Tags Posts tagged with "comércio"

comércio

COMÉRCIO

O Centro de Comerciantes e Lojistas de BH (CDLBH) divulgou em seu site oficial o calendário de funcionamento do comércio durante o feriadão mais esperado do ano. Atente-se!

Neste sábado e domingo o comércio funcionará normalmente, porém na segunda-feira, 3, em acordo já previsto na Convenção Coletiva do Comércio 2013/2014 – Cláusula 43ª, as lojas estarão fechadas, assim como na terça, 4, não haverá expediente conforme com a Lei nº. 5.913. Já na quarta-feira, último dia de festividade, o comércio retorna ao seu funcionamento normal, após o meio dia.

Os Sacolões Abastecer irão abrir no sábado, das 7h às 19h, e no domingo, das 7h às 13h. Na segunda e na terça, os sacolões Serra Verde e Santa Terezinha estarão fechados e os demais têm funcionamento facultativo.

TRANSPORTE

As linhas de transporte coletivo gerenciadas pela BHTrans circulam normalmente no final de semana. Na segunda-feira, 3, os ônibus circularam com quadro de horário atípico, na terça, 4, os motoristas trabalham com o quadro de horários de domingos e feriados. E na quarta-feira, 5, os ônibus voltam a utilizar o quadro de horário atípico, com grande parte das linhas voltando a circular normalmente após ao meio dia.

LAZER

O Parque Municipal Américo Renné Giannetti (Avenida Afonso Pena, 1.377, Centro) abre no sábado, domingo e na terça, das 6h às 18h. Os demais parques funcionam, nos mesmos dias, das 8h às 18h. Na segunda e na quarta-feira eles não abrirão.

O Mirante do Mangabeiras (Rua Pedro José Pardo, 1.000, Mangabeiras) funciona normalmente de sábado a quarta-feira, das 10h às 22h.

COLETA DE LIXO

No sábado, dia 1, as coletas acontecerão normalmente. No domingo, dia 2, há plantões de varrição nas áreas central e hospitalar e na Savassi. Entre segunda e quarta os serviços de limpeza urbana serão realizados normalmente.

– O plantão da Defesa Civil funciona 24 horas por dia, todos os dias da semana, inclusive aos domingos e feriados. Os telefones são o: 199 e o 3277-8864.

Texto por: Juliana Costa

Foto: João Alves

0 455

A Câmara dos Diretores Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH) estima um aumento de 15% das vendas de presentes para o Dia das Mães, em comparação com as vendas do ano passado. Os dados são de um levantamento feito com 200 lojistas, entre 25 de março e 12 de abril. Essa pesquisa também revelou que cada consumidor deve gastar, em média, R$ 150,00 em uma mesma loja.

Dos lojistas entrevistados pela pesquisa da CDL, a maior parte (56,85%) estima que as vendas de 2012 serão ultrapassadas neste ano; já 37,41% avalia que serão iguais e a minoria (11,68%) espera redução em relação ao período anterior. Daqueles que têm expectativa por uma melhora nas vendas, a maior parte (49,24%), vêem a possibilidade de acréscimo superior a 15%.

Apesar do cenário otimista os lojistas que devem manter o mesmo volume de estoque do ano anterior ainda são maioria (45,36%), seguidos de perto por aqueles que pretendem aumentar seus estoques (44,85%). Apenas 9,79% vão reduzir seus volumes de mercadoria em relação a 2012. Para o presidente da CDL/BH, Bruno Falci, trata-se de “essa é uma reação conservadora, uma tentativa de minimizar a margem de produtos que podem ficar parados””.

O ticket médio (quociente que indica a quantia que o consumidor gasta em uma loja) deve variar entre R$ 75,01 e R$ 100,00, segundo espera a maioria (19,78%) dos lojistas ouvidos. Já 18,68% estimam que o gasto deve ficar entre R$ 1,00 e R$ 50,00. Um terceiro percentual relevante (17,03%) aponta a expectativa que o consumo fique entre R$ 100,01 e R$ 150,00.

