Dança

Por Júlia Garcia

O fim de semana em Belo Horizonte está repleto de eventos para todos os gostos. Confira hoje a agenda que o Contramão separou para você curtir o final de semana.

Sexta

Você curte uma boa micareta, com trio elétrico? Se a resposta for sim, pode separar seu abadá. Nesta sexta-feira acontece o Esquenta Bloco Vumbora, que promete preparar e animar os foliões. Com grandes atrações, o evento conta com três horas de show dos Baianeiros, DJ Alex Serra e convidados especiais. O Esquenta acontece no Espaço Meet – Porcão, a partir das 22h. A venda da entrada + copo personalizado é realizada pela plataforma Sympla.

Sábado

Quem está com saudade de uma boa folia, pode se preparar, pois Belo Horizonte vai se transformar no carnaval da Bahia. A capital mineira recebe o Bloco Vumbora. E quem comanda o bloco com muito axé baiano, são os ícones Bell Marques, Durval Lelys e o cantor Tomate. O Bloco Vumbora terá 8 horas de folia atrás do trio elétrico e acontece no Campus Buritis do Uni BH, a partir das 14h. Os ingressos podem ser adquiridos no Sympla.

E a Feira do Mineirinho recebe o Aloha Beagá. O evento conta com temática de luau e reúne grandes atrações musicais, com muito samba e pagode. Shows com Thiaguinho Lisboa, Rafael Viterbo, Serginho e grupo Reviravolta. Outro destaque será o DJ Matheus BK que promete animar a galera com hits contagiantes. O Aloha Beagá começa a partir das 15h, na Feira do Mineirinho e os ingressos estão disponíveis no Sympla.

Domingo

Domingou com dia dos pais e você poderá levar seu coroa para curtir o show de Almir Sater. Nascido em Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, Almir Sater destaca-se na cultura brasileira como um músico e compositor criador de um estilo único e original. Suas músicas dialogam com as culturas regionais fronteiriças de seu estado natal. O artista se apresenta no no Grande Teatro Cemig Palácio das Artes, às 20h30 e os ingressos podem ser adquiridos no Eventim.

Por Júlia Garcia

O fim de semana em Belo Horizonte está repleto de eventos para todos os gostos. Confira hoje a agenda que o Contramão separou para você curtir o final de semana.

Sexta

Sextou com muito agito e funk. O fenômeno do funk WS DA IGREJINHA retorna a capital mineira para seu primeiro show após uma turnê na Europa. Dono de diversos hits e mais de 100 milhões de streams, o funkeiro promete agitar a festa Se Joga! O evento acontece no Distrital, a partir das 20h. Ah, e para garantir sua presença, basta acessar o Sympla e comprar seu ingresso.

Sábado

E se você é fã de sertanejo, pode se preparar. Neste sábado acontece o Solteiro não trai, com Ana Castela e Gustavo Mioto. Além do casal sertanejo, o evento conta com a presença dos djs KVSH e DH. O Solteiro não trai, acontece na casa de show Star 415, em Nova Lima, a partir de 18h. Para garantir seu ingresso, basta acessar o site Ticket Work.

Mass, se você tá sem grana, pode ficar tranquilo. O último sábado da 44ª edição do Arraial de Belo Horizonte vai contar com a presença do cantor Gustavo Mioto, às 21h. O evento, como já dito outras vezes, acontece na Praça da Estação, e a entrada é totalmente gratuita.

Domingo

E para relaxar um pouco, no domingo você pode aproveitar as exposições de artesanato e variedades na Feira Hippie. A feira acontece aos domingos na Av. Afonso Pena, de 7h às 14h.

Para fechar o final de semana e a edição de 2023 do Arraial de Belo Horizonte, você pode curtir as últimas atrações da programação do evento. Além de aulas de forró, a Praça da Estação vai ser palco para os Barões da Pisadinha e muito mais. A entrada é gratuita e o evento começa às 16h.

