Tags Posts tagged with "Belo Horizonte"

Belo Horizonte

0 727
Foto retirada do site do Senac

A velha acordou em seu quarto sem janelas. Há três meses ela dormia com seus dois cachorros na esquina da Inconfidentes com Alagoas, foi pra Savassi depois do estupro. Lá ela podia dormir cedo, ter um pouco de paz, e até conseguia uns rolinhos primavera do restaurante japonês do outro lado da rua, às vezes.

Quando não chove ela monta seus papelões na calçada fora da marquise, do lado de uma pequena árvore, onde amarra seus companheiros. 1,00m x 1,60m é o espaço de privacidade que ela tem, pra se guardar junto de seus poucos pertences. E sabe-se lá até quando vão durar, um dia, mais uma vez, a polícia leva o que lhe resta.

De tanto sentir muito a velha não sente mais nada. O que lhe resta senão a espera agoniante do fim? Um dia, e mais um, e mais outro, as noites são tão longas quanto estes. Sua existência é tão sólida quanto o vento. Nem o desespero pulsante de seu ser a torna menos invisível, sem passado, muito menos futuro, não faz diferença. Sobrevive pela obrigação do medo da morte, mas o que será pior que a realidade que se vive minha velha?

A cidade traga o resto de sua energia, de minuto por minuto, de passo por passo, sem dó. A velha vaga por entre os concretos de outras vidas, de outros mundos, sente a sujeira que já faz parte de sua pele, ela é feita de pó, sangue para sangrar, carne pra rasgar, e solidão. Já parou de pensar faz tempo, e lembra mais ainda. De memórias ela se esgotou. A sua história se refaz a cada dia, o ontem não existe mais, família, amores, lugares, sonhos, nada disso importa. A vida a abandonou por que ela abandonou a si mesma. Agora a morte lhe chama e a velha, cansada, tem medo de se acalentar.

 

Por Gael Benitez

 

Chega à capital mineira o primeiro aplicativo que presta serviço de transporte feminino exclusivo, o FemiTaxi. O serviço que já está em funcionamento na  cidade de São Paulo desde dezembro, conta com mais de 100 motoristas.

Responsável por trazer o aplicativo para a cidade, a taxista Luciana Fortes, conta que a ideia foi de uma amiga. “Ela viu na redes sociais a propaganda do FemiTáxi em São Paulo, então entrou em contato com a empresa, que solicitou o registro das mulheres interessadas na utilização do aplicativo em Belo Horizonte”, explica Fortes.

A partir deste contato com a empresa, Luciana e sua amiga criaram um grupo com as taxistas que já conheciam na cidade o que resultou no cadastro de 50 mulheres. “A medida em que mais motoristas participarem do aplicativo, vamos aumentando a nossa área de atuação na região metropolitana de BH que engloba Contagem e Confins”, ressalta.

De acordo com os idealizadores do aplicativo, o maior objetivo dele é trazer um serviço feito por mulheres e para mulheres, de forma que elas se sintam seguras durante as viagens.

“É tudo via aplicativo”, ressalta a taxista, que explica como ser uma motorista da FamiTáxi: “Primeiro manda a documentação rotineira: a autorização de tráfego, carteirinha da BHTrans e comprovante bancário que são enviados via e-mail do Semi Táxi, lá os antecedentes criminais e informações pessoais são avaliados. Quando o aplicativo libera o cadastro, eles mandam um link para que a motorista possa baixar o aplicativo e começar rodar.”.

Opinião

Para a estudante de Arquitetura Ana Pinhaiemer, de 23 anos, o app é uma forma de inserção das mulheres em uma área ainda dominada por homens. “É uma forma de se encontrar com outras mulheres”, destaca Ana, que já sofreu assédio durante uma viagem de Táxi em São Paulo, usando outro aplicativo.

“Relatei o problema no site e fui muito bem atendida, porém, é um caso que não dá pra se desculpar porque o que a gente passa em um momento desse é muito difícil”, desabafa.

Ana que ainda não utilizou o app acredita que o FemiTáxi é uma alternativa positiva para as passageiras terem uma viagem mais tranquila.

