Una

Por Keven Souza

A Rádio Una voltou a movimentar os seus projetos relacionados à produção de podcast nas últimas semanas de setembro. O Eu Que Fiz Podcast é sua nova aposta, uma temporada que promove o diálogo com alunos da Cidade Universitária que desenvolveram trabalhos e projetos incríveis fomentados pela universidade. E hoje (27), o episódio piloto está no ar! 

O Churrasco na Laje é o trabalho multiplataforma escolhido para estrear a temporada feito pelos alunos de Jornalismo, Ana Clara Souza, Caio Henrique, Júlia Thais, Katarine, Keven Souza, Millena Vieira, Pedro Almeida e Paulo Vieira, que se destacaram pelo engajamento e proatividade em volta do trabalho proposto em sala de aula. 

A ideia do Churrasco na Laje, bem como seu nome, surgiu a partir da Unidade Curricular (UC) de Produção de Conteúdo em Multiplataforma, ministrada pelas professoras Ana Carolina Souza e Daniela Savaget aos cursos de comunicação social no último semestre.

Grupo na gravação do videoclipe. Imagem: Jessi Góes.

A proposta consistia em desenvolver um projeto multiplataforma, acerca do tema “Comidas Típicas”. Dito isso, os estudantes deveriam apresentar um produto audiovisual – onde fizeram um curta-metragem, um produto sonoro – onde desenvolveram uma playlist, dois produtos textuais – onde produziram matérias jornalísticas – e três produtos fotográficos ou visuais, em que entregaram um ensaio fotográfico, além de um site completo. 

Tudo pensado para serem criativos, ousados e disruptivos. E não diferente disso, o Churrasco na Laje virou ponto de referência. É o que explica Ana Carolina Souza. “Eles conseguiram entregar um trabalho robusto, interessante, bonito e bem feito. Então se tornam sim uma referência de algo que é possível ser feito, de elementos visuais, estéticos e realmente de dedicação ao trabalho, que de fato pode se tornar referência para outros colegas. Colegas tanto nós professores, quanto também entre os próprios alunos”, diz a professora. 

Segundo Ana, após quase três meses de encerramento da UC, o sentimento que permanece é o de orgulho. “É com muito orgulho assim, que eu tenho de ter incentivado eles a fazerem isso. Gostei demais do resultado não só por conta deles terem associado todos os conceitos e elementos que eles trabalharam em sala. Mas de terem assumido esse lugar de serem donos dessa narrativa. E é um trabalho que tem personalidade, que você consegue ver as pessoas que criam esse material refletidas ali no resultado”, finaliza.

Como foi a estreia

Neste primeiro episódio do Eu que Fiz, quatro dos integrantes estiveram presentes. Ana Clara Souza, Júlia Thais, Keven Souza e Millena Vieira discutiram sobre toda a construção do trabalho em uma conversa descontraída.

Keven, Millena, Júlia e Ana, na gravação do podcast na Casa Una. Imagem: Gladison.

Com brilho nos olhos, Ana comentou em detalhes sobre o curta-metragem, na qual foi produtora. Júlia deixou claro que perrengue foi o que mais houve, ela citou os percalços presentes até a entrega final do trabalho. Já Millena, agradeceu aos colaboradores da Una que ajudaram diretamente, ou indiretamente, na execução do Churrasco na Laje. E Keven, mediou toda a conversa. Ao longo do episódio foi mostrado ainda os produtos exigidos na UC, feito por eles. Bem como, o vídeo, o site, as fotos, entre outros.

O Eu Que Fiz Ep 1 está disponível na plataforma do Youtube. Para assistir na íntegra o bate-papo acesse o canal TV Una Fábrica! Veja, reveja e fique por dentro do que está sendo produzido pelos futuros profissionais do mercado de trabalho. 

(Foto: Keven Souza)

Por Keven Souza

Os acadêmicos do Centro Universitário Una possuem agora um novo espaço de escuta, convivência e reunião para pautas estudantis. A sala 006 do campus Liberdade é a nova sede do Diretório Central dos Estudantes (DCE) de toda Una Belo Horizonte, que recebeu os membros do atual DCE na última quinta-feira (18), marcando uma importante conquista para o estudante da Una.  

A posse do espaço contou com a presença de alunos e equipe do Contramão. Diferente da antiga organização estudantil que estava em vigor, esta é a primeira vez na história que o DCE da Una não só conquista, como também possui uma sede física.

