NÃO SE DEVE DESISTIR

NÃO SE DEVE DESISTIR

0 1234

Por Débora Gomes – . as cores dela . – Parceira Contramão HUB

Já era tarde quando cê me pediu que lhe explicasse, em palavras miúdas, o que era o amor. Lembra?! Eu fiquei assim meio sem graça (como sempre fico quando cê chega) e tive um medo danado de te decepcionar, dando uma resposta em que cê não acreditasse ou que não te fizesse sentir.

No rádio, o acordeon tocava uma velha canção que parecia ter saído das suas tardes de sol em Lisboa. Aí eu criei coragem pra te dizer que, pra mim, o amor era tudo aquilo: olhar por dentro devagar, encontrar o coração tranquilo, florescer tudo em volta e amanhecer sempre com esperança.

A gente perdeu o jeito de olhar as coisas devagar. Porque tudo fora da gente pede tanta pressa, enquanto o ponteiro do nosso relógio conta segundo por segundo, pra que a gente não desista de seguir. Vê? Tem amor nisso também. Tem amor na forma como a gente lida com o tempo, tem amor na forma do tempo entender nossa simplicidade.

Não é preciso ir tão longe, nem encontrar palavras grandiosas demais. O amor é essa delicadeza que toma a gente enquanto sorrimos ao pisar folhas secas no caminho de casa. É ver beleza na lua cheia apontando no horizonte ou encontrar desenhos nas nuvens de uma manhã azul. É olhar o outro com ternura. É abraçar os próprios medos com carinho. É esquecer o julgamento e acolher as imperfeições com silêncios. É transformar os vazios em doce melodia. É rir porque cê sorriu e isso, por si só, já é capaz de encher de amor a rua inteira.

Eu sei que já foi mais fácil viver. Mas não posso deixar de pensar em Guimarães Rosa, quando escreveu que “tudo que a vida quer da gente é coragem”. E precisa ter amor também. Pra olhar pra esses dias mais distantes, sem perder aquele encanto de viver, sempre presente nos começos.

Então, toda vez que cê pensar no amor, queria que se lembrasse de que ele vem de dentro, e pode se transformar em todas as coisas bonitas ao seu redor. Lembra de mim também. E das brevidades do nosso tempo…

Com amor,

 

Conheça também o coletivo We Love

NO COMMENTS

Leave a Reply