palácio das artes

O domingo (08), marcou o terceiro dia do LUMIAR no Cine Humberto Mauro no Palácio das Artes. Com a segunda exibição das Sessões de Primeiros filmes e Mostra Competitiva Interamericana, foi possível assistir animações, documentários e ficções vindas do México, Argentina e Brasil às 14 e 18 horas. Entre os 8 filmes exibidos na Mostra Competitiva, um dos destaques foi o filme produzido por Mauricio Ferreira, Miúdo, que aborda músicas de Chico Buarque ao contar a história do casal João Pedro e João Hollanda.
O curta ganhou formato devido a um trabalho de faculdade realizado por Mauricio Ferreira e seu amigo Felipe Lovo. Eles deviam criar um produto audiovisual para ser avaliado no semestre e escolher quais seriam as disciplinas que os avaliariam, e uma dessas escolhas era a edição de som, o ponto principal que deveria ser explorado pelos universitários de Pernambuco. “O tema veio a seguir. O cinema pernambucano tem um tratamento peculiar sobre os corpos masculinos, no qual “quebra” com o clichê da construção enquanto forma dos corpos femininos dentro do cinema clássico, o que não se trata apenas de uma temática homossexual, mas sobretudo ao corpo masculino. Os dois atores, Adolfo Delvalle (paraguaio) e André Macedo (brasileiro) – e que eram casal na vida real quando gravamos o curta – tanto nos inspiraram quanto contribuíram para o desenvolvimento das personagens e do roteiro”, afirma Ferreira.

A escolha quanto as músicas de Chico Buarque, aconteceu porque o diretor é fã do cantor e via como uma oportunidade desconstruir o estigma de que as músicas feitas por Buarque embalassem apenas os relacionamentos heterossexuais. Para Ferreira, a composição de Chico Buarque aproxima a complexidade dos casais, sejam elas as orientações que forem. “Como sou um fã obstinado do músico e compositor, dei-me a liberdade de desconstruir os elementos formais das músicas e associá-las a um casal homossexual. A ideia não era erguer uma bandeira explícita sobre a questão de autoafirmação a orientação sexual, mas sim naturalizar aquela relação entre as personagens João Pedro e João Hollanda. Claro que é necessária essa luta – via audiovisual – pelo direito e liberdade da orientação sexual, porém as vezes entendo que apenas mostrar a luta pela liberdade da orientação sexual de maneira explicita, acaba por deslocar o homossexual ainda como o “outro”, cujo alguém ainda a vier a ser livre.”

As filmagens tiveram duração de cinco dias, mas não consecutivos, já que os equipamentos deveriam ser revezados com outros alunos do mesmo módulo de Ferreira. A edição e o tratamento do som também tiveram um intervalo de cinco a seis dias.
Após a apresentação do projeto em sala de aula, surgiu a necessidade do projeto não somente ser válido como avaliação. “O encontro com o Lumiar se deu dentro dessa busca por festivais universitários complacentes com o contexto de produção universitário. No mais, queríamos que o curta e o tema fosse disseminado festivais afora. Afinal estamos a um ano de completar a faculdade e já é hora de apresentarmos algo fora das paredes da Universidade. O Festival Lumiar, coincidentemente, foi o primeiro festival ao qual o inscrevi e, por sorte, foi o primeiro a seleciona-lo.” Após o LUMIAR, o curta Miúdo produzido por Ferreira, foi selecionado para outros dois festivais. “Sendo o Festival Lumiar o primeiro festival a selecionar o nosso curta, seguramente a relação da equipe com esse festival será carinhosamente mais afetiva do que com os outros festivais. Além disso, o Festival Lumiar tem o diferencial de carregar o subtítulo de Interamericano, ou seja, um reconhecimento importante para nós no que tange o circuito não só do Brasil,” finaliza.
A terça-feira (10) marcará o início da Mostra Panorama Interamericano, tendo em sua primeira exibição os filmes vindos do México e Argentina, além disso terá continuidade da Mostra Competitiva e a Retrospectiva Beto Brant, com o filme Cão sem dono.

Por Julia Guimarães

Foto: Gael Benitez

Dia de Los Muertos

11221462_10208293373639106_6878490173196784919_n
Foto: Divulgação

O Arcângelo Café promove mais uma de suas festas undergrounds, agora em especial a comemoração do Dia dos Mortos. Com rodada dupla de tequila e rabo de galo, a mesa de som é comandada pelo Dj Dáblio Slama. Ah, a festa é a fantasia e tem prêmio pra melhor!