A sala está localizada no subsolo do campus Liberdade, ao lado do Laboratório de Medicina Veterinária, conta com mesas, cadeiras, sofá, ar-condicionado e impressora. Além da expectativa de possuírem um espaço para coffee break.  Tudo pensado para que alunos das unidades da Una possam ter um local de pertencimento e apoio.

O papel do DCE

Representantes do DCE se reunem em novo espaço no campus. ( Foto: Keven Souza )

O chamado Diretório Central dos Estudantes (DCE) é uma organização gerida por e para alunos. De maneira democrática, propõe soluções para dilemas comuns no dia a dia dos graduandos por meio do protagonismo estudantil. É o que explica a secretária geral do DCE, Luana Sales. “No básico do básico, o DCE é a comunicação dos alunos com a direção. Ele faz esse trâmite, que é importante em uma faculdade, onde existem as calouradas, os eventos, a busca por estágios, por exemplo. Então, é basicamente essa troca, esse acolhimento”, diz. 

Segundo Sales, além da comunicação assertiva com a coordenação da faculdade,  o novo DCE da Una estará mais atento com o movimento estudantil.  “Por trás do nosso Diretório existe uma organização estudantil, que é o UJS, o UEE e o UNE, que também promovem muitos eventos políticos e de teor educacional. E nosso DCE, além de ser uma força política unida com estas organizações, vai ser uma força que vai acolher os alunos, promovendo melhor um ambiente na faculdade”, ressalta a secretária.

O DCE está de prontidão, a priori, nos turnos manhã e noite, durante o horário das aulas, aberto para receber os acadêmicos com queixas sobre melhorias no ambiente universitário, além de pautas de convívio social. 

Conheça os integrantes do DCE da Una:

Presidente: Ana Clara Soares 

Secretária Geral: Luana Sales

Tesouraria: Ana Carolina Custódio

Comunicação: Pedro Cardiel

Diretoria de Atléticas: Laerte Santos 

Diretora de Políticas Afirmativas: Roberta Moreira 

Diretoria de Cultura e Eventos: Sibelle Macedo

Coordenadores Una Aimorés: Karolina Santos e Lucas Rodrigues 

Coordenadora Una Liberdade: Ana Luisa Lacerda 

Coordenador Una João Pinheiro: Gabriel Souza 

Coordenadora Una Cristiano Machado: Giovanna Cordeiro 

Coordenadora Una Linha Verde: Echelen Costa 

Outros participantes: Pedro Lucas

Para saber mais informações sobre o Diretório Central dos Estudantes da Una, siga-os nas redes sociais:

Instagram 

Grupo no Telegram

Grupo no Whatsapp

E-mail para dúvidas e sugestões: dceunabh@gmail.com 

Por Keven Souza

Nesta semana, durante os dias 03 e 04 de agosto, a Una Liberdade foi palco para mais um evento que acolhe, encanta, forma e gera vínculos aos alunos ingressantes das áreas de Comunicação, Artes e Design da Cidade Universitária Una (CDU), o Liberdade Open Week 2ª Ed. Realizada durante os turnos, manhã e noite, a ação emplacou novamente uma edição de sucesso que com muita interação, inseriu os mais de 30 calouros presentes, na jornada acadêmica que se inicia neste 2º semestre de 2022.

Assim como na edição anterior, foram apresentadas ao longo dos dois dias, oficinas, palestras, bate-papo com a coordenação, professores e Fábrica, além de visitas guiadas pelos campi Una Liberdade e Una João Pinheiro. 

Além disso, o Open Week contou, com ações realizadas pela Atlética de Comunicação e Design do Campus Liberdade (ACDL), como bodypiercing, flash tattoo e DJs durante todo o evento. Também estiveram presentes no campus, os representantes do Diretório Acadêmico Estudantil (DCE). 

hgnhnhnjhjhh
Professora Lorena Tárcia em sua oficina sobre Branding Pessoal Transmídia.

Sobretudo, com tamanha programação, o Contramão dá destaque às atividades em que houveram mais interação,  como a oficina “Branding Pessoal Transmídia”, ministrada pela professora Lorena Tárcia; a oficina “Snack e Bebida Harmonizada”, lecionada pelo professor Sinval Espírito Santo; a oficina “Cor Ênfase em Softwares”, apresentada pelo professor Gustavo Tixai; a oficina “Animação Stop Motion”, dada pelo professor Sávio Leite; e as oficinas “Estamparia, Silk em Bolsa Jeans” e “Como criar base para Croquis de Moda”, ministrada pela professora Gabriela Penna. 

