Authors Posts by editores contramao

editores contramao

561 POSTS 1 COMMENTS

0 70

Por Bianca Rolff – Gauche – Parceira Contramão HUB

As histórias de fantasmas sempre serviram a específicos propósitos… Era o tipo de papo para quem queria assustar as crianças, ou manter longe das suas propriedades os arruaceiros da madrugada. Em noites específicas, pessoas em todo o mundo se reuniam em torno de fogueiras em campings para contações de histórias, algumas mais, outras menos convincentes, mas que no frio da noite mantinham a todos ao redor do fogo.
O que não contavam para essas pessoas é que enquanto elas permaneciam aquecidas pelas chamas das fogueiras e pelo calor das narrativas, coisas muito mais interessantes ocorriam em outros lugares…

 

***
Não muito longe do camping da cidade de Vila de Cristo, uma garotinha dos cabelos trançados lia seu livro preferido. Era noite de Dia das Bruxas, e todos os seus irmãos haviam ido para o camping, para a noite de contação de causos. Ela, porém, havia recusado o convite na esperança de ter uma noite inteira de silêncio para poder desfrutar de suas leituras.
Era quase meia-noite e os olhos da pequena menina começavam a lacrimejar, contrários a todos os seus esforços para se manter acordada. Decidida a não se render ao sono, como uma adulta faria, ela saiu debaixo de suas cobertas e, apesar do frio, passou direto pelo casaco dependurado na cabideira e foi em direção à cozinha. Ao passar pelo quarto dos pais, viu que ambos estavam em um sono profundo, e ela andou pé ante pé para não acordá-los.
Quando chegou à cozinha, dirigiu-se até a bancada e, na ponta dos pés, puxou a garrafa de café para junto do corpo. Não era fã de café como seus irmãos mais velhos, mas sabia que aquela bebida quente e forte mantinha as pessoas acordadas e atentas.

Pegou um copo de vidro em cima da pia e colocou metade do copo com café. Quando o bebeu, contudo, quase cuspiu. Estava frio e sem açúcar. Ficando na ponta dos pés, despejou o resto do líquido na pia e estava prestes a lavar o copo quando o viu, pelo vidro da janela.

Lá, entre as árvores do jardim. Um lobo branco, de olhos vermelhos e um brilho intenso vindo de seu peito.

A menina se arrepiou. Era a primeira vez que via um lobo, e aquele parecia muito diferente do lobo que lia em suas histórias favoritas. Foi até a porta da cozinha, abriu-a para a noite gélida e saiu para o jardim.

A sua camisolinha fina balançava com o vento, mas ela se encaminhou para onde o lobo estava, estático, encarando-a. Não tinha medo dele. Queria provar que era uma garota de coragem, inclusive para dizer aos seus irmãos mais velhos o que havia feito.

Ele, o lobo, permanecia parado. Seu pelo branco era a coisa mais bonita que ela já havia visto. Aproximando-se mais, a menina percebeu que o que ela vira brilhando no peito do lobo era na verdade uma corrente prateada, de onde pendia um relógio fechado. Ela sabia porque era igual o relógio de bolso do seu pai. Não se contendo mais de excitação, ela estendeu a mão para tocar o pelo macio do lobo.

Nesse instante, a lua saiu de trás das nuvens e clareou todo o jardim. Quando sua luz iluminou o lobo, algo muito mais impactante aconteceu. A mão da garotinha, que estava prestes a tocar o animal, atravessou-lhe, pegando o vento.

Piscando, a menina olhou para o lobo e engoliu um grito. Ele não tinha mais um corpo real. Era como um espírito, um fantasma fosco, por onde ela via o restante das árvores do jardim. Apenas os olhos do lobo pareciam não ter perdido o brilho vermelho como fogo.

Ao puxar sua mãozinha, ela tocou o pingente no pescoço do lobo. Então o pingente era real! Ela apertou a ponta superior do relógio e ele se abriu, revelando as horas.

