gastronomia

0 121

Por Daniela Reis 

O concurso Comida di Buteco está a todo vapor, os bares participantes de BH buscam atrair os clientes e jurados com tira-gosto de primeira qualidade, bom atendimento e cerveja gelada! Hoje é o dia de falar do 1501 Bar, localizado no bairro Grajaú, na região oeste da capital. 

O 1501, apelidado carinhosamente pelos clientes assíduos como “15”, foi inaugurado em janeiro de 2020 com a proposta de levar boa comida, drinks diferenciados e atendimento de qualidade aos frequentadores. Essa é a primeira vez que o estabelecimento participa do concurso Comida di Buteco, como explica a proprietária, Luciana Gazire: “Somos iniciantes no festival, nossa expectativa é atrair pessoas que ainda não conhecem o bar e oferecer a melhor gastronomia e atendimento. Para a gente significa um reconhecimento do nosso trabalho”. 

O prato desenvolvido pelo 1501 é o Ragu de rabada ao vinho tinto com polenta crocante. Um mix da gastronomia de Minas. “A inspiração que queríamos delícias mineiras juntas em um prato só. Uma explosão de sabores e harmonização dos ingredientes que valorizam o nosso estado”, explica Gazire. 

Conhecendo o 1501

Com pouco mais de dois anos de portas abertas, o 1501 conta com espaço aconchegante, mesa na calçada e tira-gostos que são de comer rezando. Destaque para o joelho de porco que essa repórter aqui já experimentou! Os drinks e shots são um espetáculo à parte, as taças contam com recadinhos carinhosos e engraçados que deixam as bebidas com um ar criativo e divertido. Para os amantes de vinhos, há uma variedade de rótulos, a mesma coisa acontece com as cervejas. 

Para quem não abre mão de uma boa música, o lugar também oferece apresentações ao vivo com artistas conhecidos da boemia belorizontina. O repertório é diferenciado, passa do pop rock, ao samba e passeia pela MPB, dando espaço também para o sertanejo. 

Como grande parte dos bares, o 15 passou por momentos sombrios durante a pandemia. Mesmo com tantos obstáculos, a proprietária não desistiu, buscou unir forças com sua equipe e com os clientes fiéis e hoje participa do principal festival de BH. 

O propósito é unir pessoas, não é atoa que a proprietária e seu marido, os grandes anfitriões, fazem questão de conhecer seu público. “A essência do bar é alegria, amizade, somos uma família. Queremos que o público veja nosso bar como a segunda casa deles, se sentirem completamente à vontade!”, completa. 

Endereço:

Rua Contria, 1501 – Loja 03 | Grajaú, Belo Horizonte – MG

Telefone:

(31) 98819-0996

Horário:

Quartas, das 17h às 24h

Quintas, das 17h às 24h

Sextas, das 17h às 24h

Sábados, das 11h à 21h

Domingos, das 11h às 19h

0 101

Por Bianca Morais 

Já faz alguns anos que os ovos de Páscoa de grandes marcas, aqueles que sempre aparecem nos supermercados assim que termina o carnaval, têm divido espaço e muitas vezes até o perdido  para os artesanais. Os brindes dentro deles foram substituídos por recheios gourmet deliciosos, sem contar com o custo-benefício e apoio aos pequenos empreendedores.  

Os tempos mudaram, se antes as televisões exibiam comerciais de um ovo com personagens de desenhos “febre do momento”, fazendo com que as crianças implorassem aos pais por ele, hoje elas pouco assistem televisão. O negócio agora é TikTok, crianças e adultos se perdem mesmo nas tentações de chocolate artesanal que passam por seus feeds. 

Redes sociais são, sem dúvidas, uma das melhores formas de conquistar clientes. Através dos vídeos curtos, o vendedor pode mostrar ao público do que é capaz. Conteudos que têm viralizado nas redes mostram toda a preparação e acabam despertando aquela “água na boca” de quem irá comprar. 

