Cultura

1 996

Cenários e música movimentaram a Praça da Liberdade nesta tarde. De um lado, preparações para a gravação de uma nova novela. Do outro, uma dupla sertaneja cantava para um programa.

Os mineiros Josemir e Júlio César se conheceram por meio de um amigo em comum: “Eu precisava de uma segunda voz e o Júlio se enquadrou bem no que eu procurava”, contou Josemir. Hoje, com quatro anos de carreira e um cd circulando pelos principais estados do país, Josemir e Júlio César participaram da gravação do quadro ‘Música do Cipó’ que vai ao ar todos os domingos e quintas, durante o programa ‘Viação Cipó’, apresentando novos músicos: “O programa hoje é bem procurado, principalmente por divulgar novos talentos.”, conta o apresentador Otávio di Toledo.

Enquanto isso, a produção da emissora Rede Globo ajeitava os detalhes para uma cena da nova novela que substituirá ‘Tempos Modernos’, que se passará em alguns lugares de Belo Horizonte. A Praça da Liberdade foi escolhida por representar bem a cidade, segundo o cenógrafo Luiz Cláudio Velho. As cenas serão gravadas amanhã, a partir das 11:30 e irão ao ar em maio, nos primeiros capítulos da novela.

Por: Débora Gomes e Camila Sol

Hoje na Praça da Liberdade, no mesmo dia do Santo Guerreiro, São Jorge, é comemorado o Dia do Livro e dos Direitos do Autor. Uma festa aberta e solidária é realizada há vários anos, na Praça da Liberdade, onde as pessoas trocaram livros por rosas. Porém, até as 19:00h, muitas pessoas esperavam com seus livros em mãos. Ninguém da organização do evento apareceu. Luciana Rezende e Bruna Silvia Braga chegaram às 18:00h com inúmeros exemplares de livros de literatura, didáticos, apostilas e infantis e ali permaneceram à espera da troca. O evento foi divulgado pelo Guia BH e nos jornais informativos dos ônibus de Belo Horizonte e região metropolitana.

A história de São Jorge

Padroeiro da Inglaterra, de Portugal, da Catalunha (região da Espanha que reivindica identidade nacional, onde se localiza Barcelona), dos soldados, dos escoteiros, protetor dos estabelecimentos comerciais, São Jorge é um santo muito celebrado no oriente e no ocidente. Hoje, 23 de abril é comemorado o seu dia por devotos no mundo inteiro.

A história de São Jorge é de luta e de dor. Guerreiro da Capadócia e militar do Império Romano do imperador Dioclesiano, converteu-se ao cristianismo e lutou contra as perseguições ordenadas pelo imperador. O soldado foi martirizado na Palestina no dia 23 de abril de 303, vítima da perseguição do imperador Diocleciano. Foi torturado e teve a cabeça cortada, em Nicomédia, devido a sua paixão e fé cristã.

A imagem de São Jorge, representado como cavaleiro de armadura de ferro, que luta contra o dragão está relacionada às diversas lendas criadas a seu respeito na Idade Média. A relação entre o santo e a lua viria de uma lenda antiga que acabou virando crença para muitos. Diz a tradição que as manchas apresentadas pela lua representam o milagroso santo e sua espada pronto para defender aqueles que buscam sua ajuda. Embora muitos ainda suspeitem da veracidade de sua história, a Igreja Católica reconhece a autenticidade do culto ao santo. No Brasil, o culto do santo chegou com os portugueses.

As artes, também, divulgaram amplamente a imagem do santo. Em Paris, no Museu do Louvre, há um quadro famoso de Rafael (1483-1520), intitulado “São Jorge vencedor do Dragão”. Na Itália, existem diversos quadros célebres, como o de autoria de Donatello (1386-1466). No Brasil, é celebrado em músicas de Caetano Veloso, Jorge Ben Jor e Fernanda Abreu.

Embora muitos considerem que sua história não passe de um mito e outros até mesmo acreditem que o santo tenha sido cassado pela Igreja Católica, o martírio de São Jorge e o seu culto continuam sendo reconhecidos pelo catolicismo. E foi em 1969 que a Igreja Católica tornou opcional o culto ao santo.

Por Daniella Lages

Fotos Daniella Lages

imagem-0373imagem-038

A Praça da Liberdade será tablado de diversas apresentações no fim de semana, um mix de cultura e lazer para toda a população belorizontina.

A seqüência de shows realizados no parque Municipal foi concluída com aplausos do publico e agora o palco da Conexão Vivo, aparece em outro lugar da cidade, chega a praça. Em sua 10° edição, o evento conta com parcerias do Ministério da Cultura, governo de Minas, sociedade independente da música e lei de incentivo.

Com a presença de artistas renomados como Wilson Dias, Pereira da Viola, The Jordans, Arnaldo Antunes, Edgar Scandurra, Babaya, Carlos Farias, Tanguetto, Maurício Tizumba, a Conexão Vivo realiza a primeira etapa de apresentações e oficinas culturais que alcançaram todo Brasil.

