60 anos. 60 histórias: Alunos de Engenharia vencem tradicional concurso de Minas...

60 anos. 60 histórias: Alunos de Engenharia vencem tradicional concurso de Minas Gerais

0 153

Desafio mobilizou estudantes de escolas técnicas e universidades a desenvolverem o projeto de uma ponte

Por Keven Souza

Participando da competição pela primeira vez, Esther Reis Rodrigues e Paulo Henrique dos Santos Pinto formaram a dupla que demonstrou melhor expertise em aplicar conhecimentos técnicos ao desafio e se tornaram os vencedores do concurso “A ponte”, sediado pelo Minascon em novembro deste ano. O prêmio para o primeiro lugar era de R$2,5 mil e ambos o levaram para casa. 

O concurso é uma das ações promovidas pelo Minascon, conhecido como maior evento do setor produtivo de construção mineira, realizado pelo Sistema FIEMG e Sebrae Minas, que acontece anualmente há cerca de quinze anos. Sua proposta é abrir um espaço de competição entre estudantes a partir da elaboração de pontes construídas apenas com palitos de picolé e cola branca. 

O objetivo foi testar como cada estrutura se comportava diante de uma carga de peso, avaliado por uma banca de jurados que analisava a resistência da ponte. Venceu o desafio a dupla que aplicou os devidos conhecimentos e teorias para manter a estrutura firme acerca da submissão da maior carga. Nesta edição, participaram alunos dos cursos técnicos ligados a edificações e cursos de graduação, como Arquitetura e Urbanismo, Engenharia Civil, Mecânica e de Produção. 

“A situação que o concurso traz representa em escala reduzida uma situação real. Os alunos aprendem na teoria todos os mecanismos de forças, tensões e resistências em situações hipotéticas, no desafio eles colocaram tudo em prática, aliando com as variantes reais e peculiaridades da situação”, diz o professor e doutor em Engenharia de Estruturas, Vinnicius Dordenoni Pizzol, sobre a importância do concurso. 

Esther e Paulo, estudantes do oitavo período de Engenharia Elétrica do UniBh, tiveram a oportunidade de estimular a criatividade e construir um projeto impactante que lhes trouxe o título de vencedores, uma ponte que segurou 50 quilos antes de romper. “Foi  um dia e meio para nos prepararmos. Usamos conhecimentos adquiridos em algumas matérias do ciclo básico do curso de Engenharia, como apoios, vigas, treliças e afins. Embora tivéssemos fortes concorrentes, tínhamos um bom projeto”, explica a estudante e vencedora, Esther Reis, sobre a estrutura desenvolvida. 

De acordo com a aluna, o fato de terem ganhado a competição vai muito além do engajamento da dupla. Ela afirma que o esforço por parte da academia para que chegassem ao primeiro lugar, foi um trabalho adjacente e imprescindível para a vitória. “Nos dias que antecederam o início do desafio, conversamos com alguns professores da área, que validaram e refutaram algumas de nossas ideias, sem o apoio deles, não teríamos conseguido! E claro, ficamos super felizes de podermos contar com o suporte e a torcida da coordenadora, e de todo o corpo docente”, diz Esther. 

Além da dedicação dos docentes, o curso de Engenharia Elétrica tem estimulado competências ímpares para proporcionar o sucesso profissional dos alunos. É o que salienta o estudante e vencedor, Paulo Henrique. “O meu curso tem me preparado para o mercado, trazendo desafios reais das empresas e todo esse conhecimento acadêmico foi primordial para elaboração de um projeto consistente, como foi a nossa ponte. E consequentemente isso colaborou para que atingissemos o primeiro lugar”, comenta.   

Paulo já participou e venceu outras competições, mas declara que foi instigante fazer parte do Minascon, já que sua dupla não era familiarizada com as áreas de edificações. “Eu e Esther, fizemos um ótimo trabalho em equipe, trabalhando em sintonia. Foi desafiador, pois não é o nosso campo de atuação e estávamos ali concorrendo com pessoas talentosas de muito potencial, embora tínhamos convicção do primeiro lugar e estávamos bem preparados”, ressalta o estudante.   

É por meio de ações como estas que os alunos possuem a chance de entrar cada vez mais preparados no mercado mediante a práticas que fogem da sala de aula. Para Vinnicius Dordenoni Pizzol, professor que acompanhou de perto a trajetória dos estudantes, concursos como “A ponte” são essenciais para munir os alunos de confiança e autonomia profissional. 

“Todo desafio agrega aos participantes vários diferenciais que se sobressaem em situações onde confiança, inovação, habilidades e superação devem ser peças fundamentais para o tão disputado mercado. E Paulo e Esther são destaques em várias premiações, desempenhando papel de referência que com toda certeza será levado para a área de atuação”, explica. 

Com o prêmio em mãos, a dupla pretende dividi-lo e usá-lo em projetos individuais. “Pretendo investir em um curso de inglês ou de capacitação”, declarou Esther. “Pretendo viajar, recarregar minhas energias”, completou Paulo. 

NO COMMENTS

Leave a Reply