Por Júlia Garcia

O fim de semana em Belo Horizonte está repleto de eventos para todos os gostos. Confira hoje a agenda que o Contramão separou para você curtir o final de semana.

Sexta

Hoje, sexta-feira, o cantor Leonardo e a dupla Bruno e Marrone, chegam a BH para a tour do Cabaré. O evento reúne a combinação de cachaça, modão e muito companheirismo. Além de presenciar um dos gigantes do sertanejo cantando, você vai presenciar muitas histórias. O show acontece no Expominas, a partir das 22h. Os ingressos estão disponíveis no Sympla.

E se você não curte sertanejo, pode aproveitar outro show. Isso porque o cantor Tiago Iorc está de volta aos palcos! A capital mineira recebe hoje a turnê “Daramô”, que leva o mesmo nome do último disco de Tiago. No repertório, o público poderá curtir os lançamentos, covers e os grandes sucessos da carreira do artista. O show acontece na Arena Hall e os portões abrem às 20h. Para comprar o ingresso, basta acessar o Sympla.

Sábado

E no sábado acontece a segunda edição do Festival Novos Encontros. O intuito do evento é proporcionar opções de lazer e acesso à cultura de forma acessível para os belorizontinos. O festival uniram vários estilos musicais, pessoas e expressões culturais. Shows com Criolo, Leci Brandão e muito mais. O evento acontece no Parque Municipal, a partir das 16h30. Para garantir seu ingresso, basta acessar o instagram @novos.encontros, que o link estará na bio.

E Belo Horizonte recebe o de pagode mais divertido do mundo. O cantor Thiaguinho está de volta na maior turnê Tardezinha da história. O show conta com muita alegria, um repertório de sucesso, bebida e muita diversão. O Tardezinha 2023 acontece no Mineirão, a partir das 14h. Para garantir os ingressos é só acessar a Bilheteria Digital. Mas corra, pois os ingressos estão esgotando!

Domingo

E no domingo você poderá curtir mais um pouco do Arraial de Belo Horizonte. O evento conta com aula de forró, show com Black Trio e apresentações de grupos de quadrilha. A entrada é gratuita e o Arraial de Belo Horizonte acontece na Praça da Estação, a partir das 17h.

Por Gustavo Meira

Festejo junino é o mais representativo da Região Sul e Sudeste do Brasil, pela valorização e respeito à cultura e às tradições.

Estamos quase no fim do período junino, mas pra quem não curtiu ainda, não tem problema, o Arraial de Belo Horizonte está pra começar. A 44ª edição contará com shows, quadrilhas e nossa culinária mineira. O evento acontece nos dias 21, 22, 23, 29 e 30 de julho e 5 e 6 de agosto, com entrada gratuita.

Concurso e premiação

Durante esses dias, mais de 40 grupos de quadrilhas irão se apresentar na Praça da Estação, no tradicional Concurso Municipal de Quadrilhas Juninas, que valem  prêmios e reconhecimento. Além dos troféus, os vencedores poderão receber entre R$5.500,00 a R$16.500,00, variando por grupo e colocação. Para avaliar as apresentações, a comissão julgadora levará em conta os seguintes quesitos: conjunto, coreografia, caracterização, marcador e casal de noivos. 

Apresentação das quadrilhas vencedoras na edição de 2022. Imagens: Belotur.

Foi assim, de forma repentina, que Sebastian fará sua estreia este no Arraial de Belo Horizonte, pelo grupo ‘Paixão Junina’. Os ensaios estão a todo o vapor desde o ano passado. São 25 minutos de dança e muitos passos para ensaiar. ‘’Ensaiamos de domingo a segunda. Estamos levando um tema incrível e a coreografia está linda. Essa reta final é de muita ansiedade e frio na barriga, mas estou bem confiante e vou dar o meu melhor. Essa época do ano é minha preferida. Sempre dancei na escola, porém nunca imaginei que um dia dançaria para milhares de pessoas e profissionalmente. Está sendo uma honra fazer parte da cultura do nosso país e deste evento’’, disse.

