Tags Posts tagged with "Star Wars"

Star Wars

Por Tiago Jamarino – Start – Parceiros Contramão HUB

Apesar de haver uma clara divisão entre os fãs de Star Wars: Os Últimos Jedi é o filme Sci-Fi mais bem-avaliado de 2017 de acordo com o agregador de revisão Rotten Tomatoes.

 

Rotten Tomatoes classifica todos os filmes de 2017 com base em seu respectivo índice ajustado, que usa uma fórmula que está ciente da disparidade do número de revisões para cada filme.

 

Com uma pontuação ajustada de 106,601%, Star Wars: Os Últimos Jedi superou Planeta dos Macacos: A GuerraBlade Runner 2049, Okja e Marjorie Prime.

 

Embora os críticos tenham adorado Os Últimos Jedi, muitos membros da audiência ficaram menos satisfeitos quando deixaram o cinema, citando problemas com o ritmo do filme, escolhas narrativas e execução – que eram ironicamente todas as coisas que os críticos adoravam.

 

Com todas as coisas ditas e feitas, Star Wars: Os Últimos Jedi está atualmente a caminho de ganhar 1,3 bilhão na bilheteria, tornando-se o filme mais bem sucedido em termos financeiros de 2017.

 

Escrito e dirigido por Rian Johnson, o elenco de Star Wars: Os Últimos Jedi inclui Mark Hamill como Luke Skywalker, Carrie Fisher como General Leia Organa, Daisy Ridley como Rey, John Boyega como Finn, Adam Driver como Kylo Ren, Oscar Isaac como Poe Dameron, Lupita Nyong’o como Maz Kanata, Kelly Marie Tran como Rose Tico, Laura Dern como vice-almirante Amilyn Holdo, Gwendoline Christie como capitã Phasma, Andy Serkis como líder supremo Snoke, Domhnall Gleeson como general Armitage Hux, Benicio Del Toro como “DJ”, Joonas Suotamo como Chewbacca, Anthony Daniels como C-3PO e Jimmy Veecomo R2-D2.

 

Star Wars: Os Últimos Jedi  já está em exibições nos cinemas.

 

Fonte: Rotten Tomattoes

0 187

Por Tiago Jamarino – Start – Parceiros Contramão HUB

 

Aviso: Spoilers para Star Wars: Os Últimos Jedi abaixo.

 

Facilmente um dos aspectos mais divisivos de Star Wars: Os Últimos Jedi é a maneira como os personagens usam a Force de maneiras que não foram vistas na série antes. De um lado, você tem os fãs que acreditam que isso trai o que veio antes. Do outro lado, há os fãs que acreditam que era hora de avançar no passado e em uma nova direção. O diretor Rian Johnson falou com o Los Angeles Times sobre as mudanças e sua inspiração por trás deles.

 

Em termos de usar poderes que não foram contextualizados em filmes anteriores, Johnson simpatiza com os fãs, mas ressalta que esta não é a primeira vez que os novos poderes da Força foram exibidos:

 

“A verdade é que, porque Star Wars até ‘O Despertar da Força’ foi configurado em âmbar e não tivemos um novo filme Star Wars em 10 anos, você esqueceu que eles estavam apresentando novos itens da Força com cada filme, com base no requisitos da história. O agravamento da força não ocorreu até o “Império Contra-Ataca”, não estava em ” Uma Nova Esperança”. Mesmo com os fantasmas da Força. Eles apresentariam novas idéias sobre o que poderia acontecer com a Força de cada vez “.

 

Os fãs dos xiitas tendem a apontar o máximo quando se discute a Força em Os Último Jedi, depois que o General Leia foi ejetada de sua nave e aparentemente morta, apenas para usar os poderes da Força que ela nunca havia demonstrado antes de voltar para a nave. Johnson sabia que esta cena não seria necessariamente abraçada, mas faz uma nota de que as sementes foram plantadas na trilogia original:

 

“Isso foi algo que Kathy [Kennedy] sempre perguntou: por que isso nunca se manifestou em Leia? Ela obviamente fez uma escolha, porque em ‘O Retorno de Jedi’ Luke diz a ela, ‘Você também possui esse poder.’ Eu gostei da ideia de que não é Luke concentrar-se, alcançando o sabre de luz; é uma coisa de sobrevivência instintiva, como quando você ouve histórias de um pai cujas crianças estão presas sob um carro e eles conseguem força sobre-humana, ou uma pessoa que se afoga se arrastando para a superfície. É basicamente que ela não está sendo completada com a luta ainda. Eu queria que acontecesse [para Carrie] e eu sabia que seria um trecho. É um grande momento, e tenho certeza de que vai estabelecer formas diferentes para pessoas diferentes, mas para mim sentiu-se como uma coisa realmente emocionalmente satisfatória para ver “.

