Una

0 553

Conheça a Dígito Zero e o NAV. Laboratórios  audiovisual e gerenciamento de equipamentos do Campus Liberdade

*Por Italo Charles

A partir de uma produtora acadêmica audiovisual surgem produções inimagináveis,  produções e produtos cinematográficos, aqui, ganham vida. Hoje apresentamos a você, mais dois eixos que compõem a Fábrica, os laboratórios Dígito Zero (DZ) e NAV.

Local de experimentação, aprendizado, produção e pós produção, essa é a DZ,  produtora audiovisual experimental situada na Una Campus Liberdade. O espaço oferece aos estudantes suporte para que os trabalhos desenvolvidos através do auxílio dos técnicos e dos estagiários. “A Dígito Zero é um local especial para os alunos de cinema que precisam de bons computadores para editar seus trabalhos”, explica  Raphael Campos, líder dos núcleos.

Já o NAV é o setor que gerencia todos os equipamentos audiovisuais (cinema, foto e áudio).. Lá são fornecidos empréstimos de equipamentos aos alunos e professores, além de auxiliar as aulas práticas com os laboratórios de TV, rádio, fotografia, animação e edição . “Por ser um núcleo que atende toda a comunidade acadêmica, o NAV tem uma conexão muito grande com o alunos, sendo um dos setores mais acionados pelos cursos do campus” afirma Raphael.

O time de colaboradores da Dígito Zero é composto por Raphael Campos – líder DZ e NAV, pela técnica Isabela Novaes (responsável pelo turno da manhã), pelo técnico Mateus Felix (responsável pelo turno da noite) e pela estagiária Maria Luiza. Já o lab NAV é formado pela técnica Ariadne Tannus (período matutino), pelo técnico Gladison Gonçalves (período noturno) e pela estagiária Milena Bárbaro.

Para expandir os serviços prestados, atualmente a Dígito Zero atende demandas externas de parceiros da Una e do curso de Cinema. Os serviços prestados vão desde a gravação de reality shows, como o Caminho de Mesa exibido na Rede Minas à gravação de podcast e desfiles de moda.

Com a palavra, o líder 

“O NAV e a Dígito Zero estão de portas abertas para os alunos e professores da instituição. Adoramos fazer parte dos projetos audiovisuais, dando total suporte técnico” – Raphael Campos.

Você pode conhecer mais da DZ pelo Instagram. Lá publicamos dicas diárias sobre audiovisual de forma simples, descontraída e interativa, segue-lá!

 

*A matéria foi produzida sob a supervisão da jornalista Daniela Reis

0 498

Alunos terão a possibilidade de participar de ação para movimentar o setor gastronômico e turístico de Belo Horizonte

*Por Italo Charles

Entre os dias 11 e 18 de agosto acontecem as inscrições para a 3ª edição Desafio de Inovação e turismo,  parceria entre o Centro Universitário Una, Sebrae MG e Belotur que tem como finalidade propor aos estudantes grande imersão no mercado de trabalho através de soluções para o setor gastronômico e turístico de BH.

Serão selecionados 40 alunos da Una,de diversas áreas do conhecimento, e 15 estabelecimentos cadastrados pelo Sebrae . A proposta é auxiliar as empresas do setor gastronômico e turístico que estão passando por uma fase delicada devido a pandemia.

No desafio, os alunos criarão estratégias e propostas para solução e reintegração dos estabelecimentos através das demandas identificadas pelos estudantes e empresários. As demandas serão identificadas em diferentes áreas como gestão, comunicação e marketing, gastronomia, dentre outras.  

Para o coordenador do curso de Gastronomia da Una, Edson Puiati, o setor tem passado por grande dificuldade, e essa edição do projeto será de suma importância, pois proporcionará o contato dos estudantes com o mercado, além de instigar e prepará-los para os obstáculos na profissão.“Este é o momento dos graduandos colocarem em prática todos os conhecimentos adquiridos. Serão alunos de vários cursos, inclusive gastronomia, e a partir do contato com os empreendimentos e com os problemas indentificados, eles auxiliarão na solução desses problemas”, saliente. 