Meia noite.

Um grito foi ouvido de dentro da casa, e a menina imediatamente correu de volta, trancando a porta da cozinha e nem mesmo olhando para trás. Subiu as escadas rapidamente e ao chegar no quarto de seus pais, viu a mãe de pé,  parada, com o olhar horrorizado.

– Ele… ele acordou…foi olhar as horas e…

Ao contornar a cama, a menina entendeu. Seu pai estava caído no chão, os olhos abertos, vidrados. De uma de suas mãos, pendia o relógio de bolso, aberto, marcando meia-noite.

A menina olhou pela janela, à procura do lobo, mas ele não estava mais ali.

A menina acordou, gritando. Ainda estava em sua cama, com o livro aberto sobre o colo. Ela olhou para o relógio em sua cabeceira. Ele marcava 23h57.

Saindo correndo, ela foi até o quarto de seus pais bem no momento em que seu pai estendia a mão para olhar o relógio de bolso.

A menina se jogou na frente dele, jogando-o para o lado e impedindo-o de abrir. Colocou o seu livro preferido sobre o colo do pai e, apontando para a história, disse:

– O Alba Lupus, papai. O guardião do tempo, que nas noites de lua cheia…

– … A cada 2150 anos, capta a vida de pessoas que olham para o relógio à meia noite, para manter a roda do tempo girando. Filha, isso é só uma lenda. Além do mais, eu que escrevi ela pra você, a partir de um sonho que tive com o meu relógio…

Um barulho oco foi ouvido e ambos olharam para o lado.

Caída no chão, com o relógio de pulso entre as mãos e os olhos vidrados, estava a mãe da garotinha.

Puxando o pai pelas mãos, a menina viu pela janela os olhos vermelhos do lobo desaparecerem, aos poucos, entre as árvores do jardim.

Por Bruna Valentim

Greta Gerwig é uma atriz de respeito. Musa do cenário indie, ela é referência quando se trata de filmes alternativos com histórias tão reais que chegam a ser palpáveis. Ela fala sobre o mundo feminino de forma tão pura como apenas outra mulher seria capaz de retratar. Greta é o tipo de atriz que enquanto a assistimos parece que estamos vendo uma amiga de longa data no seu próprio reality show. Como diretora felizmente Gerwig também não decepciona em seu longa de estreia.

Com cinco indicações ao Oscar,a de melhor filme, melhor roteiro original, melhor atriz, melhor atriz coadjuvante e melhor direção (Gerwig quebra recordes sendo a quinta mulher indicada na categoria em 90 anos de premiação), o filme acompanha uma adolescente interiorana e sua complicada relação com sua família enquanto busca se encontrar e seguir seus sonhos em meio a decisões erradas e atitudes inconsequentes típicas da idade.

Christine, que se autotitula Lady Bird, é uma garota de 17 anos que odeia sua cidade natal, Sacramento, sonha em viver da arte em alguma grande metrópole e se acha diferente, portanto melhor, que outras pessoas. Saoirse Ronan que da vida a personagem, com apenas 23 anos, adquiriu uma terceira indicação ao Oscar, dessa vez como melhor atriz e com muita chance de levar a estatueta para casa. Por vezes engraçada, por vezes impetuosa, por vezes simplesmente chata, mas sempre interessante, Lady Bird têm camadas e faz com que sintamos empatia e amor pela personagem, mesmo com atitudes adversas que poderia despertar uma antipatia no telespectador, mas o carisma de Ronan faz apenas com que torçamos pela adolescente de cabelo rosa em sua jornada em busca de felicidade e amor.