 

Escrito e dirigido por Rian Johnson, o elenco de Star Wars: Os Últimos Jedi inclui Mark Hamill como Luke Skywalker, Carrie Fisher como General Leia Organa, Daisy Ridley como Rey, John Boyega como Finn, Adam Driver como Kylo Ren, Oscar Isaac como Poe Dameron, Lupita Nyong’o como Maz Kanata, Kelly Marie Tran como Rose Tico, Laura Dern como vice-almirante Amilyn Holdo, Gwendoline Christie como capitã Phasma, Andy Serkis como líder supremo Snoke, Domhnall Gleeson como general Armitage Hux, Benicio Del Toro como “DJ”, Joonas Suotamo como Chewbacca, Anthony Daniels como C-3PO e Jimmy Veecomo R2-D2.

 

Star Wars: Os Últimos Jedi  já está em exibições nos cinemas.

 

Fonte: Los Angeles Times

Por Tiago Jamarino – Start – Parceiros Contramão HUB

Oitavo filme da saga toma rumos completamente diferentes do normal, com uma trama mais complexa, divertida e bem mais vistosa!

 

Star Wars teve sua tão esperada continuação após longos trinta e dois anos, O Despertar da Força (2015), foi a tão esperada volta a galáxia tão… tão distante, lógico sem mencionar a trilogia prequel feita por George Lucas. O Despertar da Força, foi o responsável por reviver a franquia, o resultado do filme foi, a terceira maior bilheteria de todos os tempos e uma grande aclamação pela crítica. Mas o filme não foi isento de críticas fervorosas pelos fãs, a grande maioria era unanime  ao questionar os caminhos trilhados pelo Episódio VII, que era simplesmente uma releitura do Episódio IV — Uma Nova Esperança, a nova trilogia estava tratando seu começo a base de um reboot disfarçado de continuação, copiando em base, os mesmos plots e deixando caminhos questionáveis. J. J. Abrams que estava no leme de O Despertar da Força, passou o bastão para Rian Johnson, diretor e roteirista, que renega totalmente seu antecessor e segue em um caminho completamente oposto visto em toda a Saga. O grande medo do público, em geral, era que este filme em potencial fosse ser uma releitura de O Império Contra-Ataca, mas para a felicidade geral da nação, não, este filme segue seu próprio ponto de vista, apesar de ser um filme do meio que tenha que deixar pontas soltas para o próximo.

 

A trama começa exatamente segundos depois de O Despertar da Força, com Rey (Daisy Ridley), indo encontrar com Luke Skywalker (Mark Hamill) em uma ilha isolada, a garota implora desesperadamente pela ajuda do velho mestre Jedi para ajudar a Resistência na guerra contra a Primeira Ordem. A Primeira Ordem comandada pelo general Hux (Domhnall Gleeson), descobre a localização da última base rebelde, coordenada pela General Organa (Carrie Fisher). O início do filme já é o cartão de visita de Rian Johnson, temos uma verdadeira guerra nas estrelas, uma batalha especial nunca vista antes em toda a saga, com um bom tempo de execução e poderio militar. Para repelir a horda de bombardeiros inimigos, a Resistência conta com o comandante Poe Dameron (Oscar Isaac), que tenta um contra-ataque sem sucesso, forçados a fugirem desesperadamente sendo seguidos de perto pelo esquadrão inimigo. A Resistência manda Finn (John Boyega)e a encarregada da manutenção Rose (Kelly Marie Tran) em busca de um enigmático contrabandista, que poderia ajudá-los a destruir o sistema de rastreamento da Primeira Ordem.

 

Ao falar do filme deixarei alguns pequenos spoilers, é impossível fazer uma crítica mais detalhada sem revelar nada da trama, mas fique tranquilo, não estragarei as partes essenciais. Star Wars foi inspirado na obra do escritor americano Joseph Campbell, com sua obra que contava a jornada do herói, um mito sobre a batalha do bem contra o mal. Essa simples premissa permeia no cerne de toda a saga, esquecida nas trilogias prequels, mas retomada no Episódio VII, Johnson tinha uma base solida nas mãos e alguns personagens já estabelecidos. O diretor e roteirista, tinha um abacaxi nas mãos a descascar, ter em mãos personagens já consagrados, apresentar algo novo e, ao mesmo tempo respeitar o legado da franquia. Johnson tem jogadas cirúrgicas para tratar do seu material, como o filme do meio, em algum momento lembrará ao Império Contra-Ataca, por ser um filme, dramático, de derrotas, fugas, vinganças e restruturação para vitória. Mesmo tendo a alma do Episódio V, Os Últimos Jedi toma um rumo mais inesperado possível, tomando soluções que fogem completamente a (forma) Star Wars de ser, alguns personagens tomam rumos diferentes e o amadurecimento do mesmo torna este filme mais autoral possível.

