Tags Posts tagged with "Vídeo"

Vídeo

O Palácio das Artes recebe, a partir de hoje, onze obras da coleção Filmes e Vídeos de Artistas do Projeto Itaú Cultural. É a primeira vez que essas obras são reunidas em uma única mostra. “Selecionamos os trabalhos com base na sua representação antológica e com base na forte questão mercadológica que representam atualmente”, afirma o curador Roberto Moreira.

A coleção é composta por vídeos artísticos produzidos no Brasil nos últimos 50 anos. Ainda de acordo com o curador “os vídeos revelam, por suas qualidades estéticas, a relevância da produção brasileira de filmes e vídeos de artistas”, comenta. A exposição apresenta ainda uma seção com foco em obras realizadas a partir da década de 90 por uma nova geração de artistas.

A mostra está na galeria Alberto da Veiga Guignard, no Palácio das Artes até o dia 6 de janeiro de 2013. As visitações ocorrem de terça a sábado de 9h30 às 21h, e aos domingos de 16h às 21h. A entrada é gratuita.

Por Marcelo Fraga e Paloma Sena

Imagem: Divulgação / Itaú Cultural

0 468

As eleições municipais em Belo Horizonte estão disputadas e os candidatos  investem nos canais de vídeo na internet para angariar os últimos votos antes das eleições de domingo, 07. Nas últimas semanas a disputa ganhou tons de polêmica, graças a dois vídeos que circularam, primeiro pela internet, e alcançaram as campanhas de rádio e TV.

Um vídeo em que o candidato a vice-prefeito  na chapa liderada por Márcio Lacerda(PSB),  Délio Malheiros declara: “Estarei com quem estará contra o Márcio”, em referência  a candidatura à reeleição do atual prefeito .

Outro vídeo que circulou foi a fala da Presidenta Dilma Roussef,  elogiando o candidato à reeleição: “Eu reputo um dos melhores prefeitos deste país”, fala a presidenta se referindo a Lacerda.

As opiniões sobre os vídeos são bem distintas, a Assessoria de Imprensa de campanha do candidato Márcio Lacerda (PSB) diz que o vídeo da presidenta é o reconhecimento do trabalho desempenhado pelo atual prefeito. Já em relação ao vídeo de Délio Malheiros, a assessoria afirma que eles nem assistiram ao vídeo, que ele está fora de contexto e que os dois tem uma relação muito amigável, que é uma manobra desesperada de quem está atrás nas pesquisas de intenção de voto.

Videos dos candidatos

Na outra ponta a assessoria de campanha do candidato Patrus Ananias (PT), declara que o vídeo em que Dilma Rousseff elogia o atual prefeito é uma ação de delicadeza e educação. “Ela não iria criticar uma prefeitura ou governo com quem fechou uma parceria, seria incoerente. Está no papel institucional dela”, explica. Sobre o vídeo em que Malheiros critica o companheiro de chapa, a assessoria informa: “é importante para as pessoas perceberem como se muda de posição de uma forma tão explicita e hipócrita”.

Os responsáveis pelas assessorias não forma autorizados a se identificar para esta matéria.

Na TV

Nas redes sociais, a pressão dos militantes anti-Lacerda era que o vídeo de Malheiros fosse mostrado na TV. Na quarta-feira, a candidata Vanessa Portugal (PSTU) inseriu um trecho do vídeo no seu programa de TV. O movimento “Fora Lacerda”, na quinta, 04, chegou a exibir o vídeo na fachada de um prédio na Praça Sete.

Por: Hemerson Morais e João Vítor Fernandes

Ilustração: Diego Gurgel

Após uma vida dedicada ao cinema, o cineasta José Américo Ribeiro faleceu em 20 de abril, na sala que levava o nome de seu melhor amigo e também cineasta, José Tavares de Barros.

José Américo é mestre em cinema pela The Ohio State University, doutor em cinema pela Escola de Comunicação e Artes da USP, professor Titular do Departamento de Fotografia, Cinema e Teatro da Escola de Belas-Artes da UFMG. É autor de “O cinema em Belo Horizonte – do cineclubismo à produção cinematográfica na década de 60”, umas das obras mais completas sobre o cinema mineiro, fruto de sua tese de doutorado, que é referência para estudantes e professores até hoje.

