gastronomia

0 189

*Por Daniela Reis

A receita de hoje é de Luis Felipe Castilho Assis e é uma excelente sugestão para o final de semana!

Descrição do prato: Nhoque de beterraba na manteiga de ervas acompanhado de pernil suíno e tomates sweet grape.

Quantidade de porções: 8

Tempo de preparo: 1h

Categoria: Prato Principal

Nível de dificuldade: Fácil

Ingredientes:

Nhoque de Beterraba
– 600g de beterraba cozida, sem casca e processada no mixer ou no liquidificador.
– 150g de farinha de trigo
– 130g de cebola
– 4g de alho
– Sal e pimenta a gosto
– Azeite para refogar

Manteiga de ervas
– 100g de manteiga no ponto de pomada
– 8g de alho
– 6g de salsinha
– 2g de funcho

Pernil Suíno
– 1kg de pernil suíno picado em cubos
– 20 ml de shoyu
– 8g de alho amassado
– Sal e pimenta a gosto
Para a composição
– 180g de tomate sweet grape

Passo a passo para a preparação:

Para a Manteiga de Ervas:
– Picar bem pequeno o alho e as ervas
– Misturar tudo com a manteiga
– Reserve no ponto de pomada ou na geladeira para durar mais

Para o Pernil Suino:
– Disponha o pernil em um bowl ou vasilha
– Acrescente o shoyu, o sal e a pimenta e misture bem
– Esfregue o alho picado e reserve por uns 20 minutos.
– Com um pouco de azeite, coloque o pernil em uma frigideira ja aquecida e mexa ate que esteja cozido.

Para o Nhoque de beterraba:
– Picar a cebola e o alho e refogar em uma panela funda
– Adicione a beterraba já cozida e processada e misture
– Acrescente a farinha e misture até ficar homogêneo e mais denso
– Reserve em um pote e deixe resfriar
– Povilhe farinha em uma bancada já higienizada
– Em porções pequenas, pegue a massa ja fria e modele na bancada e corte no tamanho desejado
– Esquente a água em uma panela para o cozimento
– Após a fervura da água, adicione o nhoque
– Quando o nhoque subir significa que está pronto. Retire e reserve
– Em uma frigideira acrescente a manteiga de ervas e em seguida o nhoque
– Mexa um pouco e está pronto

Junte o nhoque, o pernil e o tomate. A montagem fica por sua conta da sua criatividade! É um prato com muita cor e sabor!

 

Sobre o chef

Luis Felipe Castilho Assis é aluno do curso de Gastronomia do Centro Universitário Una. Sua paixão pela culinária começou com a avó, que o mostrou que a cozinha vai além de uma simples refeição. “Com a cozinha você se conecta com os outros, você se expressa, você cria ou relembra sentimentos e sensações. Eu posso dizer que minha maior forma de contato e aprendizado na cozinha vem das mulheres da minha vida, minhas duas avós e minha mãe. Isso me fez desde pequeno entender a importância de amar o que você faz e não ter medo de criar”, afirma Luis.

0 194
Projeto de alunos e ex-alunos da Una distribui caldo para moradores de rua nas noites frias de BH

*Por Daniela Reis 

A receita de hoje é muito especial, ela tem como ingredientes principais o amor ao próximo e a solidariedade. Esse caldo de feijão delicioso é um dos pratos servidos pelo Projeto Cativar BH aos moradores de rua da cidade. Essa iniciativa foi criada por Márcio Luiz de Carvalho Junior, aluno do curso de Gastronomia do Centro Universitário Una.

Confira abaixo a receita completa e conheça mais sobre esse projeto que está aquecendo as noites frias de muitas pessoas em Belo Horizonte.

 Caldo Solidário
Quantidade de porções: 4 de 500 ml
Tempo de preparo: aprox. 3 hs
Nível de dificuldade: fácil

Ingredientes:
– 320 g de feijão
– 200 g de linguiça calabresa
– 160 g de bacon
– 120 g de pernil suíno
– 1,5 kg de cebola branca
– 5 g de alho
– 1 maço de cheiro verde
– Sal à gosto
– 1 g de colorífico
– 1 g de folhas de louro

Passo a passo para a preparação:
1) Colocar feijão para cozinhar;
2) Cortar e picar as carnes;
3) Processar ou cortar bem pequeno o alho, cebola e cheiro verde;
4) Refogar as carnes juntamente com com os tempero;
5) Após o feijão cozido bater ele em liquidificador;
6) Adicionar o feijão ao refogado de carnes;
7) Deixar ferver até engrossar;
8) Acertar o sal (se precisar);

Observações: Cuidado ao bater o feijão pois se estiver quente pode ser perigoso. Mexer sempre para que o caldo não grude no fundo da panela.

