Paratletas mineiros nos Jogos Paralímpicos

Paratletas mineiros nos Jogos Paralímpicos

0 1231
Crédito: Washington Alves/MPIX/CPB

Delegação com número recorde de atletas possui 16 competidores representando o estado.

A 15ª edição da Paraolimpíada, a realizar-se entre os dias 7 e 18 de Setembro no Rio de Janeiro, será marcada por um fato inédito: a delegação brasileira possuirá atletas nas 22 modalidades ofertadas. Dos 278 paratletas tupiniquins, sendo 181 homens e 97 mulheres, 16 representam Minas Gerais.

A modalidade com maior número de paratletas mineiros é o atletismo, representando pela Betinense três vezes medalhista olímpica, Terezinha Guilhermina, a belo horizontina Izabela Silva Campos, da Associação dos Amigos do Instituto São Rafael. As uberabenses Poliana Fátima de Jesus e Raíssa Rocha Machado, ambas da Associação dos Deficientes Físicos de Uberada (Adefu). Também integram a equipe, Mauro Evaristo de Souza, da Associação dos Paraplégicos de Uberlândia (Aparu), e Rodrigo Parreira da Silva, do Clube Desportivo para Deficientes de Uberlândia (CDDU).

No Judô, a Belo Horizonta Deanne Silva de Almeida integra a seleção brasileira na categoria pesado. Na natação a cidade de Uberlândia é quem representa o estado através dos paratletas: Ruan Felipe Lima de Souza (Praia Clube) e Ruiter Antônio Gonçalves Silva (CDDU). A modalidade rugbi em cadeira de roda contará com o paratleta Davi Rodrigues Coimbra de Abreu, do Minas Quad Rugby.

Os paratletas Daniel Alves Rodrigues e Daniel Medeiros Gomes, ambos da Butija Tênis, em BH, integram a delegação na modalidade tênis em cadeira de rodas. Antônio Marcos do Carmo, da capital, e José Maria Gonçalves de Abreu, de Contagem, completam o time de vela adaptada. O medalhista de ouro no Parapan de Toronto, em 2015, José Carlos das Chagas de Oliveira (Adefu), foi convocado para a bocha.

Além deles, nove profissionais nascidos em Minas Gerais integram as comissões técnicas das seleções brasileiras nas competições 

Delegação Brasileira

Na 14ª edição dos jogos, em Londres 2012, a delegação brasileira teve seu melhor desempenho: conquistou 21 medalhas de ouro, 14 de prata e 8 de bronze, totalizando 43 medalhas e garantindo a sétima posição. No Rio 2016, muitos atletas medalhistas tornam a competir, entre eles os nadadores Daniel Dias e André Brasil, os velocistas Alan Fonteles e Teresinha Guilhermina.

Créditos: Comitê Paralímpico Internacional
Créditos: Comitê Paralímpico Internacional
Créditos: Comitê Paralímpico Internacional
Créditos: Comitê Paralímpico Internacional

“Materializar a delegação dos Jogos Paralímpicos Rio 2016 é um momento muito importante para o Comitê Paralímpico Brasileiro. Será a maior e melhor delegação Paralímpica brasileira de todos os tempos. Estamos muito orgulhosos, pois também será a primeira vez que estaremos em 100% das modalidades que compõem o programa Paralímpico, também por sermos o país-sede. Estamos ansiosos para entrar na Vila dos Atletas com esta delegação”, disse o presidente do CPB e vice-presidente do Comitê Paralímpico Internacional (IPC, em inglês), Andrew Parsons.

Texto: Bruna Dias

NO COMMENTS

Leave a Reply