Os relacionamentos amorosos de Lady Bird no filme, diferentemente do que acontece na maioria dos filmes adolescentes, são romances reais es situações absolutamente plausíveis para jovens adultos. Os atores escolhidos para interpretar seus namorados, Lucas Hedges e Timothée Chalamet, mesmo que não sejam o foco principal uma indicação ao Oscar no currículo. As pessoas provavelmente se identificarão com Lady Bird e terão uma sensação do que é ser uma adolescente descobrindo o amor, a paixão, o sexo. Os primeiros momentos em um relacionamento, a primeira vez, o término, são situações que a direção do filme mostra sem firulas, sem uma áurea cor de rosa, mostra do jeito que é. Greta foi sincera sobre tudo e essa é sem duvidas sua maior qualidade como diretora. A forma como a personagem principal lida com seus interesses amorosos e seus altos e baixos é independente, honesta e nada soa falso ou melodramático, algo corriqueiro em longa metragens do gênero.

A relação da protagonista com sua mãe é o ponto mais alto do filme, não é algo perfeito como a relação mãe e filha do aclamado seriado Gilmore Girs, é algo mais cru, mas também verdadeiro. As brigas entre as personagens e a maneira como fazem as pazes é duro, é puro, é a oposição de duas personalidades fortes que se contrastam, mas acima de tudo se complementam de um jeito muito bonito. Atenção para a cena do aeroporto, lenços serão necessários.

Lauren Metcalf, mãe de Lady Bird, está em estado de graça no filme. Demonstra a exaustão da rotina dobrada para conseguir alimentar a família, o amor e a frustração que sente pela filha ao não conseguir realizar seus sonhos e ao tentar sempre tirar a garota das nuvens, mostrando a realidade que a jovem não que enxergar. A indicação ao Oscar como melhor atriz coadjuvante é mais que merecida.

A trilha sonora carrega sucessos do ínicio dos anos 2000, uma vez que o filme se passa em 2002, então vemos Bones Thugs-N-Harmony e Justin Timberlake com seu coração partido embalando as aventuras de Lady Bird pela simpática sacramento.

O filme é sucesso absoluto e é uma concordância dos críticos e da audiência. Parte disso certamente se deve a perfeição da construção da personalidade de Lady Bird, ela é segura quase o tempo todo, ela tem certezas sobre quem é e sobre o que quer. Ela vive com intensidade e verdade ao mesmo tempo em que sente medo, reconhece quando erra, pede perdão e perdoa. Ela é humana, assim como todos os personagens do filme e sua perfeição se encontra aí, no fato de que essa estória em devidas proporções poderia ser sobre você ou sobre mim. O filme contém traços biográficos de Gerwig, e é uma carta de amor a Sacramento e uma homenagem as mães, as filhas, ao poder feminino, as relações familiares e a quem se é de verdade.

0 82

Por Giovanna Silveira – Metrica Livre – Parceira Contramão HUB

Quando conheci Antônio ele passou por mim correndo. Olhou de meia lua, mas não procurou se familiarizar. Eu não o conhecia, mal sabia seu nome; mas era uma daquelas pessoas que bastam uma vez de olhar, e você vai se lembrar toda vez que a vir.

Engraçado como as pessoas tem um “ar” próprio… carregados de CO2 como vidas carbônicas severinas que são, cada qual levam consigo um fôlego único, no jeito de andar ou em como erguem as sobrancelhas ao falar. Antônio tinha o seu, mas gostava do ar alheio.

Gostava de um jeito de se pôr a observar. Bem calado e bem atento… ver os lábios do falante se moverem, os braços dançando ao redor do corpo, os olhos inquietos completando os discursos; era disso que gostava.

Ah, e Antônio tinha um sorriso fácil, quase de graça por assim dizer. Me pergunto se alguma vez já esteve triste ao ponto de mascarar o canto da boca, mas desde que me lembro, seu rosto sempre teve um traçado côncavo a disposição. Não tem sido fácil lembrar de tudo, e do todo… especialmente quando se quer seguir uma direção contrária da história, aquela que nunca terminou, mas parou a 3/4 da metade.