Veja no vídeo a homenagem feita por amigos e admiradores do cineasta:

Ficha técnica:

Entrevistas:

Natália Alvarenga
Sávio Leite

Imagens:

Duda Gonzalez
Átila Lemos
Juliana Antunes
Pedro Vasseur

Som:

Emanuel Fernandes

Edição:

Dayanne Naêssa
Duda Gonzalez
Eduardo Teixeira

1 546

Por volta das 10 horas, centenas de pessoas engrossavam a fila em frente ao Palácio da Liberdade para prestar a última homenagem ao ex-presidente e senador da República, Itamar Franco, morto no dia 02 de julho, vítima de um acidente vascular cerebral (AVC). Jovens, adultos e idosos que aguardavam a chegada do corpo do parlamentar, destacavam a importância do ex-presidente para a estabilização da política e da economia brasileira. “Itamar Franco foi um homem que deixou um legado muito grande para nós mineiros e, sobretudo, juiz-foranos e também para o próprio Brasil, um homem integro de grande personalidade, que estava sempre tentando reconciliar partidos”, declara a professora aposentada Jacira Campos Coelho, 66.

foto21
Acompanhada do marido, o delegado aposentado Abelardo Teresinha de Almeida, 78, Jacira Campos destacou ainda o papel político desempenhado por Itamar Franco, em 1994, quando foi lançado o Plano Real. “Foi um período muito difícil, a inflação era muito grande, com ajuda do Fernando Henrique Cardoso [ministro da economia da época em substituição a Rubem Ricupero], foi feito o Plano Real que salvou a Pátria”, lembrou Jacira Campo. Já Abelardo de Almeida rememora a convivência que teve com Itamar Franco. “Convivi com a simplicidade dele, muita ética. Na época em que faleceu a mãe dele, eu tive o privilégio de coordenar a vigilância para dar a ele uma tranqüilidade maior, pois estava sofrendo muitíssimo”, declarou. “Itamar se distingui pela simplicidade, pela consciência e conscientização com que ele comandou o governo”, avaliou o aposentado.

A professora Cristina Rodrigues, 56, estava na fila há 2 horas e ressaltou o nacionalismo do ex-presidente. “Ele sempre defendeu a indústria brasileira, era contra a privatização, tentou como governador manter a autonomia de Minas. Era um grande republicano no sentido de manter a autonomia dos Estados, ou seja, levou a sério o pacto federativo”, avaliou. “Para mim ele foi um dos maiores políticos do país, tanto para os civis quanto para a polícia militar”, frisou o militar aposentado, Navantino Gomes, 73.

A pré-vestibulanda, Ana Raquel Cota, 22, estava na fila para homenagear Itamar Franco. “Acho que se eu fosse da família dele, eu gostaria que a população estivesse aqui, ele foi importante porque aprovou o Plano Real e acabou com a grande inflação, votei nele para senador e nunca se ouviu falar em corrupção no governo dele”, revelou.

O estudante de direito, Caio Bellote, 21, enfatizou a trajetória política do senador. “Ele soube honrar a presidência da república, de uma moral ilibada, um homem que viveu toda uma vida pública sem nenhuma denúncia contra ele, ele soube em um momento difícil para o país, estabilizar a economia e conseguiu se livrar da crise do governo Collor”.

O metalúrgico aposentado, Wildes de Souza, 59, que esteve presente no velório do ex-vice-presidente, José de Alencar, compareceu, hoje, para homenagear o senador Itamar Franco. “O Itamar trabalhou muito para Minas Gerais e fez um trabalho de coração”, avaliou.

Trânsito
Nas imediações da Praça da Liberdade, o fluxo de veículos foi desviado para as ruas Gonçalves Dias e Bahia. A Polícia Militar organizou um cordão de isolamento nas avenidas Brasil e Bias Fortes, além da Rua Cristóvão Colombo. A BHtrans implantou rotas de desvio do itinerário dos ônibus que passam pela região.

O corpo de Itamar Franco chegou à capital por voltas das 10h30, e segui em carro aberto do Aeroporto da Pampulha até a Praça da Liberdade, passando pelas principais vias da cidade. Às 11h37min, o cortejo dos Dragões da Inconfidência subiu a Avenida João Pinheiro, cruzou a Praça, sob os aplausos de centenas de pessoas, até os portões do Palácio da Liberdade, desta vez ao som de “Oh Minas Gerais”.

Para a população de BH, Itamar será lembrado como exemplo na política.Acompanhe o vídeo:

No Palácio, um velório restrito à família e às autoridades políticas nacionais e estaduais, dentre essas a presidenta Dilma Roussef, a ministra da casa civil, Gleisi Hoffman, e o ministro do desenvolvimento, Fernando Pimentel, além do governador, Antônio Anastasia, e do senador, Aécio Neves.
As 15h o corpo de Itamar Franco segue para Contagem, na região metropolitana, onde será cremado no cemitério Parque Renascer, o mesmo onde foi cremado o ex-vice-presidente, José Alencar.

