Cotidiano

Por Rodrigo teles

 

O fim de semana em Belo Horizonte está repleto de eventos para todos os gostos. Confira hoje a agenda que o Contramão separou para você curtir o final de semana.

 

E aí, galera! Tudo bem? Eu sou Rodrigo Teles e hoje trago pra vocês o que acontece nesse final de semana aqui em Beagá.

 

Um final de semana recheado

 

térpretes do vocalista Bono no mundo. Para mais informações, acesse o site Eventim.

 

Sábado

Neste sábado, Beagá recebe o maior festival de Hip-Hop do país, o Rap Game. O evento acontece pela primeira vez no Mineirinho, a partir das 11h e vai receber grandes nomes do gênero. Serão cerca de 50 atrações e 12 horas de música, o festival vai reunir artistas como: Matuê, Orochi, L7nnon, Cone Crew e muito mais. Os ingressos podem ser adquiridos na plataforma Showpass.

 

Ainda neste sábado, Léo Santana chega a BH com o projeto “Léo & Elas”. O evento promete ser mais um grande marco na carreira do cantor baiano. O show, que será a gravação de um DVD, contará com participações especiais de mulheres muito poderosas na música, num mega espetáculo que promete contar com um audiovisual de parar a internet. Os ingressos estão sendo vendidos através da Plataforma de venda ticketWORK.

 

Domingo

 

O espaço Mirante Meet receberá o Pork in’ Roll, edição de ST Patrick’s Day. O evento promete aos participantes muito rock, chopp e gastronomia. Os shows iniciarão às 11hrs e com isso, você poderá curtir o evento por todo o dia. Os ingressos estão disponíveis através do Sympla.

 

E essa foi a programação da agenda dessa semana. Mas e aí, onde eu te encontro?

Por Júlia Garcia

Celebrado em 27 de setembro, o Dia Mundial do Turismo existe desde 1980. Estabelecido pela Organização Mundial do Turismo (OMT), em comemoração ao aniversário de uma década do Estatuto da Organização Mundial do Turismo, tem como principal objetivo ressaltar a importância econômica, social e cultural dessa atividade.

Para comemorar o dia, separei alguns pontos turísticos e locais, que os belorizontinos mais gostam em Belo Horizonte. Vamos lá? Lembrando que essa ordem não indica favoritismo!

 

1- Lagoa da Pampulha

Lagoa da Pampulha. Foto/Divulgação: Pampulha BHZ.

Um dos cartões postais da capital mineira, sua obra foi finalizada em 1943. É bastante popular e é possível notar diversas pessoas passeando no entorno, tanto para o lazer, quanto para saúde.

2 – Praça da Liberdade

Praça da Liberdade vista de cima. Foto/Divulgação: Designi.

Foi construída a partir de 1895 para abrigar os prédios do Palácio do Governo e Secretarias do Estado, em estilo eclético com influência neoclássica. Atualmente é um dos pontos mais movimentados da cidade.

3. Edifício Arcângelo Maletta

Edifício Arcângelo Maletta. Foto/Divulgação: Amira Hissa/PBH.
Edifício Arcângelo Maletta. Foto/Divulgação: Amira Hissa/PBH.

 

Foi fundado em 1961 e é conhecido como centro de boemia e discussão política. Com 19 andares na área comercial e 31 no espaço residencial, o Maletta tem 319 apartamentos, 642 salas, 72 lojas e 74 sobrelojas. Hoje, principalmente à noite, é possível notar um grande movimento no local. São muitos bares e restaurantes cheios, um dos locais mais escolhidos pelos belorizontinos.

4 – Feira Hippie

Feira Hippie. Foto/Divulgação: Bernardo Estillac/Hoje em Dia.
Feira Hippie. Foto/Divulgação: Bernardo Estillac/Hoje em Dia.

A Feira Hippie surgiu em 1969, na Praça da Liberdade, por um grupo de artistas mineiros e críticos da arte. Em 1973 foi reconhecida e oficializada pela Prefeitura de BH. Em 1991, a feira e outras espalhadas pela capital foram reunidas e transferidas para a Av. Afonso Pena. 

5. Mercado Central

Mercado Central. Foto/Divulgação: Mercado Central.
Mercado Central. Foto/Divulgação: Mercado Central.

Nascido em 1929, no centro de Belo Horizonte. Naquela época ele era descoberto e mais de 90% das bancas vendiam apenas hortifrútis. Um dos pontos mais visitados pelos mineiros e turistas, hoje em dia existem dezenas de comércios dentro do local.