Me ponho a crer na imprevisibilidade das pessoas, na constância e na brevidade delas. Assim, fica mais conveniente salvar ao toque da memória, aqueles que não foram somente terminações soltar de um córtex cerebral, mas foram aquelas sinapses para nos despertar do acaso.

Seu nome não é realmente Antônio, tampouco é semelhante. Não é referência interna de uma brincadeira juvenil ou alusão bibliográfica. Antônio é como aquele que me refiro, ausente de sentido mas presente de sua essência volátil.

0 86
Foto Divulgação

CARNAVAL BLOQUINHO DO QUEIXÃO

 Galpão Unidos do Samba Queixinho – Belo Horizonte, MG
 04 de fevereiro de 2018, 15h-19h
Divulgação

BAILE MIL GRAU – PRÉ CARNAVAL

 O Mercado – Belo Horizonte, MG
 03 de fevereiro de 2018, 22h – 04 de fevereiro de 2018, 05h
Do Lourdes ao Barreiro, da Praça 7 pro mundo, a melhor página de humor de Belo Horizonte, BH M1L GR4U apresenta:
 
➫ BAILE M1L GR4U – Pré Carnaval
 
A festa que foi feita pra quem é M1L GR4U mesmo! Uma noite fora do padrão, com muita alegria ft. ousadia, mostrando toda a diversidade de BH em uma noite inesquecível. Esquentaremos seu sábado, pré carnaval, como você nem imagina.
 
☯ LINE UP ☯
 
↛ Bloco Funk You
↛ DJ Aiman
↛ DJ Veneza
↛ DJ Lucas BHZ
 
☯ INGRESSOS ☯
 
↛ Promocional: R$ 15
↛ Primeiro Lote: R$ 20
 
↳ COMPRE PELO SYMPLA: https://goo.gl/JNUoeT
 
☯ CLASSIFICAÇÃO ☯
 
↛ 18 anos

CARNAVAL UNIDOS DO ROLÊ NA SAPUCAÍ ♡ 03/02

 Rua Sapucaí – Belo Horizonte, MG
 03 de fevereiro de 2018, 14h-22h
C.U.R
CARNAVAL UNIDOS DO ROLÊ

O Bloco JÁ É SENSAÇÃO chegou chegando todo trabalhado no passinho e na purpurina pra soltar o grave por onde passar!

LOS MARIACHIS – PRÉ CARNAVAL – BAILE DO LOS COM BANDA DUBANDU + HITS LATINOS

 Los Mariachis – Belo Horizonte, MG
 02 de fevereiro de 2018, 21h – 03 de fevereiro de 2018, 04h
◣ Localizado no Sion, Los Mariachis é um Mexican Bar com um conceito eclético de sons e sabores que chega para apimentar a noite de BH.
 
FEVEREIRO TEM BAILE! Tem carnaval no México, sim senhor! Com muuuuito axé, hits latinos e caveira mexicana.
Line Up:
❁ Banda Dubandu
❁ Dj Black Josie
 
AÇÕES MUY LOCAS DURANTE A NOITE TODA:
 
❁ Rodada dupla de CaipiOrloff de Limão até as 23h
 
❁ Chopp Pilsen a R$4,99 das 23h até 02h 
❁  Festival de Tacos
❁  Na compra do combo antecipado – diferentes opções – , ganhe 4 OFFS! (Compre aqui: https://goo.gl/hU6Y7y)
Então BORA FICAR LOUCO e aproveitar o pré carnaval mais caliente de BH! 
 
✿ Comemorações, reserva de mesas: (31) 99444-0123 (Whatsapp)
 
Classificação etária do evento: 18 anos.
 
O ingresso antecipado tem valores promocionais. 
 
É obrigatória apresentação deste, seja impresso ou online. 
 