Segundo Luciana as usuárias solicitam o FemiTáxi porque gostam de dar preferência para mulheres em serviços, e destaca a fala de uma de suas clientes: “Somos muito discriminadas, então quando posso dar preferência eu faço isso”.  

Descontos

Ao utilizar o código YNKG7 durante a primeira corrida, a passageira ganha R$15,00 de desconto até Fevereiro e após a viagem realizada, ganha 10 voucher para indicar mais amigas. “Dessa forma, é possível fidelizar as clientes femininas de Belo Horizonte.”  finaliza Fortes.

Texto por: Gabriella Germana e Amanda Eduarda.

 

Outra vez, o dia 13 de dezembro entrou para a história da política brasileira. No ano de 1968, o Ato Institucional nº 5 (AI-5) foi baixado durante o governo militar do general Costa e Silva, na vigência do período em que o país viveu sob os comandos da ditadura militar. Quarenta e oito anos depois, no mesmo 13 de dezembro, o senado federal aprovou a Proposta de Emenda Constitucional nº55 (PEC-55). Por se tratar de uma emenda à Constituição da República, eram necessários 49 votos para o texto ser aprovado, pela casa, em segundo turno. No total, 69 senadores votaram, 53 favoráveis à proposta e 16 votos contra.

No dia 15 de junho, o governo de Michel Temer apresentou ao Congresso Nacional, a Proposta de Emenda à Constituição nº 241. O projeto visa a diminuição das despesas públicas tentando alcançar a adimplência do Brasil com seus atuais credores, decorrentes da atual dívida pública do estado, que superam os três trilhões de reais.

A PEC 241 irá alterar o Ato das Disposições Transitórias (ADCT) da Constituição do Brasil acrescentando a ele os artigos 101 a 109. Ela visa estabelecer um teto de gastos e investimentos primários da administração pública federal, em relação às três funções do seu poder Legislativo, Executivo e Judiciário, ao Ministério Público e à Defensoria Pública, utilizando como base o orçamento de 2016.

No dia 11 de novembro, secundaristas e manifestantes se reúnem no coreto da Praça Sete (símbolo da liberdade) em protesto contra as medidas impostas pela PEC-55. Fotografia: Lucas D'Ambrosio.
No dia 11 de novembro, secundaristas e manifestantes reunidos no coreto da Praça Sete (símbolo da liberdade) em protesto contra as medidas impostas pela PEC-55. Fotografia: Lucas D’Ambrosio.

Com a atual tramitação no Senado Federal sob o número 55, eventuais mudanças ocorreram no texto inicial da proposta. A PEC pretende criar limitações e estabelecer um teto de despesas para os próximos 20 exercícios financeiros (20 anos). Será estabelecido um limite máximo de investimentos atualizados, anualmente, pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Final (IPCA). Ou seja, este limite terá que obedecer ao total gasto no ano anterior, corrigido pelo índice inflacionário. Além disso, o Presidente da República, à época, poderá propor ao Congresso Nacional, após os 10 primeiros anos de vigência e por meio de lei, a alteração do regime fiscal.

Desta regra estão excluídos a transferência constitucional de recursos para estados da União e municípios, recursos federais destinados ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), créditos extraordinários que são permitidos em casos de guerra, comoção interna ou calamidade pública. A outra exceção é a despesa decorrente do aumento de capital de empresas estatais não dependentes.

Atualmente, os gastos e investimentos que são destinados à setores básicos sociais como educação e saúde, são realizados conforme a receita arrecadada pela União, ano após ano, respeitando índices mínimos previstos na Constituição. De acordo com a proposta, se a PEC for aprovada neste ano, a aplicação mínima no ano de 2017 para a saúde será de 15% em relação à receita corrente líquida do exercício financeiro de 2017, conforme consta na Constituição.

Para a educação, o mínimo aplicado pela União no ano de 2017 será de 18% da receita resultante da transferência dos impostos, para a manutenção e desenvolvimento da área. A partir do ano de 2018, o valor que poderá ser aplicado para ambas as áreas irá corresponder aos valores mínimos aplicados nos anos anteriores, corrigidos pelo IPCA. Ou seja, haverá a limitação dos gastos e investimentos nas áreas de educação e saúde a partir do ano de 2018, tendo em vista o que tiver sido gasto no ano de 2016 e 2017.

