Turismo para todos: cartilha virtual de pontos turísticos orienta deficientes

Turismo para todos: cartilha virtual de pontos turísticos orienta deficientes

0 775
Foto: Amanda Eduarda

Parques, mirantes, museus, teatros… Belo Horizonte é repleta de atrações turísticas. Pensando em orientar melhor turistas e até mesmo a população local que necessita de atenção especial quanto a mobilidade e acessibilidade, a Belotur desenvolveu uma cartilha virtual destacando os atrativos da capital que estão estruturalmente preparados para atender à todos.

Ao entrar no site belohorizonte.mg.gov.br , no topo da página, à direita, encontra-se já disponível a cartilha que recebe o nome de “Turismo Acessível”. Cerca de 60 pontos turísticos foram catalogados e classificados em quatro categorias: “Física ou motora”, “auditiva”, “visual” e “mobilidade reduzida”.

Crédito: belohorizonte.mg.gov.br
Crédito: belohorizonte.mg.gov.br

Ao clicar em um dos quadrantes, a página direciona para uma lista de atrativos variados, com todas as informações necessárias, acessíveis a cada uma das condições, incluindo visitas mediadas sensoriais (tátil e sonora). “A ideia é qualificar a vinda deste turista que necessita de atenção especial, oferecendo informações confiáveis e amplas sobre os serviços de acessibilidade que a cidade oferece com relação à rede de atrativos turísticos”, exalta o diretor de Promoção Turística da Belotur, Gustavo Mendicino.

O presidente da Comissão de Acessibilidade da Fundação Municipal de Cultura, Cássio Campos, viu com bons olhos a iniciativa. “Nós estamos falando de vários grupos sociais, de várias etnias, que precisam ter suas diferenças respeitadas. Desse modo, estamos dando um ponto de partida para ampliar o acesso à vida cultural da cidade, eliminando as barreiras. Esse inventário abre as portas do patrimônio cultural da cidade e provoca a reflexão sobre a importância de se conscientizar sobre o tema”.

Foto: Amanda Eduarda
Foto: Amanda Eduarda

O Centro Cultural Banco do Brasil, CCBB ( foto acima), localizado na Praça da Liberdade, região central da capital, está apto a receber visitantes das quatro categorias listadas na cartilha. O espaço possui:

Rampa de acesso ao prédio para pessoas com deficiência física.
Indicação sonora e em braile nos elevadores.
Banheiro acessível em todos os andares.
Guichê de caixa eletrônico acessível a pessoas em cadeiras de rodas.
Disponibilidade de elevadores adaptados ligando os pavimentos.
Sinalização tátil em corrimão e totens.
Duas vagas de estacionamento público destinadas a pessoas com deficiência na Avenida Brasil e na Rua Gonçalves Dias.
Escadas com corrimão e indicações em braile.
Teatros com box para cadeirantes.

Estas e outras informações como telefone, horário de funcionamento e programação estão disponíveis na cartilha.

Texto: Bruna Dias

 

NO COMMENTS

Leave a Reply