O estorno é possível, desde que solicitado com até 48h de antecedência

RESSACA DA BANDA MOLE NA JOLIE – PAMPULHA

 JOLIE – Belo Horizonte, MG
 03 de fevereiro de 2018, 22h – 04 de fevereiro de 2018, 06h

RESSACA DA BANDA MOLE

A Jolie!, com um novo conceito de casa noturna, recém inaugurada, entra firme no pré-carnaval de BH trazendo os mais destacados artistas da Banda Mole 2018. A Banda Mole se encerra às 22h, mas a festa continua na Jolie com:

Ø Havayanas Usadas – um dos mais queridos blocos de axé do carnaval de BH!

Ø Pacato Cidadão – hits do Skank, Jota Quest, Pato Fu e Tia Nastácia em ritmo de carnaval!

Ø Manu Rosa – a rainha do sertanejo botando tudo pra quebrar em ritmo de carnaval.

Ø Dj Vini Brown – o dj sensação do carnaval de BH, que irá agitar o Trio Elétrico Rivotrio da Banda Mole e noitada da Jolie!

Vai perder?

Informações: 31 – 98288-8283

Comemore seu aniversário com condições mais que especiais:  (31)98578-6955 whatsapp

ENSAIO NO QUINTAL – BLOCO FUNK YOU

 Quintal do Chale – Belo Horizonte, MG
 04 de fevereiro de 2018, 13h-18h

#ENSAIO NO QUINTAL

*Comida, diversão e arte*

Domingo, 04 de fevereiro, 13h

“Quando ela dança, ela me encanta!!!! Quando ela dança, ela me encanta!!!!

Chega no baile tirando onda, ela rebolando é toda lindona…”

E, no último domingão antes do Carnaval, a folia fica por conta do Bloco Funk You e, como o próprio nome já diz, vai ter muito funk em ritmo de carnaval! Ludmila, Anitta, Claudinho e Buchecha, MC Marcinho, MC Leozinho, Dennis Dj, Bonde do Tigrão, entre outros, compõem o repertório da folia!

Vem com a  gente!

Não importa a fantasia, É CARNAVAL!

Show com:
● Bloco Funk You ●

  • Área Gastronômica ●
    • Boi truck•
    (Espetinhos de boi, frango, coração, pra acompanhar aquela cerveja gelada!)
  • Rock City•

(RockFolia: burger picanha 120grs, queijo fatiado cheddar, bacon, barbecue, pão black

RockFolião: 2 burgers de picanha 120grs cada, queijo fatiado cheddar, bacon, barbecue, pão black

Batata RockChips)

  • Comemore seu aniversário com a gente:
    Aniversariante off + 1 drink

– Trazendo 5 amigos pagantes ganha +1 off

– 10 amigos pagantes  +1 off

– Reservamos mesa ate as 14h30 (mesa de apoio (não haverá assentos), reservas limitadas)!

Criamos link sympla pro aniversariante!

Ingressos*:

1º Lote: R$ 5,00

2º Lote: R$ 10,00
Retire seu convite pelo Sympla, não precisa imprimir!

www.sympla.com/ensaionoquintal

(*) Convites LIMITADOS, sujeito a lotação. O ingresso dá direito apenas a entrada ao evento, bebidas e comidas devem ser pagas a parte
Impropriedade: 18 anos (menores, somente acompanhados pelos Pais)
info: 3286-3155  ou 9484-0021 (wpp) (Horário de atendimento: seg a sex de 10h ás 18h)

Local: Avenida Professor Mario Werneck, 530 – Buritis
(logo atrás do Chalezinho)

*O ingresso é pessoal (nominal). É indispensável a apresentação de um documento de identificação original e oficial com foto, juntamente com o ingresso impresso ou no aplicativo da Sympla, para validação da titularidade;

*Transferências de titularidade serão aceitas até 24 (vinte e quatro) horas antes do horário de início do evento, através do e-mail participante@sympla.com.br;

