Page 291

Conhecida pela beleza arquitetônica e por proporcionar espaço à prática diária de exercícios físicos, a Praça da Liberdade abriga diariamente diversos animais (rolinhas, pombos e até micos!). Diariamente, o aposentado e freqüentador, Domingos Souza, 89, alimenta diversas aves ao longo da praça e quando não pode comparecer, sempre envia alguém para realizar esse trabalho, garantindo que os animais não fiquem sem a alimentação.

Natural da cidade Além Paraíba, Zona da Mata, o aposentado se recorda da época em que vivia em uma fazenda, nos anos 1940, e destaca que o homem é a principal causa da degradação ambiental. “O próprio homem está destruindo o meio onde vive e junto com ela a natureza vai se esgotando. Será que o homem não compreende que tem que cuidar da natureza, e que as espécies estão tentando sobreviver aos nossos costumes?”, indaga.


Domingos jogando alimento para os pássaros.
Domingos jogando alimento para os pássaros.

Os aliemntos são comprados pelo próprio aposentado.
Os alimentos para os pássaros são comprados pelo próprio aposentado.

Belo horizonte é uma capital que possui expressiva diversidade de aves em seu território. Fatores importantes contribuem para a riqueza de espécies do município, como a grande variedade de habitat: lagos, lagoas, fragmentos de mata, campos rupestres, parques, praças, ruas arborizadas e pastagens.

O desmatamento desses espaços faz com que espécies migrem em outros lugares. “Vários pássaros estão saindo de seu habitat em busca de alimento, pois não estão encontrando em outros lugares, estou contribuindo para que os animais não sumam de nossa paisagem”, conclui Domingos.


Por: Marina Costa

Foto: Bárbara de Andrade

0 785

dsc_26271

O colorido das flores chamou a atenção de quem passava pela Praça Sete, no centro de Belo Horizonte de 10 às 12h desta manhã. A mobilização do Dia Nacional de Combate ao Abuso e Exploração Sexual Infanto Juvenil, tem o importante papel de sensibilizar a população para a triste realidade. Para simbolizar o objetivo da campanha, foram distribuídos marcadores de texto e flores que demonstram a infância e a vulnerabilidade infanto-juvenil frente ao abuso e à exploração sexual. A Presidente da Amas (Associação Municipal de Assistência Social – Amas – da Prefeitura de Belo Horizonte) Rosalva Alves Portella comenta sobre a campanha.

dsc_2535dsc_2584

O grupo de dança King´s Kid (Jocum Contagem) atraiu o público com apresentações teatrais e danças que expressam a realidade da vida de crianças que muitas vezes deixam passar despercebida a grave situação.

A campanha foi realizada em conjunto a Associação Municipal de Assistência Social – Amas -, da Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Secretaria Municipal Adjunta de Assistência Social e da Rede de Proteção à Criança e ao Adolescente, (por meio das Comissões Operativas Locais do Programa de Ações Integradas e Referenciais de Enfrentamento à Violência Sexual Infanto Juvenil – PAIR). A Presidente da Amas fala sobre a escolha do local, “A Praça Sete é o centro de Belo Horizonte, o coração que pulsa, e a expansão disso é bem maior”.


dsc_26241

Muitas pessoas tiveram a oportunidade de presenciar as atrações da campanha e entenderam o intuito. “É muito importante, ainda mais pra quem é pai de família e tem criança, porque a gente vê pedófilos, funcionários de creche e outros fazendo covardia com crianças e isso corta muito o coração da gente”, afirma Joaquim Barbosa. Sua esposa Maria de Lourdes complementa, “As crianças são muito importante nas nossas vidas, temos que protegê-las de todas as formas”.

A campanha não termina por aqui. A Assembléia Legislativa do Estado de Minas Gerais convida para o debate público com tema: “Enfrentamento à violência contra Crianças e Adolescentes: monitoramento e avaliação do Plano Estadual, realizado no dia 23 de maio de 8h30 as 15h no Teatro ALMG.

