Cultura

Em sua 16° edição, a “Casa Cor Minas Gerais” promete inovar e lançar tendências. O evento, que acontece no edifício ArcelorMittal, localizado na Avenida João Pinheiro,  próximo à Praça da Liberdade, tem para 2010 o tema “Sua Casa, Sua Vida Mais Sustentável e Feliz”, apostando na utilização de recursos naturais, sem agredir o meio ambiente.

O espaço vai contar com mais de 50 ambientes criados por decoradores, arquitetos e designers de todo o Brasil, que aceitaram o desafio de transformar um prédio comercial em um projeto audacioso e inovador. Os espaços criados misturam tecnologia e reciclagem, resultando em ambientes planejados e ecologicamente corretos.

mataria-meio
clique na foto para acessar a galeria

O evento começou dia 24 de agosto e já premiou três profissionais na categoria “Melhor Projeto Casa Cor 2010”:

1° lugar Pedro Lázar
2° lugar Myrna Porcaro
3° Lugar Ana Carolina Matos

Para quem quiser conferir os espaços “Casa Cor”, o evento permanecerá na Av. João Pinheiro, 580, Bairro Lourdes, até o dia 5 de outubro, de terça a sexta- feira, de 14h às 22h, sábado 13h às 22h e domingo 12h às 19h.

Confira vídeo da arquiteta Edwiges Cavalieri, sobre o projeto “Sala de Games”, na 16ª edição do “Casa Cor Minas Gerais”

Texto: Débora Gomes
Reportagem: Laís Sena
Imagens: Marcus Ramos

Baseada no último livro da Bíblia Sagrada, a exposição da artista Lígia Vellasco, inaugurada hoje na Biblioteca Pública Luiz Bessa, mostra a série “Apocalipse”. O livro, escrito por São João Evangelista, a partir de suas visões na ilha de Patmos, oferece uma fonte de inspiração rica, sugestiva e dramática para a artista, que trabalha a dois anos na série.

Lígia explora visualmente algumas das figuras e situações descritas no texto do Apocalipse, por exemplo, os quatro cavaleiros (peste, fome, guerra e morte), a mulher vestida de Sol, o anjo da Morte, o anjo que abre as portas do inferno ou a prostituta da Babilônia que sai do mar montada em um monstro.

As pinturas são livremente inspiradas nas visões, a partir daí, a artista trabalha com liberdade na criação das imagens. Uma das telas que chama atenção é a que retrata um grande desastre ecológico. As pinturas são fortes, sombrias, como o próprio Apocalipse.

A exposição até o dia 06 de setembro e a entrada é franca.

imagem-0011

imagem-007

imagem-010

imagem-012

Por Daniella Lages

A divertidíssima exposição My Paper Sunglasses comprova que os óculos servem não só para nos proteger dos raios ultravioleta. Na mostra, do idealizador e curador Otávio Santiago, os óculos servem também para nos “cegar às avessas”. Eles se tornam um curioso suporte de revelação.

Vários artistas de diversas áreas foram convidados por Santiago a fazer uma intervenção sobre as lentes de papel dos óculos, através das suas próprias criações.

Os óculos aparecem como painéis ou telas, e em cada uma das superfícies, um ponto de vista particular: a imagem de si mesmo que sempre quis ver, ou melhor, exibir.

O público também é convidado a experimentar os óculos, escolher um perfeito e fazer uma foto. Durante as duas primeiras intervenções de convidados, foram feitas várias fotos dos autores das criações e de quem passou para conhecer a exposição.

Um editorial também foi inspirado nas idéias apresentadas em My Paper Sunglasses. A exposição ficará na Mini Galeria, na Avenida Cristóvão Colombo, 550, até o dia 24/08.

Veja mais fotos na nossa galeria.

imagem-0261

imagem-0281

imagem-0341

imagem-040

Por Daniella Lages

Música, maquiagem, luzes e efeitos entram em cena esperando aplausos do grande público. O Centro de Cultura Belo Horizonte recebe a exposição “E as Luzes brilharam outra vez” que reuni fotografias dos espetáculos realizados durante os 12 anos do FIT (Festival internacional de teatro palco e Rua) de Belo Horizonte. Comemora-se neste momento com a exposição que passeia pelo universo teatral no espaço localizado na Rua da Bahia com Augusto de Lima.  O momento é de alegria para mais um ano de sucesso e consolidação e o público pode conferir algumas ocasiões mais que especiais durante toda a trajetória.

Com pequenas tiras de renda amarada ao monóculo e uma linha imaginaria desenhando uma cortina, painel de letras misturando o preto e branco, e uma cortina de veludo vermelha despertam os visitantes para um mundo de encanto.

Na exposição também são exibidos dois filmes curtas-metragem que apresentam as fotos do evento nas imagens em movimento. No inicio da exposição, havia sessões reservadas para apresentação dos filmes, eram exibidos no telão, mas devido à baixa procura da população, eles passaram a ser exibidos em uma TV comum.

Recentemente o Centro Cultural da Rua da Bahia passou por uma extensa reforma, e os recursos do governo para tal chegaram a atingir R$1.800,000, 00 melhorando a qualidade do espaço para que as pessoas possam usufruir dos trabalhos apresentados ali. “A população não procura, não participa, muitas pessoas já me disseram na rua que sentem vergonha de entrar aqui, a maioria (das poucas pessoas que vem) são formadas, povo mesmo não vem” conta Jefferson, estudante e monitor da exposição.

dsc_0271dsc_0268dsc_0276dsc_0283

Por Iara Fonseca e Danielle Pinheiro


O programa Tudo de Bom da apresentadora e jornalista Bianca Lages, foi às ruas da savassi para um dia de gravação. A proposta foi de que os telespectadores fizessem perguntas sobre temas, como filtro solar e troca de presentes. Segundo estagiária Juliana Siqueira, 8º período de jornalismo, essas perguntas serão respondidas por especialistas convidados a participar da gravação do programa em estúdio.

O programa além do tradicional “Receita do Dia” apresenta outros quadros como “Moda”, “Estilos”, “Decoração” e o quadro “Bate Papo”, que estava sendo gravado. Essa programação é transmitida diariamente para mais de 400 cidades do estado.

Por: Andressa Silva
João Marcelo Siqueira

Foto: João Marcelo Siqueira