PROJETO CATIVAR BH

O projeto fundado por Márcio Luiz de Carvalho Junior conta com 10 pessoas ativas, sendo alguns deles alunos e ex alunos da Una. O projeto não tem fins lucrativos e, é uma maneira que o idealizador encontrou para ajudar o próximo.  “Levamos um alimento preparado pela equipe, além de água, roupas e kits de higiene pessoal, qualquer pessoa pode ajudar, seja com doações, no preparo do alimento a ser ofertado, na triagem de roupas e na distribuição”, explica Márcio.

Quem tiver interesse em ajudar, basta entrar em contato através do Instagram. 

 

 

0 182
Um dos pratos do grupo Elementar - vencedor da mostra. Foto: Luísa Bonfioli

Evento aconteceu no dia 18 e contou com grandes nomes da gastronomia mineira

Por: Italo Charles 

A 9ª edição do GastroUna que aconteceu no dia 18 de junho, proporcionou aos alunos uma nova experiência. O evento que pela sua primeira vez foi totalmente online, teve transmissão via Facebook e alcançou mais de mil espectadores, incluindo internautas internacionais. A mostra acadêmica celebrou a conclusão do semestre, viabilizando o contato dos alunos com o mercado. 

De acordo com a idealizadora do GastroUna, professora Rosilene Campolina, o evento é formulado a partir do conceito de inovação e sustentabilidade. “Foi um grande desafio organizar a mostra nesse formato virtual, tendo em vista que os alunos estão habituados a participar do evento fisicamente, produzindo os pratos, recebendo o público e interagindo com o mercado. Mas, como nossa premissa básica é a inovação, buscamos sempre a renovação. Através disso, construímos o evento com parceria entre os núcleos da Una, para transmitir ao público um conteúdo sem perdas”.

Com este novo formato, os alunos dos cinco grupos participantes, apresentaram aos jurados suas propostas de empreendimento gastronômico, que incluem a idealização, gestão, logística, desenvolvimento de cardápio e o preparo dos pratos. Assim como nas edições anteriores, os discentes tiveram que apresentar seus conhecimentos de cardápios e bebidas que contêm as Pancs (plantas alimentícias não convencionais).

A bancada de jurados foi contemplada por vários nomes conhecidos da gastronomia e do turismo mineiro, como: Ana Gabriela Baêta, Carlos Henrique, Eduardo Maya, Isabela Lapa,  Márcia Nunes, Miriam Furtado, Ricardo Rodrigues e o Vice presidente acadêmico do grupo Ânima, Rodrigo Neiva. O Chef e empreendedor Eduardo Maya, que participa como jurado desde a primeira edição, fala sobre o desenvolvimento do projeto durante os anos. “Cada semestre que passa, a cada ano, cria-se uma surpresa agradável, existe uma melhora. O que mais me encanta é o que eu venho dizendo há nove anos que a gastronomia não é só ser Chef, ela vai muito além e os alunos têm entendido isso”.

O vice-presidente acadêmico do grupo Ânima, Rodrigo Neiva, que compôs a bancada de jurados pela primeira vez, ressalta que eventos como o GastroUna, são de extrema importância  para a formação  dos alunos. “Ao participar de mostras desse formato, os formandos desenvolvem competências fundamentais para um gastrônomo, que é pensar a gastronomia em um aspecto mais amplo, considerando a preparação dos profissionais para os desafios do mundo contemporâneo”.

Ainda sobre a fase preparativa para o GastroUna, o aluno Recleir Moreira conta sobre o processo.  “O maior desafio foi fazer as pessoas se sentirem conectadas ao estabelecimento, vivenciando as experiências gastronômicas oferecidas. Para que isso fosse possível, criamos o Instagram com fotos e elementos visuais, além de muitos conteúdos que ilustram nossos pratos, conceitos, ações sustentáveis e a cidade escolhida para a criação do Elementar”.

Falar sobre gastronomia é criar um elo entre a culinária e a cultura de onde está sendo produzida, gerando sensações que refletem na afetividade. A partir disso vemos o turismo como uma linha tênue. “A gastronomia é um importante indutor da atividade turística na cidade, é elemento importantíssimo, é considerada a riqueza de um povo, ela perpetua culturas. Quando a gente fala sobre eventos como esse que promovem o contato entre os acadêmicos e o mercado, contribuímos para que essa cultura seja reproduzida, contribuímos também para a elevação dos empreendimentos, pois eventos assim oportunizam a inserção dos alunos nesse mercado que é dinâmico” comentou a Diretora de Marketing da Belotur, Ana Gabriela Baêta.