6. Rua Sapucaí

Rua Sapucaí. Foto/Divulgação: Moisés Teodoro/BHAZ.
Rua Sapucaí. Foto/Divulgação: Moisés Teodoro/BHAZ.

A Rua Sapucaí foi considerada o primeiro Mirante de Arte Urbana do mundo, onde o público pode acompanhar ao vivo a realização das obras. Hoje em dia a Sapucaí é uma das ruas mais badaladas – se não for a mais – de Belo Horizonte.

7. Mercado Novo

Mercado Novo por dentro. Foto/Divulgação: Flávio Tavares/O Tempo.
Mercado Novo por dentro. Foto/Divulgação: Flávio Tavares/O Tempo.

Foi inaugurado em 1963 como promessa inédita de comércio na capital mineira. Em 2018 ocorreu um pontapé, onde começou a revitalização do espaço. Hoje em dia o Mercado possui bares, restaurantes, lojas, comércios e está sempre movimentado. Virou um queridinho dos belorizontinos.

8. Praça do Papa

Praça do Papa. Foto: Divulgação.
Praça do Papa. Foto: Divulgação.

Inaugurada em 1980, o lugar foi escolhido para a celebração da primeira visita de um Papa a Belo Horizonte. A praça se localiza próximo ao Parque e Mirante das Mangabeiras. Um dos pontos turísticos da cidade, a Praça do Papa é visitada com frequência.

0 229

Por André Duarte, Igor Teixeira, Jaqueline Dias

Em partida válida pelo primeiro jogo da semifinal do campeonato mineiro sub-20, o time do Atlético Mineiro venceu o Cruzeiro por 3×1 no campo do Sesc em Venda Nova na tarde do último sábado (17).
Em um jogo sem muitas movimentações nos primeiros minutos, o time do atlético teve uma oportunidade de abrir o placar aos 30 minutos do primeiro tempo em uma cobrança de pênalti feita pelo atacante Isaac, mas acabou parando nas mãos do goleiro Otávio, do Cruzeiro. Mas a alegria do time celeste durou pouco. Dois minutos mais tarde, aos 32 minutos, o jogador Caio Ribas acertou uma cabeçada indefensável e colocou o time alvinegro na frente do placar. O Cruzeiro encontrou muitas dificuldades para se arrumar em campo, desde o início não teve uma saída de bola com qualidade para que chegasse com perigo ao gol do adversário.

No segundo tempo, o momento inesperado ficou por conta de um recuo de bola do zagueiro Pedrão para o goleiro Otávio que se enrolou completamente com a bola e logo viu ela morrendo no fundo da rede, isso fez com que a torcida atleticana presente pegasse no pé do jogador. Aos 27 minutos, o meia Alisson, que já jogou no time principal do Atlético com o treinador Felipão, estufou a rede em uma bela cobrança de falta ampliando o placar. O jogo ainda reservava um gol para o Cruzeiro, que veio da cabeça de Pedrão que pode se redimir no final depois da falha ocorrida no segundo gol do rival descontando o placar.

Com a vitória, o galinho pode até perder por um gol de diferença que leva a vaga para a final, em caso de diferença de dois gols para os crias da toca, o jogo será decidido nos pênaltis. O jogo da volta está marcado para o próximo domingo (24), às 16h na Toca da Raposa II.

No fim da partida, conversamos com o técnico Eduardo, do Galinho:

https://youtube.com/shorts/hJi7eGzuVxM

 

Foto/Divulgação: Andréa Pires/Studio Joy.

Por Edson Puiati

Os mercados gastronômicos têm se destacado como destinos imperdíveis para os amantes da comida que buscam uma aventura gastronômica autêntica. Com sua diversidade culinária, conexão com a cultura local e experiências únicas, esses espaços comerciais se tornaram verdadeiros paraísos para os exploradores gastronômicos.

Uma das principais características que torna os mercados gastronômicos especiais como destinos de aventura gastronômica é a sua diversidade culinária. Cada espaço, restaurante ou loja apresenta uma especialidade única, representando uma cultura, ingrediente ou região específica. Essa variedade permite que os visitantes descubram uma infinidade de sabores e pratos, desde os clássicos tradicionais até as criações inovadoras. A diversidade culinária presente nestes mercados oferece aos aventureiros gastronômicos a oportunidade de explorar e experimentar uma ampla gama de sabores e texturas, ampliando seus horizontes gastronômicos. 