Bruno Falci acredita que a estabilização dos índices de desemprego e o crescimento da massa salarial dos trabalhadores são alguns dos fatores que contribuem para o cenário otimista apontado pela pesquisa.

Por: Alex Bessas

Foto: Pedro Vilela

Com a proximidade do carnaval, e o consequente aumento do movimento, a administração da Rodoviária de Belo Horizonte tem tomado algumas ações para evitar transtornos para os usuários.

De acordo com a assessoria de comunicação do terminal, será feita uma espécie de triagem dos passageiros para permitir o acesso à área de embarque somente 15 minutos antes do horário que consta na passagem. É recomendado também que as pessoas cheguem à rodoviária com pelo menos 40 minutos de antecedência ao horário de embarque. Para as viagens interestaduais, é preciso que a folha de passagem esteja devidamente preenchida. Caso contrário, o embarque não é permitido.

Cuidados com a segurança e crianças

O terminal, em conjunto com a Polícia Militar e a Guarda Municipal, reforça que os passageiros devem redobrar a atenção com as bagagens para evitar furtos e extravios. A recomendação é que as pessoas não se afastem de seus pertences, principalmente durante o período em que estiverem aguardando o horário da viagem

Com relação às crianças menores de 12 anos que forem viajar sozinhas, é necessário que os pais ou responsáveis legais, obtenham uma autorização junto ao Juizado da Infância e Juventude que possui uma área de atendimento no segundo andar do terminal.

A expectativa é que embarquem mais de 80 mil pessoas no terminal do bairro Lagoinha, e mais de 13 mil na Estação José Cândido do metrô (bairro Santa Inês). Para atender à demanda, serão disponibilizados 2.900 ônibus, dos quais 1600 são veículos extras. Os principais destinos são os litorais do Espírito Santo e Rio de Janeiro, e as cidades históricas de Minas.

Trânsito no entorno da Rodoviária de BH.

Comércio

Para quem for curtir o feriadão de carnaval em Belo Horizonte é bom ficar atento às seguintes informações: Lojas, lanchonetes e demais estabelecimentos de rua funcionarão normalmente no sábado e domingo, suspendendo seu funcionamento a partir da segunda-feira, 11, e voltando a funcionar somente na quarta-feira, 13, após as 12hs. Órgãos públicos também seguem a mesma rotina.

Os Bancos também voltam a funcionar somente na quarta-feira, porém o usuário precisa ficar atento aos horários que pode variar de acordo com cada instituição. De acordo com a resolução n°. 2.875 do Banco Central, as instituições devem avisar com antecedência seus clientes o horário de funcionamento que deve respeitar o mínimo de duas horas.

Alerta de Chuvas

A Defesa Civil de Minas Gerais, lançou um alerta de possíveis chuvas nos próximos dias. O alerta é válido até o dia 11 de fevereiro e prevê um volume de chuva superior a 100 mm para as regiões do triângulo, oeste, noroeste, centro-oeste e sul do estado.
O órgão pede atenção redobrada aos motoristas, pois as chuvas que podem vir em fortes pancadas diminuem consideravelmente a visibilidade nas estradas, e os riscos de derrapagens e acidentes aumentam.

É aconselhada a observação de encharcamento e movimentação do solo das encostas para os moradores das regiões possivelmente afetadas pelas chuvas.

Por Marcelo Fraga, João Vitor Fernandes e Hemerson Morais

Fotos: Marcelo Fraga e Hemerson Morais

 

Ideia importada dos Estados Unidos, o Black Friday, foi pensado para melhorar as vendas dos varejistas após o dia de Ação de Graças, que é uma data especial para os norte-americanos.  Por lá o Black Friday funciona como ponto de partida para o período de compras que se encerra no natal. Este é o primeiro ano do evento no Brasil. Mas o que os consumidores pensam desta inciativa?

 A estudante de jornalismo Silvia Assis acredita que a iniciativa seja um estímulo ao consumismo. “Acho que a pessoa compra só porque está barato”. Silvia Assis ainda diz que os descontos não foram tão grandes. “Minha mãe precisava de um fogão novo, pesquisei hoje na internet e não estava mais barato” relata.

