Tags Posts tagged with "Una gastronomia"

Una gastronomia

Pela segunda vez consecutiva, faculdade ganha o desafio e faz parte da programação do Arraial de Belo Horizonte 2022. 

Por Keven Souza

Consolidando destaque no setor gastronômico do 43° Arraial de Belo Horizonte, o curso de Gastronomia da Cidade Universitária Una (CDU) está entre os cinco ganhadores da 3° edição do Concurso Prato Junino, finalizado no último dia 16 de julho. “Porcobá” é o nome do prato dos cinco estudantes da Una que levaram o prêmio de R$ 5 mil e terá o alimento comercializado a preço popular durante a festividade, que ocorre de 29 a 31 de julho e também nos dias 6, 7, 13 e 14 de agosto. 

“O concurso é importante para alinhar todo o conhecimento técnico, criativo e interpessoal dos alunos das universidades de gastronomia, para operar em um grande evento de rua como o Arraial de Belo Horizonte”, diz Raquel Oliveira, gerente de marketing da Belotur.  

Nesta 3º edição, a competição reuniu além da Una, alunos das faculdades Uninassau-Univeritas, Promove, Estácio de Sá e Senac, desafiados a criar novas versões de receitas que valorizam a cultura junina e fazem parte da memória afetiva da culinária do estado. Foram elaboradas mais de 30 receitas ou releituras de pratos tradicionais com a temática ‘As Origens da Gastronomia Mineira’. 

Um júri técnico formado por especialistas avaliou e elegeu os cinco pratos vencedores, um de cada universidade. Foram consideradas ideias disruptivas na produção das receitas, o grau de valorização da culinária territorial, além da projeção de custo a ser vendido no dia do evento. 

Segundo Amanda Almeida, uma das juradas da competição, com boa nota nesses quesitos, os estudantes de Gastronomia da Una ganharam destaque pela receita criativa que uniu o porco junto com o fubá. “Cada faculdade tem um estilo próprio e formas diferentes de apresentar os pratos. Na Una, a criatividade e a diversidade do Porcobá foi muito grande, fico feliz pelo nível dos profissionais que estão chegando no mercado. Foram incríveis!”, afirma. 

Grupo Porcobá na apresentação do prato para o juri técnico. Foto: Mateus Felix/ Una

A estudante Julia Menezes, integrante do grupo Porcobá, explica que toda a construção do prato parte não só do esforço de seus colegas, como também do colaborativismo e parceria da instituição. “Todo mundo ajudou no desenvolvimento, dando muitas ideias. Nosso professor de panificação, Renato, ajudou na construção da broinha. A Mariana, que é nossa professora de cozinha brasileira, auxiliou nos conceitos da mineridade do prato. E já o Sinval, nosso professor de jornada do curso, estava sempre presente dando conselhos importantes. A partir disso, chegamos a conclusão do que tirar, do que colocar, e qual seria o melhor modo de preparo”, explica. 

Julia ressalta ainda que terem vencido o concurso é o ensejo de mostrar suas expertises e aumentar o portfólio. “Ter o nosso prato, criado por nós alunos, em um arraial que vai ter tamanha visibilidade com tantas pessoas reunidas, acho que é incrível para nossa vida profissional e também pessoal”, comenta. 

Grupo Porcobá na preparação do prato nos laboratorios de Gastronomia da Una. Foto: Mateus Felix/ Una.

De acordo com o professor de jornada de Gastronomia da Una CDU, Sinval Espírito Santo, o Concurso Prato Junino é uma vitrine de oportunidade que coloca o estudante em contato com profissionais renomados da Gastronomia. 

Para ele, a Una ter vencido pela segunda vez a competição demonstra a qualidade do curso em relação às necessidades do mercado. “Para nós do curso de Gastronomia da Una, é um orgulho enorme ter conseguido essa participação. No último arraial o vencedor também foi aqui da faculdade, então é uma responsabilidade ainda maior manter este troféu aqui com a gente. É, ainda, uma grande visibilidade para a Cidade Universitária Una de demonstrar sua excelência”, pontua.  

Grupo Porcobá com o professor Sinval, após a vitoria do desafio. Foto: Mateus Felix/Una.

