Page 383

0 437

A grande quantidade de faculdades e cursinhos, além do elevado número de bares na região da Savassi, deu origem a um “novo” horário de pico na cidade. O fluxo de trânsito por volta das 22h30 ficou comprometido, devido ao término das aulas de 12 instituições de ensino na região que compreende parte dos bairros Lourdes e Funcionários.

Ouça opinião dos alunos sobre o problema:

Se preferir, baixe o podcast aqui.

Veja Rota alternativa e trace seu próprio desvio, evitando o local.

Visualizar Desvio em um mapa maior


0 459

As vésperas do dia das mães o comercio começa a ficar mais agitado, as vendas aumentam e o trânsito obtêm uma movimentação maior. As lojas de roupas e acessórios são as mais procuradas. Na loja Geometria, localizada na Rua da Bahia, a vendedora Luiza disse que tem aumentado as vendas dos vestidos e saias, mas acredita que amanhã terá uma maior procura.

Em “Pesquisa feita pelo Departamento de Economia de Fecomércio Minas revela que 57,4% dos filhos em BH vão presentear, embalados pela força sentimental da data. E os empresários do comércio do hiper centro da capital e dos bairros podem esperar um bom faturamento para a data. Quase 60% dos consumidores entrevistados pela Fecomércio declararam que vão fazer as compras nesses locais, enquanto outros 15,8% disseram que o presente virá dos shoppings, lembrando que 67% dos consumidores consultados pertencem à classe C”, informa o Portal Uai.

As livrarias têm vendido vários cartões e livros simples de mensagens para as mães. O vendedor Moisés, disse que os clientes compram mais por uma questão sentimental e muitos adolescentes optam por este tipo de presente pelos preços acessíveis. Luiz Gustavo conta que estava passando pelo comercio para uma pesquisa rápida durante o horário de trabalho e acabou comprando um livro. “Eu achei o que queria e os preços estão em conta”, declara.

Em uma floricultura, o vendedor Gilmárcio disse que as pessoas tem feito muita pesquisa esta semana. “Mas tenho esperança de amanhã ter uma maior procura e venda”, conta o vendedor. Para quem vai as compras neste sábado, o comercio proporciona varias promoções e muitas opções de presentes. Os preços variam bastante e, por isso, vale a pena pesquisar. Mas o mais importante é lembrar essas mulheres tão especiais.

Por Camila Sol

2 932

Quem passa pela Avenida Cristovão Colombo, esquina com Getúlio Vargas, mais precisamente em frente ao ponto de ônibus Pátio Savassi 2, da avenida, pode perceber que todos os bueiros estão entupidos, transbordando e causando um enorme mau cheiro na rua.

O pipoqueiro Marcos José Pereira, que trabalha neste ponto há quatro anos diz que durante o dia o mau cheiro é mais intenso, mas que os bueiros transbordam durante o tempo todo. “Esta situação já dura mais de um mês e ninguém conserta isso” relata Marcos.

Por toda a avenida, em ambas as vias, são mais de doze bueiros na mesma situação. Em comunicado a Regional Centro Sul informou que se a população não abrir uma reclamação através do número 156 fica difícil ter conhecimento dos problemas, pois a fiscalização é demorada. Após o contato do Jornal Contramão, o agente da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) informou que no prazo de três dias será feito os reparos.

imagem-051

O outro lado

O que vem causando os transtornos, é lixo que a própria população joga na rua. Quando chove, a água lava a rua e consequentemente leva todo o lixo para o esgoto, através dos bueiros. Eles acabam entupindo e causando as enchentes. É preciso ter consciência de não jogar lixos em via pública e ficar de olho na fiscalização.

imagem-049

Por Daniella Lages
Foto: Ana Paula Sandim

0 555

Raposão visita a Escola Estadual Affonso Pena.

A agitação tomou conta do intervalo na Escola Estadual Affonso Pena, localizada na Av. João Pinheiro, esquina com Rua Aimorés. O motivo? A presença do ‘Raposão’ do Cruzeiro, alegrando as crianças.

A iniciativa foi do professor de Ensino Religioso Geraldo Magela, na intenção de integrar os alunos e mostrar que religião não é somente falar sobre Deus, mas também ensinar a união e a confraternização. O professor pretende levar ainda o Galo do Atlético Mineiro e o Coelho do América. “A receptividade das crianças foi ótima!”, contou Magela. Os adultos também adoraram a iniciativa do professor. A diretora da escola, Rosana Mol Lana, também entrou no clima de festa.

O professor pretende levar também o Galo do Atlético Mineiro e o Coelho do América, acreditando que recreações reforçando a união e mostrando as diferença entre as pessoas, seja no esporte, na política ou na religião, podem interferir na formação educacional das crianças.

Confira entrevista com o professor Geraldo Magela:

Por: Débora Gomes e Camila Sol

Outono é época das árvores perderem o verde, dando lugar para um tapete de folhas secas no chão. Porém, quem passa pela Praça da Liberdade nem percebe que é outono: parece primavera o ano todo, devido ao trabalho dos jardineiros responsáveis pelo cuidado de cada canteiro.