ONDE: Arcângelo Café, no Edifício Maletta, Rua da Bahia 1148.

QUANDO: Sábado, 07/11, a partir das 20h.

QUANTO: De graça.

MAIS INFORMAÇÕES: AQUI

 

Festival Luminária

11217584_1160193717342339_271886641587935060_n
Foto: Divulgação

Já em sua segunda edição o Luminária é um festival exclusivamente colaborativo, que reúne e conecta imagem, música, pessoas e movimento, valorizando a arte como um todo e democratizando o seu fazer a partir de ações no espaço urbano. Com instalações, mini mostras de curtas, Djs e feirinha com venda de produtos artísticos.

ONDE: Museu Mineiro, Av. João Pinheiro, 342.

QUANDO: Sábado, 07/11, a partir das 12h.

QUANTO: De graça.

MAIS INFORMAÇÕES: AQUI

 

Praia da Estação Especial #FORACUNHA

12195810_486722678175987_8087567012925823749_n
Foto: Divulgação

A badalada praia da estação volta em clima de protesto, com a junção do ato contra Eduardo Cunha e o projeto de lei 5069. A concentração começa na Praça da Liberdade às 9h e desce para a Praça da Estação até 12h.

ONDE: Praça da Liberdade até Praça da Estação.

QUANDO: Domingo, 08/11, 9h.

QUANTO: De graça.

MAIS INFORMAÇÕES: AQUI

 

 

Lumiar – Festival Interamericano de Cinema Universitário

11817258_1604769893109414_2142659539107030245_n
Foto: Divulgação

Em sua segunda edição, o Lumiar, festival realizado pelo curso de Cinema e Audiovisual do Instituto de Comunicação e Artes do Centro Universitário UNA, terá exibição de filmes em diversas mostras, palestra, debate e oficinas. Oferecendo um panorama da produção universitária de diferentes países das Américas do Norte, Central, Sul e Caribe.

ONDE: Cine Humberto Mauro (Palácio das Artes – av. Afonso Pena 1.537, Centro), nas dependências do ICA|UNA (campus Liberdade – Rua da Bahia, 1.764, Lourdes), no Teatro do ICBEU (campus Liberdade – Rua da Bahia, 1.723, Lourdes) e na Benfeitoria (Rua Sapucaí, 153, Floresta).

QUANDO: 6 a 12 de novembro.

QUANTO: De graça.

MAIS INFORMAÇÕES: AQUI

 

15 Anos do Festival Internacional de Bonecos

Foto: Guto Muniz
Foto: Guto Muniz

Em comemoração a 15ª edição do evento, Guto Muniz, fotógrafo oficial do Festival, propõe uma exposição fotográfica retrospectiva. Com duzentos e cinquenta fotografias em alto acabamento, que resgatam todos os espetáculos que se apresentaram, reafirmando assim, a grande abrangência do festival.

ONDE: Centro Cultural Banco do Brasil (Praça da Liberdade, 450 – Funcionários).

QUANDO: 4 a 22 de novembro.

QUANTO: De graça.

MAIS INFORMAÇÕES: AQUI

 

 

 

Após a campanha Outubro Rosa de prevenção do câncer de mama, agora é a vez de Belo Horizonte ficar azul. Novembro já começou, e com ele teve início a maior ação do país para conscientização e incentivo contra o câncer de próstata: o Novembro Azul, iniciativa do Instituto Lado a Lado pela Vida junto à Sociedade Brasileira de Urologia (SBU).

Um estudo realizado este ano, 2015, pela SBU, apontou que 51% dos homens nunca consultaram um Urologista. O câncer de próstata é a doença mais prevalente nos homens e tem estimativa de 69 mil novos casos ao ano. A doença não tem prevenção, no entanto, seu diagnóstico precoce é essencial para o tratamento curativo.

A próstata é uma glândula que só o homem possui, localizada na parte baixa do abdômen. Situa-se logo abaixo da bexiga e à frente do reto. A próstata envolve a porção inicial da uretra, tubo pelo qual a urina armazenada na bexiga é eliminada. Ela produz cerca de 70% do sêmen, e representa um papel fundamental na fertilidade masculina.

Segundo o presidente da SBU, Carlos Corradi, atualmente, ao descobrir-se o câncer de próstata, é possível avaliar sua agressividade. “Nos últimos anos, estudos de imagem realizados em biópsias dos tumores possibilitam individualizar a doença e determinar o melhor tratamento para aquele caso”, afirma Corradi.

