Una

Professores e estudantes da Una durante o Minas Trend. Fonte: Divulgação Una

Por Keven Souza

Durante 02, 03 e 04 de novembro, estudantes dos cursos de Moda, Jornalismo, Cinema e Audiovisual da Una, marcaram presença na 28° edição do Minas Trend que aconteceu no Minascentro em BH. O maior salão de negócios da América Latina, promovido pela FIEMG, contou com palestras, lives e workshops gratuitos, tanto na modalidade remota quanto presencial, e recebeu novamente os alunos que ampliaram suas experiências com o mercado, a partir da parceria Una e FIEMG

Tal parceria possui o objetivo de encurtar a ponte entre universidade e indústria, proporcionando uma formação diversificada para o aluno. É o que destaca a professora de moda da Una, Gabriela Penna. “Aproximar a indústria da universidade coloca o aluno da Una em contato com marcas, fornecedores, profissionais do segmento em um aprendizado transformador. É a porta de entrada para os futuros profissionais do mercado, por meio de vivências exclusivas, ricas e formativas”, afirma. 

Formada por uma equipe multidisciplinar, os alunos experienciaram na prática o exercício de suas futuras profissões. A Comunicação Social ficou por conta da cobertura do evento, ao lado da assessoria do Minas Trend, e a Moda teve o ensejo de produzir, novamente,  um editorial de moda completo com peças dos expositores presentes no salão.

O editorial trabalhou com o conceito da comemoração dos 15 anos do Minas Trend. Nesta edição, o tema desenvolvido foi o Fashion Heritage, proposta ao qual está alinhado o conceito de herança. De olho na celebração desse legado, o plano de styling propôs traduzir em imagens a história do evento para a moda mineira, a afetividade e construção de um legado de anos de salão de negócios. 

Experiências únicas 

Larissa Raydan, aluna de Moda da CDU, conta como foi participar do editorial. Ela desenvolveu atividades relacionadas à produção no backstage. “Participar me proporcionou uma experiência mais profissional da carreira de modelo, que é algo que já trabalho e estou inserida no mercado. Estar no Minas Trend, me colocou em contato com um material exclusivo. Que me trará muita visibilidade e credibilidade dentro da minha carreira”, comenta. 

Para Carla Oberhofer, aluna de Cinema que esteve na produção de conteúdo, a convergência entre marcas, alunos e empresas, contribuiu para desenvolver visão ampla sobre sua área de atuação. “Me ajudou a enxergar como funciona realmente o trabalho. Tirar foto ou gravar um vídeo não é algo simples, é preciso saber o que você vai fazer. Assim, estar ali foi algo muito novo, pois era minha primeira vez no Minas Trend, mas foi uma experiência diferenciada”, pontua. 

Já a estudante de Jornalismo, Caroline Constance Ragi Zuppo, ‘vestiu’ a camisa de assessora e acompanhou de perto a rotina enquanto jornalista. “Foi bem legal! Eu fiquei apaixonada pela quantidade de expositores e também pelas tendências. Entrei no Jornalismo para trabalhar com moda, então foi muito gratificante para mim poder estar no meio desse evento. É um evento que faz brilhar os olhos de quem gosta de moda. Atuar na minha área então nem se fala, perdi o medo e o receio que tinha sobre entrevistar e consegui produzir conteúdos bem legais”, diz. 

Como foi a 28º edição do Minas trend

Em novo local, o maior evento da indústria da moda mineira debutou novas tendências para Outono/Inverno 2023 e movimentou cerca de R$20 milhões em negócios, com o mote “A Moda no Centro”. 

O Minas Trend reuniu os segmentos de vestuários, jóias, bolsas, calçados e bijuterias ao longo dos três dias de evento. Apresentou, ainda, nos largos corredores do Minascentro, o melhor da produção local com a moda global, celebrando 15 anos de empreendimento. E para o público final mostrou como funciona a indústria criativa a partir de palestras, lives e workshops. Fechando com chave de ouro mais uma edição bem sucedida. 