Um exemplo de sucesso é o Bentô cake, um pequeno bolo decorado com frases engraçadas. A palavra da vez é criatividade, decorações personalizadas e bom humor, a chave para tornar seu negócio um sucesso. 

Recentemente os fãs da cantora americana Britney Spears foram a loucura depois que ela repostou em seu Instagram um ovo de Páscoa de uma doceria brasileira. “I really like chocolate”, disse ela em sua rede social, fazendo não apenas a felicidade dos fãs ao verem a cantora reconhecer o país, mas também a da Flakes Brazil, criadores do ovo que a pop star postou. 

Não deu outra, a empresa nomeou o produto de “Ovo Britney”, feito de casca cravejada com drazeas coloridas, recheado com brigadeiro gourmet. Flakes Brazil é uma empresa com mais de 15 mil alunos espalhados em 33 países. A empresa ganhou um publipost de aproximadamente 1 milhão de reais da princesa do pop, e tudo isso pois a criatividade daquele doce encantou Britney. 

Hora de empreender 

Para quem trabalha com chocolate artesanal, essa foi uma excelente oportunidade para investir. Segundo a Associação Brasileira da Industria de Chocolates, Amendoim e Balas (Abicad), nesse ano, a Páscoa movimentou a criação de cerca de nove mil postos de trabalho temporários. A Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) acredita que as vendas devem movimentar R$ 2,160 bilhões no varejo.  

Gabriel Mendes Neiva é formado em Ciências Econômicas pelo Centro Universitário Una, ele explica que a Páscoa é um bom momento para quem oferta bombons, chocolates e ovos obtenham uma renda extra para complementar suas necessidades. 

Segundo ele, os grandes produtores, aquelas empresas que produzem os doces em larga escala e com baixos custos, aproveitam a demanda sazonal para aumentarem os valores e terem uma margem de lucro maior, sem necessidade de agregar um valor para os produtos. 

O movimento de elevação dos preços, atraem e abrem uma janela de oportunidades para que os pequenos possam entrar no mercado e fazer a produção artesanal.  “O consumidor, querendo ou não, vai fazer a compra de alguém, ele não vai deixar de consumir, até por uma questão cultural”, comenta o economista. 

Pequenos empreendedores, grandes negócios 

Clariane Brandão, formada pelo Centro Universitário Una no curso de gastronomia começou a trabalhar na área em 2018. Seu desejo de começar a trabalho no ramo veio da tia que trabalhava com biscoitos decorados e da avó que fazia canudinhos para vender no interior.  

Sempre apaixonada e influenciada pelos vínculos familiares entrou na área da confeitaria. Durante a Páscoa suas vendas triplicam e para ela é a melhor época do ano para ganhar dinheiro.  

“O diferencial dos meus ovos são que eu só utilizo chocolate puro e todos são de cascas recheadas. Sempre crio algum sabor diferente para cada ano. São sabores que lembram os ovos que eu ganhava na minha infância”, comenta ela.  

Depois de anos trabalhando, Clariane, já garantiu sua freguesia fixa, tem consigo entes que estão com ela desde sua primeira páscoa e já viraram clientes de outras datas. A doceira garante que persistência é tudo, e que apesar das dificuldades tudo vai dar certo. “É devagar, mas as coisas vão encaminhando”, completa a confeiteira.  

Já no caso de Lorrayne Carvalho, criadora da confeitaria Maria Briguenta, ela começou a fazer, despretensiosamente, brigadeiros para vender em sua escola quando tinha apenas 14 anos. Atualmente ela trabalha em casa com bolos e doces sob encomenda em datas sazonais como Páscoa, natal e afins. Foi graças ao dinheiro extra conquistado com a venda dos doces que que ela se formou no ensino médio e na faculdade de Odontologia. 

 “Nunca tive uma loja, comecei em 2011, pelo Instagram vendo desde 2014 e apenas em 2021 eu tive uma operação no IFood”, comenta ela. 