De acordo com a SBU, o objetivo do Novembro Azul, no entanto, é diagnosticar casos no início, quando as chances de cura beiram 90%.

Fatores de risco

  • Idade (cerca de 62% dos casos são de homens a partir dos 65 anos)
  • Histórico familiar
  • Raça (maior incidência entre os negros)
  • Alimentação inadequada, à base de gordura animal e deficiente em frutas, verduras, legumes e grãos
  • Sedentarismo
  • Obesidade

Sintomas (só aparecem nos casos avançados)

  • Vontade de urinar com urgência
  • Dificuldade para urinar
  • Levantar-se várias vezes à noite para ir ao banheiro
  • Dor óssea
  • Queda do estado geral
  • Insuficiência renal
  • Dores fortes no corpo

Estão sendo realizadas ações em todos os estados brasileiros, que contemplam a iluminação de pontos turísticos e monumentos, palestras informativas para leigos e intervenções em locais de grande circulação. O azul já é destaque no Circuito Cultural Praça da Liberdade.

Texto e Fotos: Victor Barboza

Foto: Gabriel Peixoto

Já é fim de mês e você ainda quer se divertir no final de semana mas a grana está curta? Relaxa, pois preparamos uma lista com eventos que vão caber no seu bolso.

 

Beija, beija. Tá calor, tá calor

beija

A casa noturna Royalty Club abre as portas amanhã para uma festa na rua. O Beija, beija. Tá calor, tá calor ocorre do lado de fora “com muitas brasilidades, pop, disco, flashbacks, 90’s, 80’s e trilhas de novelas”.

 

ONDE: Rua Sergipe, 1493 – Savassi

QUANDO: Sábado, 24, a partir das 20h.

QUANTO: De graça.

MAIS INFORMAÇÕES: AQUI

 

Happy Hour da Autêntica

autent

Ainda na Savassi, a casa A Autêntica recebe o “novinho” Fábio de Carvalho, de 17 anos, músico do cenário underground mineiro. “É ao ar livre, a cerveja é gelada e o preço é o de sempre: o quanto quiser! De R$0,00 até R$infinito,00!”

 

ONDE: Rua Alagoas, 1172 – Savassi

QUANDO: Hoje, a partir das 18h.

QUANTO: Você decide.

MAIS INFORMAÇÕES:  AQUI

 

Rock de 1 real

rock

Aumentando, um pouco, o preço da diversão, você ainda pode aproveitar a noite de sábado no Mercado das Borboletas no Rock de 1 real. A festa começa às 22h e é eclético: “De Mc Delano a Strokes, de bagaceiras aos clássicos (da balada, claro), de hits antigos a hits atuais, você vai ouvir de tudo (MESMO) que te fizer dançar e cantar!”.

 

ONDE:  Avenida Olegário Maciel, 742

QUANDO: Sábado, a partir das 22h.

QUANTO: R$ 1,00 para ESTUDANTES que confirmarem presença no evento (ou mandarem nome no mural) até 01:00.

– R$ 2,00 Para não estudantes até 01:00 que confirmarem presença no evento (ou mandarem nome no mural) até 01:00

– R$ 20,00 Após 01:00 ou sem nome na lista

MAIS INFORMAÇÕES: AQUI 

 

Memórias de um Cão

Divulgação
Divulgação

Do dia 24 a 31 Memórias de um Cão peça que surgiu do estudo da obra de Machado de Assis, estará em cartaz no Sesc Palladium. Com horários de 17h e 21h, a obra conta a história de Rubião, um mestre-escola interiorano que, às vésperas da abolição da escravatura, muda-se para a Corte, após receber uma herança de seu benfeitor, Quincas Borba, um típico escravocrata, autodenominado filósofo, que ocupa seus dias ociosos de proprietário e rentista com especulações amalucadas sobre a “natureza humana”.

 

ONDE: Av. Augusto de Lima, 420 – Centro

QUANDO: Sábado e Domingo

QUANTO: Entrada Franca

MAIS INFORMAÇÕES: AQUI

 

De Tempos Somos – Sarau Grupo Galpão

Divulgação
Divulgação

O Teatro Francisco Nunes recebe espetáculo De tempo somos – Um sarau do Galpão a partir do dia 25. O grupo cumpre temporada em BH em duas sessões nas sextas, às 19h e 21h, no sábado, às 19h e 21h e, aos domingos às 19h.