Gustavo Vilela, estudante do primeiro período de Publicidade e Propaganda, fez parte dos novos alunos da CDU que estiveram presentes durante o Open Week e participou da oficina de Branding Pessoal Transmídia. Ele afirma que foi enriquecedor. “Quis vir para aprender e agregar conhecimento à minha formação estudantil. Aprendi muito sobre Branding na construção pessoal e também no trabalho, e se eu pudesse definir esse dia, diria que foi excelente”, diz. 

Segundo Antônio Terra, coordenador de grande área do campus Liberdade, o Liberdade Open Week é sobre recepcionar os alunos ingressantes de forma calorosa. “É uma forma de criar vínculo com nosso aluno, de ter um primeiro contato com nossos laboratórios e com os professores que irão acompanhá-los pelo curso. Então foram dois dias nesse semestre em que tivemos a oportunidade de viver experiências práticas, bem mão na massa, com uma conversa ampla sobre trajetória, percurso e nosso modelo acadêmico”, declara. 

Grande acolhimento no boas-vindas 

Professores receberam alunos em sala de aula para uma conversa

Dentre toda a programação especial, também aconteceu a recepção de boas-vindas aos calouros, realizada por António Terra. Com mochila nas costas, caderno em mãos e sorriso no rosto, os novos estudantes puderam conhecer de perto o conceito amplo e diverso da Cidade Universitária Una (CDU). 

O olhar de atenção e curiosidade estava estampado em cada aluno que se apresentava. Os jovens receberam Terra para um bate-papo sobre sonhos e carreira profissional, que terminou a conversa indagando: “O aprendizado não é um lugar confortável. Queira sempre estar perto do diferente, porque é ele que vai te desafiar, aquele que não pensa igual a você vai te tirar do seu lugar. E isso é único, vale para a vida toda”, pontua. 

Nesse acolhimento estavam presentes, junto ao coordenador, professoras de jornada dos cursos de Jornalismo, Relações Públicas, Publicidade e Propaganda, Designs, Moda e Gastronomia; bem como a equipe da Fábrica – laboratórios de Economia Criativa – e a ACDL. 

Para a caloura de Design Gráfico, Laura Gonçalves, a recepção foi perspicaz para criar vínculos e conhecer os espaços do campus Liberdade. “Acho muito importante esse momento, porque possibilita a gente não chegar no primeiro dia de aula não conhecendo nada e nem o campus. E o acolhimento foi bem caloroso, gostei do campus, da aula, tudo bem positivo”, comenta.

Por Keven Souza

Incentivar o desenvolvimento sustentável, proporcionar impacto social, prestar apoio à cooperativas de reciclagem e fábricas de filamentos, bem como fomentar a inovação e a criatividade por meio da indústria da impressão 3D. Esses foram alguns dos objetivos que nortearam os três estudantes das áreas de Gestão e Negócios da Cidade Universitária Una na criação da 3D Recycle, um software pensado em um futuro mais responsável, inteligente e digital. 

O projeto apresentado por Luiz Pontes, Renata Marinho e Viviane Corrêa, trouxe a junção de tecnologia com o desenvolvimento sustentável. Venceu, ainda, o hackathon (maratona de programação) que fomentava serviços ou produtos inovadores para o mercado, lançado no último Plugados no Mercado da Una. 

“A 3D Recycle foi pensada, inicialmente, para ser relacionada à fabricação de próteses feitas em impressoras 3D para pessoas com deficiência, mas acabou evoluindo para o que é hoje [programa de software]”, recorda o estudante de Sistema de Informação da Una, Luiz Pontes.

Luiz, Renata e Viviane na apresentação do projeto. Fonte: arquivo pessoal.

A 3D Recycle promove a inovação à medida que une reciclagem e impressão 3D, facilitando parcerias comerciais que favorecem para além das partes envolvidas. É o que explica a estudante de Análise e Desenvolvimento de Sistemas da Una, Renata Marinho. “O que mais o difere dos outros projetos apresentados é seu caráter inovador, não só no âmbito tecnológico, mas também na iniciativa social em se propor a resolver um dos maiores problemas da sociedade brasileira: a falta de reciclagem e a quantidade de lixo descartado que poderia ser reutilizado”, afirma.   