 O início na carreira de doces veio da necessidade pela renda para arcar com os estudos, a jovem então se identificou na cozinha e a habilidade de empreender atrás dos doces. Para ela a arte de ganhar dinheiro com chocolate é saber precificar e divulgar. É nisso que ela investe, e seu diferencial está em bolos e doces de festa feitos com ingredientes de qualidade, e lindos, enchem os olhos. 

 Para ela uma das maiores dificuldades no ramo são as horas exaustivas de trabalho e o desgaste físico. “E é uma solidão as vezes, porque você está por trás das comemorações. Então enquanto tá todo mundo curtindo, você está trabalhando. Doceira não tem fim de semana nem feriado”, confessa a jovem. 

 Com clientela fixa e certa estabilidade depois de anos no ramo, Maria confessa que não é uma tarefa fácil, é preciso estar disposto a se sacrificar, não apenas na confeitaria, mas em qualquer outra área. 

 “É ótimo sim, mas tem o ônus e empreender não é fácil. Invista em estudo, principalmente de gestão financeira e de tempo. E vendas!! Venda é a alma do negócio. Mais do que doces gostosos, você tem que fazer o cliente SABER que seus doces são gostosos”, finaliza. 

 

0 86

Por Keven Souza 

Para os cristãos, a Sexta-feira da Paixão é um dia simbólico quando Jesus Cristo foi julgado, condenado e crucificado. Como tradição, nesta data os fiéis fazem jejum, tiram o dia para oração e muitos não comem carne vermelha. 

Pensando nisso, a professora de Gastronomia da Una, Rosilene Campolina, preparou uma receita especial de Mousseline de Mandioca com com Escalope de Salmão para te ajudar a substituir o famigerado bacalhau. Confira a delícia de receita!

Ingredientes

Para o salmão (ou peixe de sua preferência):

– 200g de filé de salmão (cortado em escalope)

– 1 dente de alho bem picadinho

– Flor de sal com raspas de limão e alho a gosto

– Pimenta do reino a gosto

– 20 ml de azeite

Para a mousseline de mandioca:

– 250g de mandioca crua (reserve as cascas para o chips)

– 30g de manteiga sem sal

– 100 ml de leite de coco

– 20g de queijo Minas ralado

– Sal, pimenta branca e noz-moscada a gosto

– Óleo para fritar o chips de mandioca e tempero a gosto

Para finalizar

– Mostarda de jabuticaba Sabarabuçu

– Flores, brotos e ervas comestíveis (opcional)

– Castanhas de baru do Cerrado

Modo de preparo

Antes de começar, caso prefira, dê uma olhada no passo a passo do modo de preparo através do vídeo da receita no Youtube! 

Salmão:

Temperar com a flor de sal, alho e pimenta do reino moída na hora. 

Deixar  alguns minutos e depois grelhar rapidamente (não passar demais) no azeite dos dois lados em panela quente e grossa (ou frigideira antiaderente). Reservar aquecido. 

Mousseline:

Descascar a mandioca e cortar a casca fininha para chips. Reservar.

Cozinhar a mandioca até ficar bem macia (desmanchando).

Processar reduzindo a purê ou passar numa peneira grossa. 

Dourar a manteiga e acrescentar o açafrão;

Somar a mandioca amassada e manter o fogo baixo.

Temperar com um pouco de sal, pimenta do reino branca e noz-moscada; Mexer bem;

Adicionar o leite de coco aos poucos, acelerando a mexida.

Juntar o queijo ralado e continuar mexendo;

Conferir o tempero (sal, pimenta e noz moscada); 

Deixar em ponto delicado de mousseline (mais mole).

Se precisar, coloque mais leite de coco;

Servir com o escalope de salmão. 

Para o chips de casca de mandioca:

Aquecer o óleo bem quente (160 graus);

Lavar, secar e cortar as cascas da mandioca em tirinhas bem fininhas (julienne);

Passar na farinha de rosca ou de mandioca;

Fritar rapidamente (sem queimar para não amargar) e escorrer em papel absorvente;

Para temperar: polvilhar sal misturado com açúcar de confeiteiro, pimenta do reino e canela. 