ONDE:  Avenida Afonso Pena, Parque Municipal

QUANDO: Domingo

QUANTO: R$30 (inteira) e R$15 (meia-entrada)

MAIS INFORMAÇÕES: AQUI 

16ª edição promove troca de experiências e a conexão da Cultura com a Tecnologia

Exposições, palestras, apresentações musicais e audiovisuais compõem a 16ª edição do Festival Eletronika. O projeto que propõe o debate e a prática de cultura contemporânea com o objetivo de levar para o público as novidades da produção cultural mundial, começa nesta quarta-feira 07 e segue até domingo dia 11.

O festival que tomará conta de vários espaços do Circuito Cultural Praça da Liberdade (Memorial Minas Gerais Vale, MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal, Espaço do Conhecimento UFMG e Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa), abre espaço para troca de experiências e reflexões críticas sobre a cultura e suas conexões com a tecnologia.

A plataforma traz em sua programação: o Festival Eletronika, Cidade Eletronika, Fórum Eletronika, Revista Eletronika e o evento parceiro Festa das Luzes, em sua segunda edição, envolvendo artistas nacionais e internacionais nas apresentações pela cidade.

 

Foto do Festival Eletronika 2014
Foto do Festival Eletronika 2014

Festa das Luzes

O projeto propõe intervenções artísticas e espetáculos lúdicos com uso de tecnologia, cores, imagens em movimento, além de sons e técnicas audiovisuais.  Esta edição tem como a realização de uma apresentação audiovisual utilizando a técnica de vídeo mapeamento. As fachadas públicas e históricas se transformarão em telas de projeção onde a própria narrativa e composição de fotografia e cores podem dialogar com elementos das construções, tais como varandas, colunas, janelas e todos os ícones arquitetônicos presentes nelas.

As atrações serão gratuitas, veja a programação:

Cidade Eletronika

O evento, que tem curadoria de Lucas Bambozzi e Natacha Rena, abre a programação – dia 7 a 11 de outubro – e contará com workshops, palestras, mostra audiovisual e shows.

Performance

7 a 11/10 (Quarta a Domingo). 18h – ’KID-NAPPING’ – Brígida Campbell

(Local: Passarela Cultural – Anexo da Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa)

09/10 (Sexta) 21h30 – ‘CINE PLANTA’ – Paola Barreto

(Local: Praça Da Liberdade)

10/10 (Sábado)17h – ED MARTE E FLORA MAURÍCIO

(Local: Praça Carlos Drummond de Andrade)

Palestras

(Local: Memorial Minas Gerais Vale – Auditório)

8/10 (Quinta) 19h – Javier Toret

8/10 (Quinta) 19h30 – ‘POR UMA TECNOPOLÍTICA DO COTIDIANO’ – Antônio Lafuente, Ivana Bentes, Ricardo Fabrino, Natacha Rena e Lucas Bambozzi

9/10 (Sexta) 15h – ‘TECNOLOGIA REVERSA: APROPRIAÇÕES PARA O COMUM’ – Jose Perez de Lama, Ricardo Brazileiro, Felipe Fonseca, Pablo de Soto e Lucas Bambozzi

10/10 (Sábado) 15h – ‘O QUE NOS DIZEM AS REDES’ – Fabio Malini, Fernanda Bruno, Carlos Frederico D´Andrea, Alemar Rena e Natacha Rena

Workshop

7 a 9/10 (Quarta a Sexta) 10h –  ‘TOPOLOGIA DE REDES’ – Fabio Malini e Ana Isabel Anastasia

(Local: Memorial Minas Gerais Vale – Cyber)

7 a 9/10 (Quarta a Sexta) 10h – ‘MEDIÇÕES DO URBANO’ – Gabriel Zea, Guima San, Ricardo Brazileiro e Lucas Bambozzi

(Local: Passarela Cultural – Anexo da Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa)

09/10 (Sexta) 13h – ‘LABORATÓRIOS CIDADÃOS’ – Antonio Lafuente

(Local: Memorial Minas Gerais Vale – Sala do Espetáculo Mineiro)

Audiovisual

9/10 (Sexta) 19h – ‘SOCKET SCREEN’ – Rafael Marchetti E Rachel Rosalen

(Local: Espaço do Conhecimento UFMG – Fachada)

10/10 (Sábado) 20h – ‘CINE FANTASMA’ – Paola Barreto

(Local: Cine Pathé – Fachada)