Por: Bárbara de Andrade e Anelisa Ribeiro

Polaroid.O nome já figura em destaque no mundo da fotografia. As fotos instantâneas figuram como peças pop no imaginário popular de diversas gerações. Imagine então o impacto se essas fotos polaróides fossem gigantes?

A Embaixada da Espanha no Brasil, o Instituto Cervantes em Belo Horizonte e a
Fundação Clóvis Salgado, juntos trazem, pela primeira vez na capital, a exposição de fotografias “50×60 Polaroid Gigante”. As obras são de dez fotógrafos espanhóis entre 1992 a 1994, foram obtidas, a partir de uma das cinco câmeras Polaroid Gigante existentes no mundo. As fotografias têm estilos bem distintos e deixa por conta do visitante a interpretação.

O público visitante orgulha a Fundação Clóvis Salgado, a gerente de Artes Visuais Fabíola Moulin, afirma. “Todos os dias tem um grande número de visitação de escolas e existe, também, um grande número de público espontâneo, dia de semana o número aproximado é de 100 pessoas por dia e, nos finais de semana, chegam até a 300. Observamos e talvez seja uma exposição record.”

A Polaroid Gigante apresenta obras inéditas no país. “gosto de destacar a importância da circulação de acervo. Também as discussões da fotografia contemporânea. É ainda a oportunidade de ver fotografias que apresentam um modo diferente, pouco usual em outras exposições”, explica Fabíola Moulin.

dsc_3536

A estudante Gabriela Abrantes esteve na exposição e contou suas impressões: “achei instigante. Tentei entender o significado de todas as fotografias, e acredito que cada visitante interpreta de uma forma, justamente por não estar descrito o
que significa cada uma. As fotos são bonitas e diferentes”. “Estou tentando criar o hábito de ir exposições, porque acho importante”, revela a estudante.

Para os interessados em visitar “50×60 Polaroid Gigante”, a exposição permanece até o dia 12 de junho no Centro de Arte Contemporânea e Fotografia, na Avenida Afonso Pena, 737, Centro. Horários de terça a sábado das 9h30 às 21h; domingo das 16h às 21h. A entrada é franca.

Veja o nosso vídeo sobre a exposição:


A exposição faz parte de um calendário de eventos culturais que serão promovidos pelo Instituto Cervantes, FMC/PBH, FCS e Usiminas Belas Artes ao longo do ano. A próxima exposição será “1911-2011 Arte Brasileira”, uma comemoração dos cem anos da arte brasileira. Acontecerá a partir do dia 4 de julho e reunirá escultura, pinturas e fotografias, entre outras obras. Fique ligado na programação pelo site da Fundação Clóvis Salgado.

Por: Andressa Silva/ Marcos Oliveira
Vídeo: Edição e imagens: Vanessa C.O.g
Produção: Andressa Silva

Cada cidade tem um marco que atrai turistas, olhares e clicks de câmeras fotográficas. No momento, os Ipês são a atenção da vez na Praça da Liberdade, colorindo e embelezando os arredores da região.

Mas “Como é que o ipê sabe a época que vai florir?”. É a pergunta da dona de casa Lilian Lima que ama os Ipês e todos os anos vai a Praça fotografá- los. Muitas pessoas acham estranho o Ipê florir fora da primavera e o jardineiro Aristeu Antônio Mariota, 50, diz que a época de florescência dos Ipês varia de acordo com cada espécie. “O Ipê Amarelo floresce entre julho e agosto e permanece em flor durante um mês. Já o Rosa, floresce no período de inverno, entre 25 de maio e 30 de julho e permanece em flor por dois meses.” explica o jardineiro, que está nessa profissão há 14 anos.

Para florescer, os Ipês perdem todas as folhas, ficando apenas os galhos. Só então as flores começam a aparecer. “Todo mundo chama o Ipê de Roxo, mas se você olhar bem, vai ver que é rosa”, diz Mariota. Maria Du Carmo Santos, 60, trabalha na região da praça. Maravilhada, diz que tudo fica mais bonito com os Ipês: “Toda vez que o Ipê flora eu venho ver”, conta sorrindo.

Visite nossa galeria

Texto: Danielle Pinheiro e Débora Gomes

Imagens e edição: Marcus Ramos