Já o mecânico Michel Santos considera que é uma boa oportunidade de comprar o que precisa com o preço mais acessível. “Só é preciso para tomar cuidado para não gastar de mais” alerta.

Nas redes sociais a população também ficou apreensiva, foram vários comentários e brincadeiras sobre a data.

As vendas com desconto podem ser feitas até as 23:59h pelo site do Black Friday!

Por João Vitor Fernandes e Rute de Santa

Foto: Internet

2012/11/23 Jão . <joao4176@hotmail.com>

O Natal é uma das datas mais esperadas pelo comércio. Segundo a Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL-BH), a expectativa é que a data movimente R$ 2,99 bilhões no varejo na capital mineira. Se comparado com o Natal de 2011, o aumento estimado é de cerca de 7%. A redução do Imposto de produtos Industrializados (IPI), a queda na taxa de juros e o 13º salários são os motivos que impulsionam o aumento nas vendas de final de ano. “Fatores como o mercado de trabalho aquecido, menor índice de desemprego também contribuem para que os consumidores sintam-se mais seguros” explica a Economista do CDL-BH Ana Paula Bastos.

Ao contrário do que prevê a CDL-BH a Associação dos Lojistas do Hipercentro acredita que as vendas vão cair. “Nós não estamos com uma expectativa muito boa. Eu acho que as vendas este ano vão ser inferiores as do ano passado, em 20%”, explica o presidente da associação Pedro Bacha.Inadimplência

Este impasse pode ser explicado por uma pesquisa realizada pela Fecomércio em setembro de 2012. Os resultados mostram que 80% dos entrevistados planejam mal suas compras, e cerca de 50% afirmam que fazem compras por impulso, o que gera aumento no número de inadimplentes.

Nesse contexto, a CDL-BH realiza nos dias 26 a 30 de dezembro a Campanha de Recuperação de Crédito que consiste em facilitar a regularização das dívidas dos consumidores. “Estamos dando uma oportunidade dos consumidores pagarem suas dívidas e terem o crédito restabelecido”, afirma a Ana Paula.

Consumidores

Os consumidores também estão cautelosos neste final de ano. O Locultor de Rádio Rangeliz Soares diz que vai economizar nas compras de Natal. “É claro que o nosso mercado ficará bem aquecido, mas vale lembrar que, com a redução dos impostos, ficou ainda mais fácil se endividar. Eu vou guardar o dinheiro para as férias do ano que vem”, declara.

Por João Vitor Fernandes e Paloma Sena

Foto: João Vitor Fernandes

As temperaturas em Belo Horizonte têm atingido níveis históricos. É comum ao andar na rua ver pessoas reclamando da sensação de calor. No ano passado, um cidadão japonês criou uma roupa com sistema de ar condicionado, para se proteger do calor causado pelo terremoto que devastou seu país. E aqui em Belo Horizonte? O que a população está fazendo para se proteger do calor?

O micro-empresário Clayton Batista Coelho diz que, para enfrentar o calor, tem ingerido bastante água e usado roupas mais leves.  “Tento permanecer em ambientes ventilados e, quando vou sair, uso o protetor solar com maior frequência”, relata.

Já a estudante de biomedicina Gabriela Vilas Bôas diz que está sofrendo muito com o calor. “Nada do que eu faço está conseguindo aliviar. Nem ventilador está ajudando”, brinca a estudante.

Aumento nas vendas

Para alguns comerciantes, quanto mais calor melhor. Quem trabalha com sorvete está bem feliz com o clima. “As vendas melhoraram bastante, porém nos horários em que o calor está mais brando. Com o sol forte, as pessoas nem animam sair na rua”, explica a gerente de uma sorveteria de Justinópolis, cidade da região metropolitana de Belo Horizonte.

Gerente de uma loja de fast food na região da praça da liberdade, na capital mineira, Marcelo Freitas aponta que o aumento da temperatura trouxe também aumento nas vendas de bebidas. “O impacto principal foi no aumento das vendas dos milk shakes, sorvetes e, principalmente, água”, informa.

Por Ana Carolina Vitorino e João Vitor Fernandes

Foto: João Vitor Fernandes