Show

8/10 (Quinta) 19h – THE INNERNETTES (BH)

(Local: Memorial Minas Gerais Vale – Casa da Ópera)

8/10 (Quinta) 20h – REALLEJO (BH)

(Local: Memorial Minas Gerais Vale – Casa da Ópera)

9/10 (Seta) 19h – ACAVERNUS (SP)

(Local: Praça da Liberdade – Coreto)

9/10 (Sexta) 20h – LUCA FORCUCCI (ITA)

(Local: Praça da Liberdade-  Coreto )

9/10 (Sexta)  21h – ALAN COURTIS (ARG)

(Local: Praça da Liberdade – Coreto)

Fórum Eletronika

O evento vai do dia 09 a 13 de outubro e contará com painéis, workshop e exposição.

Painel

(Local: MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal – Auditório Bateia)

9/10 (Sexta) 10h – Painel 1: ‘Para além das Smart-Cities’- Raquel Rennó  Painel 2: ‘Do Live Cinema ao Cine Fantasma’ – Paola Barreto

9/10 (Sexta) 19h – Painel 3: ‘Cotidiano sensitivo: Interfaces acessíveis e multi-modais’ – Ricardo Brazileiro | Painel 4: ‘EL CINE ES OTRA COSA’ – Gabriela Golder

10/10 (Sábado) 11h – Painel 5: ‘Interações em escala urbana’ – Rafael Marchetti e Rachel Rosalen | Painel 6: ‘Música Visual’ – Jarbas Jácome

Workshop

(Local: MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal – Auditório Bateia)

11/10 (Domingo) 14h – ‘Oficina de criação de instrumentos de música visual’ – Jarbas Jácome

Exposição

9/10 (Sexta) 18h – Abertura com visita mediada pelo artista – ‘Mindscape #L1 – After Dan Flavin’ – Fernando Velázquez

(Local: MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal – Praça de Convivência)

10 a 13/10 (Sábado a Terça)  12h às 18h – Mindscape #L1 – After Dan Flavin’ – Fernando Velázquez

(Local: MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal – Praça de Convivência)

10 e 11/10 (Sábado e Domingo) 10h às 18h – ‘Flor de ilha formosa’ – Jarbas Jácome

(Local: Memorial Minas Gerais Vale – Sala do Espetáculo Mineiro)

Audiovisual

09/10 (Sexta) 18h – Abertura da ‘Mostra Ver y Bim (América Latina)’ e ‘Mostra Alt [AV] 1 E 2‘ – Diversos Artistas

(Local: MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal – Praça de Convivência)

10 e 11/10 (Sábado e Domingo) 20h às 21h30 –  ‘Longe do Teclado’ – Caio Fazolin

(Local: Espaço do Conhecimento UFMG – Fachada)             

10 e 11/10 (Sábado e Domingo) 18h às 22h – ‘Cubic Limit, after Manfred Mhor’ – Fernando Velázquez

10 a 13/10 (Sábado a Terça) 12h às 17h30 – ‘Mostra Ver y Bim (América Latina)’ e ‘Mostra Alt [AV] 1 E 2‘ – Diversos Artistas

(Local: MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal – Praça de Convivência)

Festival Eletronika

O Festival ocupa a Alameda da Travessa – Praça da Liberdade e coroa a programação nos dias 10 e 11, com apresentação de bandas relevantes no cenário musical vanguardista.

Shows

(Local: Praça da Liberdade – Alameda da Travessa)

10/10 (Sábado) 17h – DJ Dolores (PE) e Chico Corrêa (PB)

10/10 (Sábado) 20h – Omulu (RJ)

11/10 (Domingo) 16h – Chancha Via Circuito (ARG)

11/10 (Domingo) 18h – Dengue Dengue Dengue (PER)

11/10 (Domingo) 20h – Quantic (COL)

Eletronika Kids

Direcionado ao público infantil, o mini-Festival acontece exclusivamente no dia 12 de outubro, Dia da Criança, na Praça da Liberdade.

Shows:

(Local: Praça da Liberdade)

12/10 (Segunda) 9h às 18h:

Projeto Aprendendo a Crescer (Discobaby e Espaço Pajezinho)

Festa das Luzes

Projeções audiovisuais na Praça e Palácio da Liberdade nos dias 10 e 11 de outubro.