O Desafio de Inovação será iniciado no dia 24 de agosto e tem previsão de encerramento no dia 30 de novembro. Durante esse período os estudantes e empreendimentos selecionados trabalharão juntos e ao final, as melhores propostas e estratégias de solução pelos alunos serão premiadas.

Inova Gastronomia e Hackatur 

Destinado a empresários do setor alimentício, o Inova Gastronomia é um programa de inovação atribuído a negócios tradicionais de alimentação fora do lar de Belo Horizonte (bares, restaurantes, etc.), e tem como objetivo reformular os empreendimentos afetados nesse período de crise através de um olhar diferenciado.

Já o Hackatur, é o projeto  designado aos estudantes de graduação e possui o intuito de preparar os participantes através de uma maratona, elaborando estratégias e soluções para aprimorar o desempenho dos empreendimentos durante e após a pandemia.

Serviços:

11/8 – Desafio de Turismo e Inovação – Inova Gastronomia e Hackatur 

Lançamento do programa

Hora: 19h

Inscrições Inova Gastronomia:  3 a 18/8

Inscrições Hackatur:  11 a 18/8

Mais informações: 3379-9179 

Acesse o link para inscrição da palestra de abertura. 

*A matéria foi produzida sob a supervisão da jornalista Daniela Reis

0 613

Conheça a Luna a nossa agência experimental de Publicidade 

Por Italo Charles

“Fábrica em sua definição significa estabelecimento industrial onde se transformam matérias-primas em produtos destinados ao consumo. Na nossa fábrica, transformamos espaços, projetos, ideias em ações e conteúdos para consumo e enriquecimento do nosso ambiente acadêmico. 

Trabalhamos e preparamos nossas equipes e nossos alunos para estarem prontos par o mercado. E não funcionamos separadamente. Aqui, cada área é importante para o funcionamento do todo. A criatividade, o saber, a responsabilidade, a empatia, o fazer a diferença são o combustível da nossa fábrica. 

Fábrica de ideias. 

Fábrica de sonhos. 

Fábrica de profissionais.”

Espaço de aprendizado e trocas, ambiente de experimentação e renovação, desta maneira se forma a Fábrica. Acima, apresentamos a você, leitor, o manifesto produzido por Larissa Santiago, líder da agência Luna – laboratório de publicidade e design do Centro Universitário Una. 

A partir de hoje, uma vez por semana, levaremos à você um pouco sobre cada engrenagem dessa Fábrica. Para iniciar, contaremos sobre a Agência Experimental de Comunicação – Luna – fundada em 2004. A agência auxilia o setor de marketing do grupo Ânima e colabora com os cursos de comunicação da Una, além de promover eventos para o público acadêmico e também a comunidade. 

Composta pela líder e publicitária Larissa Santiago, pela supervisora técnica Isabella Vitória (recém-formada em Design Gráfico pela Una) e pelos estagiários e alunos do curso de Publicidade e Propaganda da Una, Emanuely Iolanda e João Lucas Soares, a Luna estabelece a conexão dos alunos e estagiários com as práticas mercadológica, funciona como ‘braço’ na produção de materiais gráficos para instituição e também para clientes externos. 

Para potencializar as habilidades e proporcionar novos saberes aos estudantes, a Luna propõe palestras e minicursos a fim de aproximar os aprendizes às práticas e conhecimentos profissionais, além de apoiar o estágio supervisionado e os projetos de extensão culminando o crescimento para além da área.

Com a palavra, a líder

 “A Luna pode ser um ponto de partida para aquele aluno que tem vontade de crescer profissionalmente, trabalhando de maneira profissional e ainda assim podendo experimentar diversas atuações no campo da publicidade, no próprio ambiente acadêmico e por isso de forma multidisciplinar. Por aqui, aplicamos na prática, a teoria aprendida em sala de aula e mais do que isso, os estagiários aprendem sobre comunicação e postura profissional para além das técnicas da profissão” – Larissa Santiago

Você pode conhecer mais sobre a Luna e seus trabalhos na página do Instagram. Lá também vocè encontra dicas sobre as áreas de Publicidade e Design, segue lá! 

