saude

O Movimento das pessoas com deficiência começou no Brasil em meados dos anos 1970 e seu marco foi à instituição nos anos 1980 do Ano internacional das pessoas com deficiência. “No Brasil, após a constituição de 1988, podemos celebrar muitas conquistas em relação à garantia de direitos desse segmento da população e principalmente a maior participação das pessoas com deficiência no processo social”, afirma a Coordenadora Especial de Assistência às Pessoas com Deficiência, Ana Lucia Oliveira.

A Lei nº 10.098/2000 garante aos portadores de deficiência ou com mobilidade reduzida à utilização, com autonomia, dos equipamentos urbanos, do sistema de transporte e comunicação. “A legislação brasileira é bastante avançada em relação à garantia de direitos das pessoas com deficiência. Entretanto, os desafios para a sua efetiva implementação ainda são muitos e requerem o comprometimento do governo, da sociedade civil e especialmente das próprias pessoas com deficiência como sujeitos de sua história”, defende Ana Lucia.

Os deficientes físicos esbaram em outros problemas além das dificuldades que o próprio corpo proporciona. Problemas como a falta de respeito, e politicas de saúde e mobilidade urbana que não atendem suas necessidades básicas. “São muitos  os impedimentos para que as pessoas com deficiência física ou mobilidade reduzida possam exercer o direito de ir e vir. Além das barreiras físicas, as barreiras de atitude, o preconceito, resultado da falta de informação sobre as potencialidades das pessoas com deficiência tem  dificultado a plena participação na sociedade”, conclui a coordenadora da CAADE (Coordenadoria Especial de Apoio e Assistência à Pessoa com Deficiência), órgão ligado à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (SEDESE).

Por João Vitor Fernandes e Marcelo Fraga

Hoje, 06 de Setembro dia Internacional do Sexo, assunto muito comentado entre os jovens e tratado com reserva entre os mais velhos como os pais. Nem todas as pessoas sentem-se a vontade para falar de sexo pelos mais diferentes motivos, um deles, talvez, seja a timidez.

“Sexo é um dos prazeres da vida, não é essencial, mas é necessário, com o sexo libero minha adrenalida”, revela a estudante Danúbia Soares, 28. Há pessoas que encaram o sexo como um ato romântico. “Encaro o sexo como uma forma de união entre os indivíduos que se atrem e buscam prazer em um sentimento, mais profundo como o amor”, declara estudante Julia Passos, 19. Para a diretora teatral Laura Savalis, 43, o sexo tem um aspecto renovador. “O sexo age como uma energia de renovação, fazendo bem para a mente e o corpo”, explica.

No entanto, o sexo exige maturidade e consciência, pois existem as DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis), as Hepatites Virais e o HIV. No caso do HIV, segundo o Ministério da Saúde, o Brasil registra cerca de 600 mil casos registrados (condição em que a doença já se manifestou).  A recomendação é a prática do sexo com preservativos.

Por Paloma Sena.

Foto: William Gomes.

Formas alternativas de tratamento que valorizam o equilíbrio entre corpo e mente são as atrações do 5ºFestival Internacional Andando de Bem com a Vida, entre os dias no dia 29 e 30 de junho e 1º de julho, na Praça da Liberdade.  De acordo com o organizador do festival, o médico, Ulisses Martins Filho, o objetivo é revelar ao público as várias possibilidades de garantir saúde e bem-estar. “Pretendo criar nas pessoas uma responsabilidade de buscar realmente umas relações nelas mesmas e com o planeta que é a fonte da existência da biodiversidade e da raça humana”, explica o médico.

Durante o festival, o público terá a oportunidade de participar de palestras, workshops, e de oficinas sobre as vantagens da mulher se preparar para um parto natural, Tai Chi Chuan, Yoga, Chi kung e outras técnicas de relaxamento e equilíbrio entre corpo e a mente. A importância de uma alimentação saudável também é na pauta. “Qual a importância dos alimentos naturais e orgânicos para a saúde, além dos exercícios inteligentes? O que se percebe e que as pessoas querem viver de bem com a vida, mas não sabem como”, declara Martins Filho.

Uma atenção especial será dada às crianças em sinergia com a preservação do meio ambiente. “Não temos a intenção de deixar planeta melhor pra criança, mas, sim, deixar as crianças melhores para o planeta, e uma mudança de raciocínio”, defende o organizador do festival. “O ser humano precisar rever seus hábitos, optar por coisas mais saudáveis, deixar de ser um pouco consumista, pois o planeta não consegue produzir na mesma velocidade que as pessoas estão necessitando”, explica.