Audiovisual

10 e 11/10 (Sábado e Domingo) 19h e 21h30 – ‘Procissão’ – Vj 1mpar

(Local: Praça da Liberdade – Alameda da Travessa)

10 e 11/10 (Sábado e Domingo) 19h15 e 21h45 – ‘Vídeo Mapping’ – Vj Spetto (United VJs)

(Local: Palácio da Liberdade)

10 e 11/10 (Sábado e Domingo) 19h30 e 22h – ‘Organismos Públicos’ –  Vj Vigas

(Local: Palácio da Liberdade)

Texto: Victor Barboza

Imagens: Eletronika

Foto: Ana Paula Tinoco

Começou ontem dia 30, o XXV Congresso Mundial UNIAPAC e o 10° Seminário Internacional de Sustentabilidade, realizados pela parceria entre Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (FIEMG) e União Internacional de Dirigentes Cristãos de Empresa (UNIAPAC), o evento está sendo sediado no Palácio das Artes, em Belo Horizonte. Este ano a discussão gira em torno do tema “Empresas, Governo e Sociedade Civil trabalhando juntos para o bem comum”.

A programação que continuará até o dia 02 de outubro conta com palestrantes de grande importância no cenário internacional político e econômico, como Christina Carvalho Pinto, presidente e sócia do Grupo Full Jazz de Comunicação, eleita duas vezes a mulher mais influente do Brasil no setor de Marketing e Publicidade, além de ter sido a primeira mulher na América Latina a presidir um grande grupo multinacional, Ricardo Guimarães, fundador da Thymus Branding, o Jornalista e Repórter Caco Barcellos, a ex-candidata à presidência, ex-ministra de Meio Ambiente e professora associada da Fundação Dom Cabral Marina Silva e Yves de Talhouet, representante residente do PNUD no Brasil.

O evento surge como uma oportunidade de discussão, tendo em vista esse novo cenário econômico turbulento e em constante mudança, sobre a importância da inclusão de temas como diversidade, sustentabilidade, inovação e responsabilidades éticas e sociais no meio empresarial, pensando no bem-estar de todos e na necessidade da parceria entre Governos, Empresários e outras organizações civis para uma ação mais relevante, percebendo dentro deste cenário a grande incidência de impactos ambientais e o aumento das desigualdades sociais.

A grande dificuldade é fazer com que essas questões sociais e ambientais evoluam junto a um desenvolvimento econômico de produção em constante ascensão. Como continuar produzindo sem impactar o meio ambiente e sem ferir os direitos humanos, agindo de forma inclusiva e ética. Sobre esse desafio discutido Marina Silva comentou durante sua palestra: “O desafio desse momento é que nós queremos ser socialmente justos, queremos ser economicamente prósperos, queremos ser politicamente democráticos, queremos ser ambientalmente sustentáveis, queremos ser culturalmente diversos, com esse ideais identificatórios nós temos que traduzir nas nossas leis, dentro da cultura e das noções dos produtos materiais da nossa empresa, dentro da remuneração e das licitações que fazemos, aquilo que dá ideia do lucro admirável.  Para Silva, não se pode sacrificar os recursos de milhares de anos produzidos por nós mesmos, nem os recursos produzidos pela natureza em bilhões de anos em função do lucro de apenas algumas décadas. “Não é o dinheiro pelo dinheiro, não é o poder pelo poder, isso tudo são ferramentas, que com certeza precisam ser traduzidas naquilo que é o nosso ideal identificatório, de um mundo que seja solidário, de um mundo que seja justo” ressalta.

Sobre a valorização da diversidade no meio empresarial Linda Murasawa, Superintendente Executiva de Sustentabilidade do Banco Santander destaca que as diferenças são fundamentais. “Precisamos ter diferentes visões, essas diferentes visões vêm de diferentes culturas, diferentes formas de se viver, diferentes religiões e uma série de questões que compõem os seres humanos como um todo, então a diversidade é a maior riqueza que nós temos”.

Para Murasawa, as empresas que valorizam a diversidade, empresas que trazem a diversidade no seu dia-a-dia e na sua estratégia, que trazem uma visão inovadora e uma visão que atende os anseios da sociedade. “Isso com certeza só traz benefício, além de tudo você está trazendo o que é essencial para o ser humano, porque vocês já imaginaram um mundo totalmente igual? Teríamos robôs, não teríamos humanos, e a diferença está aí, nos nossos sentimentos, nos nossos pensamentos que contribuem para cada vez mais, mudarmos e levarmos esse mundo e o empresariado precisa entender e praticar tudo isso no seu dia-a-dia” finaliza.

Texto por Gael Benítez