No mercado de trabalho o aplicativo funciona ligando cooperativas de reciclagens a fábricas de filamentos para impressoras 3D. Onde, fábricas poderão encontrar lotes de materiais reciclados fornecidos pela própria cooperativa de forma rápida e fácil. Como também, cooperativas poderão anunciar seus lotes de mercadoria e ampliar conexões seguindo a tendência phygital, que converge o mundo digital com o físico. E isso, favorece a produtividade industrial.

Projeto da interface do usuário no aplicativo ‘3D Recycle’. Fonte: arquivo pessoal.

Com o fim do hackathon, cada participante do grupo da 3D Recycle levou para casa uma Alexa, além de 50 horas de extensão. Para Viviane Corrêa, estudante de Sistema de Informação da Una, seu grupo ter ganho a disputa foi uma experiência enriquecedora. “Foi incrível e com certeza tem aberto outras portas! Toda a equipe é recém chegada no curso e poder estar imerso entre colegas de outros semestres, além de empresas parceiras, amplia muito nosso repertório e impulsiona a motivação para continuar na jornada”, comenta. 

O programa sairá da idealização e será testado com usuários reais já no próximo semestre, segundo a aluna. “Até o momento é apenas um projeto, a próxima etapa é a parte de validação com usuários para desenvolvê-lo de fato, onde a Una pretende incluí-lo em uma squad do business lab no próximo semestre. E toda a equipe acredita muito no potencial do aplicativo e pretendemos levar adiante”, ressalta a jovem de 18 anos.

Grupo ‘3D Recycle’ na entrega do prêmio final para os vencedores. Fonte: arquivo pessoal.

Plugados no Mercado da Una

Em sua primeira edição, o Plugados foi um evento que aconteceu em junho deste ano, focado em alunos de T.I e Gestão da Una. Ele tangibilizou as oportunidades de carreira e fortaleceu a empregabilidade, a partir da conexão entre estudantes e empresas do setor. 

Profissionais eminentes do mercado promoveram atividades, dinâmicas e ambientes de palestras, além do desafio de hackathon. Estiveram presentes também grandes empresas de Gestão e de Tecnologia da Informação, como Gama Academy, Sicoob Coopjus, ArcelorMittal e Take Blip, que fomentaram a troca de experiências. 

0 187

Nomeado de Bem Viver, programa atua com apoio e tratamento para a comunidade local de Belo Horizonte 

Por Keven Souza

O Centro Universitário Una, integrante da Ânima Educação, está, hoje, presente não só na formação de futuros profissionais do mercado como instituição de ensino superior, mas também na vida da comunidade local que vive na região centro-sul de Belo Horizonte, através do projeto Bem Viver. 

O programa, que faz parte da Cidade Universitária e da Clínica Integrada de Saúde da Una, tem prestado atendimento às pessoas com transtorno alimentar (TA) na cidade, na promoção de saúde e prevenção de doenças. “Não temos nenhum centro de referência que acolha esses pacientes e a população que tenha esse perfil em Belo Horizonte. A ajuda é de extrema importância, pois os transtornos alimentares podem afetar tanto a saúde física, mental e todo comportamento social do indivíduo”, explica a nutricionista e professora da Una, Denise Alves Perez.

O Bem Viver possui o objetivo de acolher, oferecer e promover a assistência gratuita, adequada e humanizada àqueles que passam ou passaram pela dificuldade dos transtornos alimentares, que são doenças psiquiátricas relacionadas a comportamentos persistentes que afetam negativamente várias áreas importantes da vida. 

Ele atua em diferentes frentes para ajudar indivíduos com o distúrbio. Durante todos os atendimentos, profissionais agem de forma interdisciplinar a observar a complexidade dos transtornos, tendo o cuidado devido de acordo com as necessidades do próprio paciente. 

O processo funciona a partir da examinação e solicitação de testes para realizar o diagnóstico e, então, encaminhar aos devidos profissionais. Logo após, psicólogos fazem consulta posteriormente ao diagnóstico. E os nutricionistas podem propor alterações de consumo, padrão e comportamentos alimentares, completando assim, a equipe básica para o tratamento efetivo de um transtorno alimentar.

Para participar da consulta,  interessados que necessitem de ajuda com qualquer tipo de transtorno alimentar, devem preencher o formulário de atendimento e aguardar o contato da Clínica Integrada de Saúde da Una. Venha fazer parte!