Por Keven Souza

No último sábado (29), aconteceu a premiação da 2° edição do Concurso de Interiores da Una Região Metropolitana e BH na Una Aimorés. Foram mais de 50 equipes inscritas, que envolveram um total de 100 alunos da instituição. O evento foi organizado pelo laboratório de arquitetura da Una Fábrica (NAU), com apoios dos professores, e contou com coffe break para os presentes logo após as premiações aos vencedores, onde marcaram presença coordenadores de cursos, educadores, empresas parceiras, além de convidados.  

O Concurso de Interiores da Una RMBH fomenta vivenciar a experiência de um projeto feito do zero, com todos os processos de um case real. É o que explica Ana Karolina Oliveira, líder do laboratório responsável pelo evento. “Desafios como esse, provocam nossos alunos positivamente e ajudam a complementar a formação e crescimento de cada um. Os problemas reais de uma planta com restrições construtivas, fachada preservada e claro, o tamanho de residências tangíveis, tornam a experiência ainda mais enriquecedora. Além disso, o briefing primoroso proposto pelo cliente convidado, que trouxe consigo desafios que iam de um extremo ao outro, foi pensado para despertar a criatividade e aguçar a aplicação de técnica”, afirma. 

Novos desafios nesta edição

A proposta era atender um cliente solteiro com demanda de um projeto de interiores, ao qual possuía gostos inusitados e exigências desafiadoras. Raphael Paulino, economista, foi o cliente desta segunda edição. Ele conta que almejava um projeto de interiores fora da curva, não bidimensional e muito diferente do comum. 

“Somos uma esfera com polos, nuances, curvas e gostos diferentes. Tentei trazer um pouco disso no briefing, pedia algo muito inusitado no quarto ao mesmo tempo queria uma área voltada para a espiritualidade. Aí eu que sou professor de Economia, que faz aula de canto, queria um quarto acústico onde pudesse praticar os ensaios. Em paralelo sou goiano e gosto de fazer churrasco, logo pedi um espaço externo para receber amigos em casa. Isso tudo foi um desafio para os meninos desenvolverem os projetos, mas em todos eles vi um pouco de mim. Foi gratificante receber projetos que extrapolaram a criatividade e o design de interiores. Espero poder aplicar um dia”, comenta Raphael. 

Embora o Concurso de Interiores seja uma competição, não há estímulo para rivalidade. A ideia principal é o aprendizado técnico e prático de conceitos absorvidos em sala de aula.  Bem como, a construção de portfólio e network para além dos muros acadêmicos. Dito isso, nesta segunda edição, três parceiros apoiaram o concurso: Loja Elétrica, Escola Desenhar e Escritório Aliás Arquitetura. O concurso também contou com uma banca de júri técnico que avaliou criteriosamente cada projeto de interiores. 

Para Thalita Mattos, professora da Una, que participou como jurada, os alunos conseguiram superar as expectativas não só do cliente, como também dos jurados técnicos. “A nossa preocupação sempre foi, de fato, de serem coisas além de lindas, nada executáveis. Nós, que temos um olhar técnico, queríamos projetos maravilhosos, porque sabemos o potencial deles. Mas gostaríamos de ter certeza que quem saísse premiado teria um projeto pronto para sair pra obra. E conseguimos isso!”, explica. 

De 50 inscrições a 5 finalistas 

Ashley Coimbra de Assis Lino e Daniela Cristina Felix Andrade foram as alunas de Arquitetura e Urbanismo que conseguiram emplacar os requisitos desejáveis para se colocarem em primeiro lugar na disputa. Com o projeto Liberté, levaram para casa dois tabletes, duas luminárias da Loja Elétrica, curso de iluminação do Escritório Aliás Arquitetura e 100% de bolsa em qualquer curso da Escola Desenhar, além de certificado de participação e mimos da Una. 