 

A direção e o roteiro ficam a cargos de Rian Johnson, que vem de ótimos trabalhos, como A Ponte de Um Crime (2005), Looper: Assassinos do Futuro (2012) e alguns episódios de Breaking Bad. A direção é mais autoral do que o esperado, é até um espanto ver o resultado e saber que não ouve tanto as rédeas do estúdio, Johnson consegue se sair bem tanto em aspectos técnicos e visuais, também alcançando o ápice em aspectos narrativos. A fotografia é simplesmente sensacional, mesmo sendo a marca da franquia, a fotografia vista neste filme é a mais bonita da saga. O CGI faz um trabalho magistral dando vida a mundos e belas criaturas, e a grande satisfação que muitas coisas são feitas por efeitos práticos. As paletas de cores reagem ao humor e a decisão de rumo de cada personagem, o cinza da resistência e do núcleo Jedi, ao vermelho e o escuro nefasto da Primeira Ordem. Em termos de estéticas visuais, cada batalha até as vistas nos trailers, são um deleite visual e de cores vibrantes. Johnson soube trabalhar realmente seu clima de guerra, sempre nos mostrando a sensação angustiante das escolhas.

 

O filme divide bem suas linhas de ações, tanto as batalhas espaciais quanto as tomadas áreas, os planos fechados são similares a wallpapers, se congelar uma única imagem, você consegue milhões de papeis de paredes. Os Figurinos são bem trabalhados, cores negras e fardas semelhantes a juventude nazista encontrada na Primeira Ordem, aos costumeiros farrapos acinzentados da Resistência. As variedades de raças alienígenas ainda continua um marco, criaturas misturadas com efeitos práticos e CGI. No planeta cassino vemos todo esse potencial da saga inclusa. A trilha sonora composta magistralmente por John Willians, que desta vez veio com tudo, o pouco entusiasmo mostrado em O Despertar da Força, é rapidamente suprido, com novos temas e alguns antigos que causam a nostalgia.

 

O roteiro como dito anteriormente é assinado por Rian Johnson, não é à-toa que o diretor foi contratado para dirigir alguns episódios de Breaking Bad, que por sinal, são os melhores da série. A narrativa simples de Star Wars ganhou folego novo, mantendo elementos consagrados da série, mas com um toque bem pessoal. O texto apresentado em Os Últimos Jedi apresenta ambos os lados da força, Luz e Trevas tendo tempo de tela para mostrarem todo seu potencial, cada um tendo tempo necessário para mostrar um ponto de vista, que é habilmente usado para mostrar até um lado arrogante vindo do conhecimento Jedi. O que o roteiro de Johnson oferece é mais dúvidas, angustias pessoais, a esperança em tempos de guerras. O grande problema do filme que até Star Wars sofre de barrigadas para prolongar uma trama, principalmente quando está no núcleo do planeta cassino é onde o roteiro começa a enrolar sem necessidades, poderia simplesmente ser enxugados trinta minutos de filme. O maior ponto na narrativa criada por Johnson é que nenhuma referência se baseia para enfeitar seu texto, ou só para agradar a fãs saudosistas, tudo mostrado tem um porquê e move a trama. O grande impacto de Os Últimos Jedi é simplesmente estabelecer a conexão entre seus três personagens centrais, Rey, Luke e Kylo, que ambos são a alma do filme.

 

O elenco é bem diversificado, sendo bem a cara da nova Disney, dando espaço a novos talentos. Mark Hamilltão contestado na trilogia original, mas agora entregando um melhor Luke, bem pirado, beirando a esquizofrenia e com conflitos internos. A Daisy Ridley está ainda melhor que o filme antecessor, seu personagem ainda é a alma do filme, adicionando em sua interpretação olhares e expressões pesadas. Adam Driver ainda entrega um personagem atormentado por suas decisões, várias críticas anteriores ao seu personagem são devidas as inúmeras comparações com Vader, injustas, pois, o seu personagem é a atual caricatura da adolescência atual. O John Boyega está mais alivio cômico do que de costume, tem momentos que está até bobalhão demais. Oscar Isaac esquecido no anterior, tendo agora um certo favorecimento no roteiro, seu personagem tem o peso da guerra e tem escolhas a fazer. Existe uma parte do elenco que está completando tabela, Andy Serkis, Gwendoline Christie (Capitã Phasma ainda continua sendo nada), Laura Dern e Benicio Del Toro totalmente jogado e esquecido. Carrie Fisher claramente teria o próximo filme só para ela, com seu falecimento no ano passado, o filme poderia ser penalizado, mas até que sua participação é bem leve e pontual.