Montagem do prato

Dispor num prato bonito a mousseline e por cima o escalope de salmão;

Guarnecer com a mostarda de jabuticaba;

Decorar com ervas, brotos, flores comestíveis e castanhas de baru;

Polvilhar a flor de sal aromatizada com raspas de limão e alho;

Coroar com chips de casca de mandioca (aproveitamento total do alimento).

0 92

Por Bianca Morais

Belo Horizonte é conhecida internacionalmente como a capital dos bares, são aproximadamente 14 mil estabelecimentos espalhados pela cidade. Mineiro gosta de sentar em uma mesa de boteco, pedir uma cerveja gelada, com aquele petisco gostoso para acompanhar. 

Foi pensando nisso que em 1999, o produtor do programa Momento Gourmet da extinta Rádio Gerais, Eduardo Maya, junto ao João Guimarães, proprietário da emissora e Maria Eulália Araújo, gerente de marketing e comercial, resolveram criar um concurso entre os botecos da capital. 

Assim nasceu o “Comida di Buteco”, boteco com “u”, pois é o jeitinho mineiro de se referir a sua segunda casa. Logo em sua primeira edição no ano 2000, com somente 10 bares participantes, o evento foi um sucesso, com cerca de 5 mil votos e 30 mil pessoas que visitaram os bares participantes.  

Tido como o principal concurso do gênero no Brasil, o Comida di Buteco, além de ser uma experiência gastronômica para quem visita os bares e se delicia, é também um incentivador ao crescimento de pequenos negócios, levando a eles visibilidade.  

Em 2005, a Rádio Geraes chegou ao seu fim e o Comida di Buteco se transformou em uma empresa independente. Em 2008, o concurso passou a se expandir por todo o país, inicialmente no Rio de Janeiro, Goiânia e Salvador. Em 2010, já era um fenômeno que alcança mais cidades, no interior de minas em Ipatinga, Montes Claros, Poços de Caldas e Uberlândia, tomou também o estado de São Paulo em Campinas, Ribeirão Preto e Rio Preto.  

Atualmente, o concurso está presente em mais de 20 cidades brasileiras, depois de 2011 o evento chegou em Belém, Fortaleza, Juiz de fora, Manaus, Brasília, Curitiba, Porto Alegre, Recife, Vale do Aço, Aparecida de Goiânia e Florianópolis.  

Superação, Garra e Força 

Cantim Noir é um estabelecimento localizado na Avenida do Contorno, no Santa Efigênia, porém muito mais que um restaurante o Cantim D’or Nois é uma família. Ione Romualdo da Silva e o marido Israel Inácio Junior, criaram o lugar em abril de 2012, um bar que prometia ser muito além disso, seria um cantinho de aconchego, descontração, a casa do mineiro que remete a simplicidade. 

Vencedores do 3°lugar do Comida di Buteco em 2017 e 2021, o bar tem atrativos para vários públicos, conhecidos pelo melhor nhoque de Belo Horizonte, ganhou o concurso com seus deliciosos petiscos que atendem desde os carnívoros aos vegetarianos. 

Vegetariana há 32 anos, Ione, concorre com pratos compostos parte deles com carne e outra sem, tendo destaque pela criatividade e inclusão. Além disso, outro carro chefe do lugar são as massas italianas, os donos inclusive começaram na área gastronômica fabricando massas, na época, em 2011 eles buscaram os melhores processos e receitas, venderam muito no groupon e peixe urbano, no entanto, acabaram ganhando pouco e foi quando resolveram abrir o boteco. 

“O Cantim Noir nasceu do desemprego do meu marido, mas ao mesmo tempo nós buscamos talentos internos, toda garra, talento, fé e amor, sempre querendo oferecer o melhor”, conta Ione. 