Segue abaixo a programação do evento

Praça da Liberdade – 24/04/10

15h – Wilson Dias convida Pereira da Viola (MG)
16h -The Jordans (SP)
17h – Pequeno Cidadão (Arnaldo Antunes e Edgar Scandurra – SP)

Praça da Liberdade – 25/04/10

15h – Babaya convida As Formosas e Marina Machado (MG)
16h – Carlos Farias e Lavadeiras de Almenara convidam Saulo Laranjeira (MG)
17h – Tanguetto (ARG)
18h – Maurício Tizumba (MG) convida Marco Lobo (RJ) e Gilson Silveira (Itália)

Por: Iara Fonseca

Fotos: Débora Gomes

0 850

Preparação para o vestibular 2011? É o que a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) juntamente com a Biblioteca Estadual Luiz de Bessa, iniciou esta tarde. Numa cerimônia descontraída, funcionários, diretores e usuários da biblioteca receberam kits contendo os exemplares das obras que serão indicadas ao vestibular 2011.

A UFMG realiza essas doações anualmente à biblioteca, desde 2002. Segundo a Superintendente de Bibliotecas de Minas Gerais, Áurea Eloísa Godinho, os livros serão destinados ao setor de empréstimo, com a prioridade de acesso à vestibulandos, além do Carro Biblioteca, que funciona desde o ano de 1960 levando informação e cultura aos bairros da Região Metropolitana de Belo Horizonte, com intuito de despertar o interesse pela leitura. Os livros doados foram:

– O Desertor – Silva Avarenga;

– A Carteira de Meu Tio – Joaquim Manuel de Macedo;

– Contos de Aprendiz – Carlos Drummond de Andrade;

– A Estrela Sobre – Marques Rebelo;

– O Homem e sua Hora – Mário Faustino.

O usuário pode ficar com a obra por sete dias e devido à grande procura, não há renovação . A partir do dia 28 de abril, os livros já estarão disponíveis para empréstimo.

Por: Débora Gomes e Camila Sol

2 1382

Lição de vida e bom humor são as palavras chave do livro “Na minha cadeira ou na sua?”, da publicitária Juliana Carvalho, lançado pela Editora Terceiro Nome. O livro é uma autobiografia, que traça um paralelo entre as experiências da autora antes e depois da cadeira de rodas, ressaltando as mudanças e as dificuldades que os cadeirantes enfrentam hoje no país.

A autora tem um papel atuante no movimento de pessoas com deficiência. Além de dois blogs na internet, dirigiu um curta-metragem e apresenta um programa exibido na TV Assembléia do Rio de Janeiro.

O livro de Juliana Carvalho foi lançado no Rio de Janeiro dia 08 de abril e em São Paulo dia 12. O lançamento em Minas, será hoje, às 19:30 hrs na Biblioteca Pública Luiz de Bessa.

O lançamento

post-1

Com exclusividade, Juliana Carvalho fala um pouco sobre o lançamento do livro e suas experiências. Na noite de quinta- feira (15/04) não faltaram sorrisos, amigos e um toque de perseverança e aprendizado.

Confira abaixo a entrevista:

Nas leis

Na Lei nº 7.853, de 24 de outubro de 1989, Art. 1º § 2º “As normas desta Lei visam garantir às pessoas portadoras de deficiência as ações governamentais necessárias ao seu cumprimento e das demais disposições constitucionais e legais que lhes concernem, afastadas as discriminações e os preconceitos de qualquer espécie, e entendida a matéria como obrigação nacional a cargo do Poder Público e da sociedade”

Na área das edificações: ”a adoção e a efetiva execução de normas que garantam a funcionalidade das edificações e vias públicas, que evitem ou removam os óbices às pessoas portadoras de deficiência, permitam o acesso destas os edifícios, a logradouros e a meios de transporte”.

Além de leis na área da educação, saúde, recursos humanos e edificações são necessárias mais informações à sociedade, que ainda tem alguns preconceitos. Os locais públicos não vêem os deficientes como consumidores: “Mudanças simples nas construções já contribuiria para o acesso dos deficientes” conta Renata de Oliveira.


Por Débora Gomes e Camila Sol

O encanto e magia do Natal estão presentes na Biblioteca Pública Estadual Luis Bessa. A exposição infantil originada pelo caderno Gurilândia, do Estado de Minas traz luz, bolinhas, árvores e cores da data festiva.

São crianças de 7 a 12 anos, que participaram do concurso aberto em novembro do ano passado e que, hoje, após a seleção participam da exposição “Meu olhar sobre o Natal”, na galeria de Arte Paulo Campos Guimarães. Os Pequenos fotógrafos registraram imagens nas Praças da Liberdade, da Estação, do Papa e nas escolas.

O vitorioso foi João Paulo Almeida da Costa, 11 anos, com a foto de uma bolinha pendurada na árvore que o refletia. A estudante, Roberta Bravo Leite, 25, que visitava a exposição se confessa apaixonada por fotografia e apreciou a iniciativa das crianças. “Fiquei surpresa ao saber que crianças fizeram fotos tão belas e ao mesmo tempo com aspecto profissionais”, comenta.

A exposição vai até o dia 03 de maio. As visitas acontecem de segunda a sexta-feira das 8h às 20h e, aos sábados, das 8h ao meio-dia, na Praça da Liberdade, 21, bairro Funcionários.

Por: Iara Fonseca