Fotografias e Reportagem: Lucas D’Ambrosio

Fotografia: Lucas D'Ambrosio

Em comemoração à chegada do natal de 2016, o circuito cultural da Praça da Liberdade recebe uma série de ações para comemorar a data. Uma delas é o Circuito de Presépios e Lapinhas de Minas Gerais, que pretende ampliar a participação de todo o estado na promoção do patrimônio cultural mineiro. Entre os dias sete de dezembro e oito de janeiro, Belo Horizonte e outras cidades do estado irão participar da programação que, além dos presépios, conta também com apresentações gratuitas de corais, bandas e diversas atrações para o público.

Com iniciativa do Instituto Estadual de Patrimônio Histórico e Artístico (IEPHA/MG), 250 presépios podem ser visitados em 150 cidades por toda Minas Gerais, que possui uma tradição desde o século 18. O objetivo do circuito é promover a Folia de Reis, uma manifestação cultural celebrada na noite do dia cinco para o dia seis de janeiro, em que pessoas saem às ruas, tocando músicas populares e celebrando a chegada dos reis magos e o nascimento de Jesus, uma manifestação folclórica e religiosa.

Fabiano Lopes de Paula, 60, é arqueólogo e funcionário do IEPHA. Um dos curadores da mostra de presépios, ele ressalta a importância de criar um resgate de manifestações culturais pelo estado, como as festividades natalinas. “Resolvemos fazer essa homenagem aos artesãos mineiros festejando as celebrações natalinas que se perdem ao longo do tempo. Temos diversos artistas, tendências e modelos de presépios”, comenta.

Da Paraíba para Minas Gerais

Um dos artistas expositores é Oceano Cavalcante. Filho do nordeste brasileiro, o jovem de 56 anos nasceu “em uma pequena família de 14 irmãos”, como costuma dizer. É enfermeiro de profissão e artista plástico por vocação. No ano de 1979, ao lado de sua família, saiu da sua cidade natal em Areia, interior do estado da Paraíba, com destino às Minas Gerais. Morou em Esmeraldas e posteriormente, Belo Horizonte.

O enfermeiro e artista plástico, Oceano Cavalcante abraçou o estado de Minas Gerais com sua sensibilidade artística e traços da sua terra natal. Fotografia: Lucas D'Ambrosio
O enfermeiro e artista plástico, Oceano Cavalcante abraçou o estado de Minas Gerais com sua sensibilidade artística e traços da sua terra natal. Fotografia: Lucas D’Ambrosio

Sua principal referência artística é o legado deixado pelo mestre barroco Aleijadinho. Porém, o entalhe na madeira como era costume e presente nas obras do artista do Brasil Colonial, deu espaço para a reutilização de materiais encontrados na rua: a essência da obra realizada por Cavalcante. “Meu trabalho de arte possui uma visão ecológica e sustentável. Procuro retirar do meio ambiente o material do meu trabalho. Todos eles vêm da rua”, explica o artista.

Oceano Cavalcante e seu presépio. O reaproveitamento de materiais encontrados na rua criam a estética singular na obra do artista. Fotografia: Lucas D'Ambrosio.
Oceano Cavalcante e seu presépio. O reaproveitamento de materiais encontrados na rua criam a estética singular na obra do artista. Fotografia: Lucas D’Ambrosio.

No presépio que está exposto no salão de entrada do IEPHA, Oceano Cavalcante utilizou três matérias-primas: papelão, garrafa pet e jornal. Suas peças possuem uma estética e tonalidade que referenciam, além das obras barrocas, a terra e o povo nordestino. “Além do barroco, tento transmitir o nordeste com minhas peças. Ele está no meu sangue. Nem o sotaque a gente esquece. Posso estar por anos longe da minha terra, mas ele nunca sai da gente”, ressalta.

