TBT: O menino que perdeu os pais (caso Von Richthofen)

TBT: O menino que perdeu os pais (caso Von Richthofen)

0 217
Andreas Albert Von Richthofen, com 27 anos

Por Hebert Jonas – especial para o Contramão

Andreas Albert Von Richthofen

Andreas era apenas um adolescente de 15 anos quando tudo aconteceu, logo, imaginamos o quão difícil deve ter sido lidar com o que houve. 

Suzane e Andreas eram muito próximos. Segundo relatos, os dois sempre estiveram unidos. “Um sempre protegeu o outro”, disse uma das amigas de infância de Suzane.

Andreas era conhecido na época por ser um jovem educado, tranquilo e bem reservado, assim como era o pai, Manfred. O jovem estudava dois idiomas e tinha uma rotina pacata.

O garoto sempre aguardava o pai chegar do trabalho para falar sobre seu dia, aos finais de semana eles iam para um sítio que possuía em São Roque para fazerem atividades juntos, como marcenaria e cuidavam do jardim.

O Assassinato

Vamos relembrar um pouco do caso e saber como está atualmente o único herdeiro da família Von Richthofen.

Tudo ocorreu no dia 31 de outubro de 2002, na cidade de São Paulo em uma mansão no bairro nobre Brooklin Velho, um crime com repercussão internacional, orquestrado pela irmã de Andreas, Suzane Von Richthofen,o cunhado Daniel Cravinhos e o irmão de Daniel, o Cristian Cravinhos.

No interesse de conseguirem viver “em paz”, planejaram friamente o assassinato dos pais de Suzanne. O plano era levar o irmão (Andreas), para um playground na região enquanto cometiam o crime e após iriam a um motel para ter como álibi a sua localização no momento do crime.

Assim que levaram Andreas ao playground, o casal se encontrou com o irmão de Daniel e se direcionaram até a casa da família.

Ao chegar na casa seguiram o planejado e assassinaram a sangue frio os Manfred e Marísia com barras de ferro e quando perceberam que não estavam obtendo sucesso com as barras tiveram a ideia cruel de colocar panos úmidos na boca do casal e jogaram água para afogarem.

  •   Suzanne e Daniel Cravinhos foram condenados a 39 anos e 6 meses de prisão.
  •   Cristian Cravinhos foi condenado a 38 anos e 6 meses de prisão.

 

Cristian e Daniel Cravinhos ao lado de Suzane Von Richthofen

Como está Andreas?

Desde 31 de outubro de 2002 Andreas foi afastado da irmã após prestar depoimento sobre o acontecido, e a partir deste dia viveu com seu único tio, Miguel Abdalla.

Andreas reencontrou com sua irmã no dia 13 de novembro daquele ano para a reconstituição da cena do crime, após isto, no dia 14 de novembro, Andreas visitou a irmã na 89° dp, no Morumbi na companhia do advogado de Suzane.

Após essa visita, no dia 14 foi divulgado um bilhete supostamente escrito por Andreas, ele afirmou ser coagido a escrever pelo tal advogado de Suzane.

“Perdoar é abrir o coração. Não só perdoei minha irmã Su, mas continuo a amá-la. Agora, principalmente, é o momento em que ela mais precisa do amor. Apesar da dor, tenho plena certeza de que nossos pais a perdoaram. Ainda ontem ouvi uma frase que muito me marcou: a humanidade deve caminhar unida em busca da civilização do amor” — Polêmico bilhete supostamente escrito por Andreas

Andreas nunca falou nada sobre o caso e desde 2002 não a visita mais, a vida de Andreas não parou naqueles anos, ele focou em estudar e cursou Farmácia e Bioquímica pela universidade de São Paulo entre os anos de  2005 e 2009.

Fez doutorado em 2010 na mesma universidadee recebeu bolsa de estudos do CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico) e viveu com o tio e avó até 2006, quando ele se mudou para a Suíça.

Somente em 2017 que se obteve as últimas notícias do paradeiro de Andreas, ele foi localizado quando pulava de muro em muro das casas na zona sul de São Paulo. Após ser abordado na região da cracolândia, no centro da capital paulista e internado no Hospital do Campo Limpo.

Andreas Albert Von Richthofen, com 27 anos

NO COMMENTS

Leave a Reply