 

*A matéria foi produzida sob a supervisão da jornalista Daniela Reis

0 871

Evento celebrou o aniversário de 89 anos do Mercado Central, contou com a presença vários chefs e também professores e alunos da Una

Por: Italo Charles

Muitos sabem que um dos tira-gostos mais apreciados pelos mineiros é o fígado com jiló. A partir disso, o Festival Cultural do Mercado Central que aconteceu no ano de 2018 realizou uma parceria com doze chefs de Belo Horizonte para tentar alcançar a marca de “Maior chapa de fígado com jiló do mundo”.

O evento que comemorou os 89 anos do Mercado garantiu o título esse ano (2020). A chapa que tinha por extensão 16 metros, foi montada na avenida Augusto de Lima e operada por dezenas de chefs, contando também com a participação de alunos e professores do curso de Gastronomia do Centro Universitário Una. 

Nomes da gastronomia mineira, como Flávio Trombino (Xapuri), Edson Puiati (Coordenador do curso de Gastronomia Una), Eduardo Avelar (Territórios Gastronômicos), Rosilene Campolina (Docente na Una e administradora do portal Chef a Chef), Marcos Proença (Patorroco), Jaime Solares (Borracharia), Ivo Faria (Vecchio Sogno), Rodrigo Zarife (Ro.ZA Gastronomia), Ilmar Antônio de Jesus (Casa Cheia), Valdez Maranhão (Buteco do Maranhão), Ronaldo Marques da Silva (Bar Fortaleza) e Wellington Paulo Nunes (Bar da Lora), foram os chefs responsáveis pela chapa.

A professora da Una, Rosilene Campolina, única chef mulher a participar da chapa contou um pouco sobre experiência de ter participado do festival. “Foi uma sensação de orgulho e ao mesmo tempo de responsabilidade, porque estive representando o segmento feminino dentro da gastronomia que muitas vezes é esquecido. Mas, também tive que ‘dar conta do recado’ por estar ao lado de vários outros chefs que são  grandes nomes da gastronomia”.

Um dos principais pontos para conquista do título, era valorizar a cultura e a gastronomia local, fomentando o uso de ingredientes regionais como explica o chef Michel Douglas Duda (participou do evento ainda enquanto aluno). “Foi uma sensação maravilhosa, senti que além de representar nosso país, estava valorizando meu estado, minha cultura e minhas raízes através da gastronomia. Hoje, vejo como grande importância, pois conquistamos com um recorde muito difícil de ser quebrado, porque pra mim não são só números, trata-se da valorização da cultura alimentar do nosso berço que é Minas gerais”.

“O título de maior chapa de fígado com jiló do mundo concedido pelo Guinness Book, apresenta ampla importância, pois gera reconhecimento profissional, reconhecimento da cultura local, uma vez que o título cria uma repercussão mundial, nos proporciona uma posição de abertura, potencializando o turismo, fomenta a economia e valoriza ainda mais nossa gastronomia. Enquanto docente, avalio o reconhecimento como uma forte referência para os alunos, mostrando-os como algo ‘nosso’, genuíno que muitas vezes é popular pode ser tornar sofisticado”, completa Rosilene.

 

 

*A matéria foi produzida sob a supervisão da joornalista Daniela Reis

0 574
Um dos pratos do grupo Elementar - vencedor da mostra. Foto: Luísa Bonfioli

Evento aconteceu no dia 18 e contou com grandes nomes da gastronomia mineira

Por: Italo Charles 

A 9ª edição do GastroUna que aconteceu no dia 18 de junho, proporcionou aos alunos uma nova experiência. O evento que pela sua primeira vez foi totalmente online, teve transmissão via Facebook e alcançou mais de mil espectadores, incluindo internautas internacionais. A mostra acadêmica celebrou a conclusão do semestre, viabilizando o contato dos alunos com o mercado. 