Além do IEPHA, outros pontos turísticos que fazem parte do circuito da Praça da Liberdade também recebem exposição de presépios como, a Biblioteca Pública Estadual Luiz de Bessa, o Espaço do Conhecimento da UFMG, o Memorial Minas Gerais Vale, MM Gerdau, Museu Mineiro, Palácio Cristo Rei, entre outros.

Detalhe do presépio exposto na Casa Fiat de Cultura, no Circuito Cultural da Praça da Liberdade. fotografia: Lucas D'Ambrosio
Detalhe do presépio exposto na Casa Fiat de Cultura, no Circuito Cultural da Praça da Liberdade. fotografia: Lucas D’Ambrosio

 

Detalhe do presépio exposto no Memorial Minas Gerais Vale, no Circuito Cultural da Praça da Liberdade. Fotografia: Lucas D'Ambrosio.
Detalhe do presépio exposto no Memorial Minas Gerais Vale, no Circuito Cultural da Praça da Liberdade. Fotografia: Lucas D’Ambrosio.

Fotografias e Reportagem: Lucas D’Ambrosio

0 581
Divulgação

25 de novembro

  • Sandra de Sá e Orquestra OPUS

Data: 25.11.2016 – 21:00

Local: Cine Theatro Brasil Vallourec

Sandra de Sá faz um espetáculo com a Orquestra OPUS cantando seus maiores sucessos, como Olhos Coloridos, Joga Fora, Quem é Você, Bye bye tristeza, Retratos e Canções, Bons Momentos, entre tantas outras canções que nos fazem viajar no tempo.

https://cinetheatrobrasil.com.br/

Telefone: 31 3201-5211

  • Angra & Convidados

Data: 25.11.2016 – 21:00

Local: Music Hall

Uma das principais e mais queridas bandas de heavy metal do Brasil, o Angra, volta a BH em 2016 para um show mais que especial. Desta vez a banda traz a BH dois convidados mega especiais da primeira fase da banda: Luis Mariutti e Ricardo Confessori. O show ainda terá tecladista e percussionista, e duas baterias no palco. Como se não bastasse, o carismático vocalista Edu Falaschi subirá ao palco para algumas participações com a banda.

https://www.centraldoseventos.com.br/

Telefone: 31 4141-2929

  • Charminho – MC Koringa

Data: 25.11.2016 – 22:00

Local: Clube Chalezinho

Toda sedução e paquera dos bailes de charmes reunidos em uma edição especial da festa por onde já se apresentaram nomes como Leozinho, Buchecha e Dennis DJ.

https://www.clubechalezinho.com.br/

Telefone: 31 3286-3155

  • Noite no Sertão

Data: 25.11.2016 – 19:00

Local: Centro Cultural Lindéia Regina (CCLR)

Noite no Sertão: encontro de violeiros e compositores de música sertaneja caipira de raiz.

https://www.bhfazcultura.pbh.gov.br/

Telefone: 31 3277-1515/3277-1547

Entrada Franca

  • Ocupações urbanas na Região Metropolitana de Belo Horizonte

Data: 25.11.2016 – 18:30

Local: Centro Cultural Zilah Spósito (CCZS)

O Centro Cultural Zilah Spósito (CCZS) recebe o lançamento do livro “Ocupações urbanas na Região Metropolitana de Belo Horizonte”, seguido de uma roda de conversa com as idealizadoras e participantes do projeto. A obra foi organizada pela professora Denise Morado, da Escola de Arquitetura, e pela doutoranda em Arquitetura e Urbanismo Clarice Libânio.

https://www.bhfazcultura.pbh.gov.br/

Telefone: 31 3277-5498/3277-1839

Entrada Franca

  • Festival Motéis Gourmet 2016

Data: de 25.11.2016 até 18.12.2016

Local:

O tema desta edição é a Primavera. Resultado: muita criatividade na elaboração dos pratos, com forte apelo às cores da estação. Os motéis oferecem de 10 a 30% de desconto no valor da hospedagem, inclusive aos finais de semana. É preciso apenas pedir o prato participante e aproveitar! Vale lembrar que este é o único festival gastronômico de Belo Horizonte que possui serviço 24 horas, durante os sete dias da semana.