O boteco começou na casa do casal, uma varanda grande com vista da cidade, um espaço rústico, onde se podia comer petiscos, beber uma cerveja gelada, um vinho, um chopp e comer uma massa italiana de primeira, com receitas de família. 

“É como se recebêssemos as pessoas na nossa casa. Tanto no antigo endereço, como no atual, queremos oferecer o melhor, uma boa experiência, que as pessoas saiam felizes, tudo isso supera o ganhar dinheiro”.  

Participar do Comida di Buteco sempre foi um sonho para o casal, que o perseguiu em 2014 e 2015 e quando venceram pela primeira vez em 2017 foi um marco em suas vidas.  

Durante a pandemia o Comida di Buteco apoiou os bares participantes, segundo Ione, os organizadores nunca deixaram de ligar e dar sugestões de como funcionar no isolamento, como trabalhar com o bar fechado e o funcionamento com delivery.  

“Mudamos para o novo ponto justamente na pandemia, pela distância do centro não teríamos chances, a gente já ficava escondido. Não foi fácil, nosso forte nunca foi delivery, mas contamos com o apoio da organização do concurso e também da dona do estabelecimento que nos poupou alguns aluguéis”, conta.   

O Comida di Buteco de 2021 foi uma redenção, o movimento voltou e o Cantim ainda garantiu o terceiro lugar. O Cantim Noir se nomeia gastrobar, porque não é apenas mesas postas em um restaurante, é uma energia descontraída, um local onde os clientes podem ir de bermuda e chinelo para tomar uma, ou de vestido para um jantar especial de dia dos namorados a luz de vela. 

“Somos versáteis, atendemos todos os públicos e qualquer pessoa que chegue na casa é bem-vinda. Nosso público é aquele que gosta de comida de qualidade, de sentar-se sem muvuca, independente da classe social”.  

Esse ano, o estabelicimento está concorrendo com o prato Solstício Mineiro do Cantim D’or Noir que é: Parte carne – mandioca na manteiga de garrafa com carne de sol e muçarela grelhadas ao forno. Parte vegetariana – mandioca na manteiga de garrafa e muçarela grelhadas ao forno.

Endereço:
Avenida do Contorno, 3588 | Santa Efigênia, Belo Horizonte – MG

Telefone:
(31) 9707-8090
(31) 98813-4760

Horário:
Terças, das 17h30 às 24h
Quartas, das 17h30 às 24h
Quintas, das 17h30 às 24h
Sextas, das 17h30 às 24h
Sábados, das 17h30 às 24h

0 93

Por Daniela Reis 

A Receita de hoje é especial para o outono, uma sopa cremosa de alho poró. Mas antes do passo a passo para o preparo dessa delícia, saiba sobre as propriedades desse vegetal.

O alho poró é muito utilizado na culuniária, podendo ser consumido cru ou cozido. Ele é fonte de minerais importantes, como cálcio, ferro, potássio, magnésio, zinco e cobre, que são fundamentais para a saúde da estrutura óssea, muscular e do sistema cardiovascular. Mas, além disso, ele também é fonte de vitamina C, que fortalece a imunidade, faz bem para a saúde da pele e auxilia na absorção do ferro. Já as vitaminas do complexo B são fundamentais para o sistema nervoso, cardiovascular e digestório.

Além disso, tem alto teor de fibras, ácido fólico e é antioxidante.

Agora que você já sabe os beneficios do alho poró para a saúde, vamos ao que interessa!

Sopa Cremosa de Alho Poró

Tempo: 1h
Rendimento: 4 porções
Dificuldade: fácil

Ingredientes da Sopa cremosa de alho-poró

  • 50g de bacon picado
  • 2 xícaras (chá) de alho-poró em rodelas
  • 1 cebola picada
  • 1 colher (sopa) de azeite
  • 1 cubo de caldo de galinha
  • 1 xícara (chá) de água fervente
  • 1 colher (chá) de sal
  • 1 lata de creme de leite
  • 1/2 noz-moscada ralada
  • 2 talos de alho-poró para decorar

Modo de preparo

Em uma panela, frite o bacon, a cebola e o alho-poró no azeite. Acrescente o caldo de galinha já dissolvido na água fervente.