O próximo passo do concurso é levar os pratos vencedores até a Vila Gastronômica do Arraial de Belo Horizonte 2022. Com o clássico jeitinho mineiro, o público poderá experimentar as comidas feitas pelos estudantes, entre outras especiarias, em um espaço de alimentação de destaque na Praça da Estação, no centro da cidade. 

O Arraial de Belo Horizonte chega à sua 43ª edição e retorna à Praça da Estação nos dias 29, 30 e 31 de julho e 6, 7, 13 e 14 de agosto. Sendo um evento com realização da Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Belotur, com co-realização do Instituto Periférico e parceria com o Serviço Social do Comércio (Sesc-MG), apoio da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL-BH), será mais uma vez um festejo junino representativo da Região Sul e Sudeste do Brasil, pela sua valorização e respeito à cultura e às tradições que envolvem o período. 

Receita do Porcobá

Porcobá. Foto: divulgação PBH.

Descrição: sanduíche de broinha de fubá de canjica com refogado de costelinha e limonete de ora-pró-nóbis

Integrantes da equipe: Bruna Mendes Oliveira, Ana Luiza Borelli, Michelle Françoele Caetano de Oliveira, Eduardo Murilo Pinheiro Homobono e Julia Menezes Antunes

Ingredientes – Broinha de Fubá

  • 400ml de água
  • 80g de açúcar cristal
  • 5g de sal
  • 200g de manteiga
  • 150g de farinha de trigo
  • 150g de fubá de canjica
  • 400g de ovos

Ingredientes – Costelinha

  • 600g de costelinha suína
  • 50g de cebola picada
  • 21g de alho
  • 15g de sal
  • 10g de colorau
  • Pimenta do reino a gosto
  • 50ml de suco de limão capeta

Ingredientes – Limonete

  • 180g de cebola roxa
  • 1 maço de ora-pró-nóbis
  • 125g de pimentão amarelo
  • 75g de pimentão vermelho
  • 50g de cheiro verde
  • 60ml de azeite
  • 50ml de suco de limão capeta
  • 5g de sal

Modo de preparo  – Broinha de Fubá

  1. Pré-aqueça o forno a 165ºC;
  2. Aqueça água, açúcar, sal e manteiga até a fervura;
  3. Adicione a farinha misturada com fubá de uma só vez;
  4. Cozinhe até formar uma casca no fundo da panela, aproximadamente 2 minutos;
  5. Transfira para a tigela da batedeira;
  6. Bata até esfriar um pouco;
  7. Incorpore os ovos, um a um, lentamente, até a massa atingir o ponto (quando a massa cai em V do batedor);
  8. polvilhe fubá sobre a bancada e faça as bolinhas, com aproximadamente 100g de massa cada, com ajuda de uma colher;
  9. Polvilhe fubá por cima, enrole e coloque em uma forma untada e polvilhada com fubá;
  10. Asse a 165ºC por 30 minutos ou até ficar dourada.

Modo de preparo  – Costelinha

  1. Marine a costelinha com sal, alho e pimenta do reino e suco de um limão capeta por, no mínimo, 20 minutos;
  2. Cozinhe a costelinha na panela de pressão por 40 minutos;
  3. Desfie a costelinha;
  4. Refogue a cebola e os alhos picados em brunoise no azeite;
  5. Adicione colorau e acrescente a costelinha desfiada;
  6. Corrija o sal, se necessário.

Modo de preparo – Limonete

  1. Pique a cebola e o pimentão em brunoise;
  2. Pique o cheiro verde;
  3. Rasgue as folhas de ora-pro-nóbis grosseiramente;
  4. junte os ingredientes picados em uma tigela;
  5. Acrescente azeite, suco de limão capeta e sal a gosto.

Corte a broinha ao meio e recheie com costelinha e limonete.

Tempo de preparo: 2 horas

0 189

E hoje é dia de receita aqui no Contramão! A delícia de hoje é da professora do curso de Gastronomia da Una, Carol Haddad e é uma excelente opção para o final de semana.