https://www.moteisgourmet.com.br/

E-mail: moteisgourmet@gmail.com

  • Marcier 100 – Emeric Marcier

Data: de 25.11.2016 até 15.01.2017

Local: Palácio das Artes – Fundação Clóvis Salgado

No ano em que se comemoram os 100 anos de nascimento do pintor, a Fundação Clóvis Salgado disponibiliza a travessia artística pelas tradições e pela religiosidade mineiras em um recorte com aproximadamente 70 obras oriundas de coleções de familiares do artista, particulares e instituições, com curadoria de Edson Brandão. São imagens que revelam uma nova vertente do trabalho do artista após o primeiro contato com as cidades históricas de Ouro Preto, Mariana, Congonhas, Tiradentes e São João Del-Rei. Nessa fase, Marcier retratou as paisagens e cenários históricos desses locais utilizando as técnicas de óleo sobre tela e posteriormente temas sacros em murais, inspirados no estilo italiano dos séculos XIII e XIV.
Produzidas entre a década de 1940 até o fim dos anos 1980, as obras que chegam às galerias do Palácio das Artes representam o percurso da carreira de Marcier. Ao se deparar com a força do barroco em Minas, o artista rompe com a temática surrealista adquirida nas escolas de arte da Itália e França e passa a se dedicar a uma pintura figurativa focada nas paisagens, nos retratos e nos temas sacros.

Informações Adicionais:

3ª a sábado das 9h30 {as 21h, dom. das 16h às 21h.

https://fcs.mg.gov.br/

Telefone: 31 3236-7400

Entrada Franca

26 de Novembro

  • Lançamento do Livro: Chico Buarque, Recortes e Passagens

Data: 26.11.2016 – 16:00

Local: Espaço do Conhecimento UFMG

Chico Buarque encanta gerações há mais de meio século. Aos 72 anos e ainda em atividade, o cantor oferece um material abundante para quem se interessa pela história da música e da literatura brasileiras. Doutora em Letras e professora da UFMG, Ana Clark desbrava um pouco do universo da obra de Chico, em seus estudos, desde 2008. Quase dez anos de pesquisas pediam a compilação de um livro, sempre deixado para depois devido aos compromissos acadêmicos.
Mas, no ano passado, em Paris, uma entrevista que o cantor concedeu à pesquisadora fez com que ela se dedicasse à escrita do livro.
A tarde de autógrafos será embalada por sucessos de Chico na voz e violão de dois músicos de São João Del Rei. Antes, haverá uma conversa de meia hora com a autora sobre os temas que ela explora na obra.

https://www.espacodoconhecimento.org.br/

Telefone: 31 3409-8352

Entrada Franca

  • Intervenção Cênico-Musical Toda Deseo

Data: 26.11.2016 – 19:30

Local: Sesc Palladium

Intervenção cênico-musical da Toda Deseo, coletivo de artistas mineiros envolvidos com questões relacionadas às pessoas trans.
Transgressoras e encorajadoras, as ações desse coletivo visam garantir a liberdade de expressão e da participação dos sujeitos “trans” na vida social e cultural da cidade de Belo Horizonte. São atos de resistência, inclusão e de luta contra o preconceito.

https://www.sescmg.com.br/

Telefone: 31 3270-8100

Entrada Franca

  • Ira! Folk

Data: 26.11.2016 – 21:00

Local: Sesc Palladium

Classificação: 16 anos
Duração: 90 minutos

Doze anos após o estrondoso sucesso do Acústico MTV, Nasi e Edgard Scandurra voltam aos palcos munidos de violão e voz para um formato de show nunca antes testado por esses roqueiros. No repertório, grandes sucessos da carreira, como Flores em Você, Dias de Luta, Eu Quero Sempre Mais, O Girassol, Tolices, Tarde Vazia, 15 Anos, Núcleo Base. Ira! Folk é um Ira! Como nunca antes imaginado, uma experiência única e inesquecível.