Segundo Dani, esse tipo de iniciativa é de suma importância na sua vivência acadêmica enquanto estudante. “O concurso de interiores na Una, abre muitas possibilidades, uma delas, são as experiências adquiridas durante o andamento do projeto. As pesquisas e as inspirações são fundamentais para propor o layout de acordo com o briefing do cliente. Fora os desafios encontrados durante o percurso, ao qual aprimoramos as técnicas arquitetônicas, detalhamentos e demais áreas”, diz. Já Ashley, sua parceira, disse à equipe do Contramão, que o diferencial do seu projeto foi o detalhamento e soluções entregues no projeto. “Acredito que o principal diferencial foi a quantidade de pranchas de detalhamento que nós entregamos, além de termos seguido o briefing de forma muito fiel e criado soluções inovadoras”, pontua. 

Lado a lado a dupla, Renata Érika Nunes Figueiredo e Josiane Aparecida Ferreira formaram o segundo lugar na classificação, promovendo uma disputa acirrada na decisão. Elas contemplaram duas Alexas, o curso de iluminação do Escritório Aliás Arquitetura e 100% de bolsa em qualquer curso da Escola Desenhar. 

Já em terceiro lugar, ficaram João Victor Vidal Almeida e Daniella Balbino Praes Silva. Eles ganharam duas trenas a laser, como também o curso de iluminação do Escritório Aliás Arquitetura e 100% de bolsa em qualquer curso da Escola Desenhar. 

Fechando o pódio desta temporada, as menções honras foram dadas à Camila Oliveira Campos, Debora Rayane Arantes Barbosa, Lucas Martins Liz Lage e Sabrina Lopes Dias Faria. Ambos brilharam na disputa e receberam também o curso de iluminação do Escritório Aliás Arquitetura, além de 100% de bolsa em qualquer curso da Escola Desenhar.

Clique aqui e veja as fotos do projeto!

 

0 389
Conecta 2022/2
Conecta 2022/2

Por Keven Souza

A Cidade Universitária da Una (CDU) realizou mais uma edição do Conecta nesta semana. Durante os dias 10, 11 e 13 de outubro no campus Liberdade, o evento, que acontece a cada semestre, chegou a 10ª edição promovendo mais um espaço de aprendizado e conversa entre alunos e especialistas do mercado. Foram mais de 40 palestras, 32 especialistas e 1600 inscrições para o encontro. 

Os cursos de Comunicação Social da CDU voltaram a participar da grade de programação do Conecta neste semestre, após ficarem de fora por quase 3 anos consecutivos devido à pandemia. O que soma mais uma edição histórica para o evento, que contava com a presença dos cursos de Arquitetura e Urbanismo, Design de Interiores, Design Gráfico e Moda, desde 2019. 

Karol Oliveira, professora e líder da Fábrica Una, explica a importância da Comunicação Social retornar ao evento. “Estamos em cursos de economia criativa que precisam se apoiar, se dar valor e mais do que isso, entender que é um encontro interdisciplinar, e se a gente não tem um evento que representa esta união não faz sentido. O Conecta nasce junto a esses cursos, mas é a primeira vez que ele está sendo junto com a Comunicação em pós pandemia, vindo da proposta dos coordenadores de unir novamente toda a área criativa do campus Liberdade”, diz.

Segundo ela, o Conecta chegar a sua 10ª edição representa o engajamento e a interatividade dos alunos com o evento. “A persistência dos nossos alunos é o principal motivo dele acontecer. Eles cobram o Conecta, acho que é algo que se culturalizou e é uma coisa que eles esperam que aconteça, assim como uma disciplina. Eu comecei o Conecta como aluna, dentro da sala de aula, até passar a entendê-lo como funcionária que viabiliza o evento. Mas o que traz esse caráter importante são os alunos interessados que sempre perguntam e não abrem mão dele. É deles e para eles”, afirma Karol. 

Nesta edição, estiveram presentes alunos e egressos, convidados, professores, público externo, atlética do campus Liberdade, além da Fábrica Una, laboratório de Economia Criativa da Una, que produziu e executou todo o evento. Tudo muito bem estruturado para ser uma semana rica em trocas e conhecimentos. 