Por: Ana Carolina Nazareno

Foto: Heberth Zschaber

A população de moradores de rua de Belo Horizonte vem aumentando nos últimos anos. O levantamento feito pelo IBGE em 2006 acusou uma população de 1164 moradores na capital mineira e os dois abrigos municipais juntos comportam em média 520 pessoas.

Segundo a pedagoga do Abrigo Municipal, Morena Fialho, a população de moradores de rua na cidade de Belo Horizonte está em torno de 2000 pessoas atualmente. “Já, há algum tempo, atendemos além da nossa capacidade. Hoje, o abrigo esta numa situação de superlotação”, informa Morena Fialho.

Nos abrigos oferecem, além da acomodação, banho quente e duas refeições (Jantar e Café da Manhã). Para que o cidadão em situação de rua possa usufruir desses serviços, é feita, por parte do abrigo, uma triagem periódica com assistentes sociais e pedagogos. Após o cadastro o morador é orientado a procurar órgãos sociais para emissão documentos, inserção no mercado de trabalho.

Além de serviços básicos, existem ainda os encaminhamentos para centros de reabilitação para dependentes químicos.

Por: João Vitor Fernandes  e Raquel Ribas

Foto: João Vitor Fernandes

Cerca de 80% dos médicos da região metropolitana de Belo Horizonte interromperam hoje  (25/04) o atendimento a pacientes para  marcar o Dia Nacional de Advertência aos Planos de Saúde. A assessoria do sindicato de médicos de Minas Gerais (SINMED.MG) informou a mobilização de advertência da categoria, que ocorreu em diversos estados do Brasil, é contra as operadoras que têm se recusado em avançar nas negociações pela recuperação de honorários defasados e pelo fim da interferência antiética na relação entre os profissionais e seus pacientes.

A paralisação foi motivada pela necessidade de um estabelecimento de regras claras para a fixação de contratos entre as operadoras, ação que depende diretamente da interferência da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Hoje às 10h o Sindicato dos Médicos  promoveu uma audiência pública na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG).

Segundo a assessoria, uma representação de entidades médicas e integrantes da comissão de saúde e defesa do consumidor da ALMG solicitarão uma audiência à ANS para discussão sobre a atuação desta entidade nos pleitos da categoria. Os atendimentos de urgência e emergência foram mantidos e os médicos foram orientados a comunicar sua programação para hoje com antecedência.

Texto Bruno Coelho

Com o objetivo de traçar técnicas e estratégias para a 14ª Campanha Nacional de Vacinação contra a Influenza, a Superintendência Regional de Saúde de Belo Horizonte, da Secretaria de Estado de Saúde (SES), responsável por 40 municípios da região Central de Minas, esta realizando reuniões durante essa semana com as referências municipais de imunização e referência técnica da Atenção Primária. A campanha que ocorre entre 5 e 25 de maio, Com o slogan “Proteger é cuidar”.

Em 2012, serão vacinados, além de população de 60 anos e acima, trabalhadores dos serviços de saúde que fazem atendimento para a vacinação contra o vírus H1N1, povos indígenas, crianças na faixa de seis meses a menores de 2 anos e gestantes. A vacinação desses grupos é considerada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como a estratégia de prevenção para a redução da ocorrência da doença, internações e óbitos.

A chefe da central de alunos do Centro Universitário UNA do campus de Comunicação e artes, Gilmara Pereira,33, gravida de sete meses disse “Acho muito importante a preservação dessa doença, porém, só tomo vacinas a partir da orientação da minha medica”. O principal objetivo da campanha é reduzir a mortalidade e as internações causadas pelas complicações da doença. Dados do ministério de Saúde indicam que, no ano de 2011 , cerca de 25 milhões de pessoas foram vacinadas contra a gripe

A Regional Centro-Sul informa que as vacinas estarão disponíveis nos doze postos de saúde em área de abrangência. No dia 5 de maio, dia nacional da imunização contra a Influenza as vacinas serão distribuídas, ainda, na Rodoviária, Mercado Central, Parque das Mangabeiras.

Informações de endereços dos postos no site da PBH.

Texto Bruno Coelho

Foto Felipe Bueno