Apresentação das quadrilhas vencedoras na edição de 2022. Imagens: Belotur.
Atrações nacionais e locais

Além do tablado para as apresentações de quadrilha, um grande palco será montado na Praça da Estação, que receberá, nos dias 5 e 6 de agosto, as atrações nacionais Gustavo Mioto e Barões da Pisadinha. Haverá também apresentações de artistas locais. A cantora Bianca Cobbo e a dupla Bruno & Lucas se apresentarão no sábado (05/08). Já os sertanejos Pedro Netto & Matheus e Alan & Alex sobem ao palco no domingo (06/08), fechando a programação do evento, valorizando também a cena musical regional.

Gustavo Mioto se apresenta no dia 05/08. Barões da Pisadinha se apresentam no dia 06/08.

Este ano o Arraiá de Belo Horizonte, terá a participação especial do coletivo ‘Fórum Forró de Raiz de Minas Gerais’. Em todos os domingos do evento, haverá aulas de forró para os presentes. Com a presença de trios musicais, coletivos, dj’s e dançarinos. O tradicional ritmo nordestino será destaque todos os dias.  

Em coletiva de imprensa realizada na última semana (10/07), o prefeito Fuad Noman destacou que a edição deste ano será histórica, “Se depender da Prefeitura vamos ter o melhor festejo junino da história de Belo Horizonte. São 44 anos, mas este vai ficar marcado, porque é o de 2023, o ano que nós já nos libertamos, já estamos nas ruas e queremos cantar e dançar”, afirmou. 

Culinária mineira

Nem só de música e dança vive o homem, sendo assim, o evento contará com a uma Vila Gastronômica, espaço com mesas e cadeiras, iluminação e decoração para o público presente. Pratos vencedores do Concurso Prato Junino serão comercializados a preços populares no local, no intuito de promover a gastronomia mineira, reconhecida em todo o país. Como bolinho de galinhada acompanhado de creme de quiabo, sanduíche de linguiça tropeira com couve, ragu suíno com ora-pro-nóbis e polenta cremosa, dentre outras delícias. 

Para a edição de 2023, a temática da disputa será ‘O Resgate da Memória Afetiva’. Imagem: PBH.

O Arraial de Belo Horizonte é um evento que cresceu e ganhou visibilidade ao longo dos anos, fazendo com que a capital mineira fosse considerada, pelo Ministério do Turismo e pela Embratur, um dos cinco maiores destinos turísticos do período junino do país, ao lado de Bragança (PA), Campina Grande (PB), Corumbá (MS) e São Luís (MA).

0 1329

Por Eduarda Boaventura e Pedro Soares 

“A festa Dengue foi muito legal, comemorando seus 10 anos de marco, muita tradição, do vogue no Brasil, especificamente em Belo Horizonte onde que começou no nosso país. Como sempre foi bem alegre, animado, as pessoas gostam de estar ali e ver. Fico encantada com as possibilidades de improviso que as pessoas têm e como, mesmo sendo um duelo, não parece ser uma competição. É muito bonito ver a reciprocidade que as pessoas têm umas com as outras.”

Essa fala foi de Ana Clara Souza, que participou de umas das maiores referências de Ballroom no Brasil, a Dengue. Você já ouviu falar do Ballroom? E da cultura do vogue? Vogue não só da música da Madonna mas de toda uma história de luta e pertencimento. Uma comemoração por um grupo excluído que finalmente achou seu lugar em uma sociedade tão julgadora e maldosa.

De acordo com o google, a Ballroom é descrita como “um movimento político e de entretenimento que celebra a diversidade de gênero, sexualidade e raça, eventos nos quais as pessoas se reúnem e performam categorias e ganham prêmios por elas”

Criado por drag queens negras e latinas nos EUA no final da década de 80 e início da década de 90, a cultura Ballroom surgiu como meio de refúgio para pessoas que naquela época sofriam não só com a homofobia, mas também com o racismo e xenofobia. Uma personagem muito importante pela luta contra os padrões raciais no mundo da Ballroom foi a Crystal Labeija, que além de drag queen era uma mulher trans negra, que se revoltou e, criou o primeiro baile exclusivo para queens negras e foi a pioneira em fazer um ball feito por uma house.

