Jogos

0 405

Por Emily Moura e Luísa Freitas

A equipe azul celeste comandada pelo técnico Jonas Urias, venceu a equipe do Atlético Mineiro, comandando pela técnica Vantressa Ferreira, pelo placar de 1 a 0, gol marcado aos 22 minutos do 2º tempo, pela artilheira Byanca Brazil (10), que soma 12 gols marcados durante o campeonato.

Jogadoras antes da partida. Foto: Laryssa Barbosa.

Primeiro tempo

Os primeiros 20 minutos o jogo seguiu equilibrado para ambas equipes, tendo apenas um cartão amarelo aplicado para a jogadora Karol Bermúdez (5) do Atlético, tendo poucas chances claras de gols.

A partir desse momento o jogo que era equilibrado tomou um outro cenário , as cabulosas vieram pra cima e começaram a ter chances, o jogo seguiu com o lado cruzeirense atacando, mas as vingadoras também não ficaram para trás e teve suas chances claras de saírem na frente, o Juiz Richard Michel concedeu 6 minutos de acréscimos a partida , porém manteve sem gols marcados.

Jogadoras entrando em campo. Foto: Laryssa Barbosa.

Segundo tempo

Já no ínicio do 2ºtempo, ambas equipes estavam com muita raça e vontade de vencer, tivemos ao todo 5 cartões amarelos aplicados durante o 2º tempo do jogo, entretanto a atleta Dayana da equipe das Vingadoras, tomo dois(2) cartões amarelos e sem expulsão, oque deixou a torcida cruzeirense confusa.

Aos 22 minutos 2º tempo, como dito anteriormente a Atleta das cabulosas Byanca Brazil (10) abre o placar em um chute de dentro da área marcando para a equipe do Cruzeiro.

Nesse meio tempo tivemos duas alterações, uma para cada equipe, o jogo que seguia 1 a 0 ganhou 7 minutos de acréscimos, indo até 52 minutos. Faltando 2 minutos para o jogo acabar, a equipe atleticana sofre um pênalti, oque levou o torcedor a loucura. A escolhida para bater foi a atacante Soraya (11), entretanto a goleira Taty Amaro (1) das cabulosas defendeu o pênalti, garantindo assim, o tão sonhado titulo de Campeãs Mineiras do ano de 2023.

Elenco do Cruzeiro. Foto: Laryssa Barbosa.

Comemorações

Após a comemoração das cabulosas, estivemos com as jogadoras Vanessinha (7) e Anna Luiza (16) que falaram um pouco sobre como foi ganhar o tão sonhado título do campeonato Mineiro. Confira:

Vanessinha:

Vanessinha, atleta do Cruzeiro, fala sobre o título mineiro de 2023

“Não tem nem oque falar, os 3 anos que a gente vem batendo na trave, o grito na garganta tava entalado, mas esse ano graças a Deus deu tudo certo e a gente conseguiu trazer a medalha e o troféu pro Cruzeiro”, comentou a atleta.

Anna Luiza:

Ana Luiza, atleta do Cruzeiro, fala sobre o título mineiro de 2023

” O título veio, com muito esforço e foi um ano assim, de muito trabalho, muita dedicação e hoje a gente pôde implementar isso dentro do campo com a torcida toda acompanhando a galera toda em cima e uma energia incrível, e é isso, vamo cruzeiro!

Não tem nem oque falar, os 3 anos que a gente vem batendo na trave, o grito na garganta tava entalado, mas esse ano graças a Deus deu tudo certo e a gente conseguiu trazer a medalha e o troféu pro Cruzeiro”, disse a jogadora.

A partida aconteceu no Estádio Independência, e foi transmitida pela primeira vez na história uma final de Campeonato Mineiro Feminina nas telas da Tv Globo e pela Rádio Itatiaia.

Por André Duarte

Na tarde deste domingo (24/09), Cruzeiro e Atlético fizeram o duelo pelo jogo de volta das semi, válido pelo campeonato mineiro sub 20. O time alvinegro tinha vantagem de dois gols, após vencer por 3 x 1, no jogo de ida.

No jogo de volta, na Toca da Raposa 2, Cruzeiro repetiu o mesmo placar e levou a decisão para as penalidades. Nos pênaltis, Cruzeiro venceu por 4 x 1, com a cobrança decisiva de Ruan Santos.

PRIMEIRO TEMPO

Cruzeiro começou em cima do rival, buscando sempre o ataque e tentando diminuir a desvantagem. Primeiro ataque de perigo celeste, foi com o meia, Henrique, batendo de fora da área em boa defesa do goleiro atleticano.
Muito acionado na partida, atacante Robert, aos 20 minutos, fez boa jogada e rolou para Arthur, que bateu no alto e abriu o placar.
Cruzeiro continuou uma pressão, mas não foi eficiente. Atlético melhorou e teve algumas chances de empatar ainda na primeira etapa, Alisson duas vezes entrou na área, batendo uma pelo lado de fora e a outra chutando fraco em cima de Otávio. Isaac também teve sua chance, mas chutou por cima do gol.