Rua: Rodrigues Caldas, 30
Bairro: Santo Agostinho – Belo Horizonte – MG

Texto: Thaline Araújo

Foto: Andressa Silva

Áudio: Raphael Jota

Em meio a uma Praça pouco movimentada destaca-se a exposição da mini galeria.

Duas exposições chamam a atenção de quem passa pela Praça da Liberdade, a Mini Galeria e a Detono Graffiti iniciativas culturais que levam à praça obras de vários artistas plásticos e designers mineiros e de outros estados também.

As exposições foram abertas no dia 13 e vão até o dia 19 de maio, sempre das 9h às 19h. Quem apresenta as obras da Mini Galeria, na Praça, é a estagiária Amanda Barbosa de Abreu, 19. “A exposição é uma forma de trazer a arte para a população”, afirma Amanda. “As obras expostas aqui na Praça da Liberdade são apenas para exposição, mas, a menos de dois quarteirões daqui, na Av. Cristóvão Colombo [número 550, sala 27], tem mais trabalhos que podem ser comprados, e outros projetos também”, informa.

dsc_2280

Mais informações pelo site: www.minigaleria.com

Por: Bárbara de Andrade

Foto: Felipe Bueno

0 404

Quem visita o Edifício Maleta talvez não perceba a loja de discos de vinil “Usados com arte”, localizada no segundo andar do prédio. A loja é dirigida pelo comerciante Alexandre Veloso, 38, há 3 anos.

O comerciante que veio para Belo Horizonte há 12 anos, chegou a fazer jornalismo durante dois anos, mas largou a faculdade por causa do trabalho. Ele trabalhava em uma loja de Cd´s, até que percebeu a falta de lucro por causa da pirataria, então passou a vender os discos de vinil. “Sempre gostei de discos, de música, então comecei a comprar CD e vinil. Hoje é interessante perceber que o vinil não morreu, as pessoas ainda procuram, acredito que seja uma questão da cultura”, afirma Alexandre.

.

homemm
Clique na imagem e confira a galeria de imagens

Casado há 1 ano, o comerciante investe nas vendas e nas paixões dos aficcionados por música. Segundo ele são vendidos em média 200 discos por mês. Os preços dos discos variam de R$1 a R$250 mesmo assim é possível encontrar discos bons na faixa de R$5 a R$30. Os clássicos do rock têm seu espaço, segundo Alexandre, os discos mais vendidos são dos Beatles e dos Rolling Stones.

Para aprimorar as vendas, Alexandre passou a usar a internet como ferramenta de venda. Hoje atende pessoas de todo o Brasil. Com o acervo exposto em sua loja, ele faz vídeos e manda por e-mail para seus clientes virtuais, com imagens dos discos que acabaram de chegar.

Atualmente a música vem se tornando cada vez mais descartável, onde qualquer pessoa pode baixar um mp3 com músicas de diversos artistas. Será que o vinil conseguirá atrair novos admiradores?

Veja a reportagem:

Feira de vinil

Para os interessados e amantes dos discos de vinil, mande um email para: usadoscomarte@hotmail.com e receba as novas mercadorias da loja.


Texto: Thaline Araújo

Foto: Marcos Oliveira

Edição e filmagem: Vanessa Gomes

Em frente ao Hotel Savassi, nos deparamos com um profissional escasso nas ruas de Belo Horizonte: o engraxate. Um senhor simples e descontraído que já tem sua clientela formada, conseqüência do bom trabalho exercido há treze anos naquela região. Jorge Costa que, também, já exerceu a profissão de bancário, tem um ponto fixo entre a rua Sergipe e Avenida Cristóvão Colombo. “Escolhi esta região por ser uma área nobre e, apesar, do movimento ser um pouco devagar, com tempo conquistei uma grande clientela”, garante.