*Em caso de arrependimento da compra, o reembolso do valor do ingresso somente será efetuado caso a solicitação seja feita no prazo de até 7 (sete) dias a contar da data da compra, e desde que realizado o pedido de devolução com, no máximo, 48 (quarenta e oito) horas de antecedência do horário de início do evento. Essa solicitação deve ser feita através do e-mail: participante@sympla.com.br;

*Caso não tenha recebido o ingresso (ou inscrição) em seu e-mail, você pode acessá-lo a qualquer momento através do aplicativo da Sympla, disponível na App Store ou Play Store, no site da Sympla (menu “Meus pedidos”) ou entrando em contato através do e-mail participante@sympla.com.br;

*Outras informações podem ser encontradas em nossa Central de Ajuda: https://goo.gl/V4y9Xj ;

A Sympla não se responsabiliza por ingressos adquiridos em pontos de venda não oficiais.

T R A N S A! – QUE TIRO FOI ESSE!

 Escola De Samba Cidade Jardim – Belo Horizonte, MG
 03 de fevereiro de 2018, 22h – 04 de fevereiro de 2018, 05h

Vocês pediram e a gente atendeu: vai ter Transa! na Quadra! ♥ BORA AQUECER PRO CARNAVAL! 03/02 – 22h

A noite é dedicada UNICAMENTE à MÚSICA BRASILEIRA, SEM SE PRENDER A UM SÓ ESTILO MUSICAL. Os djs se revezam durante toda a festa tocando desde os clássicos até as novidades do cenário independente. Transa! é rock, é samba, é soul, é anos 80, é funk, é axé, é pagode, é forró, é brega (com ou sem tecno). Transa! é uma celebração de música e amor! Carou Araújo + Alfredo Souza = Transa!

INGRESSOS: 15 (INGRESSO SOLIDÁRIO)**

20 (Lote Promocional)

25 (2º Lote)

30 (3º Lote)

E nesta edyção temos uma surpresinha especial: INGRESSO SOLIDÁRIO! Parte do valor da sua entrada será revertido alguma causa, evento, espetáculo dentro da cidade de Belo Horizonte.

PONTO DE VENDAS On line – Sympla

LOCAL QUADRA DA ESCOLA DE SAMBA CIDADE JARDIM Rua do Mercado, 115, Cidade Jardim

AVISOS GERAIS PRA VOCÊ SE DIVERTIR MUITO:

☛ Os ingressos no Sympla estarão disponíveis até as 21h (ou enquanto durar o lote!) NÃO é necessário imprimir o voucher, o mesmo pode ser apresentado no celular.

☛ Cheguem felizes (e cedo para não pegar fila) e dançar nossos primeiros sets!

☛ Aceitaremos cartões de débito e crédito.

☛ Os primeiros a entrar na festa ganham nossos lindos fósforos colecionáveis! Estarão no palco com do DJs.

☛ Deixamos claro que assédio, machismo, racismo, transfobia, homofobia e qualquer outra forma de opressão não serão tolerados.

☛ Levem muito amor pra trocar com a gente!

☛ Comprei meu ingresso, mas infelizmente não conseguirei ir. Outra pessoa pode ir no meu lugar? Posso cancelar minha compra? QUERO VENDER MEU INGRESSO PARA OUTRA PESSOA: não é necessário trocar o nome, você pode mandar o QR Code e a pessoa apresenta na porta para fazer o checkin. QUERO CANCELAR MEU INGRESSO: você poderá solicitar o cancelamento e o reembolso até 24h antes do evento, ou seja, até as 22h do dia 02/02. Mande-nos um email que fazemos o procedimento. E não esqueça que somente receberemos solicitações partir do e-mail que efetuou a compra.