Ensino teórico-prático 

Em seu escopo, o Bem Viver fomenta, ainda, o interprofissionalismo e o ensino teórico-prático de quem está no centro de toda a Una: os alunos. “Eles são extremamente beneficiados, pois dentro do projeto temos encontros semanais, com palestra, debates, discussões sobre o tema, além dos atendimentos, deixando esses alunos cada vez mais capacitados a lidarem com esse público (pacientes com TA) que só vem crescendo na população”, comenta Denise. 

Os estudantes das áreas da Saúde, que envolvem os cursos de Biomedicina, Enfermagem, Estética, Nutrição, Fisioterapia, Farmácia, Odontologia, Pedagogia e Psicologia, são aqueles que, sob supervisão de uma equipe de preceptores clínicos com expertise nos serviços ofertados, atendem a comunidade local e, acima de tudo, colocam em prática teorias absorvidas em sala, construindo uma formação ávida. 

Clínica Integrada de Saúde CDU 

Localizada na Rua dos Aimorés, 1451, na região centro-sul da capital mineira – no Campus Una Aimorés, a clínica contará com infraestrutura de última geração para quem precisa de uma atenção especial ligada à saúde. Possui clínicas de Fisioterapia, Estética, Farmácia e Odontologia, além de consultórios de Psicologia, Nutrição e laboratórios de práticas interdisciplinares, com recepção para atendimentos da comunidade local.

Horário de funcionamento: de segunda a sexta-feira, das 8h às 21h, conforme a agenda disponível. 

 

Com lançamento para o segundo semestre de 2022, o curso de graduação é a nova aposta da Cidade Universitária 

 

Por Keven Souza

A Cidade Universitária da Una (CDU) – que inclui os campi Aimorés, Liberdade e João Pinheiro, acaba de lançar o curso superior de Engenharia de Software na capital mineira. É com a ideia de ampliar e transformar o país pela educação, que interessados na área passam a contar com a oferta, agora, na Una de BH, a partir do segundo semestre deste ano, com infraestrutura diferenciada e matriz curricular integrada. 

“O novo curso fortalece os pilares da Una, que são Empregabilidade e Empresabilidade, Acessos e Comodidade e Diversidade e Inclusão. Fortalece, ainda, o viés de Inovação e Hands-on (mão na massa) das Engenharias da Cidade Universitária Una”, enfatiza o coordenador das áreas de Engenharia CDU, Pedro Prates, sobre a chegada do curso de Engenharia de Software. 

Serão ofertadas vagas nos períodos manhã e noite, para os estudantes ingressantes, com eventuais migrações de turnos. Com a chegada deste novo curso, autorizado pelo Ministério da Educação (MEC), o campus da Una Aimorés passa a oferecer oito cursos na área de Engenharias, sendo eles Engenharia Química, Engenharia de Produção, Engenharia Civil, Engenharia Mecânica, Engenharia Elétrica, Engenharia da Computação, Engenharia de Controle e Automação.

O campus conta com uma ampla biblioteca, áreas de convivência, auditórios e laboratórios de informática. E para as Engenharias da CDU, possui laboratório temático ‘Engineering Lab’, parte do projeto Anima Hub. 

Mercado e diferenciais do curso

A Engenharia de Software é um segmento na área de Ciência da Computação que integra metodologias, processos e práticas de forma a otimizar o desenvolvimento de aplicações e programas (softwares), que estão em alta no mercado hoje em dia. É o que explica Pedro. “O profissional da área se diferencia do desenvolvedor pela necessidade de conhecer e trabalhar em conjunto com a área que projeta, mantém e opera o hardware onde os sistemas são executados. Dito isso, estude na Una CDU e explore o melhor que existe em você”, ressalta. 

Na Una, a Engenharia de Software parte de premissas inovadoras e disruptivas que o caracteriza como diferencial do que se tem, hoje, no mercado. O(a) estudante do novo curso irá desenvolver uma visão integrada do ciclo de vida dos softwares e soluções, atuando na arquitetura de ambientes que irão servir de base para outros profissionais de tecnologia realizarem seu trabalho, desde a fase de especificação e projeto, à diferentes processos de execução e testes. 

Além disso, contará com um currículo alinhado com as expectativas das empresas da área, bem como terá acesso a projetos de UCs Duais que são realizados em parcerias com grandes empresas do mercado e que trazem experiências do mundo do trabalho para a sala de aula e possuirá, ainda, o ensejo de realizar atividades de extensão focadas em problemas reais da sociedade.