 

Star Wars: Os Últimos Jedi é um grande ponto fora da curva para filmes pipocas, contendo um roteiro bastante maduro para o gênero, com novas definições de bem e mal. Apesar de sofrer com uma barrigada em seu ato do meio, o filme acerta mais do que erra. O bom caminho conduzido pela nova narrativa vai tirar qualquer fã de Star Wars de sua zona de conforto, oferecendo mais caminhos a serem trilhados e uma nova gama de possibilidades a serem exploradas. O elenco antigo ainda continua a arrancar suspiros e até seu tom quando fica leve dosa bem o filme. Com uma cinematografia impecável e a mais linda de toda a saga, Os Últimos Jedi tem todos os benefícios de um filme escrito e dirigido por alguém que teve muito mais liberdade criativa e com maestria em suas escolhas para o rumo da saga.

 

4-Ótimo

 

 

FICHA TÉCNICA

 

  • DIREÇÃO

    • Rian Johnson

    EQUIPE TÉCNICA

    Roteiro: Rian Johnson

    Produção: Kathleen Kennedy, Ram Bergman

    Fotografia: Steve Yedlin

    Trilha Sonora: John Williams

    Estúdio: Lucasfilm Ltd, Walt Disney Studios Motion Pictures USA

    Montador: Bob Ducsay

    Distribuidora: Walt Disney Pictures

    ELENCO

    Adam Driver, Adrian Edmondson, Aki Omoshaybi, Akshay Kumar, Andy Nyman, Andy Serkis, Andy Wareham, Anthony Daniels, Antonio Lujak, Benicio Del Toro, Bern Collaco, Billie Lourd, Carrie Fisher, Chris Adams, Christopher Jaciow, Crystal Clarke, Daisy Ridley, Dan Euston, Dante Briggins, Domhnall Gleeson, Florian Robin, Gareth Edwards, Gary Barlow, Gwendoline Christie, Hermione Corfield, James Cox, Jimmy Vee, John Boyega, Jonathan Harden, Joseph Gordon-Levitt, Justin Theroux, Karanja Yorke, Kelly Marie Tran, Kevin Layne, Laura Dern, Liang Yang, Lupita Nyong’o, Mark Hamill, Mark Lewis Jones, Mike Quinn, Noah Segan, Oscar Isaac, Peter Mayhew, Tim Rose, Togo Igawa, Veronica Ngo, Warwick Davis, William Willoughby

Por Tiago Jamarino – Start – Parceiros Contramão HUB

Apenas dois dias atrás, foi relatado que J.J. Abrams, que está dirigindo o Episódio IX, lançou sua história para Lucasfilm. Agora, temos o título de trabalho para a próxima e altamente antecipada sequência.

 

Fantha Tracks, que anteriormente quebrou os títulos de trabalho para Os Últimos Jedi (Space Bear) e Rogue One (Los Alamos), revelaram o título de trabalho do Episódio IX para ser Black Diamond. A produtora produziu os filmes Star Wars no Reino Unido para este filme será chamado Carbonado Industries (UK) Ltd.Para aqueles que não podem obter a referência, um carbonado é a forma mais difícil de diamantes, ou como eles são conhecidos como , um diamante negro.

 

Desconhece-se o que este nome pode significar. Los Alamos estava em referência ao local de nascimento da Bomba Atômica, uma referência adequada a um filme sobre o nascimento da Estrela da Morte. Nós provavelmente descobriremos mais quando a produção começar seriamente em 2018.

 

Escrito e dirigido por Rian Johnson, o elenco de Star Wars: Os Últimos Jedi inclui Mark Hamill como Luke Skywalker, Carrie Fisher como General Leia Organa, Daisy Ridley como Rey, John Boyega como Finn, Adam Driver como Kylo Ren, Oscar Isaac como Poe Dameron, Lupita Nyong’o como Maz Kanata, Kelly Marie Tran como Rose Tico, Laura Dern como vice-almirante Amilyn Holdo, Gwendoline Christie como capitã Phasma, Andy Serkis como líder supremo Snoke, Domhnall Gleeson como general Armitage Hux, Benicio Del Toro como “DJ”, Joonas Suotamo como Chewbacca, Anthony Daniels como C-3PO e Jimmy Veecomo R2-D2.