*** Aniversariantes de fevereiro QUE COMEMORAM com a gente ganham OFF para si e + acompanhante, mandem inbox na nossa página. Fechamos a lista no dia 03 às 16h ***

ILUSTRAÇÃO Persechini Tatuagem e Ilustração CURTA TRANSA! https://www.facebook.com/TransaFesta

Não é permitida a entrada de menores de 18 anos. ♥

Para outras informações: Sympla / Fonte

Por Tiago Jamarino – Start – Parceiros Contramão HUB

 

Guillermo del Toro apresenta filme em cima de tema clássico, mas com uma trama original e com pitadas de sci-fi

 

A Forma da Água é o mais novo trabalho do cineasta mexicano Guilhermo del Toro, podendo se afirmar como uma bela história de amor, com bastante pitadas de ficção cientifica. Se analisarmos bem, este filme soaria bem com uma boa redenção para o cineasta. Aos fãs de Del Toro, assim como eu, tivemos uma amarga decepção com A Colina Escarlate (2015). Sempre esperamos mais de Del Toro, o diretor provou mais que nunca ser capas de nos impressionar com seu espetáculo visual e técnico. Quem não se espantou com a qualidade visual do fantástico mundo de Hellboy, com o surrealismo do mundo encantado que permeava o Fauno. Se a (duas) coisas no diretor que sempre andavam de mãos dadas, era, seu designer de produção e sua boa noção em se contar uma história, seja ela simples ou complexa. Nesse rumo que seu mais novo filme segue, um tema clássico como o amor, mas contada de uma forma bem simples e com elementos fantásticos.

Década de 60. Em meio aos grandes conflitos políticos e transformações sociais dos Estados Unidos da Guerra Fria, a muda Elisa (Sally Hawkins), zeladora em um laboratório experimental secreto do governo, se afeiçoa a uma criatura fantástica mantida presa e maltratada no local. Para executar um arriscado e apaixonado resgate ela recorre ao melhor amigo Giles (Richard Jenkins) e à colega de turno Zelda (Octavia Spencer).

Como de costume em obras de Del Toro este filme também se inicia com um voice-over, já causando no espectador o desconforto em saber se tal história é verídica ou um conto de fadas. Assim como no Labirintodo Fauno temos essa narrativa em off esmiuçando o conto, logo já vemos o potencial técnico do diretor, que faz sua câmera transitar em pequenos planos sequencias com pitadas de cortes bem escondidos. A apresentação da personagem principal já gera outro desconforto, Eliza é uma clássica princesa da Disney, a profissional da limpeza, desfavorecida socialmente, com uma vida pacata aguardando o elemento fantástico mudar sua vida. A genialidade do roteiro em usar esses elementos, é fantástico, até chegar ao final do filme muitos irão supor se Eliza é meramente uma personagem inventada por quem está contando a história.

A direção fica a cargo de Guilhermo del Toro, dos mais notórios filmes do cineasta temos, O Labirinto do Fauno (2006), Hellboy (2004), Blade 2 (2002) e Círculo de Fogo (2013). Como já mencionado acima, Del Toroé um diretor que mistura fantasia, ficção cientifica com temas clássicos, presenteando seus espectadores como belas criaturas e mundos magnificados. A cinematografia usa bem tons de verdes e cores bem escuras para dar um senso de perigo, angustia e tristeza, elementos claros de uma ficção científica com monstros. O designer de produção é a marca registrada de Del Toro, toda ambientação dos anos 60 está bem detalhado aqui. Apesar de em muitos momentos o filme ser bem escuro a uma iluminação pontual em cenas que precisam ser destacadas, algumas cenas que são espetaculares. As cenas que são feitas debaixo d’água mostram todo o potencial de uma fotografia que parece ser pintada a mão, fotografia ao qual somada com o excelente trabalho da trilha sonora, fazem com que o filme se pareça uma graphic novel digna de aplausos. Até o designer da criatura é meramente incrível, com uma roupa e uma maquiagem que demonstra uma sensação de realidade. 

