Cotidiano

0 917

Está sendo desmontada hoje a exposição que mostrava como será o futuro Circuito Cultural da Praça da Liberdade. Agora à tarde o pavalhião que recebia a exposição na alameda central da Praça está sendo levado por um caminhão.

A exposição foi inaugarada dia 03 de agosto e permaneceria até o dia 09 de setembro, porém o prazo foi prorrogado e a exposição durou até ontem, dia 30.  Nesse tempo, ela só foi fechada no dia 24 de agosto, por causa de estragos provocados pela chuva.

0 1942

O feriado de comemoração da Independência do Brasil reuniu uma multidão de pessoas no coração da Savassi, mas não era nenhuma manifestação política. Pelo contrário, essa reunião tinha um motivo cultural: a música, mais precisamente o encerramento do Savassi Jazz Festival: Jazz & Lounge.

Essa foi a sexta vez que as ruas da Savassi substituiu o trânsito caótico pelo Festival. Mas não foram só as ruas desse bairro: alguns cafés e praças da cidade também foram invadidos pelo Jazz. O evento durou cinco dias e aconte ceu entre 3 e 7 de setembro. Segundo o site “Divirta-se uai”, 130 artistas participaram do Festival. O ingresso foi um quilo de alimento, que posteriormente será doados aos necessitados.

Confira nossa galeria.

Por: Natalia Oliveira, Ana Paula Sandim

No cruzamento das ruas Gonçalves Dias com Bahia, o Sindicato dos Auditores Fiscais da Receita Estadual (Sindifisco) protesta contra o governo de Minas. Jovens estendem uma faixa e distribuem panfletos a fim de divulgar a ação. Segundo o sindicato, o governo fezimg_00592 cortes em investimentos sociais como saúde, educação e segurança, enquanto as despesas como o  pagamento da dívida crescem. No panfleto podemos ler: “Nos últimos anos, a dívida do Estado cresceu de R$ 35 bilhões para R$ 60 bilhões e o governo, agora, faz um empréstimo de mais R$ 1 bilhão. O Centro Administrativo, projeto pessoal do governador, orçado em R$ 500 milhões em 2006, já atingiu a cifra de R$ 1,5 bilhão”.

A Assessoria de Impresa do Governo de Minas Gerais rebate as acusações e revela que o custo para a construção da Cidade Administrativa é de R$ 949 milhões, valor inferior ao que estava previsto no início da obra. Sobre os cortes nas áreas públicas, apontados pelo sindicato, o governo garante que continua mantendo os investimentos, mesmo com as perdas sentidas após a crise econômica.

por Mara Rodrigues e Hélio Monteiro

Foto: Hélio Monteiro

1 826

tempofriu-0122De acordo com o site climatempo, o tempo ficará chuvoso até quinta-feira em Belo Horizonte. Isso explica o grande número de pessoas vestidas com blusas de frio pela capital. Entretanto, com a queda da temperatura há quem se arrisque no verso. “Por mais que eu saia agasalhado, por ser um poeta, nunca me sinto agasalhado”, poetiza Bacabau de Cascobel.

por: Hélio Monteiro e Mara Rodrigues

0 778

imagem-0141

Na Rua Espírito Santo com Aimorés, na altura do número 1545, o passeio foi danificado com quatro buracos. Segundo o proprietário da banca de revista, localizada no mesmo passeio, os buracos estão perto de completar o 4° mês de aniversário e nenhuma providência foi tomada até o momento.

 

 

0 750

No último dia 14, manifestantes de vários sindicatos e grupos sociais participaram da Jornada Nacional de Lutas em Belo Horizonte. A passeata, que aconteceu em alguns estados do país, reivindicava, entre outras pautas, redução na jornada de trabalho sem diminuição salarial, protestava contra as demissões devido à crise econômica e exigia mais investimentos nas políticas sociais.

A concentração dos manifestantes aconteceu no início da tarde, na Praça da Estação. O grupo seguiu rumo à prefeitura, onde exigiram soluções para suas reivindicações. O encerramento foi por volta das 19h, na Av. João Pinheiro, onde foram impedidos de contornar a Praça da Liberdade pelo batalhão do choque da polícia militar.

A UNE também participou da passeata e fez o seu protesto em relação ao meio-passe estudantil. “Esse movimento é apenas o início de uma série que estão por vir. No dia 16 de setembro faremos outra manifestação na luta pelo meio-passe. BH é a única capital onde esse direito não existe”, disse Leonardo Péricles, diretor da UNE e estudante da UFMG.