https://www.sescmg.com.br

Telefone: 31 3214-5350

  • Tico Santa Cruz canta Cazuza

Data: 26.11.2016 – 21:00

Local: Teatro Bradesco

Em tempos onde o conservadorismo ganha um fôlego perigoso é preciso transgredir. Nenhum artista brasileiro foi mais transgressor, ácido e profético em suas canções e poesias como Cazuza. Tico Santa Cruz leva para o Teatro Bradesco um grande ensaio do projeto que estreará no final do ano. “Tico Santa Cruz canta Cazuza” terá um repertório repleto de hits do cantor, além de músicas que poderiam ter sido escritas hoje.

https://teatrobradescobh.com.br/

Telefone: 31 3516-1360

  • Histeria

Data: de 26.11.2016 até 27.11.2016

Local: Grande Teatro – Palácio das Artes

Dirigida por Jô Soares, a delirante comédia Histeria traz um encontro do pai da psicanálise, Sigmund Freud, com o mestre do surrealismo, Salvador Dalí. O espetáculo se passa em 1938, quando o pintor surrealista Salvador Dalí visita Sigmund Freud, este já padecendo de uma doença incurável e às portas da morte. Freud havia recentemente escapado da Europa nazista e   estabelecera-se em Londres. Durante o episódio retratado na peça, as certezas de Freud são questionadas por duas outras personagens, enquanto a obra de Dali é satirizada numa visão auto parodiada dele próprio. Entre diálogos inteligentes, situações farsescas, ritmo frenético e até alucinações, surge uma das “encruzilhadas” do texto: retirar a essência do mito é minar o fundamento da fé.

Informações Adicionais:

Sábado às 20h30, dom. às 18h30.

https://fcs.mg.gov.br/

Telefone: 31 3436-7400

  • “Faz e Conta” – Histórias e Cantigas para pequenos

Data: 26.11.2016 – 10:00

Local: Centro Cultural Urucuia (CCU)

Contação de histórias com imersão criativa da contadora de histórias Aline Cântia e do músico Chicó do Céu, que escolheram os caminhos da palavra narrada e cantada para descobrir pedacinhos de sons e silêncio escondidos entre as memórias da música brasileira. Não há criança que resista a uma boa história. Mais do que fantasiar aquilo que lêem em um livro, gostam de ver os contos ganharem vida. Por isso, os contadores de histórias Aline Cântia e Chicó do Céu inserem fantasias, objetos e instrumentos musicais em suas apresentações.

https://www.bhfazcultura.pbh.gov.br/

Telefone: 31 3277-1531

Entrada Franca

  • Café Controverso: O Estrago da Lama

Data: 26.11.2016 – 11:00

Local: Café do Espaço do Conhecimento UFMG

Eram quase quatro da tarde quando um mar de lama invadiu Bento Rodrigues. Os 15 minutos que se seguiram pareceram eternos: cerca de 40 milhões de metros quadrados de rejeitos de minério de ferro, provenientes do rompimento da barragem de Fundão, das mineradoras Samarco, Vale do Rio Doce e BHP, devastaram o subdistrito de Mariana. Por onde passou, a lama destruiu casas, famílias e vidas, deixando 19 mortos e centenas de feridos. A bacia do Rio Doce, principal da região sudeste, foi totalmente poluída, impedindo as atividades de pesca da população ribeirinha e o abastecimento de água em municípios da região central de Minas Gerais e do litoral do Espírito Santo.
Mas os estragos não param por aí: dos inúmeros processos existentes contra a Samarco, grande parte foi suspensa ou ainda nem sequer chegou a ser analisada. Enquanto isso, a empresa tem empreendido ações na justiça para dar continuidade às suas atividades. Lucimar Muniz é uma das proprietárias do terreno tombado onde está em construção o quarto dique da mineradora em Bento Rodrigues, que serve para sustentar os rejeitos que sobraram da barragem rompida.