 

Star Wars: Os Últimos Jedi  já está em exibições nos cinemas.

 

Fonte:  Fantha Tracks

Por Tiago Jamarino – Start – Parceiros Contramão HUB

Star Wars: Os Últimos Jedi foi oficialmente certificado Fresh com 93% em Rotten Tomatoes.

 

Com comentários do altamente esperado oitavo capítulo da saga principal agora lançado, Os Últimos Jedi está atualmente vinculado com Uma Nova Esperança e O Despertar da Força como um dos filmes Star Warsmais votados em Rotten Tomatoes. Com base em 123 avaliações – a partir de agora – com uma classificação média de 8,3 em cada 10, o consenso dos críticos para o filme é o seguinte:

 

“Star Wars: Os Últimos Jedi honra o rico legado da saga, ao mesmo tempo que adiciona algumas reviravoltas surpreendentes – e oferece todas as emoções que os fãs da ação podem esperar”.

 Escrito e dirigido por Rian Johnson, o elenco de Star Wars: Os Últimos Jedi inclui Mark Hamill como Luke Skywalker, Carrie Fisher como General Leia Organa, Daisy Ridley como Rey, John Boyega como Finn, Adam Driver como Kylo Ren, Oscar Isaac como Poe Dameron, Lupita Nyong’o como Maz Kanata, Kelly Marie Tran como Rose Tico, Laura Dern como vice-almirante Amilyn Holdo, Gwendoline Christie como capitã Phasma, Andy Serkis como líder supremo Snoke, Domhnall Gleeson como general Armitage Hux, Benicio Del Toro como “DJ”, Joonas Suotamo como Chewbacca, Anthony Daniels como C-3PO e Jimmy Veecomo R2-D2.

 

Star Wars: Os Últimos Jedi está programado para ser lançado nos cinemas em 14 de dezembro de 2017.

 

Fonte: 

0 193
Divulgação

Por Ana Paula Tinoco

O Universo Star Wars é um dos mais rentáveis do mundo do entretenimento e isso se prova através de números. A Disney, que detém os direitos da franquia criada por George Lucas desde 2012, arrecadou somente o ano passado, 2016, com o lançamento de “O Despertar da Força” no final de 2015, US$ 1 Bilhão. E esse sucesso está ligado a tudo que está relacionado à marca, fato que acabou transformando o estúdio de Walt o mais poderoso do mundo.

Para alguns, pode-se tratar de uma surpresa caso não esteja familiarizado com Luke Skywalker, Princesa Leia, Han Solo e Chewbacca ou o icônico vilão/ anti-herói Darth Vader. Mas, fato é que após 11 anos de um longo hiato, a Disney trouxe de volta a esperança dos fãs da incrível saga e com isso conquistou novos Jedi e Sith.

Este ano, mais precisamente dia 13 de dezembro, próxima quarta-feira, ocorrerá o lançamento de um novo capítulo da nova trilogia conhecida como “Sequela”. A Disney agora lança o episódio VIII – Os Últimos Jedi e fãs de todo o mundo esperam ansiosos por esse dia, os ingressos para pré-estreia acabaram em questão de horas quando anunciada suas vendas.

O Minas Shopping embarcou no clima e comprou uma passagem para uma galáxia distante no dia 14 de dezembro, quinta-feira, e as boas-vindas para todos aqueles que quiserem participar desta viagem intergaláctica serão dadas pelo fã-clube oficial Conselho Jedi de Minas Gerais a partir das 18h. Divididos entre o lado luminoso e o negro da força, os integrantes irão circular pelo Mall e interagir com o público. Fotos, vídeos ao som da bela Marcha Imperial de John Williams, tema do de um dos Sith mais poderoso do universo, Lord Vader.

Porém, caso você queria se aventurar por este universo fantástico, o Minas Shopping também realizará de 13 a 28 de dezembro uma exposição de miniaturas e trajes dos personagens da Saga. Ela ficará exposta no Piso 2, localizada em frente à loja oficial do Authentic Games e o melhor a participação é gratuita. Para o gerente de marketing do Minas Shopping, Christian Magalhães, essas ações são válidas diante do amor que os fãs demonstram por franquia, “Buscando oferecer uma experiência diferenciada, temos promovido diversas ações interativas dos cosplayers de Star Wars. A exposição das miniaturas e trajes dos personagens complementam as atrações para os fãs da saga”, concluí.

Prepare seu sabre de luz e não perca a oportunidade de embarcar nesta jornada por esta intensa e imensa galáxia.