TBT: Linchamento de Fabiane Maria de Jesus

TBT: Linchamento de Fabiane Maria de Jesus

0 118

Por Bianca Morais 

Há seis anos, o termo Fake News ainda não era muito usado e nem tinha a visibilidade que tem atualmente. As conhecidas “notícias falsas” foram responsáveis por manipular eleições, destruir reputações e até vidas. Acontece que as fake news sempre estiveram presentes em nossa sociedade, porém com o avanço da internet ela passou a alcançar um número muito maior de pessoas.

Em 2014, um caso teve grande repercussão no Brasil e ficou conhecido como um dos primeiros episódios da nossa história em que uma postagem falsa na internet acabou com uma vida. O linchamento de Fabiane Maria de Jesus, 33 anos, aconteceu no dia 3 de maio daquele ano, a mulher foi confudida com uma raptora de crianças e, por isso, brutalmente assassinada por dezenas de pessoas que resolveram fazer justiça com as próprias mãos. 

Conheça o caso

Fabiane era casada e mãe de duas filhas, dona de casa e muito religiosa. Naquele sábado, dia 3 de maio, ela levantou pela manhã e foi até a igreja que frequentava no bairro Matozinhos, na periferia da cidade de Guarujá (SP), buscar a bíblia que tinha esquecido. A mulher também passou no trabalho do marido. Depois dali ela andou até o mercado, comprou bananas e seguiu seu caminho.

Não se sabe ao certo como tudo teve início, mas segundo relatos a mulher ofereceu uma banana para uma criança na rua, ao ver a cena a população ao redor a confundiu com a “bruxa do Guarujá” e avisou um rapaz da biqueira, que já chegou agredindo Fabiane. Em pouco tempo, o linchamento começou a tomar proporções gigantescas, já não era possível mais saber a quantidade de pessoas que assistiam enquanto a mãe de família era arrastada, chutada e espancada. Homens, mulheres e crianças assistiam ao massacre.

A Bruxa do Guarujá

Dias antes do linchamento, uma publicação em uma página no Facebook, com cerca de 56 mil curtidas, chamada Guarujá Alerta, dizia que uma mulher estava raptando crianças para realizar magia negra. Na postagem ainda havia um retrato falado e a foto de uma loira, seguidos da frase: “se é boato ou não devemos ficar alertas”. Nenhuma das mulheres mostradas se pareciam com Fabiane, mesmo assim ela foi confundida e atacada. 

A criminosa mencionada no Guarujá Alerta nem sequer existia, posteriormente a polícia descobriu que não havia nenhuma denúncia recente de sequestro de crianças em Guarujá, e quanto a foto do auto-retrato, se tratava de um crime ocorrido no Rio de Janeiro, dois anos antes.

Uma semana antes de sua morte, Fabiane, que tinha os cabelos compridos e pretos, teria cortado na altura dos ombros e tingido de ruivo, como não gostou do resultado, na noite anterior ao linchamento os descoloriu de modo a voltar a cor preta. Os cabelos descoloridos fizeram com que ele remetesse ao loiro, assim como o da foto da mulher que circulava no facebook.

A pena de morte à Fabiane

Durante quase três horas, Fabiane Maria de Jesus sofreu diversos tipos de agressões. O povo ao redor nada fez para ajudá-la e muitos ainda gravaram com seus celulares todas as atrocidades cometidas. Nenhum daqueles moradores se preocupou em checar a veracidade da notícia ou confirmar se aquela espancada na frente deles era realmente a das fotos. A única preocupação deles ali era condenar uma pessoa que eles acreditavam ser a culpada de um crime que nunca existiu.

Enquanto era espancada a socos, chutes, pauladas e até uma bicicleta atravessada sobre sua cabeça, a multidão em sua volta viu a bíblia que ela carregava em suas mãos e diziam ser um livro de magia negra e os santinhos dentro dela, fotos das crianças que ela sequestrou.

Uma viatura da polícia e uma equipe de resgate tentaram chegar ao local, porém foram impedidos pelos populares que exigiam a presença da imprensa para registrar a captura da criminosa. A TV Record foi até o local e fez a gravação.

Fabiane chegou a receber atendimento médico, mas morreu na manhã de segunda-feira. As lesões foram tão graves que os médicos disseram que caso ela sobrevivesse iria apresentar sequelas para o resto da vida.

Julgamento

As gravações feitas pelos celulares e divulgadas na internet ajudaram a identificar os culpados. Cinco homens foram condenados a penas de até 40 anos, entre eles: 

Lucas Rogério Fabrício, passou a bicicleta por cima dela;

Carlos Alex Oliveira de Jesus, bateu a cabeça dela contra o chão várias vezes;

Abel Vieira Batalha Junior, proferiu diversos golpes a cabeça da mulher;

Jair Batista dos Santos, jogou Fabiane da passarela;

 

Valmir Dias Barbosa, aplicou pancadas com um pedaço grosso de madeira na cabeça da vítima. Esse último pegou menos anos de prisão por ter confessado o crime.

Todos os acusados alegam que não tiveram a intenção de matar e agiram pela revolta ao saberem que a mulher  sequestrava crianças para praticar magia negra. 

O Brasil é um dos países onde mais acontecem linchamentos no mundo, o perfil dos linchadores é sempre o mesmo, pobres, habitantes de comunidades carentes e periféricas, onde o Estado não se faz presente. O boato que circulava entre os cidadãos daquela comunidade era que a sequestradora pegava crianças para arrancar-lhes o coração em rituais de magia negra. O medo tomou conta daqueles moradores, as mães temiam os filhos brincarem na rua, afinal, não tinha quem os proteger a não ser eles mesmos.

Com certeza hoje, sete anos após a morte de Fabiane, muitos indivíduos daquela multidão furiosa guardam remorsos e uma consciência pesada. Agiram de forma injusta, julgaram e mataram uma inocente. O ser humano erra e a justiça é falha, pena de morte deve ser muito bem aplicada, pois como no caso de Fabiane, o julgamento foi errado.

SIMILAR ARTICLES

0 53

0 41

NO COMMENTS

Deixe uma resposta