https://www.espacodoconhecimento.org.br/

Telefone: 31 3409-8350

Entrada Franca

  • Circuito Gastronômico Beer Chef Brasil – Saideira

Data: de 26.11.2016 – 12:00 até 26.11.2016 – 21:00

Local: Espaço Conceito Villa Albertini / Rua Cristal, 137 – Santa Teresa

A Saideira será um aquecimento para o Carnaval 2017, com o lançamento do Mixbeer – Parada Cervejeira. o evento de encerramento do circuito reunirá diversos bares, food trucks e cervejarias, além de contar com a apresentação dos blocos U’Bloco e Bibianos Band, dando um gostinho antecipado da versão cervejeira do Carnaval belo-horizontino.
https://www.facebook.com/mixbeerfestival

https://www.beerchefbrasil.com.br

Telefone: 31 2552-7770

E-mail: beerchefbrasil@gmail.com

Promoção: Estrela Brasil Produções e Eventos, em parceria com o Centro Universitário UNA

Realização: Estrela Brasil Produções e Eventos, em parceria com o Centro Universitário UNA

  • 2ª Mostra Samba Lagoinha

Data: 26.11.2016 – 14:00

Local: Centro Cultural Liberalino Alves de Oliveira (CCLAO )

A Fundação Municipal de Cultura apresenta a 2ª Mostra Samba Lagoinha. A festa contará com atrações musicais e com apresentação de seis artistas, selecionados por uma comissão especial do CCLAO.

https://www.bhfazcultura.pbh.gov.br

Telefone: 31 3277-6091 / 31 3277-6077

Entrada Franca

  • #SomosTodosBlack

Data: 26.11.2016 – 15:00

Local: Rua Sapucaí – Bairro Floresta

No mês da consciência negra, celebraremos com muita energia a primeira edição do evento #SomosTodosBlack. Essa primeira edição foi pensada para comemorar e promover a diversidade brasileira em homenagem à cultura negra. Por isso, selecionamos grandes nomes que representam ritmos, swing, arte e cultura nacional e local da cultura black contemporânea. Bora se misturar nessa festa alegre que conta com a feira de moda, arte e cultura Afro – Feira Ébano, músicas, comidas e bebidas, lounge para as crianças com a Manto Infância e muitas cores com o #BasquiatGraffiti do Fred Negro F! Estaremos arrecadando alimentos não perecíveis para a ONG Associação Arebeldia, no Alto Vera Cruz. A sua doação é voluntária e pode ajudar muita gente!

Shows:
• Flávio Renegado + Simoninha (show de lançamento do álbum “Outono Selvagem”)
• Zevinipim + Tamara Franklin
• Lá da Favelinha – disputa do passinho
• Original SundaysDJs Jahnu e Xeréu
• Brother Soul

E mais:
VJ Panick
Foto e vídeo: Qu4rto Studio
Artes: Leonardo Cezário
Live Paint: Basquiat Grafitti
Feira Ébano
Manto Infância

https://www.facebook.com/events/325930784459987/

Entrada Franca

27 de Novembro

  • Nós A Cidade: Trans e a luta pelo direito à cidadania

Data: 27.11.2016 – 17:00

Local: Sesc Palladium

Nesta mesa redonda será discutida a identidade de gênero, desde a sua concepção na infância e adolescência até a auto aceitação, o processo de transformação, a convivência com a família e amigos, e a luta pelo direito à educação, ao trabalho, à vida social, à cidade e à diversidade. Entre os convidados estão Sofia Favero, ativista, estudante de Psicologia e criadora da fanpage Travesti Reflexiva; Gabriel Noya, adolescente trans acompanhado pela mãe e ativista da causa Tatiana Noya; e a mediadora da mesa, Dalcira Ferrão, conselheira e coordenadora da Comissão de Psicologia, Gênero e Diversidade Sexual do Conselho Regional de Psicologia de MG.

https://www.sescmg.com.br/

Telefone: 31 3270-8100

Entrada Franca

  • Geminis Tribute To Bee Gees

Data: 27.11.2016 – 20:30

Local: Cine Theatro Brasil Vallourec

Considerado o maior tributo aos Bee Gees do mundo, o grupo argentino Geminis, de Buenos Aires, se apresenta pela primeira vez na capital mineira fechando a turnê “Geminis Tribute To Bee Gees”. A banda já percorreu sete capitais brasileiras com o espetáculo, que relembra clássicos do grupo Bee Gees, incluindo canções das trilhas sonoras dos filmes “Embalos de Sábado à Noite” e “Grease – Nos Tempos da Brilhantina”.
Neste novo espetáculo, o trio composto por Ismael Espiño (como Barry Gibb), Alejandro Niz (como Robin Gibb) e Daniel Liberchuk (como Maurice Gibb) vai apresentar os grandes hits que transformaram os Irmãos Gibb em lendas da música pop. O público vai ter a sensação de estar vendo e escutando novamente os Bee Gees no palco, em uma recriação minuciosa, que cuida de todos os mínimos detalhes.