O roteiro assinado por Del Toro e Vanessa Taylor tem uma difícil missão, fazer uma história de amor dar liga. Assim como a clássica história infantil, A Bela e a Fera, temos um potencial romance entre uma mulher e uma criatura. Mas não apenas isso, a várias pequenas histórias de pano de fundo acontecendo, o dia-a-dia de funcionários que trabalham na instalação do governo, o pano de fundo histórico da Guerra Fria e o tempo necessário para desenvolver alguns personagens, principalmente a interação com a criatura. O grande problema da narrativa é que o filme é bem previsível, em momento algum, o filme irá surpreender, toda sua condução vai ser entendido pelo espectador. A Forma da Água é um trabalho mais maduro do diretor, pegando o conceito básico de uma clássica história de amor nos introduzindo no fantástico, deixando uma trama mais séria e que em alguns momentos se torna assustadora, mediante a conduta de alguns dos seus personagens.

O elenco é muito bem escalado, tendo uma protagonista digna de todas as suas indicações a prêmios de cinema. Sally Hawkins faz o papel de uma mulher muda, a atriz dá um show à parte, sua personagem precisa se comunicar sem falar e isso é bem transmitido pela sua expressividade. Eliza é uma personagem doce, se preocupa com as pessoas, decidida quando quer e seu olhar transmite tudo em cena. A interação de Eliza com a criatura vivida por Doug Jones, que está habituado em fazer estes papeis, ambos precisam se comunicar sem falar, algo que soa realmente difícil, mas ambos se expressam com linguagens de sinais e muita linguagem corporal. O Michael Shannon com sua fisicalidade intimidadora é bem o personagem a ser odiado pelo espectador, desde o início do filme o roteiro já define bem isso, mas graças ao belo trabalho do ator seu personagem não ficou clichê. A Octavia Spencer está bem, mesmo tendo pouco o que fazer, em alguns momentos do filme ela é a voz de Eliza. O Michael Stuhlbarg bem como sempre nós oferecendo mais histórias de pano de fundo.

A Forma da Água, não alcança o patamar de obra-prima, contendo vários momentos em que o roteiro começa a usar artífices bem convenientes para fazer sua trama andar. Faltou a dupla de roteiristas um esmero a mais para dar desfechos mais sérios e fazer sua trama ser perfeita. Mas tirando todas essas ressalvas, A Forma da Água é uma linda história de amor, com elementos cinematográficos fantásticos, uma trilha sonora linda e mais uma criação de universo fantasioso maravilhoso.

 

4-Ótimo

 

 

 

FICHA TÉCNICA

 

A Forma da Água (The Shape of Water) — EUA, 2017
Direção:
 Guillermo del Toro
Roteiro: Guillermo del Toro, Vanessa Taylor
Elenco: Sally Hawkins, Michael Shannon, Richard Jenkins,  Octavia Spencer, Michael Stuhlbarg,  Doug Jones, David Hewlett, Nick Searcy
Duração: 119 min.

0 77

Por Débora Gomes – . as cores dela . – Parceira Contramão HUB

não se entristeça assim… há tempo pra tudo!
pros laços desfeitos, pros amores perdidos, pras novas cores…
o que passou, em breve ocupará seu lugar devido entre as lembranças.

e, por isso, cuide do teu coração… 
pra que ele faça sempre as tuas melhores escolhas e guie os passos do teu melhor caminho.
essas lágrimas que caem hoje, são como orvalho nos campos de macieiras pelas manhãs: logo vem o sol e tonifica tudo. 

então, se já não cabe mais em teu peito sustentar tanto amor vão, vá enquanto o tempo ainda não corroeu tua forma de esperançar.
colhe flores, planta roseiras ou girassóis, compra alfazema pra perfumar a casa, anseia pelo tempo das boas avenças e jamais, em momento algum, caia na tentação de desistir.
não viemos até aqui pra partir em desamor…
por isso, apruma esse peito, levanta esses olhos e escreve, se preciso for, uma história nova!

tem giz de cera na primeira gaveta…
desenha com eles os sonhos mais puros do teu coração e vai… ser feliz outra vez…