Foto: Flávio Tavares/O Tempo.
Conexão com a cultura local

Além disso, os mercados gastronômicos proporcionam uma conexão autêntica com a cultura local, com pessoas, estilos e grupos diversos. Geralmente pregam a diversidade, o respeito às diferenças, é democrático em todos os sentidos. Ao visitar espaços como o Mercado Novo, os aventureiros gastronômicos têm a oportunidade de interagir com produtores locais, chefs renomados e moradores da comunidade. Essa interação cria uma experiência enriquecedora, permitindo que os visitantes aprendam sobre os ingredientes tradicionais, técnicas de preparo e histórias por trás de cada prato. Essa conexão direta com a cultura local proporciona uma imersão mais profunda e significativa na experiência gastronômica, tornando-a ainda mais memorável. 

Aventuras no Mercado Novo

Aventurar-se pelo Mercado Novo, é obter uma experiência única de descoberta e surpresa. À medida que os aventureiros percorrem os corredores movimentados, são confrontados com uma infinidade de opções tentadoras que estimulam seus sentidos. Cada esquina revela novas cores, aromas e texturas, histórias e personagens levando os visitantes a uma jornada multissensorial e emocionante. A  capacidade de experimentar pratos e drinks tradicionais, produtos artesanais e criações culinárias inovadoras em um único local é o que torna essa aventura gastronômica tão cativante.

Outro aspecto interessante do Mercado Novo como destino de aventura gastronômica é a possibilidade de explorar além da comida. Há uma atmosfera vibrante, com artistas locais, como é o caso do ateliê do Ronaldo Fraga, exposições culturais vivas, eventos temáticos e uma variedade de produtos não relacionados à comida, como lojas de conveniência, gráfica, artesanato e produtos artísticos. Essa combinação de elementos culinários e culturais cria uma experiência ainda mais  completa, permitindo que os aventureiros gastronômicos mergulhem em um ambiente multicultural e diversificado.

Foto: Flávio Tavares/O Tempo.

Em suma, Mercado Novo se desperta, lançando moda como destino especial para uma aventura gastronômica, proporcionando uma experiência rica em diversidade culinária, conexão com a cultura local, descobertas sensoriais e uma atmosfera vibrante, à medida que a demanda por experiências culinárias autênticas continua a crescer, mercados com esta característica, vão se reinventando constantemente. Novos modelos e conceitos estão surgindo, buscando oferecer uma diversidade ainda maior e promover a inclusão de diferentes culturas e comunidades. 

Por Millena Vieira


Infinitos procedimentos estéticos; ‘chip da beleza’; cirurgias plásticas; micropigmentação disso, botox daquilo. Um mundo inteiro de alternativas é construído pela indústria estética influenciando mulheres por todo o globo a mudarem sua própria imagem. A mídia impulsiona a mesma ideologia e a entrega de bandeja para o mercado. Seja da forma mais antiga e tradicional com as capas de revistas exibindo modelos super magras nas bancas de jornais, as propagandas de remédios milagrosos nas rádios e nas TVs ou das mais atuais com o aumento de publicidades e publicações de imagens editadas e transformadas nas redes sociais. 


Em uma entrevista, a atriz e ex-modelo estadunidense, Gabrielle Union, diz que sua melhor dica de beleza para as mulheres é beber água e impor limites: “Nada te envelhece mais do que não colocar limites e deixar as pessoas passarem por cima de você, então, beba sua água e diga não”, afirma. De início parece uma dica meio boba, mas sabe aquele ditado que o óbvio também precisa ser dito? Pois é. Nós, mulheres, não fomos ensinadas a dizer não, pelo contrário, ouvimos desde a infância como devemos nos comportar, o que podemos ou não podemos fazer, o que vestir, qual o tipo de corpo é o mais bonito, quais os traços são os mais delicados e por aí vai se criando um efeito dominó entre a sociedade, a mulher e o mercado da beleza. Onde o lucro sobressai a ética, só o último ganha no jogo da misoginia, e o autocuidado de verdade passa longe.

Foto: Pixabay

 

Em 2020, o Brasil foi considerado o segundo país que mais realizou cirurgias plásticas no mundo, segundo a pesquisa da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica (ISAPS), totalizando 1.306.962 operações, dessas 173.420 foram de lipoaspirações, a principal cirurgia no país. Alto índice que coloca a vida de milhares de mulheres em risco. De acordo com Di Santis, a taxa de mortalidade só para a lipoaspiração é de 19 mortes para cada 100.000 cirurgias realizadas. A sociedade dita que o corpo e a aparência da mulher fora do padrão imposto (branca, magra e jovem) não são suficientes, a própria indústria de beleza se beneficia e usa de estratégia para impulsionar a auto remodelação, transformando o corpo e a imagem em produto, e assim, a mulher consome do mercado que também a destrói. 

