca de Cantor e Luiz Galvão – foi em 1999, quando a banda encerrou a turnê do disco duplo ao vivo Infinito Circular (1997). Em 2009, eles voltaram a tocar juntos, na Virada Cultural de São Paulo, porém sem a presença de Moraes Moreira.

https://premier.ticketsforfun.com.br/

Telefone: 31 4003-5588

  • Cine Sesc – Mulheres Protagonistas

Data: de 10.09.2016 até 01.10.2016

Local: Sesc Venda Nova

O ciclo Mulheres protagonistas nos presenteia em um momento oportuno. Estamos nas pautas de discussões, muitas vezes acaloradas, sobre o papel da mulher na sociedade. Mas este não era um assunto esgotado? Já não havíamos superado as questões de empoderamento e protagonismo social, ocupação no mercado de trabalho, afetividade e sexualidade, maternidade? Provavelmente ainda tenhamos que refletir sobre esta visível ferida aberta.
O catálogo traz filmes de mulheres que se colocam a caminho e tomam as decisões sobre suas próprias vidas. Com Lulu acompanhamos a jornada da mulher para retomar sua singularidade depois de uma vida inteira dedicada à família. Da mesma forma que nos divertimos e comovemos com os sufocos enfrentados por Frances Ha e Jasmine, também podemos viajar com Clarice numa fábula misteriosa pelo universo feminino em diferentes fases da vida.

Informações Adicionais:

Todos os sábados às 15h.

https://www.sescmg.com.br/

Telefone: 31 3270-8100

Entrada Franca

  • Marisa Monte

Data: 10.09.2016 – 15:30

Local: Inhotim

Em um show que celebra a primeira década do Inhotim, Marisa Monte apresenta um repertório com canções representativas de sua carreira.

https://www.inhotim.org.br/

Telefone: 31 3571-9700

  • Sarau do Memorial – Cantando e Contando a História do Samba

Data: 11.09.2016 – 11:30

Local: Memorial Minas Gerais Vale

Por meio do projeto Resenhas Pretas no Memorial, o Casarão das Artes realizará o Sarau Cantando e Contando a História do Samba, projeto idealizado por Elzelina Dóris e que promove o desenvolvimento e o fortalecimento da identidade de crianças e adolescentes que vivem em situação de vulnerabilidade social e cultural no ambiente escolar e em outros. Na ocasião será lançada a quarta edição da revista Canjerê, editada pelo Casarão das Artes.

https://www.memorialvale.com.br/

Telefone: 31 3308-4000

Entrada Franca

  • Vegnik

Data: 11.09.2016 – 11:00

Local: Parque Municipal das Mangabeiras

O amado Parque das Mangabeiras recebe, neste domingo, um piquenique com muita saúde e amor pelos bichinhos! A 18° edição do Vegnik promete encher o parque de comidinhas saudáveis, além de integrar todos os participantes do evento, ensinando várias formas de ser vegano. O rolê acontece em frente ao viveiro de mudas.
No Vegnik a regra é simples: Todos os participantes devem levar somente comidas veganas, e se você não souber muito bem o que é isso, leve uma frutinha e lá eles te explicam tudo certinho! A finalidade do passeio é integrar e expandir a cultura da não crueldade animal.

https://www.facebook.com/events/1001440009976701/

Telefone: 31 3277-9244/3277-9697

Entrada Franca

  • Lili & Cia

Data: 10.09.2016 – 21:00

Local: Teatro Bradesco

“Lili” faz de conta que é protagonista de um programa infantil onde ela conta histórias, canta, ensina brincadeiras para o público e apresenta seus amiguinhos: Hugo (ursinho de pelúcia) Tamires (boneca amassada) com quem vive às turras, entre outros. Lili também recebe sua coleguinha Mauara (personagem de Darwin Demarch) garota de 11 anos superdesenvolvida que sofre bullying na escola e juntas lançam uma série de produtos anti bullying, como o “Despacho Kids”.

https://teatrobradescobh.com.br/

Telefone: 31 3516-1360