SEGUNDO TEMPO

Um minuto após o início da etapa final, Cruzeiro voltou com tudo e igualou o placar no agregado, com gol do artilheiro Fernando.
Cruzeiro seguiu dominando a partida e jogando melhor, mas quem chegou ao gol foi o Atlético, em belo chute cruzado de Alisson, descontando o placar e colocando o clube alvinegro parcialmente na final.
Com a vantagem, Atlético recuou e tentou ficar com o resultado, mas, não durou muito. Seis minutos depois, em um lance de bate e rebate, Fernando chutou, bola explodiu no zagueiro e voltou para o atacante Arthur, que fez o gol que levou o jogo para as cobranças de pênaltis.

PENALIDADES

Nos pênaltis, o Cruzeiro foi muito eficiente, 100% de aproveitamento. Já o Atlético, perdeu duas penalidades, Isaac pra fora e Renan parou em Otávio, goleiro cruzeirense.

A GRANDE FINAL

Na final, Cruzeiro enfrenta o Coimbra, outro finalista da categoria. Data, local e o formato ainda não foi definido. Provavelmente, será em dois jogos, diferente do ano passado, que foi final única, no Independência.

0 436

O Cruzeiro Basquete retorna às quadras e garante acesso direto ao NBB, após disputa acirrada com time paulista. 

Por Pedro Soares

No último fim de semana, o Arena Hall recebeu o Final Four do campeonato brasileiro de basquete. Do dia 8 ao dia 10, quatro das melhores equipes se enfrentaram numa disputa pelo título brasileiro, com o direito de pleitearem uma vaga no NBB e uma lugar direto no campeonato sul-americano. 

Na noite de abertura da competição, o Cruzeiro Basquete enfrentou o Liga Sorocabana. Após um início complicado de jogo, com muitos erros, o time encontrou o caminho da cesta e aproveitou o baixo aproveitamento do LSB para cravar a vitória por 80 a 64 pontos. No jogo anterior, o Basquete Santos saiu vitorioso do confronto contra o AZ Araraquara em um jogo apertado, de 75 a 71 pontos. 

Time cruzeirense com a taça de campeão. Foto: Instagram/Julio Mello – @juliomello7

No dia seguinte a equipe mineira tinha uma missão a ser cumprida, vencer o AZ Araraquara, que naquele momento jogaria por sua sobrevivência na competição. A partida foi acirrada, ambos os times disputando cada ponto. Faltando 9.6 segundos para o fim do jogo, Pedro Teruel sofreu uma falta na quadra de defesa e converteu os dois lances-livres, deixando sua equipe na liderança por um ponto, 66 a 65 naquele momento. 

Com 9.6 segundos no relógio, o AZ Araraquara foi para o ataque e Nezinho, ex- seleção brasileira, partiu para infiltração e errou a bandeja, mas Abner, no rebote, colocou a equipe paulista à frente no placar. A equipe celeste ainda teve mais uma chance de vencer o jogo, mas com apenas 1.7 segundos no relógio, o time de Araraquara fez boa defesa e Leoni perdeu o arremesso final. 

Decisão no placar

O placar do jogo foi decidido pela pontuação mínima, 67 a 66 para o time paulista e no outro jogo do dia o time do Liga Sorocabana venceu a equipe do Basquete Santos por 65 a 55. Os resultados do segundo dia de competição bagunçaram a tabela, como o formato da competição se dava num esquema de todos contra todos, cada time terminou o dia com uma vitória e com isso, a decisão ficou de fato para o último dia, com todos tendo chances reais de conquistarem o título. 

No último dia do Final Four, quem iniciou a partida foi o jogo de AZ Araraquara contra o Liga Sorocabana. Naquele momento o AZ precisava da vitória para sonhar com o título, mas na prorrogação, o time de LSB roubou dos paulistas o sonho da conquista vencendo o jogo por 65 a 60 pontos. 

O jogo que encerrou o campeonato foi disputado entre Cruzeiro e Basquete Santos, os dois times entraram em quadra sabendo o que precisam fazer para serem campeões. Para a equipe celeste, como eles estavam com o maior saldo de pontos,  bastava a vitória. Já a equipe santista, tinha um caminho mais difícil a ser percorrido,  precisavam vencer por uma diferença de no mínimo oito pontos. 

Disputa acirrada

A disputa não foi fácil, faltando um minuto para o fim do jogo, o time da casa estava um ponto à frente no placar. Aos 15.9 segundos, Derick sofreu falta e teve a oportunidade de bater dois lances livres e ampliar para três pontos a vantagem, mas ele errou os dois arremessos. 

O Santos teve a oportunidade de vencer a partida, mas na última posse, Jean se atrapalhou com o tempo restante e finalizou precipitadamente, errando assim o arremesso que deu a vitória para o clube celeste. 

Para o torcedor que compareceu ao Arena Hall, além de acompanhar excelentes jogos, pôde participar, de fato, de um verdadeiro espetáculo. Com participação na quadra durante os intervalos, distribuição de brindes durante os jogos e muita vibração, conduzida pelo mestre de cerimônia Wenderson Simões Silva, conhecido como “Das Quebradas”. 

Agora com a vitória, o Cruzeiro possui o direito de pleitear uma vaga no NBB, desde que cumpra as exigências da liga, e também uma vaga direta no próximo sul-americano de basquete.