O Contramão dá ênfase às palestras mais procuradas ao longo dos dias, são elas: “Oficina de Produção Audiovisual”, ministrado pelo professor José Ricardo; “A Importância da Imagem”, lecionada pela designer Marina Kemp; “Posicionamento de Marca no Mundo Digital”, apresentada pela designer Elisa Santiago; “Precificação de Freelance”, fornecida pela designer Maria Paula; “Arquitetura Sustentável na Prática”, ministrada pela arquiteta Regina Padilha; e “Oficina de Edição de Imagens”, apresentado pelo produtor audiovisual Estevam Oliveira.

Por Keven Souza

A Rádio Una voltou a movimentar os seus projetos relacionados à produção de podcast nas últimas semanas de setembro. O Eu Que Fiz Podcast é sua nova aposta, uma temporada que promove o diálogo com alunos da Cidade Universitária que desenvolveram trabalhos e projetos incríveis fomentados pela universidade. E hoje (27), o episódio piloto está no ar! 

O Churrasco na Laje é o trabalho multiplataforma escolhido para estrear a temporada feito pelos alunos de Jornalismo, Ana Clara Souza, Caio Henrique, Júlia Thais, Katarine, Keven Souza, Millena Vieira, Pedro Almeida e Paulo Vieira, que se destacaram pelo engajamento e proatividade em volta do trabalho proposto em sala de aula. 

A ideia do Churrasco na Laje, bem como seu nome, surgiu a partir da Unidade Curricular (UC) de Produção de Conteúdo em Multiplataforma, ministrada pelas professoras Ana Carolina Souza e Daniela Savaget aos cursos de comunicação social no último semestre.

Grupo na gravação do videoclipe. Imagem: Jessi Góes.

A proposta consistia em desenvolver um projeto multiplataforma, acerca do tema “Comidas Típicas”. Dito isso, os estudantes deveriam apresentar um produto audiovisual – onde fizeram um curta-metragem, um produto sonoro – onde desenvolveram uma playlist, dois produtos textuais – onde produziram matérias jornalísticas – e três produtos fotográficos ou visuais, em que entregaram um ensaio fotográfico, além de um site completo. 

Tudo pensado para serem criativos, ousados e disruptivos. E não diferente disso, o Churrasco na Laje virou ponto de referência. É o que explica Ana Carolina Souza. “Eles conseguiram entregar um trabalho robusto, interessante, bonito e bem feito. Então se tornam sim uma referência de algo que é possível ser feito, de elementos visuais, estéticos e realmente de dedicação ao trabalho, que de fato pode se tornar referência para outros colegas. Colegas tanto nós professores, quanto também entre os próprios alunos”, diz a professora. 

Segundo Ana, após quase três meses de encerramento da UC, o sentimento que permanece é o de orgulho. “É com muito orgulho assim, que eu tenho de ter incentivado eles a fazerem isso. Gostei demais do resultado não só por conta deles terem associado todos os conceitos e elementos que eles trabalharam em sala. Mas de terem assumido esse lugar de serem donos dessa narrativa. E é um trabalho que tem personalidade, que você consegue ver as pessoas que criam esse material refletidas ali no resultado”, finaliza.

Como foi a estreia

Neste primeiro episódio do Eu que Fiz, quatro dos integrantes estiveram presentes. Ana Clara Souza, Júlia Thais, Keven Souza e Millena Vieira discutiram sobre toda a construção do trabalho em uma conversa descontraída.

Keven, Millena, Júlia e Ana, na gravação do podcast na Casa Una. Imagem: Gladison.

Com brilho nos olhos, Ana comentou em detalhes sobre o curta-metragem, na qual foi produtora. Júlia deixou claro que perrengue foi o que mais houve, ela citou os percalços presentes até a entrega final do trabalho. Já Millena, agradeceu aos colaboradores da Una que ajudaram diretamente, ou indiretamente, na execução do Churrasco na Laje. E Keven, mediou toda a conversa. Ao longo do episódio foi mostrado ainda os produtos exigidos na UC, feito por eles. Bem como, o vídeo, o site, as fotos, entre outros.

