Tags Posts tagged with "cidade administrativa"

cidade administrativa

Filme Clarisse ou alguma coisa sobre nós dois encerra trilogia sobre a morte do diretor Petrus Cariry

O longa-metragem, Clarisse ou alguma coisa sobre nós dois, do diretor Petrus Cariry, conta a história e os dilemas de Clarisse para conseguir sua “libertação” após traumas vividos na infância que insistem em retornar durante a última visita feita a seu pai.

Com direção e fotografia de Petrus Cariry, a produção foi toda realizada no Ceará, “com uma equipe 90% cearense”, destaca a produtora e irmã do diretor, Bárbara Cariry.  O filme de suspense vem para encerrar a trilogia sobre a morte, produzida por Cariry.

Durante a exibição do filme, nesta quarta-feira (27), no Cine-Tenda na Mostra Transições, uma forte chuva despencou na cidade de Tiradentes, deixando a sala de projeção com um ar ainda mais apreensivo durante as cenas de suspense vividas pela personagem principal. “Algumas pessoas me perguntaram se as trovoadas faziam parte do filme ou eram da chuva. Não temos nenhum som de trovão no longa”, brinca o diretor. “Fui para a sala de projeção ajustar o som, já que o barulho da chuva e do vento estava mais alto. Foi interessante ver dali de cima a apreensão das pessoas”, conta.

Nesta quinta-feira (28), um bate papo entre publico e diretor foi mediado pelo curador e professor Pedro Maciel Guimarães, com a presença da crítica Guiomar Ramos.

Cariry possui uma longa conexão com a Mostra de Cinema de Tiradentes, já que seu primeiro filme da trilogia sobre a morte, “O Grão”, participou da Mostra Aurora há dez anos. O segundo filme da trilogia, foi gravado com orçamento de curta, e se chama “Mãe e Filha”.  O diretor, além de conversar sobre o filme e deixar uma interrogação sobre a história que ronda na sua produção, que pode ser interpretado das mais diversas formas, também apresentou ao publico um pouco do seu novo projeto previsto para ser lançado no segundo semestre de 2016. “O Barco será um filme menos sombrio, mas também fala sobre deslocamentos e sobre a luta para sair da ilha”, finaliza.

IMG_9858

O resultado das Mostras competitivas acontecerá no sábado dia (30) no Cine-Tenda e terá cobertura completa pelo Jornal Contramão em parceria com o Jornal Hoje em Dia.

Por Julia Guimarães e Gael Benítez
Foto capa: Divulgação do filme

Quem procurou pela Secretaria de Cultura essa semana, no antigo prédio na Praça Liberdade, a encontrou de portas fechadas. É que assim como outros órgãos do governo de Minas, a secretaria mudou-se para a Cidade Administrativa de Minas Gerais (CAMG). A mudança começou na segunda-feira, restando no antigo prédio apenas algumas mobílias, artigos de escritórios, papéis e arquivos em caixas de papelão para serem transportados.

Mas o que será que os funcionários acharam da mudança? Afinal, eles terão que mudar suas rotinas diárias para se locomoverem até a CAMG.  A funcionária do setor de patrimônio da Secretaria, Vânia Lúcia, explica que “Aqui já não funciona mais a secretaria, estamos levando apenas alguns objetos que ficaram, mas os funcionários já estão todos trabalhando lá e estão gostando muito. Lá é mais acessível para nós e para os cidadãos também, as novas acomodações são melhores, mais espaçosas e acessíveis”.

O novo endereço da Secretaria é: Cidade Administrativa – Rodovia Prefeito Américo Gianetti, s/n, Prédio Gerais – 5º andar – Bairro Serra Verde, Belo Horizonte/MG. Telefone 3915-1000. O horário de funcionamento é de 8:00 às 18:00.

Por Danielle Pinheiro

Fotos Danielle Pinheiro

0 603

Na última quinta-feira, dia 4, aconteceu a inauguração da cidade administrativa. Cerca de 29 prédios de órgãos públicos serão transferidos para a nova sede do Governo Mineiro. Alguns comerciantes que ficam nas imediações da praça da liberdade deram a sua opinião sobre essaa transferência.

O jornaleiro Valentin Marzano, 54, está há um ano e meio na Praça da Liberdade prevê que a mudança será positiva para a região: “A região ficará mais moderna e movimentada com os museus e teatros.” explica.

A gerente de um restaurante, Deiseling Ferreira, trabalha a seis meses nesta função e também acha que esta transferência será benéfica: “Iremos ter clientes mais comuns. O nosso lugar será mais reconhecido”, diz.

A maioria dos comerciantes preferiu não opinar sobre o assunto até que as atividades comecem a ser desenvolvidas. Alguns prédios já estão sendo transferidos e a expectativa é que todos estejam em funcionamento na nova sede até o fim do ano.

Texto: Matheus de Azevedo

Foto: Matheus de Azevedo