De acordo com a idealizadora do GastroUna, professora Rosilene Campolina, o evento é formulado a partir do conceito de inovação e sustentabilidade. “Foi um grande desafio organizar a mostra nesse formato virtual, tendo em vista que os alunos estão habituados a participar do evento fisicamente, produzindo os pratos, recebendo o público e interagindo com o mercado. Mas, como nossa premissa básica é a inovação, buscamos sempre a renovação. Através disso, construímos o evento com parceria entre os núcleos da Una, para transmitir ao público um conteúdo sem perdas”.

Com este novo formato, os alunos dos cinco grupos participantes, apresentaram aos jurados suas propostas de empreendimento gastronômico, que incluem a idealização, gestão, logística, desenvolvimento de cardápio e o preparo dos pratos. Assim como nas edições anteriores, os discentes tiveram que apresentar seus conhecimentos de cardápios e bebidas que contêm as Pancs (plantas alimentícias não convencionais).

A bancada de jurados foi contemplada por vários nomes conhecidos da gastronomia e do turismo mineiro, como: Ana Gabriela Baêta, Carlos Henrique, Eduardo Maya, Isabela Lapa,  Márcia Nunes, Miriam Furtado, Ricardo Rodrigues e o Vice presidente acadêmico do grupo Ânima, Rodrigo Neiva. O Chef e empreendedor Eduardo Maya, que participa como jurado desde a primeira edição, fala sobre o desenvolvimento do projeto durante os anos. “Cada semestre que passa, a cada ano, cria-se uma surpresa agradável, existe uma melhora. O que mais me encanta é o que eu venho dizendo há nove anos que a gastronomia não é só ser Chef, ela vai muito além e os alunos têm entendido isso”.

O vice-presidente acadêmico do grupo Ânima, Rodrigo Neiva, que compôs a bancada de jurados pela primeira vez, ressalta que eventos como o GastroUna, são de extrema importância  para a formação  dos alunos. “Ao participar de mostras desse formato, os formandos desenvolvem competências fundamentais para um gastrônomo, que é pensar a gastronomia em um aspecto mais amplo, considerando a preparação dos profissionais para os desafios do mundo contemporâneo”.

Ainda sobre a fase preparativa para o GastroUna, o aluno Recleir Moreira conta sobre o processo.  “O maior desafio foi fazer as pessoas se sentirem conectadas ao estabelecimento, vivenciando as experiências gastronômicas oferecidas. Para que isso fosse possível, criamos o Instagram com fotos e elementos visuais, além de muitos conteúdos que ilustram nossos pratos, conceitos, ações sustentáveis e a cidade escolhida para a criação do Elementar”.

Falar sobre gastronomia é criar um elo entre a culinária e a cultura de onde está sendo produzida, gerando sensações que refletem na afetividade. A partir disso vemos o turismo como uma linha tênue. “A gastronomia é um importante indutor da atividade turística na cidade, é elemento importantíssimo, é considerada a riqueza de um povo, ela perpetua culturas. Quando a gente fala sobre eventos como esse que promovem o contato entre os acadêmicos e o mercado, contribuímos para que essa cultura seja reproduzida, contribuímos também para a elevação dos empreendimentos, pois eventos assim oportunizam a inserção dos alunos nesse mercado que é dinâmico” comentou a Diretora de Marketing da Belotur, Ana Gabriela Baêta.

Criar um Gastrobar na cidade Mariana, a partir de olhar diferenciado para a gastronomia regional com a utilização de plantas alimentícias não convencionais no cardápio e drinks autorais, garantiu ao grupo “Elementar” composto por Caio Marcini, Clareane Brandão, Daniela Galastro, Gustavo Vasconcelos, Laura Vasconcelos, Luisa Bonfioli, Michele Novaes e Reicler Moreira, a vitória na competição. “O maior aprendizado, sem dúvidas, foi o trabalho em equipe, à distância. Com toda essa experiência, chegamos a conclusão que cada um sempre tem algo a acrescentar, e que um empreendimento tem maior potencial de sucesso se for construído por uma equipe capacitada”, comentou Reicler.