O Eu Que Fiz Ep 1 está disponível na plataforma do Youtube. Para assistir na íntegra o bate-papo acesse o canal TV Una Fábrica! Veja, reveja e fique por dentro do que está sendo produzido pelos futuros profissionais do mercado de trabalho. 

(Foto: Keven Souza)

Por Keven Souza

Os acadêmicos do Centro Universitário Una possuem agora um novo espaço de escuta, convivência e reunião para pautas estudantis. A sala 006 do campus Liberdade é a nova sede do Diretório Central dos Estudantes (DCE) de toda Una Belo Horizonte, que recebeu os membros do atual DCE na última quinta-feira (18), marcando uma importante conquista para o estudante da Una.  

A posse do espaço contou com a presença de alunos e equipe do Contramão. Diferente da antiga organização estudantil que estava em vigor, esta é a primeira vez na história que o DCE da Una não só conquista, como também possui uma sede física.

A sala está localizada no subsolo do campus Liberdade, ao lado do Laboratório de Medicina Veterinária, conta com mesas, cadeiras, sofá, ar-condicionado e impressora. Além da expectativa de possuírem um espaço para coffee break.  Tudo pensado para que alunos das unidades da Una possam ter um local de pertencimento e apoio.

O papel do DCE

Representantes do DCE se reunem em novo espaço no campus. ( Foto: Keven Souza )

O chamado Diretório Central dos Estudantes (DCE) é uma organização gerida por e para alunos. De maneira democrática, propõe soluções para dilemas comuns no dia a dia dos graduandos por meio do protagonismo estudantil. É o que explica a secretária geral do DCE, Luana Sales. “No básico do básico, o DCE é a comunicação dos alunos com a direção. Ele faz esse trâmite, que é importante em uma faculdade, onde existem as calouradas, os eventos, a busca por estágios, por exemplo. Então, é basicamente essa troca, esse acolhimento”, diz. 

Segundo Sales, além da comunicação assertiva com a coordenação da faculdade,  o novo DCE da Una estará mais atento com o movimento estudantil.  “Por trás do nosso Diretório existe uma organização estudantil, que é o UJS, o UEE e o UNE, que também promovem muitos eventos políticos e de teor educacional. E nosso DCE, além de ser uma força política unida com estas organizações, vai ser uma força que vai acolher os alunos, promovendo melhor um ambiente na faculdade”, ressalta a secretária.

O DCE está de prontidão, a priori, nos turnos manhã e noite, durante o horário das aulas, aberto para receber os acadêmicos com queixas sobre melhorias no ambiente universitário, além de pautas de convívio social. 

Conheça os integrantes do DCE da Una:

Presidente: Ana Clara Soares 

Secretária Geral: Luana Sales

Tesouraria: Ana Carolina Custódio

Comunicação: Pedro Cardiel

Diretoria de Atléticas: Laerte Santos 

Diretora de Políticas Afirmativas: Roberta Moreira 

Diretoria de Cultura e Eventos: Sibelle Macedo

Coordenadores Una Aimorés: Karolina Santos e Lucas Rodrigues 

Coordenadora Una Liberdade: Ana Luisa Lacerda 

Coordenador Una João Pinheiro: Gabriel Souza 

Coordenadora Una Cristiano Machado: Giovanna Cordeiro 

Coordenadora Una Linha Verde: Echelen Costa 

Outros participantes: Pedro Lucas

Para saber mais informações sobre o Diretório Central dos Estudantes da Una, siga-os nas redes sociais:

Instagram 

Grupo no Telegram

Grupo no Whatsapp

E-mail para dúvidas e sugestões: [email protected] 

Por Keven Souza

Nesta semana, durante os dias 03 e 04 de agosto, a Una Liberdade foi palco para mais um evento que acolhe, encanta, forma e gera vínculos aos alunos ingressantes das áreas de Comunicação, Artes e Design da Cidade Universitária Una (CDU), o Liberdade Open Week 2ª Ed. Realizada durante os turnos, manhã e noite, a ação emplacou novamente uma edição de sucesso que com muita interação, inseriu os mais de 30 calouros presentes, na jornada acadêmica que se inicia neste 2º semestre de 2022.