Coloque o sal e cozinhe por mais 5 minutos. Adicione o creme de leite e a noz-moscada, cozinhando por 15 minutos em fogo baixo. Decore com talos de alho-poró e sirva.

0 476

Mostra de arte e cultura urbana acontece nos dias 26 e 27 no campus Liberdade

Por Daniela Reis

A Mostrô – Mostra de arte e cultura urbana de quem ama o que faz –  chega a sua 6ª edição de casa nova, agora ela vai acontecer na Cidade Universitária Una, na unidade Liberdade, uma vez por mês. O lançamento do evento na instituição de ensino acontece nos dias 26 e 27 de março (sábado e domingo), de 10h às 17h. O evento contará com expositores de gastronomia, artesanato, design, bem-estar e literatura. 

A feira foi idealizada pela Da Terra Marketing e Gestão Cultural, sob a direção do gestor cultural, Bosco Ladeira, que já esteve à frente de grandes eventos como: Salão do Livro Infantil e Juvenil de MG, São Paulo Fashion Week, Bienal do Livro de MG, Festival Internacional de Quadrinhos, dentre outros. Agora a Mostrô será promovida em parceria com Una, com o intuito de inspirar a economia colaborativa e conectar a cadeia produtiva, equipamentos culturais e empresas públicas e privadas. Também entram nessa parceria cultural o Museu das Minas e do Metal Gerdau/Circuito Liberdade. 

Além disso, a Mostrô tem em suas diretrizes a valorização do artesanato, da gastronomia e da cultura mineira. Todos os produtos comercializados na feira carregam consigo a mineralidade e a essência do feito à mão. De acordo com Bosco Ladeira o projeto nasceu em 2017 com a intenção de resgatar a antiga feira que ocupava a Praça da Liberdade. “Queríamos trazer de volta a essência da Feirinha da Praça, com aquela troca entre os expositores/artesãos e a valorização do artesanato”, explica. 

O evento na Una

A feira contará com cerca de 100 expositores, sendo metade no sábado (26) e a outra no domingo (27). Além da exposição e vendas de produtos, haverá apresentações culturais, espaço kids e oficinas. A entrada é gratuita e os visitantes podem trazer seus pets. 

A Una sempre busca fomentar a economia criativa dentro e fora da sala de aula. Para Danilo Simões, professor da instituição e curador gastronômico da feira, essa parceria veio para reforçar ainda mais essa essência. “A Mostrô  ajuda a desenvolver a economia  criativa e vai movimentar e dar mais vida ao campus Liberdade, criando ainda mais relacionamento e interação. Além disso, vai promover a cultura  e criar mais uma oportunidade  para que a comunidade  acadêmica  mostre seus talentos”, reforça. 

Programação cultural e oficinas

26/03 – sábado

10h às 17h – Espaço Zen (massagem com preços populares)

10h – Aula de Yoga – Magda Nascimento

12h30 às 16h30 – DJ Miss Cooller

14h – Sandra Lane – espetáculo “Kamishibai Brasil- Sombras na Palma da Mão”. 

27/03 – (domingo)

10h às 17h – Espaço Zen (massagem com preços populares)

12h30 às 17h – DJ Fê Linz 

14h – Sandra Lane – espetáculo “Kamishibai Brasil- Sombras na Palma da Mão”. 

15h às 17h – Oficina do ceramista Emivaldo Vieira – Experiência com Argila Cerâmica 

Valor participante: R$80,00 (para realizar a inscrição, basta clicar no link da bio do Instagram da Mostrô

Serviço

6ªEdição da Mostrô – 26 e 27 de março

10h às 17h

Una Liberdade – Rua da Bahia, 1746 – Lourdes – Belo Horizonte