Destino certo do verão mineiro: Cachoeira!

Destino certo do verão mineiro: Cachoeira!

0 984

Em Minas Gerais não tem mar, sabemos! Mas o universo não seria tão injusto com esse povo legal demais da conta que mora nessas terras, uai. A água salgada que não temos por aqui é compensada pelas inúmeras cachoeiras distribuídas ao longo do estado. Para facilitar a vida dos aventureiros que buscam se refrescar e apreciar a paisagem, o aplicativo Cachoeiras Estrada Real mapeou cerca de 180 cachoeiras em MG.

No aplicativo, que possui navegabilidade offline, informações, fotos, vídeos e rotas permitem que o usuário consulte previamente os destinos a serem visitados. Dentre os recursos do aplicativo, os principais indicam o nível de dificuldade de acesso, tempo médio de percurso, dicas de segurança, informações sobre guias turísticos, características ambientais e, se o terreno se encontra em propriedade particular ou não. Leia mais sobre o app, AQUI.

Apesar da funcionalidade incontestável do aplicativo, pesquisas prévias na internet e todo o aparato que temos em meio a era digital, especialistas ainda defendem que o Marketing boca a boca, isto é, a propagando que fazemos involuntariamente, ou não, ao relatar nossas experiências, continua sendo a mais eficaz. Dito isto, deixamos abaixo a experiência do estudante Lindon Jhon, 22, ao conhecer a Cachoeira da Ostra, em Casa Branca, MG (claro!).

“Conheci a Cachoeira das Ostras quando, em meio ao verão sufocante, resolvi que precisava me refrescar em água corrente e natural, afinal, tenho cota em um bom clube, porém piscina lotada refresca o corpo mas não alivia a alma. Me veio à cabeça a cachoeira em Macacos, mas lá é cheio, e se fosse pra ir em local cheio iria ao clube. Pensei na Serra do Cipó (clássico das cachoeiras), mas lá seria pior que clube.

Foi quando, me lembrei que um tio havia comentado sobre alguma cachoeira próxima ao condomínio Retiro das Pedras. Comecei a pesquisar e descobri as Ostras e em todo lugar que eu pesquisava havia algum comentário falando sobre a trilha, coisas como: é longa, pesada, difícil… Logo pensei que era ali que eu ia. Pesquisei a trilha e, junto com um amigo, fomos  na “raça”, pois realmente era bem complicado.

Fomos em um horário que deveríamos estar voltando e, quando surgiam dúvidas sobre o caminho, seguíamos pela vista aqueles que estavam voltando. A primeira parte da trilha é bem pesada, você precisa de um bom preparo ou de bastante calma. É uma subida bem pesada pela montanha que dura entre 45 minutos e 1 hora dependendo do seu preparo. A segunda parte é uma trilha normal, onde se caminha pelo alto da montanha e aprecia-se a paisagem que ela oferece.

Já a última parte, a mais legal na minha opinião – e mais perigosa também, é uma descida com trechos bem acentuadas pelas rochas (aprendi com amigos geólogos que tudo que eu chamo de pedra é rocha. Vocês são chatos pra caramba! Que fique o recado hahaha). Não vou detalhar porque vale conhecer e vocês vão querer conhecer.

Ao enfim chegar à cachoeira, já cansado, aquela vista de água cristalina onde o fundo do poço é visto claramente, a água gelada que normalmente é uma coisa ruim se torna o melhor benefício de todo o esforço feito. E tem duas quedas, sendo a primeiro a Cachoeira da Pedra Furada, onde o nome é dado porque em frente a queda tem uma pedra (a rocha que se dane) furada.

Para chegar à segunda queda, que é a das Ostras, você deve fazer a trilha por dentro do caminho da água, não é difícil tampouco perigoso, é bem tranquilo (em relação ao restante da trilha) e refrescante. Também não é fundo e não tem correnteza. Dura normalmente 10 minutos ou menos e a queda das Ostras é linda, alta e o poço é excelente para uns bons mergulhos.

Tem boas áreas de camping que o pessoal fez. Já teve dia que fui e estava sozinho e dias em que estava com pouca gente, nunca estava cheia. Recomendo parar o carro próximo das pousadas e fazer o restante a pé. Normalmente vou por Casa Branca passando pelo mirante dos Veados no Parque Estadual do Rola Moça. Vale muito a pena! O passeio é cercado de belíssimas paisagens. Recomendo!”

Aproveite o verão que se inicia hoje, 22, escolha um destino e aventure-se!

Por: Bruna Dias

 

NO COMMENTS

Deixe uma resposta