O segundo lugar das batalhas ficou com o grupo “Q Harmoniza”, que apresentou a proposta de empreendimento que preza pela harmonização de suas geleias com queijos e vinhos. A representante do grupo Natália Carvalho comentou sobre sobre o aprendizado adquirido para a formação  profissional dos componentes do grupo. “Não é fácil começar um empreendimento do zero, ainda mais com uma ideia original. O processo envolve muita pesquisa, trabalho e números. E  mesmo que o produto seja bom, ele se torna inviável se não encontrarmos o seu público alvo. Tivemos um semestre para realizar esse projeto e ainda assim foi muito corrido! Foi uma experiência incrível e que levaremos para o resto de nossas vidas!”, finalliza. 

Premiação
As equipes vencedoras foram premiadas com almoço nos restaurantes Dona Lucinha e Jotapê, kits de produtos da Cristina Misk, do Chefachef com Cafés Segafredo, Cimsal Flor de Sal, vouchers para eventos no Mineirão pós-pandemia, Camisas Atlético/Cruzeiro/América e kit love wine oferecidas pela professora de Eventos Priscilla Machado, convite para participação na Feirinha Aproxima e em festejos juninos de BH, kit da Sabarabuçu, : convite para aula show no Instituto Gourmet, vouchers Assacabrasa, cursos Academia Nova Safra e certificados personalizados da Una.

 

Não assistiu ao GastroUna? Então clique no link e assista o evento completo.

 

*A matéria foi produzida sob a supervisão da jornalista Daniela Reis

0 602

Por: Ruth Pires

Pensar na população negra LGBTQIA+ é pensar para além de acolhimento, amor, representatividade, resistência e diversidade. A partir disso, os extensionistas dos projetos Pretança e Una-se contra a LGBTfobia do Centro Universitário Una,  promoveram entre os dias 21 e 26 de junho a ação “Pessoas Negras LGBTQIA+ que nos inspiram” em prol da celebração do mês do orgulho LGBTQIA+, que teve como objetivo evidenciar a memória de pessoas negras que fizeram e fazem parte do movimento em Minas Gerais.

O ato buscou enaltecer a existência de pessoas negras LGBTQIA+ importantes no contexto local. Por meio de publicações diárias, foram noticiadas a vida e carreira desses representantes que são fundamentais para o movimento LGBTQIA+ no estado por lutarem pela construção cotidiana de espaços, potencializando debates e conscientização.

Para integrar essa campanha, foram convidados dez representantes. A ação contou com a participação da Sindicalista e fundadora da Parada LGBT de BH e Associação das lésbicas Soraya Menezes, o ativista político Dú pente, a comunicadora e historiadora Giovanna Heliodoro, o produtor cultural e ativista Elian Duarte, a Doutoranda em Comunicação e coordenadora do projeto de extensão “Pretança” Tatiana Carvalho, a psicóloga Dalcira Ferrão, a escritora e mestranda em comunicação Olívia Pilar, a estudante de Cinema e audiovisual Lua Zanella e a ativista e transfeminista Gisella Lima.

A coordenadora do Pretança, Tatiana Carvalho, falou sobre a importância de campanhas como esta.n“Primeiro, acho importante porque promove o reconhecimento das ações de algumas pessoas que são de gerações anteriores à atual nas universidades, e é importantíssimo reconhecer que há um caminho que foi percorrido por outras pessoas para chegar até onde a gente está. Outra ponto é a sensação de pertencimento ver outras pessoas como nós”.

Mês do Orgulho LGBTQIA+

O mês de junho faz menção à Revolta de Stonewall, uma série de manifestações da comunidade LGBTQIA+, que enfrentou a frequente violência policial de caráter lgbtfóbico na época. A partir de então, o episódio, que ocorreu no dia 28 de junho de 1969, se transformou em uma luta pelos direitos da comunidade de uma forma mais ampla: passou a ser considerado como o ato da libertação e o dia 28 de junho foi considerado como  “O Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+”.

 

Serviços:

Você pode acessar todo conteúdo no instagram do projeto de extensão Pretança  e Una-se contra Lgtbfobia. 

 

*Matéria supervisionada por Italo Charles e Daniela Reis