Casos de H1N1 antecipam vacinação em BH

Casos de H1N1 antecipam vacinação em BH

0 1176
Imagem divulgação/ Ministério da Saúde

Com sete casos confirmados da gripe H1N1, ou a Influenza A, em Belo Horizonte, cinco a mais que no ano passado nessa mesma época do ano, o Ministério da Saúde que iniciaria no dia 30 de abril a campanha de vacinação contra a gripe em toda a capital mineira, começou a imunização na rede pública na última segunda feira, 25.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte que trabalha com dados de notificações da Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), até o dia 20 de abril foram registradas na capital 315 notificações de suspeitas de Influenza, gripe causada pelo vírus H1N1, um subtipo do influenzavírus do tipo A.

A campanha, que vai até o próximo dia 20 de maio na rede pública, tem como prioridade a vacinação de crianças de seis meses a cinco anos, gestantes (independente da idade gestacional), trabalhadores de saúde, população privada de liberdade e portadores de doenças crônicas ou doenças que comprometam a imunidade.

Mesmo determinando o grupo alvo ou prioritário o Ministério Público pretende vacinar 669.260 pessoas durante o período da campanha, que em Belo Horizonte será realizado em 148 Centros de Saúde, atendendo todas as regionais da capital. Nas clínicas particulares a vacina já está disponível e segundo o Ministério da Saúde para uma maior eficácia da vacina todos devem se vacinar.

Conhecendo a doença

Influenza ou H1N1, que é mais conhecida como gripe e chegou ao Brasil em 2009, é uma doença viral, geralmente benigna,  é o resultado da combinação do vírus da gripe humano, aviário e suíno.  A infecção gerada por ela dura mais ou menos uma semana tendo um período de incubação que varia de três a cinco dias.

A doença que possui três tipos de vírus: A, B e C, com o último não possuindo nenhum impacto na saúde pública, já que ele não está relacionado com epidemias, causa apenas infecções respiratórias brandas. Os vírus A e B são os mais severos sendo o Influenza A de maior magnitude.

O vírus, que se divide em subtipos, é o respónsavel pelos A(H1N1) e A(H3N2) que são os que circulam atualmente entre os humanos. Mas, há outros vírus do Influenza A de origem aviária que também podem infectar humanos, como é o caso do A(H7N9).

A transmissão

A transmissão se dá pelo contato direto com animais ou objetos contaminados e de pessoa para pessoa, a última pode ocorrer por via aérea ou por meio de partículas de saliva e de secreções das vias respiratórias.

Os Sintomas

Os sintomas que ocorrem de maneira repentina e que são sistêmicos incluem: febre, calafrios, tremores, dor de cabeça, mialgia(dor muscular) e anorexia, assim como sintomas respiratórios como: tosse seca, dor de garganta e coriza.

Os cuidados

  • Lavar frequentemente as mãos com bastante água e sabão ou desifentá-las com produtos â base de água;
  • Jogar fora lenços descartáveis usados para cobrir a boca e nariz ao tossir ou espirrar;
  • Evitar aglomerações e contato com pessoas doentes;
  • Não levar as mãos aos olhos, boca ou nariz depois de ter tocado em objetos de uso coletivo;
  • Não compartilhar copos, talheres ou objetos de uso pessoal;
  • Procurar assistência médica caso o doente apresente sintomas que possam ser confundidos com os da infecção do vírus H1N1.

 

Por Ana Paula Tinoco

NO COMMENTS

Leave a Reply