Chuva forte deixa estragos na capital mineira e região metropolitana

Chuva forte deixa estragos na capital mineira e região metropolitana

0 111

Por Marcelo Duarte e Moisés Martins

Foto: Alexandre Milagres

Sem qualquer aviso da Defesa Civil, uma forte chuva de granizo assustou moradores na noite da última segunda-feira, dia 6. A chuva, que pegou a todos de surpresa, trouxe caos e danos para a população Belorizontina e região metropolitana.  

“O vento batia na janela com muita força. Como moro no último andar do prédio, fiquei bastante assustada com a chuva repentina. Ainda bem que foi rápida”, relata Samyra Zaidan, moradora da região central de Belo Horizonte.

Os estragos foram sentidos em várias partes da cidade. Morador do Bairro Palmares, região Nordeste, o professor Alexandre Milagres teve um dos cômodos de sua casa inundado. “Parecia que as janelas iam todas quebrar de tão forte a chuva. Do lado de fora de casa, haviam camadas e mais camadas de granizo. Depois da chuva, todas nossas plantas estavam quebradas, tivemos uma telha quebrada pela força da tempestade”, enumera os prejuízos.

Em nota, a Defesa Civil de Belo Horizonte disse que está sem acesso às imagens do radar meteorológico, devido a ajustes no sistema. “Considerando que estamos fora do período chuvoso, a chuva de ontem foi uma surpresa, um fenômeno raro, de rápida formação e curta duração.”

Ainda de acordo com a Defesa Civil, a pancada de chuva, que durou apenas dez minutos, teve um reflexo maior na região da Pampulha, a mais atingida com o temporal. Foi registrado o maior volume de precipitação na região, 17,4 mm, e também o maior número de ocorrências como alagamentos, destelhamentos, granizos e deslizamentos.  

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), esta foi a primeira chuva de granizo registrada no mês de agosto em Belo Horizonte. O instituto faz medições na capital mineira desde 1910.

O meteorologista Ruibran dos Reis esclarece, em entrevista ao telejornal MGTV 2ª edição, da TV Globo Minas, que o fenômeno ocorrido, chamado de pré-frontal, é um aglomerado de nuvens que se formam antes da chegada da frente fria. Esse evento natural é comum durante o verão e dificilmente ocorre no inverno. “Quando a frente fria chega em Minas Gerais, ela deixa o tempo nublado, chuva leve e depois queda acentuada de temperatura”, explica o especialista. A última grande chuva de granizo na capital ocorreu aproximadamente há dez anos atrás.

Em um comunicado postado no Facebook, a Defesa Civil colocou algumas recomendações e avisos sobre alertas de chuvas isoladas que fica valendo até esta quarta-feira, dia 8.

Comunicado da Defesa Civil de Belo Horizonte:

A Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil recomenda evitar áreas de inundação e não trafegar em ruas sujeitas a alagamentos e próximos aos córregos e ribeirões no momento de forte chuva, pois o seu nível pode se alterar rapidamente podendo acarretar transbordamentos.

Adverte para que não se abrigue debaixo de árvores e estacione veículos, pois elas podem cair e ocasionar graves acidentes. Atenção especial também em áreas de encostas e morros.

Outras recomendações:

– Tenha um lugar previsto, seguro, onde você e sua família possam se alojar no caso de uma inundação;

– Limpe o telhado e canaletas de águas para evitar entupimento;

– Retire todo o lixo e leve para áreas não sujeitas a inundações;

– Se você morar ou possuir comércio em áreas sujeitas à inundação coloque seus móveis e estoques em lugares altos;

– Colabore com a abertura de deságues para evitar o estancamento de água, pois pode causar muitos prejuízos,

principalmente para a saúde;

– Não utilizar alimentos atingidos pela água de enchente ou inundação e nem beber água de enchente ou inundação;

– Não jogar lixo nos bueiros e boca de lobo, nem nos córregos e rios, para não obstruir o escoamento da água;

– Não amontoe sujeira e lixo em lugares inclinados porque eles entopem a saída de água e desestabilizam os terrenos provocando deslizamentos;

– Não deixar crianças brincando na enxurrada ou nas águas dos córregos, pois elas podem ser levadas pela correnteza ou contaminar-se, contraindo graves doenças, como hepatite e leptospirose;

– Não tocar nem usar equipamentos elétricos que tenham sido molhados ou estejam em locais inundados, pois há risco de choque elétrico e curto-circuito;

– Jamais se aproxime de cabos elétricos arrebentados. Ligue imediatamente para CEMIG (116) ou Defesa Civil (199);

– Não coloque lixo nas ruas que seja de fácil propagação com o vento;

– Revise o madeiramento de sua casa;

– Reforce a amarração de seu telhado;

– Desligue os aparelhos elétricos das tomadas e o gás;

– Abaixe para o piso todos os objetos que possam cair, dentro das residências, com o vento forte (exceto em área inundável);

– Se você observar aparecimento de fendas, depressões no terreno, rachaduras nas paredes das casas e o surgimento de minas d’água avise imediatamente a Defesa Civil;

Em caso de raios, se estiver na rua:

Não permaneça em áreas abertas como campos de futebol,

quadras de tênis e estacionamentos;

– Não fique no alto de morros ou no topo de prédios;

– Não se aproxime de cercas de arame, varais metálicos, linhas aéreas e trilhos;

– Nunca se abrigue debaixo de árvores isoladas;

– Evite lugares que ofereçam pouca ou nenhuma proteção contra raios (pequenas construções não protegidas, tais como celeiros, tendas ou barracos, veículos sem capota como tratores, motocicletas ou bicicletas);

– Evite estacionar próximo a árvores ou linhas de energia elétrica;

– Evite estruturas altas tais como torres, de linhas telefônicas e de energia elétrica;

Se estiver dentro de casa:

– Não use telefone com fio;

– Não fique próximo a tomadas, canos, janelas e portas metálicas;

– Não toque em equipamentos elétricos que estejam ligados à rede elétrica.

NO COMMENTS

Deixe uma resposta