https://cinetheatrobrasil.com.br/

Telefone: 31 3201-5211

  • II Mostra Constantine de Dança Cigana

Data: 27.11.2016 – 09:00

Local: Parque Municipal Américo Renné Giannetti

Aberto ao público, a mostra visa aproximar todos os que apreciam a arte e a alegria cigana numa manhã de muita dança e confraternização entre dançarinos e amantes da cultura.
No primeiro momento, ocorrerá a Mostra Constantine de Dança Cigana, para apreciação do público. No segundo, a pista será liberada ao público para dança livre!

https://www.facebook.com/events/315307825511767/

Telefone: 31 3277-4161

Entrada Franca

  • Não deixe o tambor se calar – 3º Arrastão do Trovão

Data: 27.11.2016 – 11:00

Local: Praça da Liberdade

Desde 2000, o grupo Trovão das Minas oferece em Minas Gerais, oficinas que buscam difundir e valorizar o Maracatu Nação, uma importante manifestação da Cultura Popular pernambucana. Há quatro anos, vem desenvolvendo, junto aos mecanismos de incentivo fiscal, projetos que contagiam toda a cidade com os seus Arrastões e a força dos seus tambores. Não Deixe o Tambor Se Calar encerra mais uma edição, no dia 27, tendo a ilustre presença do Mestre Walter França do Maracatu Nação Estrela Brilhante do Recife, a maior referência do grupo, como participação especial. Será também a oportunidade para conferir a mostra final dos alunos que integraram o projeto em 2016.

https://www.facebook.com/trovaodasminas/

E-mail: trovaodasminas@gmail.com

Fonte: Agenda Cultural

 

0 447
Foto Divulgação

Hoje, 24, é a estreia do filme “Elis”. A história abordará a breve carreira da cantora, que ainda jovem chega ao Rio de Janeiro ao lado de seu pai, até sua morte por overdose. A construção da narrativa trará como pontos a evolução da gaúcha como interprete e seus envolvimentos amorosos, com Ronaldo Bôscoli e César Camargo Mariano. Assim como sua forte personalidade, temperamento explosivo e sua relação de pânico com a ditadura militar.

No papel central está Andreia Horta, que apesar de não cantar no filme, fez uma intensa imersão na vida da cantora e assim ser capaz de reproduzir os trejeitos Elis. A preparação que durou três meses, das 9h às 17h, rendeu a atriz o prêmio de Melhor Atriz no Festival de Gramado deste ano. “Andreia tem mesmo uma performance digna de prêmios, com essa personagem e uma performance arrebatadora. ”, elogia Prata.

A trajetória de Elis como interprete se deu em meio ao auge da ditadura militar. A cantora, que viu amigos sendo torturados e exilados, vivia em constante temor por sua família. Na época, seus filhos eram pequenos. E esse receio de não saber o amanhã a deixou fragilizada, como relata o cineasta Carlos Prata, responsável pelo longa.

Prata, que tem uma longa história na MTV Brasil e estreia como diretor, diz ter sido cuidadoso ao escolher momentos delicados da vida da cantora: “Ela só se envolveu com drogas nos últimos seis meses de vida. Foi um acidente, uma tragédia, e busquei dar o tratamento que isso pedia.”. A cantora morreu precocemente em janeiro de 1982, aos 36 anos.

O longa ainda conta com a participação dos atores Caco Ciocler, César Camargo Mariano e Gustavo Machado, Ronaldo Bôscoli.

Clique aqui para saber os locais e horários em que o filme estará disponível.

Fonte: Metro Jornal/ Por Ana Paula Tinoco