Com o engraxate não tem mordomia, apesar de ser um autônomo tem horário estipulado para trabalhar. “Trabalho de segunda a sexta-feira, chego aqui às 7 horas e vou embora apenas as 16 horas”, informa Costa.

A experiência trouxe a este engraxate a perfeição, ele apresenta um trabalho com qualidade. O cliente Wellington Santos, corretor de imóveis, salienta que além de ser muito bom no que faz o engraxate tem um diferencial: interação. “O Jorge é uma pessoa politizada, entende de tudo um pouco, além de interagir com os clientes, ainda disponibiliza um jornal para que eles possam ler”, descreve Santos que, uma vez por semana, passa por ali para dar um brilho aos seus sapatos.

mteria

Com a profissão de engraxate Costa conseguiu criar toda sua família. “Hoje todos são independentes, mas os criei com o meu trabalho”, relata orgulhoso. Ele costuma engraxar sapatos em um tempo de cinco à quinze minutos, tudo depende do estado do sapato, e lucra R$ 6,00 por par.

Costa apresentou dois motivos da míngua da profissão: “os jovens não querem ser engraxates, parecem sentir vergonha dessa profissão, e, além disso, alguns novatos não trabalham muito bem”, explica.

Para quem ainda não conheceu esse personagem da região, vale a pena conhecer. Dê um lustre nos sapatos e confira de perto a alegria e simplicidade desse engraxate.

Por: Andressa Silva

Foto: Felipe Bueno

0 818


Na manhã de sábado sete de maio, aconteceu mais um projeto da UNA, Viva Praça, dessa vez na Praça Geralda DaMatta Pimentel na Pampulha. Mais uma vez o evento trouxe para a comunidade local, orientações, informações e dicas.

viva-a-praça
Viva Praça contou com medição de pressão entre outros serviços gratuitos

O evento teve duração de três horas reuniu pessoas de todas as idades e contou com dez tendas que trataram de diversas atividades. Entre elas Informações sobre orçamento pessoal; dicas de economia de energia; orientações sobre animais venenosos e sobre a dengue; orientações sobre primeiros socorros e câncer do colo do útero; importância econômica das algas, métodos contraceptivos e controle de natalidade; avaliação nutricional e medição de glicose; medição de pressão e farmácia verde; pintura de rosto infantil; a luta aikidô e cama elástica para a diversão das crianças. Todas as tendas foram apresentadas por alunos de vários cursos da UNA.

viva-a-praça-UNA
Alunos se divertem enquanto organizam as tendas

Helio Martins de Paulo veio prestigiar a filha, estudante de nutrição e aproveitou para medir sua glicose e pressão arterial. “Acho fantástico a iniciativa é muito interessante, acho também que a cidade está acordando para esse tipo de evento” conta

Uma linda vista da lagoa da Pampulha, recepcionava a população e os pedestres que faziam suas atividades matinais e aproveitaram para cuidar da saúde e adquirem dicas para o dia a dia. Ao mesmo tempo em que viam seus filhos se divertirem nas tendas recreativas, mães e pais se informavam.

“Esse projeto muito interessante no ponto de vista acadêmico e também de integração com a comunidade. Já que alerta a sociedade para problemas de saúde, como hipertensão e diabetes”, afirma Micheline Donato,coordenadora de enfermagem da UNA.

Durante o evento uma encenação foi realizada pelos alunos de enfermagem sobre como agir diante de um caso infarto cardiorrespiratório. No evento a tenda de Aikidô, apresentou duas demonstrações da luta com o uso de espadas e outra modalidade

O projeto além de trazer informações muito interessantes para a comunidade ainda dá a oportunidade para o aluno se expressar e mostrar os conhecimentos adquiridos.

viva-a-praça
Clique nesta foto e veja mais fotos na nossa galeria

Por: Barbara Andrade e Marcos Oliveira

Fotos: Marcos Oliveira