Criar um Gastrobar na cidade Mariana, a partir de olhar diferenciado para a gastronomia regional com a utilização de plantas alimentícias não convencionais no cardápio e drinks autorais, garantiu ao grupo “Elementar” composto por Caio Marcini, Clareane Brandão, Daniela Galastro, Gustavo Vasconcelos, Laura Vasconcelos, Luisa Bonfioli, Michele Novaes e Reicler Moreira, a vitória na competição. “O maior aprendizado, sem dúvidas, foi o trabalho em equipe, à distância. Com toda essa experiência, chegamos a conclusão que cada um sempre tem algo a acrescentar, e que um empreendimento tem maior potencial de sucesso se for construído por uma equipe capacitada”, comentou Reicler.

O segundo lugar das batalhas ficou com o grupo “Q Harmoniza”, que apresentou a proposta de empreendimento que preza pela harmonização de suas geleias com queijos e vinhos. A representante do grupo Natália Carvalho comentou sobre sobre o aprendizado adquirido para a formação  profissional dos componentes do grupo. “Não é fácil começar um empreendimento do zero, ainda mais com uma ideia original. O processo envolve muita pesquisa, trabalho e números. E  mesmo que o produto seja bom, ele se torna inviável se não encontrarmos o seu público alvo. Tivemos um semestre para realizar esse projeto e ainda assim foi muito corrido! Foi uma experiência incrível e que levaremos para o resto de nossas vidas!”, finalliza. 

Premiação
As equipes vencedoras foram premiadas com almoço nos restaurantes Dona Lucinha e Jotapê, kits de produtos da Cristina Misk, do Chefachef com Cafés Segafredo, Cimsal Flor de Sal, vouchers para eventos no Mineirão pós-pandemia, Camisas Atlético/Cruzeiro/América e kit love wine oferecidas pela professora de Eventos Priscilla Machado, convite para participação na Feirinha Aproxima e em festejos juninos de BH, kit da Sabarabuçu, : convite para aula show no Instituto Gourmet, vouchers Assacabrasa, cursos Academia Nova Safra e certificados personalizados da Una.

 

Não assistiu ao GastroUna? Então clique no link e assista o evento completo.

 

*A matéria foi produzida sob a supervisão da jornalista Daniela Reis

0 189
Receita prática e deliciosa para fazer em casa

*Por Daniela Reis 

O prato de hoje além de delícia é muito especial! A receita foi transmitida ao vivo durante uma live produzida na edição do ExpoUna, que aconteceu na última semana. Quem apresentou essa gostosura foi o aluno do curso de Gastronomia do Centro Universitário Una, Júlio César Cândido.

O sucesso foi tanto que o Contramão não poderia deixar de compartilhar com você! A receita é simples e você pode fazer na sua casa para aquele almoço do fim de semana, afinal mesmo na quarentena a gente pode fazer uma comidinha especial.

Ahhh e para harmonizar com o prato, o chef também traz um drink ma-ra-vi-lho-so: mojito de vinho branco.

Vamos ao que interessa?

PRATO:

Arroz de abóbora e porco

INGREDIENTES:

– 500 g de arroz branco
– 200 ml de leite de coco
– 150 g de queijo meia cura
– 100 ml de vinho branco

– 3 dentes de alho
– 1 cebola
– 1 molho de cheiro verde (salsinha e cebolinha)
– ½ abóbora cabotia

– 500 g de lombo de porco
– 200 g de torresmo pré frito (pururuca)

PASSO A PASSO:

1) Tempere o lombo à gosto
2) Descascar e cortar as abóboras
3) Cozinhar as abóboras, usando as cascas na hora de cozinhar para garantir o sabor de todo vegetal
4) Refogue a carne em panela separada
5) Retirar a carne e na mesma panela vamos cozinhar o arroz
6) Retirar os pedaços de abóbora da água e amassar com garfo
7) Refogar o arroz, com alho e cebola
8) Acrescentar o vinho branco
9) Colocar água da abóbora até cobrir o arroz e deixe cozinhar
10) Quando a água secar colocar mais água de abóbora e o leite de coco
11) Quando cozido colocar a carne de porco
12) Fritar o torresmo
13) Finalizar o arroz com queijo, cheiro verde e torresmos

DRINK:

Mojito de vinho branco

INGREDIENTES:

– 500 ml água com gás
– 100 ml de vinho branco seco

– 2 unidades de limão tahiti
– Folhas de hortelã

PASSO A PASSO:

1) Cortar rodelas de limão e espremer o suco
2) Misturar na taça com açúcar
3) Colocar hortelã, gelo e as rodelas de limão
4) Colocar uma dose de vinho
5) Completar com água gasosa

COM A PALAVRA, O CHEF

“Sou Júlio César Cândido, aluno de gastronomia da faculdade Una e confeiteiro em Sr. Doces.
A live que realizei durante o expouna foi muito gratificante para mim, achava que não levava jeito com a câmera e tive um belo retorno, gostei muito das experiência com o público e de interagir com eles, fizemos uma prato rápido para que as pessoas consigam reproduzir em casa e um drink pra acompanhar”.