O jardineiro Erivelton de Araújo, 40, trabalha há um ano e oito meses cuidando dos jardins da praça. Além de achar o trabalho tranquilo, pois não há quase barulho algum, Araújo diz que é muito prazeroso trabalhar em meio à natureza. “Só não acho muito tranquilo quando chega muda pra plantar, porque é muita planta, dá muito trabalho!”, conta sorrindo.

O Instituto Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Minas Gerais (IEPHA/MG) e a prefeitura de Belo Horizonte (PBH), fazem um mapa das mudas que devem ser plantadas em cada canteiro. A ‘Vale’ é a atual responsável pela manutenção geral dos jardins da praça, utilizando os serviços da empresa terceirizada Conservel, de Pará de Minas.

Hoje, a Praça da Liberdade conta com variadas espécies de plantas dentre a grama preta, o Buchinho, a Dama Da noite, a Desmaiada (que só floresce se exposta ao sol), o Pirí, a Grama Amendoim, os Ypês e o Cravinho, além das Rosas, que de acordo com Erivelton Araújo, só podem ser podadas na Lua Nova.

Com o outono o trabalho dos jardineiros também aumenta: “As folhas caem sem parar. Às vezes acabo de varrer e tenho que começar de novo.”, diz Araújo no meio da primavera da praça.

Por: Débora Gomes

dsc_0044

dsc_0045

dsc_0047


1 10031

A gravação da novela TI TI TI continuou na tarde desta terça – feira na Praça da Liberdade. Ao contrário do primeiro dia de gravação que ocorreu na última quarta-feira, o número de fãs era pequeno no local. Naquela ocasião dezenas de curiosos pararam para acompanhar as atuações dos atores Isis Valverde, Gustavo Leão e André Arteche.

Dessa vez a gravação só contou com a atriz Isis Valverde, um dublê e os figurantes. As figurantes (foto) Alicia Freire,11 e Yoranna Castro, 11, foram acompanhar a novela novamente na Praça da Liberdade assim como fizeram, em todos os lugares que a novela foi gravada. Para elas a participação na novela do remake TI TI TI é muito importante para a carreira de modelo e atriz.

Conheça mais sobre a novela

A novela “Ti, Ti, Ti” foi ao ar pela primeira vez em 1985, na TV Globo, a trama mostrava o mundo da alta costura e tinha como atração principal a rivalidade dos estilistas Jaques L’Eclair e Victor Valentin, vividos, respectivamente, pelos atores Reginaldo Faria e Luis Gustavo. Dirigida por Jorge Fernando, o remake trará nos papeis dos estilistas os atores Alexandre Borges e Murílo Benício. As gravações continuam pela cidade durante alguns dias.

dsc_0007

Veja a abertura da primeira versão da novela

<!– /* Font Definitions */ @font-face {font-family:”Cambria Math”; panose-1:2 4 5 3 5 4 6 3 2 4; mso-font-charset:1; mso-generic-font-family:roman; mso-font-format:other; mso-font-pitch:variable; mso-font-signature:0 0 0 0 0 0;} @font-face {font-family:Calibri; panose-1:2 15 5 2 2 2 4 3 2 4; mso-font-charset:0; mso-generic-font-family:swiss; mso-font-pitch:variable; mso-font-signature:-1610611985 1073750139 0 0 159 0;} /* Style Definitions */ p.MsoNormal, li.MsoNormal, div.MsoNormal {mso-style-unhide:no; mso-style-qformat:yes; mso-style-parent:””; margin-top:0cm; margin-right:0cm; margin-bottom:10.0pt; margin-left:0cm; line-height:115%; mso-pagination:widow-orphan; font-size:11.0pt; font-family:”Calibri”,”sans-serif”; mso-ascii-font-family:Calibri; mso-ascii-theme-font:minor-latin; mso-fareast-font-family:Calibri; mso-fareast-theme-font:minor-latin; mso-hansi-font-family:Calibri; mso-hansi-theme-font:minor-latin; mso-bidi-font-family:”Times New Roman”; mso-bidi-theme-font:minor-bidi; mso-fareast-language:EN-US;} .MsoChpDefault {mso-style-type:export-only; mso-default-props:yes; mso-ascii-font-family:Calibri; mso-ascii-theme-font:minor-latin; mso-fareast-font-family:Calibri; mso-fareast-theme-font:minor-latin; mso-hansi-font-family:Calibri; mso-hansi-theme-font:minor-latin; mso-bidi-font-family:”Times New Roman”; mso-bidi-theme-font:minor-bidi; mso-fareast-language:EN-US;} .MsoPapDefault {mso-style-type:export-only; margin-bottom:10.0pt; line-height:115%;} @page Section1 {size:612.0pt 792.0pt; margin:70.85pt 3.0cm 70.85pt 3.0cm; mso-header-margin:36.0pt; mso-footer-margin:36.0pt; mso-paper-source:0;} div.Section1 {page:Section1;} –>

Postado por: Matheus de Azevedo

Foto: Matheus de Azevedo

Curiosidade sobre a novela retirada em contramao.una.br