SPFW

Por Ana Clara Souza

De 22 a 28 de maio, aconteceu a quinta maior semana de moda do mundo, a São Paulo Fashion Week + ORIGENS (SPFW). Em sua 55ª edição, o evento ocorreu em três locações, sendo o campus Senac Faustolo, no bairro da Lapa, o shopping Iguatemi, na região de Pinheiros, e o Komplexo Tempo, na Mooca. 

Durante três dias de muita moda, desfilaram presencialmente 31 marcas nacionais, que trouxeram sofisticação, diversidade, famosos, autenticidade e o mais importante, mostraram que possuem autoridade no assunto. 

Nas passarelas paulistas, as marcas mineiras marcaram presença e poder. Representando o estado de Minas Gerais, a Apartamento 03 se destacou com roupas metalizadas e o resgate de técnicas de ateliê, construindo flores tridimensionais a partir de tecidos plissados e recortes a laser. O estilista Luiz Claudio da Silva mergulhou na história forte mas pouco comentada do pintor Estevão Roberto Silva, o primeiro artista negro formado na Academia Imperial de Belas Artes do Rio de Janeiro no século 19, e usou como base nas estampas da roupas. 

SPFW: Apartamento 03 apresenta coleção em homenagem a Estevão Silva. Foto: Site IG.

Intitulado “Futuro do presente”, a marca Ronaldo Silvestre, que carrega o nome do estilista fundador mineiro, trouxe muito forte o seu propósito: gerar cada vez mais impacto socioambiental positivo por meio de uma moda humanizada. Para Ronaldo, a máquina de costura tem um grande impacto na transformação social e por isso faz parte do projeto Fábrica Social ITI (Igualdade Transformação e Inovação Social), que nasceu em abril de 2023 em sua cidade natal, Itabira (MG).

Marca: Ronaldo Silvestre. Foto: SPFW.

E não parou por aí! Sabendo que moda é, também, política, a marca LED trouxe a Deputada Federal e ativista Erika Hilton e roupas agênero para a passarela, que é uma das bandeiras que o estilista Célio Dias, levanta.

Marca LED na SPFW N55. Foto: Uol.

As marcas mineiras mostraram a potência que a moda do estado possui, e outros selos de outros estados, igualmente. Dendezeiros, Meninos Rei e Thear Vestuário tiveram alta repercussão na mídia e nos corredores da SPFW N55. Super diversos, verdadeiros e com desfiles de deixar o mundo paralisado.

Que venha a próxima edição com muitas potências, conexões e mais origens!

0 397

Por Keven Souza 

De 22 a 28 de maio, os desfiles da São Paulo Fashion Week (SPFW) agitaram a moda nacional. A 55ª edição do evento reuniu mais de 30 desfiles presenciais, com modelos e personalidades importantes da moda brasileira reunidos em São Paulo, no Komplexo Tempo. Em destaque, o Contramão conferiu de perto o desfile da marca Thear Vestuário que aconteceu no último sábado (27). 

A marca goiana trouxe às passarelas a coleção “Todas as Coras”, uma homenagem inspirada na poetisa e contista, Cora Coralina. Em parceria com os Correios, que lançou um selo postal para o evento, os 30 looks criados pelo diretor criativo Theo Alexandre tiveram muitas camadas, transparência e denim. Tudo isso em tons de azul índigo, bege, branco e off-white. Reafirmando o conceito do slow fashion, que diz respeito a moda lenta, sustentável, duradoura.

Na passarela, o que chamou atenção ao longo do desfile foi a pluralidade de corpos, idades e rostos da modelos que compuseram o casting. Elas representavam em ritmo de prosa as várias versões de uma mulher, embalada com a arte da literatura. 

Certamente, se o Contramão pudesse apontar as coleções que mais estavam dentro do tema “Origens +” desta edição da SPFW, a Thear Vestuário é uma das marcas mais bem posicionadas. Ela emocionou e ganhou aplausos da plateia com seus conceitos, analogias e histórias contadas por quem sempre amou contar, Cora Coralina.