 

 

0 288
Receita familiar excelente para acompanhar um cafézinho

Por: Daniela Reis

A receita de hoje é uma quitanda passa de geração para geração da estudante do curso de Gastromia do Centro Universitário Una, Vanessa Grasielly. A broinha de fubá de canjica é um lanche rápido e prático para o café da manhã ou o chá da tarde.

Receita
Quantidade de porções: 16 a 20 broinhas
Tempo de preparo: 40 minutos
Categoria: Quitanda/lanche
Nível de dificuldade: fácil

Ingredientes
4 ovos;
1 copo de óleo;
1/2 copo de leite;
1 colher sopa de açúcar;
1 pitada de sal;
300g de pedacinhos de queijo em cubinhos;
300g de pedacinhos de goiabada em cubinho;
500g de fubá de canjica.

Prepração

Bater no liquidificador os ovos, óleo, leite, açúcar e sal. Despeje em uma vasilha e coloque o fubá aos poucos. Atenção: não pode ficar nem duro e nem mole.

Então coloque as colheradas no tabuleiro untado e enfarinhado. Depois pegue um pedacinho do
Queijo e um da goiabada e ponha por cima da massa. Assar em forno a 160 graus, entre 15 e 20 minutos.

Sobre a chef

Vanessa Grasielly é formada em Relações Públicas e atualmente cursa Gastronomia no Centro Universitário Una. Descobriu sua paixão pela confeitaria há um ano e meio, e a cada dia se encanta mais por essa arte de fazer delícias. “Trabalhar com confeitaria é realizar sonhos, e meu papel vem sendo eternizar esses momentos através dos meus bolos e doces. E ao me ingressar na faculdade de gastronomia percebi como essa área é incrível, cada sabor, cada descoberta, tudo vem sendo uma experiência maravilhosa, e novos caminhos vem se abrindo além da confeitaria”, afirma.

Quer saber mais sobre o trabalho da chef, siga o seu instagram.

Fique por dentro de todas as receitas e notícias do Jornal Contramão e siga também nosso Facebook e Instagram.

 

0 350

Por Daniela Reis

Para essa véspera de feriado, o Contramão, em parceria com o curso de Gastronomia do Centro Universitário Una, traz a receita de uma sobremesa especial: Panna Cotta aromatizada com cumaru, coulis de goiabada cascão e farofa de baru.

Se liga nessa delícia!

Quantidade de porções: 6 porções

Tempo de preparo: 40 min + 6h na geladeira

Categoria: Sobremesa

Nível de dificuldade: Fácil

Ingredientes:

Panna cotta

450 g de creme de leite fresco

1 g de cumaru ralado

100 g de açúcar refinado

8g de gelatina em pó incolor ( 4 folhas)

Coulis de goiabada

300 g de goiabada cascão
100 ml de água
10 ml suco de limão

Farofa de Baru

100g de castanha de baru descascada
20g de manteiga

Modo de Preparo:

Panna Cotta

1. Comece hidratando a gelatina Coloque as folhas de gelatina na água fria e as mantenha submersas por 10 a 15 minutos. Reserve.
2. Aqueça a mistura de creme de leite, açúcar e cumaru ralado.
3. Desligue o fogo, adicione as folhas e misture até que elas dissolvam
4. Coloque em 6 formas separadas e deixe 6h na geladeira para que a gelatina deixe o creme firme para ser desenformado.

Coulis de Goiabada

1. Leve ao fogo a goiabada cortada em cubos com água até derreter por completo
2. Desligue o fogo e adicione o suco de limão
3. Reserve na geladeira.

Farofa de Baru

1. Cortar o Baru finente com a faca
2. Derreter a manteiga, adicionar o baru e torrar até libere um aroma amendoado.

Com a palavra, o chef

“Minha relação com a gastronomia surgiu na infância com duas principais influências. Desde pequeno, já frequentava a Fazenda do Derrubado, que pertence a minha família há 4 gerações. Dessa forma, cresci tendo contato com a terra e com as iguarias da cozinha caipira. A criação de cordeiro, a horta orgânica e a produção de queijo me ensinaram a importância dos ingredientes desde a sua produção.Por outro lado, a descendência italiana me despertou interesse pela cultura dos meus antepassados e a paixão pela culinária que é a alma do povo italiano”. Chef Guilherme Righi @lacucinarighi – aluno do curso de Gastronomia do Centro Universitário Una.