Gallette Bretone (06 unidades)

Ingredientes

Massa:

Farinha de trigo sarraceno – 130 g

Água – 250 ml ou QB

Ovo – 1 unidade

Sal – A gosto

Óleo – A quantidade que achar suficiente

Recheio:

Cogumelo Paris fresco fatiado – 400 g

Alho – dentes em brunoise

Azeite – 1 colher (sopa)

Óleo – A gosto

ovos – 6 unidades

Sal – A gosto

Pimenta do reino – A gosto

Noz moscada – A gosto

Salsinha picada finamente

Flor de sal para finalizar

Modo de Preparo

Massa:

Num recipiente misture com um fouet o trigo e o sal. Faça uma cavidade no centro e nela coloque os ovos e metade da água. Junte a água restante e, com uma espátula, bata para dar leveza por cerca de 03 minutos, até ficar com uma espessura de uma fita caindo da espátula. Cubra com papel filme e leve à geladeira por pelo menos 04h. Retire a massa da geladeira e misture até estar lisa, cobrindo o dorso do utensílio. Unte a frigideira com óleo e espalhe com papel toalha para tirar o excesso. Leve-a ao fogo e disponha uma concha de massa e deixe que cozinha até começar a soltar das bordas. Vire e repita o processo. Reserve os discos de crepe.

Recheio:

Disponha o azeite em uma frigideira e coloque o alho. Leve ao fogo para refogar, sem dourar.

Junte os cogumelos e deixe que murchem. Tempere com sal e pimenta do reino e finalize com salsinha. Reserve.

Finalização:

Disponha pouco óleo em uma frigideira e “frite” os ovos. Nos discos de crepe, coloque o recheio e, por cima de cada um deles, ovo.

Polvilhe flor de sal e mais salsinha, se desejar.

0 402

A receita de hoje é em comemoração aos 300 anos de Minas Gerais, celebrado na última quarta-feira (02/12).  Uma mistura das tradições entre a carne de panela (costela bovina), e a galinha caipira desenvolvida pelo chef e professor do Centro Universitário Una, Luciano Avellar.

“A partir da  cultura mineira raiz que demonstra aos visitantes tudo o que temos de conceito alimentar e hábitos de fartura nas preparações, busquei transmitir esta mensagem através do prato, que traz uma concepção ligada à várias regiões de Minas Gerais”. Frase do nosso eterno e saudoso Guimarães Rosa: Minas são muitas”, explica o chef.

Bora para a receita?

COSTE-LINHA

Porções:04

Categoria: Prato princial

Ingredientes:

Para a costela de boi.

01kg de Costela de boi cortada em pedaços

01 unidade de Cebola cortada em cubos

02 folhas de Louro

02 talos de Salsão picado

Sal QB

Pimenta do reino em grão QB

01 colher de sopa de Banha de porco

03 dentes de Alho fresco repicado

Modo de preparo

Refogar a cebola com a banha até dourar bem, acrescentar o alho e o salsão, colocar a costela bovina, inserir demais ingredientes e cozinhar na pressão por 45 minutos.

Deixar esfriar, desfiar. Reserve o liquido do cozimento também.

Para a galinha caipira

Retirar a pele da galinha – Reservar

Cortar nas partes principais e utilizar apenas o peito

400g de Mirepoix (cenoura, cebola, salsão e alho)

02 unidades de Peito da galinha caipira

1,5 litro de água

50ml de cachaça

Sal QB

Pimenta do reino moída QB

Modo de preparo

Salgar a pele da galinha, deixar descansar por 02 horas, levar ao forno a 130°C por 02 horas para desidratar usando papel manteiga.

Na panela de pressão, doure a galinha, até ficar bem corada, nesta mesma panela acrescente o mirepoix e refogue, em seguida adicione a cachaça para deglaçar, e os demais temperos por último.

Colocar na pressão por 1:20hs ou até ficar macia. Esfriar e desfiar. Reserve o liquido do cozimento também.

Para o caldo de mocotó

01 unidade de Mocotó cortado em pedaços

02 folhas de Louro

01 galho de Alecrim

50ml de Conhaque

Sal QB

Modo de preparo

Coloque todos os ingredientes na panela de pressão e cozinhe por 01 hora.

Deixar esfriar e retirar os colágenos de todo o osso.

Colocar no liquidificador o liquido e os pedaços do mocotó e triturar bem, coar e reservar.

Para a montagem das camadas do preparo.

Coar e misturar o caldo do cozimento da costela e da galinha e deixar ferver. Reserve.