 

O show de horrores ligado ao racismo, machismo, etarismo e a gordofobia ajuda a consolidar ainda mais a busca inalcançável aos padrões de beleza, e, junto ao excesso do consumo das redes sociais, principalmente pelas mais jovens, traz grandes prejuízos à saúde mental feminina. Com a pandemia, o Brasil se tornou o país com a população mais ansiosa do mundo, segundo a Organização Mundial de Saúde e o terceiro no ranking mundial do uso de redes sociais, apontado pela Comscore. As mídias sociais, a construção da auto imagem na sociedade, o aumento da ansiedade entre as mulheres, que são as grandes consumidoras de tendências, as torna o grupo mais atingido pelo transtorno (7,7%). Todos esses fatores estão relacionados também com a qualidade de vida das mulheres, a atenção à saúde psíquica é urgente. Não somos produtos de mercado, nem bonecas de corte de uma mesa cirúrgica. É preciso ir muito além da própria imposição de limites para superar a objetificação sistematizada sobre os nossos corpos. 

0 441

O evento irá ocupar novamente pontos importantes e icônicos de São Paulo entre os dias 25 a 28 de maio

Por Keven Souza

Ela chegou! A 55ª edição da São Paulo Fashion Week (SPFW) começa oficialmente nesta quinta-feira (24). Reunindo personalidades e estilistas importantes do universo da moda, o evento contará com 42 desfiles de grandes marcas, sendo 31 presenciais e 11 fashion films, ocupando o Komplexo Tempo, o Senac Lapa Faustolo, o Iguatemi São Paulo e outros endereços históricos. 

O tema desta edição é “Ressignificar e Origens”, uma provocação direta sobre o caráter diverso e plural que nos une enquanto coletivo humano criativo. A importância do tema para um movimento de pós-eleição e, ainda, de pós-pandemia atravessa, e certamente também resgata, valores ligados às origens e raízes impressas numa consciência social. 

O catwalk do SPFW 

Os desfiles, todos presenciais, acontecem pela manhã no Senac Fau, na parte da tarde no Shopping Iguatemi é apresentado os fashion films e a partir das 18 horas no Komplexo Tempo,  a nata da moda se reúne. 

Ao longo dos quatro dias de evento, o público poderá encontrar processos artesanais, representações da cultura teen (jovem) brasileira por uma pegada não óbvia e ligada ao estilo streetwear, moda inclusiva e militante, além de novos tipos de tecidos, como o Foton, Lycra e Couro. Isso, apenas nas sete novas marcas que estreiam o line-up desta edição, sendo elas: David Lee, Foz, Forca Studio, Gefferson Vila Nova, Marina Bitu, Rafael Caetano e The Paradise.  

 

A programação 

 

25/05 (quinta)

10h – Igor Dadona (Senac)

11h – Gefferson Vila Nova (Senac)

12h30 – Patrícia Viera (Iguatemi)

14h30 – TA Studios (Iguatemi)

17h – Ponto Firme 

19h30 – Localiza 

20h30 – Meninos Rei (Komplexo) 

21h30 – Martins (Komplexo) 

 

26/05 (sexta) 

10h – Rafael Caetano (Senac)

11h – Ronaldo Silvestre (Senac)

12h30 – Apartamento 03 (Iguatemi)

14h30 – Mnisis (Iguatemi)

19h – LED (Komplexo) 

20h30 – Dendezeiro (Komplexo) 

21h30 – The Paradise (Komplexo) 

 

27/05 (sábado)

10h – Maurício Duarte (Senac)

11h – Silvério (Senac)

12h30 – Renata Buzzo (Iguatemi)

14h30 – Marina Bitu (Iguatemi)

16h30 – Forca Studio 

18h30 – Thear (Komplexo) 

19h30 – AZ Marias (Komplexo) 

20h30 – Santa Resistência (Komplexo) 

21h30 – Weider Silveiro (Komplexo) 

 

28/05 (domingo) 

11h – Fernanda Yamamoto

17h30 – Walério Araújo (Komplexo) 

18h30 – David Lee (Komplexo) 

19h30 – Greg Joey (Komplexo) 

20h30 – Lino Villaventura (Komplexo)