Foto/Divulgação: Chantal Regnault/Alma Preta
Houses e Balls

Essa cultura é dividida pelas houses e as ball, onde a primeira, assim como sua tradução, são as casas dos participantes, em todos os sentidos. As houses é onde se encontra o acolhimento e pertencem a uma família, com a mesma hierarquia: mothers e fathers, principalmente nesta época em que muitos jovens eram expulsos de casa e se sentiam envergonhados pelas pessoas com quem conviviam. As balls são espaços para celebrar a beleza que tanto foi marginalizada, admirar o que era comum esconder, criando um ambiente único para aqueles que se sentiam diferentes do restante da sociedade.

Na Ballroom, não é só uma competição relacionada à moda e dança, é muito mais do que só o seu “jeito de se vestir” ou sua forma de performar, e sim de como você quer se mostrar ao mundo. Um ball é além de uma festa convencional, onde se tem as competições sendo as mais famosas o Runway (categoria de desfile), Face (rosto mais expressivo), Best Dressed (melhor caracterização) e Sex Siren (avalia a sexualidade dos participantes).


Ball Vera Verão. Foto/Divulgação: Instagram.
Dengue, umas das pioneiras na América Latina

Em 17 de junho, aconteceu o evento que foi descrito no início da reportagem, a Dengue, um fenômeno que esse ano está comemorando seu décimo evento. A festa é umas das pioneiras da cena vogue na América Latina e coloca Belo Horizonte como a capital nacional da dança em um cenário antes inimaginável. A capital mineira é referência quando se fala do Ballroom, com um crescimento forte e a cultura já sendo conhecida fora da bolha que antigamente tinha, não restringindo a quem pode assistir e enaltecer sua riqueza.   

Aqui em Belo Horizonte, a cultura Ballroom ganha vida em 2013, através desta mesma festa, que acontecia em um espaço de arte colaborativa que tem como objetivo difundir a arte contemporânea. O ‘Espaço Cultural Gruta’ pode ser chamado de berço da Ballroom em BH e fica localizado no bairro Horto.

A Dengue não é uma house, mas sim uma ball, que acontece mensalmente. Cada uma das festas tem um tema diferente, e cada edição é marcante para os participantes de formas distintas. Para Iara, de 24 anos, é considerado o nascimento de seu alter ego Amerikana.

“Eu considero que o aniversário da Amerikana é no Halloween.”

Amerikana para o Halloween da festa Eleganza. Foto: Instagram/Divulgação.

Esse foi o tema de sua primeira participação em uma categoria em uma ball, que inclusive foi coroada com a vitória.

Disputas de voguing

Com a popularização da Dengue e a expansão das disputas de voguing, dois anos depois surgiu o BH Vogue Fever, organizado pelo Trio Lipstick (Maria Teresa Moreira, Paula Zaidan e Raquel Parreira). O festival promoveu workshops com referências internacionais da dança voguing e trouxe influências diretas da ‘ballroom scene’, como é chamada em Nova York.

A organização do festival chamou a atenção de toda a comunidade vogue do Brasil e também atraiu olhares internacionais, principalmente após confirmarem a presença de Archie Burnett, conhecido como “Grandfather” da House of Ninja é considerado uma das maiores lendas do vogue mundial. Ele também é um dos responsáveis por essa cultura acontecer em BH, já que é padrinho do Trio Lipstick.

Archie foi um dos motivos do sucesso do evento, fazendo com que dançarinos de diversos lugares do Brasil e da América Latina estivessem presentes na capital do estado, que tem 42% dos eleitores conservadores. Em entrevista para o jornal O Tempo, Maria Teresa Moreira, uma das fundadoras do Trio Lipstick, comenta sobre esse grito de resistência que é a Ballroom. 