Assim como na edição anterior, foram apresentadas ao longo dos dois dias, oficinas, palestras, bate-papo com a coordenação, professores e Fábrica, além de visitas guiadas pelos campi Una Liberdade e Una João Pinheiro. 

Além disso, o Open Week contou, com ações realizadas pela Atlética de Comunicação e Design do Campus Liberdade (ACDL), como bodypiercing, flash tattoo e DJs durante todo o evento. Também estiveram presentes no campus, os representantes do Diretório Acadêmico Estudantil (DCE). 

hgnhnhnjhjhh
Professora Lorena Tárcia em sua oficina sobre Branding Pessoal Transmídia.

Sobretudo, com tamanha programação, o Contramão dá destaque às atividades em que houveram mais interação,  como a oficina “Branding Pessoal Transmídia”, ministrada pela professora Lorena Tárcia; a oficina “Snack e Bebida Harmonizada”, lecionada pelo professor Sinval Espírito Santo; a oficina “Cor Ênfase em Softwares”, apresentada pelo professor Gustavo Tixai; a oficina “Animação Stop Motion”, dada pelo professor Sávio Leite; e as oficinas “Estamparia, Silk em Bolsa Jeans” e “Como criar base para Croquis de Moda”, ministrada pela professora Gabriela Penna. 

Gustavo Vilela, estudante do primeiro período de Publicidade e Propaganda, fez parte dos novos alunos da CDU que estiveram presentes durante o Open Week e participou da oficina de Branding Pessoal Transmídia. Ele afirma que foi enriquecedor. “Quis vir para aprender e agregar conhecimento à minha formação estudantil. Aprendi muito sobre Branding na construção pessoal e também no trabalho, e se eu pudesse definir esse dia, diria que foi excelente”, diz. 

Segundo Antônio Terra, coordenador de grande área do campus Liberdade, o Liberdade Open Week é sobre recepcionar os alunos ingressantes de forma calorosa. “É uma forma de criar vínculo com nosso aluno, de ter um primeiro contato com nossos laboratórios e com os professores que irão acompanhá-los pelo curso. Então foram dois dias nesse semestre em que tivemos a oportunidade de viver experiências práticas, bem mão na massa, com uma conversa ampla sobre trajetória, percurso e nosso modelo acadêmico”, declara. 

Grande acolhimento no boas-vindas 

Professores receberam alunos em sala de aula para uma conversa

Dentre toda a programação especial, também aconteceu a recepção de boas-vindas aos calouros, realizada por António Terra. Com mochila nas costas, caderno em mãos e sorriso no rosto, os novos estudantes puderam conhecer de perto o conceito amplo e diverso da Cidade Universitária Una (CDU). 

O olhar de atenção e curiosidade estava estampado em cada aluno que se apresentava. Os jovens receberam Terra para um bate-papo sobre sonhos e carreira profissional, que terminou a conversa indagando: “O aprendizado não é um lugar confortável. Queira sempre estar perto do diferente, porque é ele que vai te desafiar, aquele que não pensa igual a você vai te tirar do seu lugar. E isso é único, vale para a vida toda”, pontua. 

Nesse acolhimento estavam presentes, junto ao coordenador, professoras de jornada dos cursos de Jornalismo, Relações Públicas, Publicidade e Propaganda, Designs, Moda e Gastronomia; bem como a equipe da Fábrica – laboratórios de Economia Criativa – e a ACDL. 

Para a caloura de Design Gráfico, Laura Gonçalves, a recepção foi perspicaz para criar vínculos e conhecer os espaços do campus Liberdade. “Acho muito importante esse momento, porque possibilita a gente não chegar no primeiro dia de aula não conhecendo nada e nem o campus. E o acolhimento foi bem caloroso, gostei do campus, da aula, tudo bem positivo”, comenta.