Refogar a parte com banha de porco, alho e cebola, as carnes desfiadas, uma em cada panela, adicionar o caldo do cozimento (apenas para manter umidade da carne), acrescentar duas conchas do caldo de mocotó em cada refogado, corrigir o tempero de ambos e reservar.

Com auxílio de uma forma de bolo inglês, monte as camadas utilizando um saco plástico para forrar a forma e coloque no fundo, folhas de ora-pro-nóbis, cubra com o refogado de galinha caipira, nivele bem e em seguida faça o mesmo com o refogado de costela.

Aperte brevemente e leve para gelar por 4 horas.

Para a montagem do prato

Desenforme o preparo e corte em retângulos, leve ao forno a 200°C por 10 minutos para dourar por fora.

Faça a montagem conforme a foto ou siga sua inspiração.

No meu prato fiz:

Um angu de milho branco e disponha no prato da forma que sua criatividade o inspirar.

Confitar tomates cerejas com azeite, alho e ervas frescas.

Engrossar o molho com amido de milho ou roux (mistura de farinha de trigo com manteiga). Regar ao redor do prato.

Molho verde – base manjericão (azeite de oliva, manjericão, alho, sal e pimenta)

Decoração do prato a gosto.

 

Sobre o chef Luciano Avellar

Professor de gastronomia da UNA-BH de Cozinha Brasileira e Cozinha Clássica Europeia e Chef Executivo de Cozinha do Senac Minas, Luciano Avellar tem formação em Administração, MBA em Gestão Gastronômica e Hoteleira e teve seus primeiros contatos com a cozinha durante o curso de Cozinheiro no Hotel Senac Grogotó em Barbacena – MG e se aperfeiçoou na famosa Escola de Hotelaria Do Porto em Portugal. Com a experiência adquirida à frente de vários restaurantes no Brasil e na Europa, hoje o Chef ajuda empresários do setor de alimentação fora do lar a melhorarem seus cardápios e resultados, através do trabalho de sua empresa, a Avellar Consultoria.

0 395

A receita de hojé é um prato que parece ser impossível de preparar em casa, mas em menos de 15 minutos fica pronta e irá surpreender a todos! Quem traz essa receita é o aluno do curso de Gastronomia da Una, André Barreto.

Quantidade de porções: 04

Tempo de preparo: 15 minutos

Categoria: Entrada

Ingredientes:
• 600g de filé atum fresco
• Gergelim branco e preto
• Azeite
• Cebolinha mini para decorar
• Flor de Sal

Passo a passo para a preparação:

1- Corte o filé de Atum em dois pedaços iguais e pincele azeite em todos os lados;
2- Misture os dois tipos de Gergelim em um prato e empane o peixe;
3- Em uma frigideira antiaderente, coloque um fio de azeite e sele o atum em todos os lados (cerca de 1 minuto de cada lado). Deixe esfriar;
4- Fatie o peixe (1cm de espessura) e monte de forma decorativa na tábua. Finalize com a flor de sal e com a mini cebolinha. Sirva logo em seguida.

DICAS:
– Molhos orientais são excelentes acompanhamentos: TARÊ, TERIAKI, a pasta de WASABI ou até mesmo aquela conserva de GENGIBRE. Ambos são facilmente encontrados em supermercados ou empórios.
– Coma com o Hashi (aqueles palitinhos de comida japonesa).
– Harmoniza bem com vinho branco ou até mesmo um tinto mais leve, como exemplo um Pinot Noir.

Mais sobre André Barreto

Mineiro, relações públicas e cozinheiro por paixão. Desde pequeno ele tomou gosto pela cozinha ao ver seu pai cozinhar para a família e amigos. Foi na adolescência que se tornou uma referência, quando o assunto era cozinha. Passava receitas, dava dicas de lugares legais para comer em BH, dicas de vinhos, viagens, etc.

Em 2015, resolveu compartilhar suas receitas e experiências gastronômicas na internet, de forma que seus amigos e família pudessem acessá-las. Tudo começou como uma brinacdeira que cresceu de forma orgânica e já possui mais de 13 mil seguidores.

Em seis anos, foram inúmeras receitas publicadas em sites, revistas, jornais, participação em programas de TVs, aulas de culinária, participação em feiras gastronômicas em Belo Horizonte e também no interior de Minas Gerais.

Redes sociais: @cozinhepraela
Site: www.cozinhepraela.com.br