“Acho fantástico que isso aconteça logo em nosso Estado, terra da tradicional família mineira, onde ainda há muito conservadorismo. Porque o vogue é esse grito, essa vontade de se expressar e exigir respeito.”

Trio Lipstick. Paula Zaidan, Quel Parreira e Tete Moreira. Foto: Instagram/Divulgação.
Capital do vogue

Em 2019, a festa Dengue deixou de ter uma sede fixa, levando seus eventos para diversos lugares diferentes da capital mineira, como o Sesc Palladium, Galpão Cine Horto, Casa Matriz, Mineirão, Parque Municipal, Viaduto Santa Tereza, Praça da Liberdade, FIT – Festival Internacional de Teatro, Virada Cultural, entre outros. Essa descentralização da festa, somada ao sucesso do BH Vogue Fever, fez com que a cultura se expandisse cada vez mais na capital, ecoando ainda mais alto esse grito de resistência.

Após tanto sucesso nos eventos realizados aqui e ao alto nível de engajamento na comunidade brasileira, Belo Horizonte começou a ser chamada de capital do vogue. Para celebrar ainda mais esse grupo de pessoas, no mês de junho deste ano, em que a festa Dengue comemora seus dez anos de existência, o Memorial Vale anunciou a festa e uma série de programações como parte do memorial, apoiando a realização da festa e uma série de workshops e oficinas gratuitas.

Por Júlia Garcia

O fim de semana em Belo Horizonte está repleto de eventos para todos os gostos. Confira hoje a agenda que o Contramão separou para você curtir o final de semana.

Sexta

O mês de julho já se foi, mas os arraiás continuam em julho. E nesta sexta-feira você pode separar sua bota e sua camisa xadrez para a 7ª edição do Arraiá de São José. O evento está repleto de comidas típicas, quadrilhas, música ao vivo e muita diversão para toda a família. A festa, que iniciou às 16h, vai até às 22h e acontece no Pátio do Santuário São José, no centro de BH.  Se não puder ir hoje, pode ficar tranquilo, o Arraiá de São José continua no sábado e domingo. 

Se você quer terminar sua sexta-feira com bastante alegria, pode conferir o espetáculo “Aperte o play e só… ria”. Protagonizado pelos atores Kayete e Carlos Nunes, o espetáculo é uma mistura de cenas engraçadas, conduzidas com humor e inteligência. Kayete e Carlos interpretam diversos personagens no decorrer dessa hilariante história. A comédia acontece hoje, às 20h, no Teatro Raul Belém Machado. Para comprar os ingressos, basta acessar o site ou aplicativo Sympla.

Sábado

E se você é amante do rock, e quer iniciar as comemorações para o Dia Internacional do Rock, se prepare! No sábado, acontece o Rock no Parque, evento em que evidencia a força do rock em BH. O evento reúne diversas atrações, de bandas da capital mineira. Shows com: Orquestra Mineira de Rock, Putz Grilla, Banda Cianna e muito mais. Para garantir os ingressos, é só abrir o Sympla. O evento acontece no Parque Municipal, a partir de 10h. 

A partir de 16h você pode curtir o Arraiá Casa Lagoa Eventos de 2023. O evento, que é 100% open bar e open food, convida os Barões da Pisadinha e Gabi Martins como atrações. Serão oito horas de festa, com muitas comidas e bebidas. O arraiá acontece neste sábado, no espaço CASA LAGOA EVENTOS. Os ingressos estão disponíveis no Sympla

Domingo

Domingou com a 24ª Parada do Orgulho LGBT+ de BH. E o tema escolhido deste ano é  Democracia: Liberdade e direitos para todes! A luta pela democracia não deve ser seletiva. O evento acontece na Praça da Estação, a partir das onze da manhã e é totalmente gratuito. Todos, todas e todes, devem se unir, em uma voz coletiva, para combater a opressão e o preconceito.